Chega ao Brasil o novo Mercedes-Benz C 250 Coupé Sport

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 15/07/16)

Archivnummer: SSPIP61850A Mercedes-Benz anunciou, nessa semana, a chegada ao País do novo C 250 Coupé Sport. O modelo será vendido com acabamentos externo (incluindo as rodas) e interno da divisão esportiva da marca, a AMG. O C 250 Coupé Sport passa a fazer parte do portfólio da marca para o mercado nacional a partir desse mês.

O novo esportivo é 90 mm mais longo do que o seu antecessor e 37 mm mais baixo do que o sedan da classe C. O para-choque dianteiro apresenta grandes entradas de ar, o que lhe confere um ar esportivo.

Ajudam nesse visual, que remete à esportividade, a linha de cintura elevada e as portas sem molduras. O defletor aerodinâmico dianteiro é cromado e as caixas das rodas contam com alargadores, que ressaltam as belas rodas de 18 polegadas.

As luzes diurnas são em LED e integradas aos faróis – que também são de LED. As lanternas traseiras apresentam duas seções, o que reforça a impressão de largura do modelo, e possuem quatro faixas horizontais. Ainda na traseira, a placa é posicionada no para-choque e o sistema de escapamento conta com duas ponteiras visíveis em cada extremidade.

Vei2 - Divulgação  Daimler AGO belo C 250 Coupé Sport utiliza motor 2.0 (211 cv), de quatro cilindros e injeção direta. Ele é capaz de levar o coupé aos 250 km/h de velocidade máxima, que é limitada eletronicamente. Da imobilidade aos 100 km/h ele leva 6,8 segundos. Trabalha em conjunto com essa motorização um câmbio automático de sete marchas. Há opção de trocas manuais, tanto através da alavanca do câmbio quanto por meio de “borboletas” no volante.

Para auxiliar na redução do consumo de combustível, sistema start/stop. A suspensão traseira é independente, o que melhora muito a estabilidade. Tanto a estrutura de suporte da suspensão quanto os braços de controle das molas são em alumínio forjado.

A direção é eletromecânica. Falando em direção, o modelo traz o sistema Dynamic Select que possibilita a escolha do modo de condução: Comfort, ECO, Sport, Sport + e Individual. Também está presente o Active Parking Assist, sistema que auxilia nas manobras de estacionamento.

Outro auxílio eletrônico oferecido é o Adaptive Brake que, entre outros recursos, oferece o Hill-Start Assist, que ajuda nas partidas em rampas;  a função Hold, que mantém o veículo parado sem necessidade do uso do pedal de freio; função de secagem dos discos de freio, que em caso de chuva, remove a umidade para agilizar a frenagem, e função de pré-carga (priming), que coloca as pastilhas em contato com o disco, automaticamente, sempre que o condutor tira o pé do acelerador. Isso reduz a distância necessária para parar o C 250 completamente em situações de emergência.

Archivnummer: SSPIP52218

Ainda dentro do itens de segurança presentes, destaque para os sete airbags (dianteiros, laterais, do tipo cortina e para os joelhos do motorista), o controle de estabilidade (ESP), a distribuição eletrônica de força de frenagem (EBD), o controle de tração (ASR), a tração eletrônica em cada roda (ETS), assistente de freio (BAS) e o sistema Isofix para fixação de cadeirinhas de bebês.

As principais dimensões do Mercedes-Benz C 250 Coupé Sport são as seguintes: comprimento – 4,69 metros; largura – 2,02 metros e altura – 1,40 metro. O porta-malas tem capacidade para 400 litros de bagagem e, no tanque, cabem 66 litros (mais 7 litros de reserva) de combustível.Os pneus utilizados são os 225/45 R18 e 245/40 R18. O peso do modelo é 1.540 kg. Os dados foram fornecidos pela Mercedes-Benz do Brasil.

No total, são nove cores de opção para a carroceria, sendo sete metálicas e duas sólidas. Já para o revestimento dos bancos, são cinco opções: preto/preto; cinza/preto; marrom/preto; porcelana/preto e vermelho/preto. O preço sugerido pela Mercedes para o novo C 250 Coupé Sport é R$245,90 mil.

Archivnummer: SSPIP52231
Fotos: Divulgação / Daimler AG

 *Colaborador

Honda CB 650F e CBR 650F estão no mercado

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 15/07/16)

No fim de junho, a Honda apresentou a linha 2016 da família 500 de motocicletas. Ela engloba os modelos naked (CB 500F,) esportivo (CBR 500R) e crossover (CB 500X). Essa semana, foi a vez da Moto Honda da Amazônia mostrar as novas CB 650F e CBR 650F, porém, como linha 2017.

Vei7 - Honda CB 650F - Divulgação Honda - Marlos BakkerA CB 650F é uma motocicleta street fighter naked enquanto, a CBR 650F, é uma sport. Os dois modelos receberam atualizações em seus grafismos com combinações de cores exclusivas para o Brasil. O desenvolvimento foi realizado por designers brasileiros, na planta da marca em Manaus (AM).

As duas motocicletas passaram por aprimoramento do sistema de controle de emissões de poluentes para que estejam em conformidade com as normas da segunda fase do Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares (PROMOT 4). Para tal, foi adotado um sistema de cânister, com filtro de carvão ativo para emissões evaporativas do tanque de combustível, e aprimoramentos no sistema de catalisador.

De acordo com a Honda, com essas melhorias, houve sensível redução em gramas emitidas por quilômetro rodado: 42,7% no monóxido de carbono, 36,5% em hidrocarbonetos e 4,2% de óxido de nitrogênio. O monóxido de carbono emitido em marcha lenta caiu pela metade, ainda segundo a Honda.

Vei9 - Honda CBR 650F - Divulgação Honda - Marlos Bakker

Fotos: Divulgação / Honda / Marlos Bakker

A CBR e a CB 650F compartilham o mesmo motor. Ele possui quatro cilindros em linha, com sistema DOHC (Double Over Head Camshaft ou Duplo Comando de Válvulas no Cabeçote), 649 cm³ de capacidade, injeção eletrônica e arrefecimento líquido. A potência máxima é de 87 cv a 11.000 rpm com torque de 6,4 kgfm. Com transmissão final feita por corrente, o câmbio é de seis marchas.

O chassi, do tipo Diamond, também é o mesmo para as duas, da mesma forma que a balança traseira, do tipo monochoque em alumínio fundido. Ela é totalmente ajustável e tem curso de 43,5 mm, além de permitir sete estágios de configuração na pré-carga da mola.

As rodas traseiras são de 17 polegadas calçadas com pneus 180/55-ZR17M/C. O sistema de freio utiliza disco de diâmetro de 240 mm e cáliper simples. Na dianteira, rodas de 17 polegadas e pneus 120/70-ZR17M/C. O freio utiliza discos duplos de 320 mm e cáliper duplo. A suspensão, também de ambas, apresenta garfo telescópico convencional de 41 mm, com curso de 120 mm.

Os painéis de instrumentos, idênticos, apresentam velocímetro, tacômetro e relógio digitais. Marcador de combustível e hodômetros total e parcial utilizam medidor gráfico. O tanque de combustível tem capacidade de 17,3 litros para as duas motocicletas.

Tanto a CB 650F quanto a CBR 650F são vendidas em versão única, com sistema de freios ABS. Os preços públicos sugeridos, tendo como base o estado de São Paulo, e sem incluir frete e seguro, são os seguintes: CB 650F – R$37 mil e CBR 650F – R$38,80 mil.

As motos atualizadas possuem três anos de garantia, sem limite de quilometragem e contam, ainda, com o Honda Assistance. Ele contempla resgate e assistência ao motociclista em todo o Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e Venezuela.

 *Colaborador

Jaguar Land Rover inicia testes reais de tecnologias conectadas e autônomas

Da Redação

jlrtechshowcaseoverheadroadworkassist09 (2)A Jaguar Land Rover planeja criar uma frota de mais de 100 veículos de pesquisa ao longo dos próximos quatro anos para desenvolver e testar uma ampla gama de tecnologias de condução conectada e autônoma ( Connected Autonomous Vehicle – CAV). Os primeiros testes do gênero estão programados para ocorrer ainda este ano em um percurso de 41 milhas (66 quilômetros) nas estradas e vias urbanas em torno de Coventry e Solihull, onde estão situadas duas fábricas da empresa.

Os testes iniciais envolverão tecnologias que permitem a comunicação de veículo para veículo, permitindo alertas sobre interferências em rodovias, canteiros de obras, semáforos, entre outros. O compartilhamento de informações entre dois ou mais veículos permitiria que, no futuro, ações como mudança de faixas e tráfego em cruzamentos sejam realizados de forma fácil e mais segura.

ROADWORK ASSIST

É uma tecnologia que, por meio de câmeras stereo, é capaz de gerar uma visualização 3D da estrada à frente e, em conjunto com um software avançado de processamento de imagem, é capaz de reconhecer cones e barreiras.

O sistema poderá detectar quando o veículo se aproxima do início de um trecho em obras, identificar o caminho ideal e mais seguro entre lugares em construção e contrafluxos, além de informar o condutor de que seu caminho adiante apresenta alguma situação de risco.

SAFE PULLAWAY

Ficar muito perto do veículo à frente em engarrafamentos ou ao trafegar por cruzamentos é uma causa muito comum de acidentes de trânsito. Colisões a baixas velocidades como pequenas batidas nas paredes durante uma manobra de estacionamento em garagens apertadas também.

Como forma de evitar esse tipo de situação, a Jaguar Land Rover também trabalha no desenvolvimento de um sistema de assistência ao motorista Pullaway Safe, que utiliza a câmera stereo dos veículos para monitorar a área imediatamente à sua frente. Se objetos como outros veículos ou paredes são detectados, o sistema monitora os níveis de aceleração do veículo ou mesmo a marcha atual, analisa essas informações, julga se há risco de colisão e, se sim, pode acionar automaticamente os freios do modelo e enviar um aviso sonoro de perigo ao motorista.

OVER THE HORIZON WARNING

É parte de um projeto de pesquisa de teste de dispositivos que usam sinais de rádio para transmitir dados relevantes de um veículo para outro. Se os automóveis forem capazes de se comunicar de forma independente entre si, motoristas e carros autônomos poderiam ser avisados dos perigos e obstáculos ao longo do caminho ou em curvas cegas.

EMERGENCY VEHICLE WARNING

Permite que ambulâncias, carros de polícia ou carros de bombeiros se comuniquem com outros veículos na estrada. Essa transmissão de informações entre veículos permitiria que os demais condutores liberassem o tráfego para emergência ou tomassem decisões com maior antecedência antes mesmo de ouvir as sirenes ou visualizarem as luzes de alerta de uma ambulância, o que torna uma situação como essa muito mais segura para todos.

jlrtechshowcaseoverheadclearanceassist06 (2)

Fotos: Divulgação / Jaguar Land Rover

Nissan confirma vendas do GT-R 2017 para julho no Japão

Da Redação

2017_nissan_gtr__13 (2)

A Nissan Motor Co., Ltd. confirmou o início das vendas do Nissan GT-R 2017 no Japão para 27 de julho. O modelo renovado foi exibido naquele país no dia 1º de abril em um lançamento oficial. O novo Nissan GT-R traz visual novo tanto no interior quanto externamente, além de melhorias na performance, nos equipamentos e na experiência de dirigir. São as mais significativas mudanças no modelo desde sua introdução, em 2007.

O motor biturbo 3.8-litro V6 de 24 válvulas do GT-R de 572 cv – cada unidade trabalhada por seu próprio técnico de Takumi – agora entrega 419 kW (570 PS) a 6800 rpm e 637 Nm (65.0 kgfm) de torque a 3300-5800 rpm sem comprometer a economia de combustível. O motor revisto vem acoplado a uma transmissão de 6 velocidades de dupla embreagem, que apresenta mudanças mais suaves e níveis de ruído reduzidos.

Nissan confirma vendas do GT-R 2017 para julho no Japão

O painel de instrumentos é inteiramente novo e coberto com couro de alta qualidade, artisticamente costurado com precisão Takumi. A forma do painel adota um “fluxo horizontal”, que proporciona uma sensação de maior estabilidade para os ocupantes do banco da frente do carro, enquanto a linha a partir do painel de instrumentos do console central proporciona um ambiente distinto orientado para o condutor atrás do volante. Um monitor de tela touch de 8 polegadas apresenta grandes ícones na tela de exibição para torná-lo fácil de operar, enquanto um novo controle de comando de visualização, localizado no console central em fibra de carbono, também permite uma operação fácil.

Nissan confirma vendas do GT-R 2017 para julho no Japão

O modelo será vendido no Brasil sob encomenda.

Nissan confirma vendas do GT-R 2017 para julho no Japão
Fotos: Divulgação / Nissan

GLE 63 Brabus 850 chega ao Brasil

Da Redação

imagem_release_699347 (2)Quem quer um SUV com um alto desempenho já tem escolha: O GLE 63 Brabus 850 já pode ser encomendado no Brasil.

A preparadora basicamente não mudou muito a aparência geral do carro em relação ao GLE 63 Brabus 700 (de 700cv), exceto por um par de elementos de fibra de carbono aqui e ali. Foram adicionadas também maciças rodas monoblock de 23 polegadas, substituindo as de 21 ou 22, opções para o modelo de 700cv. A aparência do GLE 63 Brabus pode também ficar mais “sombria”, mesmo que seja todo branco – e isso é parte do apelo da marca para seus clientes.

imagem_release_699354 (2)Com relação ao desempenho, o GLE 63 Brabus 700 oferece 700 cv e 960 NM de torque. Em linha reta, ele chegará a 300km/h – e isso é uma velocidade máxima bem impressionante para um carro que pesa quase 2,4 toneladas.

Mas se isso ainda não é o suficiente, o GLE 63 Brabus 850 com motor 6.0 Biturbo tem 850 cavalos e uma força de 1.450 Nm de torque, resultando em um 0 a 100km/h de apenas 3,8 segundos e uma velocidade máxima limitada eletronicamente de 320km/h.

Todos os componentes são manufaturados em OEM Quality. A garantia é de dois anos ou 100.000 km. O preço é R$2,7 milhões.

imagem_release_699352 (2)

imagem_release_699351 (2)

imagem_release_699353 (2)

Fotos: Divulgação / Brabus

 

Peugeot 208 1.2 três cilindros mostra fôlego nas estradas

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/07/16)

Vei5 - Divulgação - Peugeot - Pedro BicudoQue o motor 1.2 de três cilindros (90 cv) que equipa o Peugeot 208 é econômico, a maioria das pessoas tem conhecimento. Não por acaso, ele teve grande destaque na lista do Programa de Etiquetagem Veicular divulgada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Nela, o compacto francês aparece com as seguintes médias: 10,9 km/l (cidade) e 11,7 km/l (estrada) quando abastecido com etanol e, com gasolina, 15,1km/l (cidade) e 16,9km/l (estrada).

Outro exemplo claro da economia que esse propulsor oferece foi aprova” à qual a montadora o submeteu. O modelo percorreu mil quilômetros, entre São Paulo (SP) e Brasília (DF), com apenas um tanque de combustível. Abastecido com gasolina, alcançou médias de consumo de 20 km/l em velocidade média de 85 km/h.

Porém, quisemos verificar o outro lado da moeda. Também é de conhecimento dos motoristas brasileiros que além dos motores de baixa cilindrada oferecerem, em sua maioria, economia de combustível, o desempenho é sofrível em rodovias. Manter velocidades elevadas é difícil, força o motor ao extremo e, fazer ultrapassagens, requer muita paciência e prudência para evitar sustos. Resolvemos tirar a prova disso fazendo uma viagem com a unidade que recebemos, a topo de linha Allure, para o interior de Minhas Gerais.

Vei6 - Divulgação - Peugeot - Pedro BicudoAntes de começar o trajeto, o pré-conceito estava estabelecido na nossa mente: essa seria uma viagem longa e demorada. Ultrapassagens solicitariam bastante paciência. Pois o Peugeot 208 nos surpreendeu, e muito! Em primeiro lugar, uma importante informação: viajamos com dois adultos a bordo, mais bagagens. Ou seja, o banco traseiro estava vazio.

Mesmo assim, em muitos veículos com motor 1.0 essa última informação não faz a menor diferença, ele continualerdomesmo sem passageiros adicionais. Portanto, o desempenho alcançado pelo 208 é realmente digno de elogios. Mantivemos velocidades mais altas (110 km/h nos locais permitidos) sem forçar o modelo. Ultrapassagens de carretas foram feitas sem sustos, com o compacto demonstrando bastante fôlego para essas manobras. Bastava reduzir para marcha e acelerar que ele respondia prontamente, com muita agilidade. Fato é que uma pessoa que não soubesse qual motor ele utiliza, tranquilamente afirmaria que era um propulsor mais potente.

Para mantermos o objetivo de verificar seu desempenho, deixamos o quesitoeconomia de combustívelde lado. Até porque, para realizarmos a avaliação da forma que queríamos, reduções de marcha eram necessárias a todo momento, o que sacrifica o consumo. Como a estrada incluía trechos de serras, algumas vezes chegamos a usar a marcha para manter o embalo. Nesse momento, destacamos que o ruído dentro da cabine não era elevado, demonstrando um bom isolamento acústico.

Mesmo com todos esses poréns, o bravo 208 conseguiu fazer uma média de 12 km/l, abastecido com gasolina. Da forma como foi conduzido, sempre em busca de desempenho, definitivamente não é uma média ruim.

Um dado que sempre trazemos aos nossos leitores quando avaliamos um modelo da Peugeot é o acabamento interno. Pode parecer repetitivo, mas em um mercado como o nosso, onde o abuso de plásticos rígidos de baixa qualidade, ainda mais no segmento de compactos, é recorrente, quem está acima da média merece destaque.

E esse é o caso do 208. O interior é agradável e utiliza materiais que transmitem a sensação de qualidade superior. Todas as peças são bem encaixadas e sem rebarbas. Chamam a atenção o painel de instrumentos elevado e com belo design, o pequeno volante que torna o guiar ainda mais divertido e a central multimídia moderna (com tela de 7 polegadas colorida), pronunciada em relação ao restante do painel central, o que facilita sua utilização.

Vei7 - Divulgação - Peugeot - Pedro Bicudo

Fotos: Divulgação / Peugeot / Pedro Bicudo

O uso de material black piano no acabamento do ar-condicionado digital, de duas zonas, completa o requinte. A segurança é reforçada com a presença de 4 airbags (frontais e laterais), além do cinto de três pontos e dos encostos de cabeça para os cinco ocupantes.

Esse é um modelo que merece sua visita à uma concessionária da marca para um teste drive. Vale realmente a pena e ele te surpreenderá, como nos surpreendeu.

Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) o preço do Peugeot 208 Allure 1.2 12V é R$54,79 mil.

*Colaborador

O Jeep Renegade em números

Da Redação*

Pouco mais de um ano após seu lançamento comercial no mercado nacional, em abril de 2015, o Jeep Renegade continua colecionando números relevantes. Até agora, são mais de 65 mil Renegade emplacados, sendo mais de 25 mil neste ano.

“São dados que comprovam a promessa de reinvenção do segmento dos SUVs compactos no Brasil, sobretudo pelo fato de que a configuração 2.0 turbodiesel 4×4, exclusiva na categoria, representa mais de 1/4 das vendas”, afirmou Rogério Villaça, diretor da Jeep para a América Latina.

Confira alguns números sobre o desempenho de vendas do Jeep Renegade ao fim deste semestre:

78% dos compradores do Renegade estão migrando de outros segmentos, que não o de SUVs. A maioria vem dos sedãs (29%) e dos hatches (28%).

38% dos compradores são mulheres.

26% é a participação dos modelos com motor 2.0 diesel e tração 4×4 entre os emplacamentos do Renegade este ano.

31% é a participação da versão Longitude 1.8, a campeã no mix.

83% dos Renegade vendidos usam câmbio automático de seis ou de nove marchas

47% foi a participação da cor Branco Ambiente nas vendas deste semestre, de longe a preferida entre os compradores do Renegade.

GEDSC DIGITAL CAMERA

80% dos clientes do Renegade efetuaram a compra após fazer o test-drive.

65 mil exemplares do Renegade foram vendidos no Brasil desde abril do ano passado.

6.976 unidades foram emplacadas em dezembro de 2015, estabelecendo o recorde mensal histórico de vendas para um SUV no Brasil.

25.700 emplacamentos foram feitos no primeiro semestre deste ano, o que coloca o Renegade na 10ª colocação no ranking geral de vendas de automóveis. Se consideradas apenas as vendas no varejo (sem vendas diretas), ele sobe para a 8ª colocação.

2,7% é a fatia do Renegade no mercado geral de automóveis em 2016.

13 são as unidades da Federação nas quais o Renegade é líder entre os SUVs: Minas Gerais, Paraná, Bahia, Distrito Federal, Pernambuco, Ceará, Mato Grosso, Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas, Piauí, Tocantins e Amapá.

posição é a que ocupa a Jeep entre as marcas de automóveis mais vendidas, graças sobretudo ao sucesso do Renegade.

colocação conquistou a Jeep em sua estreia do estudo brasileiro do Índice de Satisfação de Vendas da J.D. Power, que avalia a experiência dos clientes na loja.

194 é a quantidade de lojas Jeep em operação no Brasil.

*Com informações do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA)

**Foto: José Oswaldo Costa