Toyota realiza recall para cinto de segurança do Corolla

Da Redação

corolla_altis_ 2018

Foto: Toyota / Divulgação

A Toyota anunciou, ontem, uma campanha de recall para o cinto de segurança traseiro, do lado direito, do sedan-médio Corolla.

Foi verificada uma desconformidade técnica na peça de ancoragem do cinto de segurança traseiro, lado direito do veículo, que apresenta marca de estampagem irregular, podendo não atender às normas brasileiras de segurança.

O defeito foi verificado por meio de teste de impacto dinâmico do veículo.

Há o risco de rompimento da peça de ancoragem do referido cinto de segurança, com possíveis danos físicos ao passageiro que estiver usando e aos demais ocupantes.

De acordo com a nota, existe uma possibilidade remota de danos fatais, em caso de colisão muito severa do veículo.

Modelo

Data de Fabricação

Chassis envolvidos

Código alfanumérico

Últimos 8 dígitos do chassi

Corolla

20/12/2016 a 24/02/2017

9BRBDWHE*

9BRBLWHE*

9BRBD3HE*

H0340333 – H0346204

H0097419 – H0104445

H03040380 – H0346194

A partir do dia 19 de junho, a Toyota realizará a substituição do conjunto de ancoragem do cinto de segurança traseiro, lado direito do veículo, em tempo estimado de 40 minutos.

Os proprietários deverão acessar o site www.toyota.com.br/web-agenda ou entrar em contato com a Rede de Concessionárias Autorizadas Toyota, para agendamento prévio do reparo. A relação de concessionárias autorizadas para atendimento está disponível no site www.toyota.com.br

Triumph será fornecedora oficial de motores da Moto2 a partir de 2019

Da Redação

0o6a4648_street-triple-rsNesse último sábado, a Triumph Motorcycles foi anunciada como fornecedora exclusiva de motores, a partir de 2019, para o Campeonato FIM Moto2 – uma das classes que integra o Campeonato Mundial de Motovelocidade, a mais importante competição de motocicletas do planeta.

A fabricante inglesa assinou um contrato de três anos com a Dorna (detentora dos direitos comerciais da competição) para fornecer um motor Triumph de três cilindros com 765 cc, baseado no novíssimo propulsor que equipará a nova Street Triple 2017 – motocicleta que chegará ao mercado brasileiro em agosto deste ano.

O novo motor é um desenvolvimento significativo do vitorioso motor Daytona 675R, que possibilitou a vitória desta esportiva em provas como “Isle of Man TT”, “Daytona 200” e “British Supersports” em 2014 e 2015.

triumph_hd6_engine_still_fr228_001Com base na mais alta especificação do motor de 765 cc, a nova Street Triple RS foi desenvolvida para a Moto2 com as seguintes modificações:

·Cabeçote do cilindro modificado, com novas portas de admissão e de exaustão, para um fluxo de combustível otimizado.

·Válvulas de titânio e molas das válvulas mais rígidas, para um aumento de rotação.

·Kit alternador de baixa saída para redução de inércia.

·Relação de transmissão de 1ª marcha mais longa.

·Embreagem deslizante/assistida (slipper clutch), desenvolvida para competição,  na qual será ajustável.

·Módulo da injeção eletrônica específico de competição, que será desenvolvido em conjunto com a Magneti Marelli.

·Tampa do motor reprojetada para redução de largura.

·Cárter modificado para permitir uma melhoria no fluxo do coletor.

Tendo como base o novo motor da Street Triple 2017, o Triumph Moto2 765cc foi desenvolvido e ajustado para proporcionar ganhos de potência e torque. No modo de pilotagem “estrada”, o motor proporciona o mais alto nível de desempenho para uma Street Triple, fornecendo potência de 123 cv (a 11.700 rpm) e torque de 77 Nm (a 10.800 rpm).

triumph_moto2_005Este novo motor possui mais de 80 peças novas, em comparação com o motor da geração anterior, incluindo um aumento do diâmetro e do curso. Os componentes novos incluem:

·Novo virabrequim

·Novos pistões

·Novas bielas e eixo balanceador

·Cilindros galvanizados em Nikasil

·Caixa de marchas revisada

A tecnologia do novo motor Triumph 765 cc Moto2 foi desenvolvida para possibilitar que o motor aspire mais livremente e com maior rotação comparado a uma motocicleta padrão, aumentando ainda mais o desempenho geral.

530a9197_street-triple-rsOutras alterações foram feitas especificamente para o uso em corridas. Para assistir ao filme do motor Triumph Moto2, clique aqui: https://youtu.be/bDT8y0WEfxo.

Paul Stroud, Chief Commercial Officer da Triumph Motorcycles, afirmou: “Este é um momento significativo para a Triumph, iniciando um novo e empolgante capítulo em nossos 110 anos de história e tendo como base nossos celebrados e vitoriosos motores triplos TT e Supersports. Esperamos consolidar uma longa e empolgante relação com a Dorna e as equipes, pilotos e torcedores da Moto2″.

Carmelo Ezpeleta, Diretor Executivo da Dorna, acrescentou: “Estamos muito felizes em trabalhar com uma das mais icônicas marcas de motocicletas. Os motores três cilindros da Triumph são conhecidos por sua força, transmissão e entrega de torque e obtiveram muito sucesso na pista, tornando-os a escolha ideal para o campeonato Moto2. Estamos ansiosos para a temporada de 2019 e o início de uma nova geração da Moto2, em parceria com a Triumph”.

Julian Simon, Campeão Mundial 125cc 2009 e vice-campeão da Moto2 e experiente piloto de testes da Moto2, que esteve envolvido nos testes da fase de desenvolvimento do motor, disse: “O motor parece muito forte e sua faixa intermediária é particularmente impressionante. A sensação entre o acelerador e a roda traseira é muito direta e controlável. O sentimento geral é muito bom e o motor já mostra um grande potencial”.

street-triple-rs-tft-screen-530a1755

Fotos: Triumph Motorcycles Brazil / Divulgação

Argo, novo hatch compacto da Fiat, chega ao mercado

José Oswaldo Costa*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 02/06/2017)

de São Paulo (SP)

Argo

Foto: Marcos Camargo / FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

A Fiat apresentou para a imprensa especializada, nessa semana, seu mais novo hatch compacto: o Argo. O modelo, que chega para aposentar o premiado Punto, conta com três opções de motores e três tipos de câmbio. No total, são sete versões.

Durante o lançamento do novo produto, em São Paulo (SP), a diretoria da montadora italiana deixou bem claro quais são os alvos da concorrência para os quais está apontada a mira do Argo: Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Volkswagen Fox e Toyota Etios.

O novo modelo chega para disputar mercado no segmento de hatches compactos com o preço acima de R$ 45 mil. Abaixo desse preço, a Fiat já conta com o Mobi, o Uno e o Palio. O presidente do grupo FCA – Fiat Chrysler Automóveis, Stefan Ketter, deixou claro que Argo é o primeiro veículo para “rechear o sanduíche” que tem a picape Toro, no topo, e o Mobi, na base.

Ou seja, tais palavras nos levam a crer que a montadora prepara um substituto para o Bravo (hatch médio), que pode ser o Tipo, lançado recentemente na Europa, ou para o Palio, que se mostra bastante defasado frente aos concorrentes.

Não podemos esquecer que, dentro desse recheio, também há espaço para um sedan-médio, substituto do Linea. Nesse caso, o mesmo Tipo, mas com carroceria sedan.

Argo 3

Foto: FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

A aposta no Argo é alta, tanto que Ketter chegou a dizer em seu discurso no lançamento que “esse carro é fundamental para a marca Fiat”. Afinal, a montadora perdeu a liderança do mercado nacional para a General Motors e esse quadro vem se mantendo em 2017.

E a situação fica ainda pior se, do total de vendas, tirarmos os números relativos aos chamados comerciais leves (picapes e furgões) e considerarmos somente os automóveis.

Motores e Transmissões – Como dissemos anteriormente, o Argo possui três opções de motores e três de câmbio. Os motores são os seguintes: 1.0 de três cilindros (77 cv e 10,9 kgfm de torque com etanol) 1.3 (109 cv e 14,2 kgfm de torque com etanol) e 1.8 (139 cv e 19,3 kgfm de torque com etanol).

Para o motor 1.0, a opção de câmbio é o manual de 5 marchas. Para o motor 1.3, manual de 5 marchas ou automatizado (GSR). Já o motor 1.8 pode trabalhar em conjunto com o câmbio manual de 5 marchas ou com o automático de 6 marchas.

O desenho da frente do Argo bebeu na mesma fonte, principalmente os faróis que avançam para as laterais do veículo, do subcompacto Mobi. A grade também é bastante semelhante. O conjunto traz uma (bem-vinda) impressão de esportividade e robustez para o hatch.

Em algumas versões há um friso, em cor diferente da carroceria, que atravessa a base do para choque de uma ponta a outra, localizada abaixo dos faróis de neblina. Na HGT, a mais esportiva, ele é vermelho.

A traseira, com design moderno e esportivo, foi muito bem desenvolvida, trazendo belas lanternas que avançam sobre a tampa do porta-malas. Uma boa sacada da Fiat foi colocar na tampa o nome da marca e, não, o tradicional escudo vermelho. Preencheu de maneira proporcional o espaço destinado para esse fim e ficou diferenciado.

Argo 2

Foto: Marcos Camargo / FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

No interior, destaque para o bom nível de acabamento e os materiais escolhidos. O painel é bonito e conta com acabamento bicolor (versão esportiva) que utiliza o vermelho para a parte central, que engloba as saídas de ar.

Falando nelas, ponto para a Fiat por ter optado por três saídas centrais. Perfeito para um país tropical como o nosso. O quadro de instrumentos apresenta os dois marcadores tradicionais (velocímetro e conta-giros) e uma tela de TFT entre eles. Dependendo da versão, ela é de 7 polegadas.

imagem(5)

Foto: FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

A tela do sistema multimídia (também de 7 polegadas), sensível ao toque, foi alojada acima das saídas de ar, de uma forma proeminente que facilita a utilização.

imagem(4)

Foto: FCA – Fiat Chrysler Automóveis / Divulgação

Os cinco ocupantes contam com encostos para a cabeça e cinto de três pontos, em todas as versões.

Preços e Versões da gama do novo hatch

Drive 1.0 – Equipada com motor Firefly 1.0 e transmissão manual de 5 marchas. Nos itens de série, destaque para a direção elétrica progressiva, ar-condicionado, tela de TFT no quadro de instrumentos, duplo airbag, banco do motorista com ajuste de altura, sistema de partida por botão (dispensa o uso da chave), sistema Isofix para fixação de cadeirinhas e vidros dianteiros elétricos. Preço: R$ 46,80 mil. Se o comprador optar pelo sistema multimídia (R$ 1.900,00) o preço passa para R$ 48,79 mil.

Drive 1.3 – O motor utilizado é o 1.3, de até 109, cv acoplado ao câmbio manual. Traz os mesmos itens da versão 1.0 acrescidos de monitoramento da pressão dos pneus, central multimídia de 7 polegadas e sensível ao toque compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto, volante com comandos do rádio e telefone e segunda porta USB para os passageiros do banco traseiro. Preço: R$ 53,90 mil.

Drive 1.3 GSR – É equipada com o mesmo motor 1.3. Mas, nesse caso, ele trabalha em conjunto com a transmissão automatizada GSR (Gear Smart Ride). Essa versão traz, a mais, o controle de tração (TC), o controle eletrônico de estabilidade (ESC) e o sistema Hill-Holder para partidas em rampas. O console central conta com um botão com a função Sport para uma condução mais esportiva. Exitem borboletas (paddles shifts) atrás do volante para trocas manuais de marchas. Também é equipada com vidros elétricos traseiros, retrovisores com comandos elétricos, apoio de braço para o motorista e controle de velocidade de cruzeiro. Preço: R$ 58,90 mil.

Precision 1.8 – Utiliza o motor 1.8 e câmbio manual de 5 marchas. Nos itens de série, acréscimo em relação à versão anterior dos faróis de neblina, lâmpadas diurnas em LED, rodas em liga leve de 15 polegadas e banco traseiro bipartido.  Preço: R$ 61,80 mil.

Precision 1.8 AT6 – Mesmo motor 1.8, mas que trabalha em conjunto com uma transmissão automática de 6 marchas. Acrescenta as borboletas para trocas de marchas, controle de velocidade de cruzeiro, apoio de braço para o motorista e volante revestido em couro. Preço: R$ 67,80 mil.

HGT 1.8 – Essa é a versão esportiva do Argo.  Equipada com motor 1.8 e câmbio manual de 5 marchas.  Na HGT, a tela de TFT no quadro de instrumentos é colorida e de alta definição. A grade dianteira inferior recebe o acabamento vermelho ao qual nos referimos anteriormente. Além disso, traz spoilers no para-choque, moldura preta na parte inferior lateral e na caixa das rodas, ponteira de escapamento esportiva, rodas em liga leve de 16 polegadas e suspensão com calibração mais esportiva. Essa versão traz o acabamento vermelho no painel. Preço: R$ 64,60 mil.

HGT 1.8 AT6 – As fotos que ilustram essa matéria são dessa versão. Mesmo pacote das anteriores acrescido do câmbio automático de 6 marchas e das borboletas no volante. Preço: R$ 70,60 mil.

Opcionalmente, algumas versões podem ser equipadas com airbags laterais para motorista e passageiro do banco dianteiro.

O Fiat Argo já está disponível nas concessionárias da marca. Porém, se o comprador se interessar pela série especial de lançamento Opening Edition (fotos abaixo), limitada a 1 mil unidades, terá que aguardar até o fim de junho. O preço dela não foi informado durante o evento de lançamento.

A expectativa do grupo FCA é comercializar cerca de 5 mil unidades do Argo por ano. O mix de vendas deve ficar da seguinte forma: 75% para as versões Drive (1.0 e 1.3); 10% para a versão Drive GSR; 5% para a versão Precision e 10% para a HGT.

*O jornalista viajou a convite do grupo FCA – Fiat Chrysler Automóveis