Chevrolet Cruze Sport6 está no topo

José Oswaldo Costa  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/09/2017)

Moderno motor 1.4 turbo traz esportividade ao hatch e ajuda a levá-lo à liderança do segmento

GEDSC DIGITAL CAMERA

O Chevrolet Cruze Sport6 foi lançado no fim do ano passado, em dezembro. A segunda geração do modelo chegou com a incumbência de disputar mercado com, principalmente, VW Golf e Ford Focus, os líderes do segmento de hatches médios até então.

E a diretoria da GM pode comemorar, o objetivo foi alcançado. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entre janeiro e agosto desse ano, o Cruze hatch vendeu 4.748 unidades. Isso significa uma média mensal de cerca de 593 unidades.

O Volkswagen Golf, no mesmo período, emplacou 3.108 unidades, ou seja, algo em torno de 388 unidades/mês. O Ford Focus hatch caiu para a terceira colocação do segmento: 2.994 unidades comercializadas entre janeiro e agosto desse ano (cerca de 374 unidades/mês).

O sucesso do Cruze não se deu por acaso. O modelo da General Motors chegou ao Brasil, importado da Argentina, trazendo um belo design, que agradou a muitos, e, principalmente, o ótimo motor 1.4 turbo.

Esse motor é capaz de render 150/153 cv (gasolina/etanol) e oferece um torque de 24/24,5 kgfm (gasolina/etanol). O câmbio é automático de 6 marchas. Além do bom desempenho, ajuda o fato da nova plataforma utilizada no carro ter reduzido seu peso em 114 kg em relação à geração anterior.

GEDSC DIGITAL CAMERA

DC Auto recebeu, para avaliações, a versão top de linha do modelo, a LTZ. Como dissemos, o design se destaca. Nem tanto a dianteira, idêntica à do Cruze sedan. O que chama a atenção é a bonita traseira.

As lanternas, que invadem a tampa do porta-malas e as laterais, possuem belo e moderno desenho. O para-choque é envolvente e apresente linhas musculosas, aumentando a sensação de esportividade do Cruze.

Olhando de perfil, o caimento do teto é pronunciado, mas não chega a incomodar a cabeça dos passageiros que viajam no banco traseiro. As bonitas rodas em liga leve de 17 polegadas apresentam a cor cinza, recurso muito utilizado atualmente.

O conjunto que elas formaram com a carroceria, também cinza, da unidade que avaliamos, ficou bonito, elegante e trouxe um resultado final de muito bom gosto. Completava o visual esportivo o teto solar elétrico.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Quanto ao interior, também é herança do Cruze sedan, sendo idêntico. Destaca-se a utilização do couro em inúmeras partes, como painel, bancos e portas. Isso ajuda a aumentar a sensação de requinte. O acabamento foi muito bem executado, com materiais de qualidade e sem apresentar rebarbas ou encaixe ruim.

Chama atenção a tela do sistema multimídia de 8 polegadas e sensível ao toque. O quadro de instrumentos é simples e elegante.

O velocímetro fica do lado direito enquanto, o conta-giros, está posicionado à esquerda. Entre eles, o computador de bordo. Acima, dois marcadores com desenho tradicional (combustível e temperatura do motor).

GEDSC DIGITAL CAMERA

Fotos: José Oswaldo Costa

Modelo oferece pacote completo de segurança

O Cruze Sport6 é muito agradável de dirigir. O motor turbo oferece arrancadas fortes e ágeis. O casamento com o câmbio de 6 marchas foi bem executado e o modelo está sempre “bem disposto” para retomadas.

Em relação ao sedan, o hatch passou por alterações na suspensão que a deixou mais firme, aumentado o prazer para uma tocada mais esportiva. Ele se sente “em casa” em curvas mais fechadas, feitas em velocidades mais elevadas.

Ajuda nesse bom desempenho, principalmente em estradas, a presença dos sistemas de controle de estabilidade e tração.

Motorista e passageiro de sentem bem protegidos já que o Cruze é equipado com seis airbags: frontais, laterais e do tipo cortina. Todos os passageiros contam com encostos para a cabeça e cintos de segurança de três pontos.

Como opcionais para a segurança existem os alertas de ponto cego, de colisão frontal e de mudança de faixa. O hatch também é equipado com o assistente de partidas em rampas. Todos eles estavam presentes na unidade avaliada, revelando-se muito úteis.

O modelo apresenta, ainda, o sistema OnStar que, entre outros, realiza chamadas de emergência para uma central 24h em caso, por exemplo, de acidente.

Dentre outros, o Chevrolet Cruze Sport6 LTZ é equipado, de série, com: seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina), controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas, câmera de ré, faróis de neblina, luzes diurnas em LED, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, ar-condicionado digital de uma zona, direção eletricamente assistida, ajuste do volante em altura e profundidade, bancos revestidos em couro, rodas em liga leve de 17 polegadas, chave presencial, sistema start/stop para ligar o carro, teto solar elétrico, retrovisores rebatíveis eletricamente, volante multifuncional e sistema multimídia com tela sensível ao toque de 8 polegadas.

Entre os opcionais, destaque para os alertas de ponto cego, colisão frontal e mudança de faixa, ajuste elétrico para o banco do motorista, assistente de estacionamento e carregador sem fio para o celular.

Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) seu preço é R$105,41 mil. Para fins de comparação, o preço do VW Golf 1.4 TSI Highline (automático e turbo), na mesma tabela, é R$113,30 mil. Já o Ford Focus Titanium 2.0 (automático e aspirado) tem o preço de R$98,33 mil.

Localiza Fast chega a cinco capitais

Da Redação   (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/09/2017)

Vei5 - Juan Cogo - Localiza - Divulgação

Foto: Juan Cogo / Localiza / Divulgação

A Localiza, maior rede de aluguel de carros da América Latina, acaba de efetivar a implantação do Localiza Fast, autosserviço de aluguel de carros via aplicativo de celular.

Depois de um período de teste realizado com clientes selecionados em Belo Horizonte e São Paulo, a novidade chega efetivamente ao mercado.

O Localiza Fast já está disponível para clientes das praças de São Paulo (Guarulhos e Congonhas), Rio de Janeiro (Galeão e Santos Dumont), Belo Horizonte (Confins e Savassi), Brasília e Porto Alegre.

Ao longo dos próximos meses, a ferramenta vai ser disponibilizada nas principais agências Localiza do País. A tecnologia é parte de um programa de investimentos de cerca de R$10 milhões destinados a melhorias de produtos e novas tecnologias, realizado pela empresa em 2016.

“Antes da implantação, passamos por uma etapa-piloto com dezenas de veículos. Adotamos o processo de cocriação com os clientes, como uma forma de oferecer um serviço mais ajustado às necessidades do usuário. Com uma aprovação excepcional, o Localiza Fast chega agora às principais capitais e a expectativa é de muito sucesso”, destacou Guilherme Braz, diretor de Experiência do Cliente e Pricing da Localiza.

Com a tecnologia, o cliente pode sair da agência dirigindo o veículo sem passar pelo balcão de atendimento. A experiência começa pela reserva do carro, que pode ser feita por diversos canais – inclusive pelo APP da Localiza.

Feita a reserva, a retirada do veículo acontece em menos de um minuto. Por meio do aplicativo Localiza, o usuário faz o check-in informando a chegada à agência e passa por uma etapa de autenticação via reconhecimento facial.

Em seguida, a ferramenta aponta a localização exata do carro, com detalhes como número da vaga, placa do veículo e a foto do modelo escolhido. Quando o locatário chega à vaga determinada, aparecerá na tela o botão “abrir o carro” que, quando acionado, abre o veículo automaticamente. As chaves e o documento estarão no porta-luvas e o cliente já pode sair dirigindo.

O processo de devolução do veículo, que já era digital, fecha todo o ciclo de experiência, com o máximo de agilidade. A tecnologia é inédita na América Latina e utilizada apenas por outras duas locadoras no mundo.

BMW realiza recall das motocicletas modelo R Nine T

Da Redação

BMW_R_nine_T

A BMW do Brasil está convocando os proprietários das motocicletas BMW modelo R Nine T, fabricadas entre 06/02/2014 e 02/09/2014, a entrarem em contato com um concessionário autorizado para agendarem gratuitamente o reaperto dos parafusos de fixação do pivô do braço oscilante traseiro, em decorrência de possível afrouxamento dos mesmos.

Manifestada a falha, poderão ser notados ruídos e, no pior cenário, a perda da estabilidade da roda traseira e, consequentemente, do controle do veículo.

Neste caso, não se descarta a possibilidade de ocorrência de danos físicos e materiais aos ocupantes da motocicleta e a terceiros.

O reparo tem início imediato e duração de cerca de 30 minutos.

Os 222 chassis, não sequenciais, envolvidos na campanha são:

MODELO DE ATÉ
R Nine T Z418681 Z423893

Para outras informações, acesse http://www.bmw-motorrad.com.br/br/pt/recall, ou entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente BMW, exclusivo para recall, 0800 019 7097, de 2ª a 6ª feira, das 8 às 19 horas.

Ford apresenta versão especial da Ranger destinada ao mercado europeu

Da Redação

FordRangerBlackEdition-2A Ford anunciou o lançamento de uma edição especial da Ranger na Europa, a Black Edition, que será apresentada ao público pela primeira vez no Salão de Frankfurt, a partir do próximo dia 16.

Com produção limitada a 2.500 unidades, a picape se destaca pelo visual todo em preto, com carroceria na cor Absolute Black e acabamento no mesmo tom na grade do radiador, rodas, santantônio e outros detalhes.

A Ranger Black Edition é derivada da versão de topo, Limited, com cabine dupla. Entre outros equipamentos, vem com sistema de navegação por satélite, central multimídia com tela sensível ao toque de 8 polegadas, câmera de ré, ar-condicionado automático digital de dupla zona, bancos em couro e retrovisores com rebatimento elétrico e aquecidos.

FordRangerBlackEdition-3A proposta é oferecer uma opção diferenciada da picape líder de vendas na Europa, que registra este ano um crescimento acumulado de 12%, o seu melhor resultado desde o lançamento, de acordo com a Ford.

“Os clientes da Ranger gostam do seu visual robusto, da sua força e capacidade de rodar em qualquer lugar. Nossa expectativa é que a nova série limitada se esgote em poucas semanas”, disse Hans Schep, gerente geral de Veículos Comerciais da Ford Europa.

FordRangerBlackEdition-4

Fotos: Ford / Divulgação

 

Mini anuncia nova versão do Cooper para o Brasil, denominada Top

Da Redação

P90142598_highRes_mini-cooper-01-2014

Foto: Mini / BMW Group / Divulgação

A gama de modelos Mini para o mercado brasileiro acaba de ganhar uma novidade: a nova versão Cooper Top, nas carrocerias 3 e 5 portas.

Equipada com o motor tricilíndrico, 1.5 Turbo, ela já está disponível na rede de concessionárias autorizadas da marca por R$124,95 mil (3 portas) e R$130,95 mil (5 portas).

Esse motor é capaz de entregar 136 cv de potência máxima (entre 4.400 e 6.000 rpm) e 220Nm de torque, já a partir de 1.250 rpm, até 4.300 rpm. Ele está acompanhado por uma transmissão automática Steptronic, de 6 marchas.

A velocidade máxima, de acordo com a montadora, é de 210 km/h e, a aceleração de 0 a 100 km/h, é feita em 7,9 segundos, tanto com carroceria de 3 portas, quanto na de 5, ainda de acordo com a Mini.

O modelo é oferecido com 12 opções diferentes de cores externas e mais três tonalidades distintas de pintura de teto, Essa nova configuração conta, ainda, com outras particularidades, como assentos revestidos com Leatherette, em preto carbono, volante esportivo em couro com botões multifuncionais, e rodas de liga leve de 17 polegadas, na cor prata.

A lista de itens de série desta nova versão Top traz dispositivos como controle de velocidade de cruzeiro com função freio, ar-condicionado digital de duas zonas, faróis em full LED e faróis auxiliares em LED, rádio Mini Visual Boost, com tela de 6,5 polegadas, interface Bluetooth, entre outros.

Opcionais: Na parte estética há rodas de liga leve de 17 polegadas, na cor preta, faixas decorativas para o capô em branco e preto, além de teto solar panorâmico.

Já entre as tecnologias de assistência à condução destacam-se o Pacote Parking (que agrega assistente de manobras de estacionamento e sensor de estacionamento dianteiro), sensor de estacionamento traseiro e câmera de ré.

Sistema de navegação Mini e equipamento de áudio Hi-Fi Harman/Kardon completam as opções.

Captur acerta no design e peca no câmbio

 José Oswaldo Costa  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 01/09/2017)

 

SUV da Renault tem visual bonito e moderno mas a transmissão de 4 marchas deixa a desejar

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultO Renault Captur foi lançado em meados do mês de fevereiro. De março até o último dia 30 de agosto, comercializou 5.980 unidades, uma média mensal de cerca de 996 unidades.

No mesmo período de seis meses, seu “primo pobre”, o Duster, emplacou 8.443 unidades, ou seja, algo em torno de 1.407 unidades/mês.

Como os dois modelos pertencem ao mesmo segmento, o de utilitários esportivos compactos, a montadora francesa alcançou, no período indicado, uma boa média de vendas de 2.403 unidades por mês (14.423 unidades no total).

Comparando com os seus concorrentes diretos, de março até 30 de agosto, o líder de vendas desse nicho de mercado foi o Honda HR-V, com 23.672 unidades vendidas – cerca de 3.945 unidades/mês.

Em segundo lugar apareceu o surpreendente Hyundai Creta com suas 20.852 unidades emplacadas, ou algo em torno de 3.475 unidades por mês. Na terceira posição ficou, no mesmo período pesquisado, o Jeep Renegade, com 19.385 unidades comercializadas (3.230 unidades/mês).

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultJá na quarta posição, ocorreu quase um empate técnico entre a dupla Duster/Captur e o Ford EcoSport. O modelo da montadora norte-americana vendeu 14.457 unidades nos últimos seis meses, algo em torno de 2.410 unidades por mês.

Dessa forma, os utilitários franceses ficaram à frente do Nissan Kicks, que, no mesmo período, emplacou 14.157 unidades (cerca de 2.360 unidades/mês). Além disso, ficaram muito à frente do Chevrolet Tracker que teve, apenas, 5.531 unidades vendidas (921 por mês). Os números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

É interessante destacar que o desempenho do Renault Captur pode melhorar no nosso mercado. Principalmente, levando-se em conta a versão topo de linha Intense 2.0 com câmbio automático, avaliada pelo DC Auto.

Isso porque, enquanto as versões equipadas com motor 1.6 receberam um moderno câmbio CVT, a topo de linha utiliza um defasado câmbio automático de 4 marchas que sacrifica, e muito, o desempenho e o consumo.

Ou seja, é um problema que está ao alcance da montadora para ser resolvido. Porque qualidades, o Captur tem de sobra. De início, podemos destacar o design bonito e moderno que agrada por onde o SUV passa.

O modelo traz luzes diurnas em LED, no formato da letra C, ao redor dos faróis de neblina. O capô possui dois vincos bem marcados.

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultNa traseira, destaque para as lanternas, que também possuem elementos em LED no formato de C (nas extremidades), para a ponteira do escapamento cromada e para um friso, também cromado, abaixo da tampa do porta-malas.

Ele passa a sensação de que o Captur é mais largo. Destaque para a pintura “biton”, onde o teto do veículo pode ser pintado em cor diferente do restante da carroceria.

O interior, que acomoda cinco adultos com certo conforto, característica “herdada” do Duster, utiliza materiais de qualidade e conta com peças bem encaixadas e sem rebarbas. Os bancos da versão avaliada utilizavam material sintético (imitando couro), que é opcional.

Destaque para o sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas que inclui GPS, câmera de ré, sistema de telefonia, entre outros. Para sua utilização, comando satélite na coluna de direção, algo já tradicional em veículos da montadora francesa.

O quadro de instrumentos é simples e moderno, trazendo apenas o essencial. Ele conta com dois mostradores: conta-giros à esquerda e marcador de combustível à direita. Entre eles, o velocímetro, que é digital. Acima desse último, outro mostrador digital traz informações do computador de bordo.

Vei5 - Rodolfo Buhrer - Renault - DivulgaçãoA chave do Captur é do tipo cartão e presencial. Ou seja, a ignição é possível apenas com a presença dela no interior do carro. Isso também ocorre para abrir e fechar as portas: basta que o cartão esteja no bolso, por exemplo.

A direção é eletro-hidráulica com esforço variável, os retrovisores externos são rebatíveis eletricamente e o SUV conta, também, com sensor de estacionamento traseiro.

Motor 2.0 16V rende 143/148 cv

Em termos de segurança o Captur apresenta, de série, controle de estabilidade, controle de tração, assistente de partidas em rampas e quatro airbags (frontais e laterais). Todos os passageiros contam com encostos para a cabeça e cinto de segurança de três pontos.

O motor da versão Intense avaliada, topo de linha, é o 2.0 16V que pode gerar 143/148 cv (gasolina/etanol) e 20,2/20,9 kgfm de torque (gasolina/etanol).

A transmissão automática de quatro marchas oferece a possibilidade de trocas manuais através da alavanca do próprio câmbio.

Dirigir o Captur é bastante agradável. O condutor consegue encontrar uma boa posição para dirigir, mas sente falta do ajuste do volante em profundidade. O modelo oferece, somente, o ajuste de altura.

Renault CAPTUR 2017. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

Fotos: Rodolfo Buhrer / Renault / Divulgação

Rodando, o utilitário compacto oferece bom conforto. O conjunto da suspensão assimila bem as irregularidades do asfalto sem sacrificar o desempenho na estrada ao se contornar curvas em maior velocidade. O Captur não mostra tendência para a rolagem da carroceria e não dá sustos no motorista.

O desempenho é bom, mas percebe-se que o motor fica limitado pelas quatro marchas do câmbio automático. Além de, conforme informamos antes, sacrificar o consumo (veja a Ficha Técnica).

Dentre outros, o modelo avaliado conta com os seguintes itens de série: quatro airbags (dianteiros e laterais), controle eletrônico de estabilidade (ESP), controle eletrônico de tração (ASR), assistente de partida em rampas (HSA), sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, direção eletro-hidráulica, volante com regulagem da altura, rodas em liga leve diamantadas de 17 polegadas, chave-cartão hands free, comando de áudio e celular na coluna de direção (comando satélite), assento do condutor com regulagem de altura, luzes diurnas em LED, piloto automático, sistema multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas, câmera de ré, ar-condicionado automático, sensor de chuva, farol de neblina e sensor crepuscular.

Os opcionais são os bancos forrados com material sintético e a pintura biton.

Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o preço do Renault Captur Intense 2.0 16V Automático é R$ 89,63 mil. Para fins de comparação, os preços das outras versões, na mesma tabela, são os seguintes: Captur Zen 1.6 16V (manual) – R$ 79,49 mil; Captur Zen 1.6 16V (CVT) – R$ 84,25 mil; Captur Intense 1.6 16V (CVT) – R$ 87,95 mil.

Ficha Técnica:

✔  Velocidade máxima — 179 km/h (etanol)

✔  0 a 100 km/h — 10,9 segundos (etanol)

✔  Potência — 143/148 cv (gasolina/etanol)

✔  Consumo Etanol — 6,1 km/l (cidade) e 7,4 km/l (estrada)

✔  Consumo Gasolina — 8,6 km/l (cidade) e 10,9 km/l (estrada)

✔  Distância entre eixos — 2,67 metros

✔  Comprimento — 4,33 metros

✔  Largura — 1,81 metro

✔  Altura — 1,62 metro

✔  Capacidade do porta-malas — 437 litros

✔  Capacidade do tanque — 50 litros

✔  Pneus/ Rodas — 215/60 R17 / Liga leve 17 polegadas