Captur acerta no design e peca no câmbio

 José Oswaldo Costa  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 01/09/2017)

 

SUV da Renault tem visual bonito e moderno mas a transmissão de 4 marchas deixa a desejar

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultO Renault Captur foi lançado em meados do mês de fevereiro. De março até o último dia 30 de agosto, comercializou 5.980 unidades, uma média mensal de cerca de 996 unidades.

No mesmo período de seis meses, seu “primo pobre”, o Duster, emplacou 8.443 unidades, ou seja, algo em torno de 1.407 unidades/mês.

Como os dois modelos pertencem ao mesmo segmento, o de utilitários esportivos compactos, a montadora francesa alcançou, no período indicado, uma boa média de vendas de 2.403 unidades por mês (14.423 unidades no total).

Comparando com os seus concorrentes diretos, de março até 30 de agosto, o líder de vendas desse nicho de mercado foi o Honda HR-V, com 23.672 unidades vendidas – cerca de 3.945 unidades/mês.

Em segundo lugar apareceu o surpreendente Hyundai Creta com suas 20.852 unidades emplacadas, ou algo em torno de 3.475 unidades por mês. Na terceira posição ficou, no mesmo período pesquisado, o Jeep Renegade, com 19.385 unidades comercializadas (3.230 unidades/mês).

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultJá na quarta posição, ocorreu quase um empate técnico entre a dupla Duster/Captur e o Ford EcoSport. O modelo da montadora norte-americana vendeu 14.457 unidades nos últimos seis meses, algo em torno de 2.410 unidades por mês.

Dessa forma, os utilitários franceses ficaram à frente do Nissan Kicks, que, no mesmo período, emplacou 14.157 unidades (cerca de 2.360 unidades/mês). Além disso, ficaram muito à frente do Chevrolet Tracker que teve, apenas, 5.531 unidades vendidas (921 por mês). Os números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

É interessante destacar que o desempenho do Renault Captur pode melhorar no nosso mercado. Principalmente, levando-se em conta a versão topo de linha Intense 2.0 com câmbio automático, avaliada pelo DC Auto.

Isso porque, enquanto as versões equipadas com motor 1.6 receberam um moderno câmbio CVT, a topo de linha utiliza um defasado câmbio automático de 4 marchas que sacrifica, e muito, o desempenho e o consumo.

Ou seja, é um problema que está ao alcance da montadora para ser resolvido. Porque qualidades, o Captur tem de sobra. De início, podemos destacar o design bonito e moderno que agrada por onde o SUV passa.

O modelo traz luzes diurnas em LED, no formato da letra C, ao redor dos faróis de neblina. O capô possui dois vincos bem marcados.

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultNa traseira, destaque para as lanternas, que também possuem elementos em LED no formato de C (nas extremidades), para a ponteira do escapamento cromada e para um friso, também cromado, abaixo da tampa do porta-malas.

Ele passa a sensação de que o Captur é mais largo. Destaque para a pintura “biton”, onde o teto do veículo pode ser pintado em cor diferente do restante da carroceria.

O interior, que acomoda cinco adultos com certo conforto, característica “herdada” do Duster, utiliza materiais de qualidade e conta com peças bem encaixadas e sem rebarbas. Os bancos da versão avaliada utilizavam material sintético (imitando couro), que é opcional.

Destaque para o sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas que inclui GPS, câmera de ré, sistema de telefonia, entre outros. Para sua utilização, comando satélite na coluna de direção, algo já tradicional em veículos da montadora francesa.

O quadro de instrumentos é simples e moderno, trazendo apenas o essencial. Ele conta com dois mostradores: conta-giros à esquerda e marcador de combustível à direita. Entre eles, o velocímetro, que é digital. Acima desse último, outro mostrador digital traz informações do computador de bordo.

Vei5 - Rodolfo Buhrer - Renault - DivulgaçãoA chave do Captur é do tipo cartão e presencial. Ou seja, a ignição é possível apenas com a presença dela no interior do carro. Isso também ocorre para abrir e fechar as portas: basta que o cartão esteja no bolso, por exemplo.

A direção é eletro-hidráulica com esforço variável, os retrovisores externos são rebatíveis eletricamente e o SUV conta, também, com sensor de estacionamento traseiro.

Motor 2.0 16V rende 143/148 cv

Em termos de segurança o Captur apresenta, de série, controle de estabilidade, controle de tração, assistente de partidas em rampas e quatro airbags (frontais e laterais). Todos os passageiros contam com encostos para a cabeça e cinto de segurança de três pontos.

O motor da versão Intense avaliada, topo de linha, é o 2.0 16V que pode gerar 143/148 cv (gasolina/etanol) e 20,2/20,9 kgfm de torque (gasolina/etanol).

A transmissão automática de quatro marchas oferece a possibilidade de trocas manuais através da alavanca do próprio câmbio.

Dirigir o Captur é bastante agradável. O condutor consegue encontrar uma boa posição para dirigir, mas sente falta do ajuste do volante em profundidade. O modelo oferece, somente, o ajuste de altura.

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

Fotos: Rodolfo Buhrer / Renault / Divulgação

Rodando, o utilitário compacto oferece bom conforto. O conjunto da suspensão assimila bem as irregularidades do asfalto sem sacrificar o desempenho na estrada ao se contornar curvas em maior velocidade. O Captur não mostra tendência para a rolagem da carroceria e não dá sustos no motorista.

O desempenho é bom, mas percebe-se que o motor fica limitado pelas quatro marchas do câmbio automático. Além de, conforme informamos antes, sacrificar o consumo (veja a Ficha Técnica).

Dentre outros, o modelo avaliado conta com os seguintes itens de série: quatro airbags (dianteiros e laterais), controle eletrônico de estabilidade (ESP), controle eletrônico de tração (ASR), assistente de partida em rampas (HSA), sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, direção eletro-hidráulica, volante com regulagem da altura, rodas em liga leve diamantadas de 17 polegadas, chave-cartão hands free, comando de áudio e celular na coluna de direção (comando satélite), assento do condutor com regulagem de altura, luzes diurnas em LED, piloto automático, sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas, câmera de ré, ar-condicionado automático, sensor de chuva, farol de neblina e sensor crepuscular.

Os opcionais são os bancos forrados com material sintético e a pintura biton.

Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o preço do Renault Captur Intense 2.0 16V Automático é R$ 89,63 mil. Para fins de comparação, os preços das outras versões, na mesma tabela, são os seguintes: Captur Zen 1.6 16V (manual) – R$ 79,49 mil; Captur Zen 1.6 16V (CVT) – R$ 84,25 mil; Captur Intense 1.6 16V (CVT) – R$ 87,95 mil.

Ficha Técnica:

✔  Velocidade máxima — 179 km/h (etanol)

✔  0 a 100 km/h — 10,9 segundos (etanol)

✔  Potência — 143/148 cv (gasolina/etanol)

✔  Consumo Etanol — 6,1 km/l (cidade) e 7,4 km/l (estrada)

✔  Consumo Gasolina — 8,6 km/l (cidade) e 10,9 km/l (estrada)

✔  Distância entre eixos — 2,67 metros

✔  Comprimento — 4,33 metros

✔  Largura — 1,81 metro

✔  Altura — 1,62 metro

✔  Capacidade do porta-malas — 437 litros

✔  Capacidade do tanque — 50 litros

✔  Pneus/ Rodas — 215/60 R17 / Liga leve 17 polegadas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s