Novo Polo Highline é testado durante evento itinerante da marca

Amintas Vidal*

Modelo avaliado tem motor 1.0 turbo

Polo - Amintas1O evento itinerante da marca teve como destaque a sexta geração do Polo, lançado no Brasil dia 25 do mês passado. Além da novidade, todo o portfólio da Volkswagen esteve à disposição dos clientes para testes práticos na pista e também em exposição para interessados em adquiri-los.

Aproveitamos a oportunidade para conhecer melhor o novo Polo, analisar alguns detalhes de acabamento e ergonomia mas, principalmente, os seus recursos eletrônicos de segurança, algo que não poderíamos fazer nas estradas paulistas durante o seu lançamento.

O modelo disponibilizado para avaliação foi o Polo Highline 200 TSI (1.0 turbo – R$ 69,19 mil) com câmbio automático de 6 marchas. Em sua configuração básica, sem o Active Info Display, painel digital configurável, seu interior não é tão impressionante, mas é bastante completo.

Ele vem com todos os marcadores analógicos importantes e o sistema Infotainment Composition Touch com tela de 6,5 polegadas, conjunto oferecido de série a partir da versão Comfortline (quando configurado com o painel digital, opcional disponível apenas para a versão Highline, o sistema é o Discover Media, com tela de 8 polegadas e sensor de aproximação).

Interior – A qualidade dos materiais do acabamento interno é boa, assim como o encaixe entre as peças e sua fabricação. O que destoa um pouco, para o segmento premium, é a falta de superfícies macias ao toque, já que todos os materiais são rígidos. Apenas uma pequena parte é revestida em tecido, nos apoios de braço das portas.

Polo - Amintas7

Polo - Amintas3O desenho dos painéis e das demais peças internas é bastante dinâmico. Linhas retas e recortes angulares conferem modernidade e sensação de espaço ao modelo. Se os materiais mais simples que os utilizados na Europa buscam adequar o Polo ao poder aquisitivo do brasileiro, infelizmente, a monocromia a bordo atende ao gosto conservador do mesmo.

No velho continente, as cores da carroceria do Polo invadem a cabine passando do painel para as laterais e para o console, tornando o design interno bem mais interessante.

Por aqui, o “bom e velho” preto, cinza e prata dominam a área. Os bancos são mais firmes, envolventes e acomodam melhor que os do Gol, Fox e up!. A posição de dirigir é correta, alinhada e todos os comandos ficam à mão.

O espaço interno é bom, pois ele é mais largo que o Polo de quarta geração, anteriormente vendido em nosso mercado. Além dos ombros, pernas e cabeças também se acomodam muito bem.

Mas o Polo 2018 é mais baixo que seu antecessor e seus concorrentes diretos, como o Chevrolet Onix e o Fiat Argo. Quem gosta de dirigir mais “vestido” pelo carro, vai aprovar esse purismo da VW, mas entrar e sair dele não é tão confortável assim.

Polo - Amintas4A versão avaliada conta com um apoio de braço na frente que possui guarda-trecos, tomada USB e saída de ar para os passageiros de trás. Tudo muito útil e realmente prático.

Porém, isso diminui o espaço das pernas do ocupante central do banco traseiro, tornando a posição mais apropriada para uma criança.

No mais o carro é bem acertado ergonomicamente e está muito mais para o Golf, o hatch médio da marca, do que para os outros compactos da Volkswagen.

Somente ao vivo é que se percebe o quanto o Polo evoluiu. Seu porte é bem mais avantajado que do seu antecessor e suas linhas bem mais agressivas. Por foto não se percebe tanto, talvez por sua semelhança com o Gol.

A VW reestilizou o Gol com base na identidade visual do Polo e, pelo menos por algum tempo, as pessoas se confundirão mesmo. Suas semelhanças com o irmão menor param por aí.

O Polo está mais para o Golf, muito além da ergonomia já mencionada acima. Para começar, eles utilizam a mesma plataforma, a MQB (Matriz Modular Transversal).

Polo - Amintas5Mecanicamente, o motor TSI 1.0 foi reprogramado e melhorou, rendendo 128 cv de potência, contra os 125 CV do acerto utilizado no Golf. Outra semelhança muito bem-vinda, mas infelizmente pouco valorizada no Brasil, diz respeito à proteção dos ocupantes em caso de colisão do veículo.

Testado pelo LatinNcap, o Polo obteve as desejadas 5 estrelas, tanto para a proteção dos passageiros adultos quanto para as crianças. Suas notas foram tão expressivas que, em relação ao Golf, ficaram apenas alguns décimos abaixo. Contudo, a dupla da VW está entre os três carros mais seguros fabricados no Brasil.

Itens de segurança levados à prova na pista

Fomos à pista do Mega Space para testar os equipamentos que garantem a segurança ativa do novo Polo. Entre eles, podemos destacar o controle de tração (TC), que é de série em todas as versões. Ele atua eletronicamente reduzindo o torque nas rodas para evitar que as mesmas girem sem tracionar, tanto em arrancadas quanto em curvas.

O sistema ABS do Polo está associado ao EBD (distribuição das forças de frenagem entre os dois eixos) e ao ESS (Emergency Stop Signal ou Sinal de Frenagem de Emergência). Esse último faz a luz de freio piscar durante frenagens bruscas e acende o pisca alerta assim que o carro parar totalmente.

O hatch também está equipado com o MSR (Motorschleppmomentregelung ou Controle do Efeito Freio Motor) que é um sistema inverso ao controle de tração. Ele atua aumentando o torque nas rodas para elas não travarem no momento que o condutor tira o pé do acelerador bruscamente ou reduz uma marcha inadequada para a velocidade do veículo.

Abstract concrete geometric structure background. 3D renderingO controle eletrônico de estabilidade (ESC) corta o torque do motor e freia uma ou mais rodas com o objetivo de corrigir a trajetória do veículo quando o mesmo começa a derrapar em curvas ou desvios bruscos da direção.

O Polo Highline também conta com outras tecnologias que auxiliam na segurança: HHC (Hill Hold Control), que mantém o carro freado por 2 segundos para o motorista arrancar em subidas sem deixar o mesmo voltar para trás; EDS (Elektronische Differenzialsperre ou bloqueio eletrônico do diferencial), um mecanismo que freia eletronicamente uma roda que está sem tração para que o diferencial mande torque para o que está tracionando.

Já o XDS+ é uma função integrada ao controle eletrônico de estabilidade que atua nas rodas que estão do lado de dentro das curvas para aperfeiçoar o contorno das mesmas. O BSW (Bremsscheibewischer – Limpeza Automática dos Discos de Freio) atua em velocidade acima de 70km/h e com o limpador de para-brisa acionado, aproximando as pastilhas do disco de freio para que elas sequem, aumentando assim a eficiência do sistema.

O monitoramento da pressão dos pneus trabalha em conjunto com o ESC, fazendo a leitura do sensor do ABS em todas as rodas, identificando o pneu com menos pressão por este perder diâmetro e assim girar mais rápido que os demais.

Por último temos o GMA (Giermomentaufbauverzögerung ou Controle do Momento de Giro), que diminui a possibilidade de derrapagem do veículo em piso com diferentes níveis de atrito. Ele aplica diferentes forças de frenagem no momento da desaceleração até que a rotação das rodas seja equalizada. Pusemos parte dessa tecnologia em ação na pista.

Polo - Amintas6

Fotos e Imagem: Volkswagen do Brasil / Divulgação

Testando a segurança – Foram apenas dois exercícios, mas úteis para testar a segurança ativa do VW Polo. Na parte inferior do circuito, composta por uma grande reta (a outra reta foi isolada para o segundo exercício) e um miolo com quatro curvas e quatro pequenas retas, passamos três vezes no limite da aderência.

No meio de cada reta do miolo, cones demarcavam desvios de trajetórias. Apesar do seu acerto de suspensão ser mais confortável que do Gol, Fox e up!, ele se mostrou muito mais estável e esportivo que esses modelos.

O hatch não sai nem de frente, nem de traseira. Começa a deslizar nas quatro rodas e a eletrônica recupera a direção com muita eficiência. Outro ponto positivo foi o câmbio. Mesmo sendo convencional, com conversor de torque, ele traciona rapidamente sem apresentar os deslizes comuns entre seus pares.

As trocas de marchas também são suaves e relativamente rápidas, mas nada como as trocas do câmbio DSG de dupla embreagem que ainda equipa modelos mais sofisticados da marca.

O outro teste foi de arrancada e frenagem. Nele pudemos comprovar que o controle de tração garantiu uma saída sem derrapagem e sem desvios de trajetória. O giro do motor sobe rápido, pois sua turbina é pequena e de baixa inércia.

Contudo, ele ganha velocidade rapidamente e acelera como poucos carros “normais” disponíveis no mercado. Com freio a disco nas quatro rodas, o Polo freia com eficiência, sem desvios de trajetória e com pouca trepidação.

Talvez ajudado pelas rodas de 17 polegadas com pneu 205/50, opcionais para a versão, que garantem muita aderência e pouca atuação do ABS.

O novo Polo não tem o design mais original e está longe de ter o melhor acabamento, características muito valorizadas pelos brasileiros. Em compensação, ele é o compacto mais seguro do país e, pelo que conhecemos deste motor usado no up! e no Golf, é um dos mais econômicos também.

Uma “carta na manga” ele tem: o painel digital configurável que, apesar de opcional e custar R$ 4,5 mil no pacote chamado Tech Pack, é inédito na categoria e tem mais funções que os oferecidos pela marca premium do grupo Volkswagen, a Audi.

*Colaborador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s