Iveco apresenta o Tector Auto-Shift

Da Redação        (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 25/08/2017)

Câmbio é a grande novidade

Vei1 - Iveco - DivulgaçãoO mercado de semipesados conta com 11 versões da linha Tector, que atendem diversas demandas do transporte, do varejo à construção civil. O modelo é reconhecido por transportadores e motoristas pelo baixo custo operacional, potência e conforto.

 Agora a Iveco, marca da CNH Industrial, apresenta o Tector Auto-Shift, com câmbio automatizado de 10 velocidades e motor N67, FPT Industrial, em três versões: 170E30 4×2, 240E30 6×2 e 310E30 8×2.

“A utilização da transmissão automatizada é uma tendência que começou no segmento de pesados e ganha força, cada vez mais, nos semipesados. O lançamento do veículo propicia que a Iveco amplie a participação de mercado com a já consagrada competitividade da linha Tector”, afirmou Marco Borba, vice-presidente da Iveco para a América Latina.

A categoria de semipesados representa 27% do mercado brasileiro de caminhões. Em 2016, o mercado de veículos comerciais com câmbio automatizado foi de 20% do total dos segmentos 6×2 e 8×2.

O novo produto da montadora, que completa 20 anos no Brasil em 2017, foi projetado para maximizar a operação, aumentando o conforto do motorista. Ele faz isso graças à sua avançada transmissão, que evita possíveis erros nas trocas de marcha, que poderiam ocasionar custos adicionais com combustível ou com o desgaste prematuro de componentes.

Vei3 - Iveco - DivulgaçãoRicardo Barion, diretor de marketing da Iveco para a América Latina, destacou: “Os novos modelos Auto-Shift, com câmbio automatizado e motor N67, dão conta de entregas comerciais menores até operações fora-de-estrada, e atendem os clientes que costumam passar muito tempo dentro do caminhão, uma vez que um motorista chega a fazer de 400 a 800 trocas de marchas por dia, dependendo da aplicação.”

A linha Tector Auto-Shift está disponível em toda a rede da Iveco, que conta com 67 parceiros entre concessionárias e pontos de atendimento.

O Tector Auto-Shift foi submetido a 63 simulações e testes funcionais, rodando mais de 350 mil quilômetros para avaliações. As avaliações foram feitas no Campo de Provas da Iveco e em trechos percorridos em rodovias, serras, vias urbanas, com e sem pavimentação, que colocaram à prova a resistência estrutural do veículo e o desempenho da transmissão Eaton.

O conjunto foi preparado para aproveitar o melhor da transmissão, que tem 10 marchas, aproveitando bem o desempenho do motor, além de possuir uma “super-reduzida”, que garante tranquilidade ao motorista para arrancar em situações adversas, mesmo com o caminhão carregado.

Vei4 - Iveco - DivulgaçãoModos exclusivos A Iveco desenvolveu modos exclusivos para o modelo, que aumentam a eficiência e a segurança da rodagem em diferentes operações:

Pedal do acelerador otimizado: Foi desenvolvido um pedal de acelerador progressivo permitindo que o motorista encontre facilmente a melhor zona de torque de motor – proporcionando então uma condução mais econômica. Esse recurso é útil, especialmente em subidas.

Down Hill: Numa condição de descida suave, sem o uso de freios, o veículo engrena a 10ª marcha automaticamente, mesmo que o motorista não pressione o pedal do acelerador. Isso proporciona mais segurança e redução do consumo de combustível.

Power Auto: É uma espécie de botão “sport”, que permite o veículo aumentar sua velocidade. Esta função é habilitada quando o motorista aciona o botão lateral da alavanca de troca de marchas por três segundos, mudando o tempo de troca de marchas pra chegar o mais rápido possível a 2.500 rpm. Após um minuto a função desabilita automaticamente, possibilitando redução no consumo de combustível.

Auto Coast: Em condições de descida leve, ou em trecho plano, quando o veículo estiver diminuindo sua velocidade e reduzindo as marchas, ao chegar na 5ª marcha a transmissão aciona automaticamente a embreagem deixando o veículo desenvolver de forma segura e confortável para transpor um obstáculo como um quebra-molas, por exemplo. Logo após passar por ele, ao retomar a velocidade do veículo, a marcha correta será acionada sem prejuízos para a performance.

Vei2 - Iveco - Divulgação

Fotos: IVECO / Divulgação

O novo modelo da linha Tector conta, também, com outros recursos:

Kick Down: ao pisar fundo no acelerador, a transmissão reduz uma marcha, aumentando o giro do motor.

Skip Gear: dependendo da carga, velocidade e inclinação da pista, o veículo faz trocas fora da sequência convencional.

Hill Holder: assistente de partida em rampa que mantém o veículo parado por 3 segundos, facilitando o engate da primeira marcha – transição de tirar o pé do freio para o acelerador.

ASR: em condições de baixa aderência o sistema controla as rodas evitando que elas girem em falso.

Modo Manobra: basta que o motorista pressione um pouco o acelerador para o veículo começar a se movimentar com velocidade baixa e constante, sem trancos – útil em diversas aplicações, como doca e posto de combustível.

Motor – A nova versão do Tector utiliza o motor N67, da FPT Industrial. Com seis cilindros, 300 cv de potência máxima e 1050 NM de torque máximo, o propulsor passou por nova calibração que permite trocas de marchas 60% mais rápidas. Isso evita queda nas quedas de rotações, o que melhora o desempenho e a média de consumo.

A FPT Industrial desenvolveu o motor N67 para atender especialmente a nova versão da linha Tector com transmissão automatizada. O propulsor, segundo a FPT, entrega melhor consumo de combustível e mais potência e torque em todas as versões: 170E30 4×2, 240E30 6×2 e 310E30 8×2.

Com o novo câmbio automatizado, quando o motorista pisa fundo no acelerador para fazer uma ultrapassagem, por exemplo, o sistema eletrônico de controle entende a urgência de sua necessidade de força e potência, e comanda a transmissão que reduz uma ou mais marchas, aumentando o giro do motor e entregando maior força para a realização da ultrapassagem.

A nova calibração do motor N67 da FPT Industrial proporciona trocas de marchas mais rápidas, distribuindo melhor o torque e potência, economizando combustível e emitindo menos poluentes (atendendo aos limites do Proconve P7).

Com o desenvolvimento exclusivo, a nova geração do motor alcançou a redução de até 5% de Diesel + Arla, em comparação a concorrência, de acordo com a FPT.

Ficha técnica:

Ciclo: Diesel 6 tempos

 Nº de cilindros: 6 em linha

Cilindrada: 6.7L

Combustível: Diesel

Potência máxima: 300 cv @ 2.200 rpm

Torque máximo: 1050 Nm @ 1250 rpm à 1900 rpm

Diâmetro x Curso: 104 mm x 132 mm

Espaço entre Cilindros: 120 mm

Admissão de ar: Turbocompressor com Aftercooler

Tipo de Turbo: WG – Wastegate

 Taxa de compressão: 17:1

Ordem de Ignição: 1-5-3-6-2-4

Número de Válvulas por Cilindro: 4

Sistema de injeção: Eletrônico Common Rail – Bosch

Tipo de Eixo de Comando: OHV

Capacidade do Cárter: 17L

Sentido de Rotação do Volante: Anti-Horário

Peso Drenado: 510 kg

Emissões: Proconve P7 – Euro V

Sistema: SCR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s