FCA informa recall do Jeep Cherokee 2012, mas solução ainda não foi definida

Da Redação

A FCA (Fiat Chrysler Automóveis Brasil) está informando aos proprietários dos veículos Jeep Cherokee, ano/modelo 2012, sobre a possibilidade de falha no funcionamento do módulo ORC, responsável pelo controle dos sistemas de airbag, cinto de segurança e encosto de cabeça ativo.

Uma eventual falha de funcionamento do módulo ORC poderá acarretar o acendimento da luz espia no painel de instrumentos do veículo, assim como inabilitar o funcionamento dos encostos de cabeça ativos em caso de colisão traseira, possibilitando a ocorrência de danos físicos ao motorista e ao passageiro do banco dianteiro.

Tão logo a solução definitiva esteja disponível, os proprietários de todos os veículos envolvidos na campanha serão convocados para a segunda fase do chamamento, a fim de agendar, gratuitamente, o reparo em uma das concessionárias da rede Jeep.

Estão envolvidos nesta convocação 2.329 unidades do Jeep Cherokee, com os números de chassis (não sequenciais) CW107403 a CW193703.

Para consultar os números dos chassis envolvidos, ou obter mais informações, a montadora está disponibilizando o telefone 0800 703 7150 e o site www.jeep.com.br.

Fiat convoca proprietários do Argo

Da Redação

Fiat ArgoA FCA (Fiat Chrysler Automóveis Brasil) está convocando os proprietários do hatch Argo, versões Drive, Precision e HGT, ano/modelo 2017/2018, para a partir de hoje (11 de dezembro) agendarem seu comparecimento a uma das concessionárias Fiat para que sejam providenciados, gratuitamente, a verificação e o reparo do chicote elétrico do volante de direção e, se necessária, a substituição do volante de direção completo.

Foi identificada a possibilidade do rompimento do chicote elétrico do volante de direção, devido a um possível esmagamento provocado pela cobertura do airbag, podendo provocar a sua desativação e, em casos extremos, o acionamento involuntário do airbag do motorista, com consequentes danos físicos e materiais ao condutor, aos passageiros e a terceiros.

No total, são 21.778 veículos envolvidos nesta convocação, com números de chassis (não sequenciais) de 9BD358A42JYH10115 a 9BD358A9WJYH10215.

O tempo estimado para o reparo é de uma hora.

Para consultar os números dos chassis envolvidos, e outras informações, a montadora oferece o telefone 0800 707 1000 ou consultas através do site www.fiat.com.br.

Fiat Argo 2

Fotos: Marcos Camargo / FCA / Divulgação

Can-Am apresenta o Maverick Trail DPS, UTV voltado para trilhas e expedições

Da Redação     (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/12/2017)

Can-Am MaverickTrail 3 Créd. Rodrigo Emanuel PhilippsA Can-Am acaba de lançar o UTV (Utility Task Vehicle ou veículo utilitário multitarefas) Maverick Trail DPS. O novo modelo Side-By-Side é ideal para trilhas e expedições.

A máquina já pode ser encontrada nas mais de 60 concessionárias BRP espalhadas pelo Brasil, com preço sugerido a partir de R$ 53,99 mil.

Ele utiliza o motor Rotax V-Twin 800 de 51 cv, bastante robusto. Com 127 cm de largura e 230 cm de distância entre eixos, o UTV foi construído ao redor do piloto, o que permite enfrentar qualquer obstáculo com estabilidade.

Can-Am MaverickTrail 1 Créd. Rodrigo Emanuel PhilippsA baixa posição de pilotagem transmite mais confiança nas trilhas, assim como a suspensão eficiente. O sistema apresenta braços em duplo A e curso de 25,4 cm na frente e a suspensão traseira TTA-T (26,7 cm de curso).

Com o sistema True 4-Mode, é possível optar, por meio de um botão, entre o uso das trações 2X4 e 4X4, ambas com o diferencial traseiro aberto ou blocado.

Outro ponto de destaque é a Direção Dinâmica Assistida (DPS), que oferece assistência variável na condução do veículo. O recurso auxilia o piloto a seguir a linha ideal em trilhas apertadas, trechos rochosos e locais de velocidades mais altas.

O Maverick Trail DPS é equipado com a transmissão CVT QRS-T. O UTV oferece capacidade de armazenamento na cabine de 20,2 litros, a maior da categoria, de acordo com a fabricante.

Ele possui capacidade de carga de 136 quilos e oito acessíveis pontos de engate do sistema LinQ na caçamba. O engate de duas polegadas é indicado para rebocar até 680 quilos.

Can-Am MaverickTrail 4 Créd. Rodrigo Emanuel Philipps

Fotos: Rodrigo Emanuel Philipps / Can-Am / Divulgação

Nova geração do Jeep Wrangler chega aos EUA

Da Redação      (Publicado no Diário do Comércio – 08/12/2017)

Modelo será lançado no Brasil em 2018

All-new 2018 Jeep® Wrangler Rubicon, 1944 Jeep Willys-OverlandO novo Jeep Wrangler 2018 foi apresentado nos Estados Unidos. O veículo, com grande capacidade off-road, chega ao Brasil no segundo semestre do ano que vem. Segundo a Jeep, o novo Wrangler traz motorizações avançadas e eficientes, comportamento dinâmico superior no asfalto e uma série de recursos inovadores de segurança e tecnologia.

“A Jeep sempre representou a excelência em capacidade off-road e na condução ao ar livre. Nosso novo Wrangler 2018 mantém esse legado importante e o leva ao futuro”, disse Mike Manley, chefe global da Jeep.

“O novo Wrangler é instantaneamente reconhecível como um Jeep, mantendo-se fiel ao original, mas é melhor em todos os sentidos – oferecendo capacidade ainda mais robusta, mais conforto de rodagem, mais eficiência de combustível graças a várias opções avançadas de powertrain, mais conforto interno, mais segurança e mais tecnologia”, finalizou.

Produzido na fábrica de Toledo, Ohio (EUA), o Jeep Wrangler de duas portas estará disponível a partir de janeiro na América do Norte, em três versões diferentes: Sport, Sport S e Rubicon. Com a carroceria de quatro portas, a versão recebe o nome de Sahara.

O novo Wrangler oferece dois sistemas 4×4 avançados e, pela primeira vez na sua história, uma caixa de transferência de duas velocidades com tração integral permanente e uma relação reduzida de 2,72:1 disponível para a versão Sahara.

All-new 2018 Jeep® Wrangler SaharaChamada de Selec-Trac, essa nova caixa de transferência é intuitiva e permite que o condutor o configure e esqueça, enquanto a força é constantemente entregue às rodas dianteiras e traseiras.

No sistema Command-Trac 4×4, a caixa de reduzida tem relação de 2,72:1, e eixos dianteiros e traseiros Dana de última geração e relação no eixo traseiro de 3,45:1.

No Wrangler Rubicon, o sistema Rock-Trac 4×4 tem eixos Dana 44 de última geração e alto desempenho com relação reduzida de 4:1. A relação 4,1 do eixo dianteiro e traseiro é padrão, assim como os diferenciais de bloqueio eletrônico Tru-Lok.

As versões do Wrangler Rubicon oferecem evoluções em articulação e curso de suspensão em comparação à geração anterior com a ajuda de uma barra estabilizadora eletronicamente desconectável.

Ambos os sistemas Command-Trac e Rock-Trac oferecem gerenciamento de torque em tempo integral, ideal para condições de baixa tração. É possível ainda equipar o Wrangler com o Trac-Lok, um diferencial traseiro de deslizamento limitado que oferece torque e aderência extras durante situações escorregadias e de baixa tração, como a condução sobre areia, cascalho, grama molhada, lama fina, neve ou gelo.

All-new 2018 Jeep® Wrangler RubiconAlguns números do modelo: ângulos de 44° (entrada), 37° (saída) e 27,8° (rampa), distância do solo de 27,7 cm, 76 cm de capacidade de submersão, pneus de 33 polegadas nas versões Rubicon e capacidade de rebocar 1.587 kg.

Além disso, há placas de proteção sob a carroceria e ganchos de reboque dianteiros e traseiros.

Design – O novo Wrangler apresenta linha de cintura mais baixa e janelas maiores para melhor visibilidade externa, especialmente nas trilhas.

A equipe de design do Jeep deu à grade de sete fendas um olhar atualizado que agora mostra as duas fendas nas pontas se cruzando com os faróis, homenageando os Jeep CJ (como o CJ-5 feito no Brasil entre as décadas de 1950 e 1980).

A parte superior da grade foi suavemente inclinada para melhorar a aerodinâmica.

Nas versões Sahara e Rubicon, os faróis de LED e as luzes de neblina disponíveis oferecem luz. Estes modelos apresentam luzes diurnas e as setas de direção em LED estão posicionados na frente dos para-lamas trapezoidais. Atrás, as tradicionais lanternas quadradas podem ser de LED.

Vei4 - FCA US LLC - DivulgaçãoMotores e transmissões – O motor EcoDiesel V6 de 3 litros e o novo quatro-cilindros 2.0 com turbocompressor juntam-se à linha Wrangler, que mantém o Pentastar V6 de 3.6 litros, que teve melhorias significativas para 2018.

O novo motor turbo de 2 litros, 4 cilindros em linha e injeção direta oferece 270 cv de potência e 40 kgfm de torque. Juntamente com uma transmissão automática de 8 velocidades, seu torque supera o do motor V6 também oferecido no Wrangler.

O motor Pentastar V6 de 3.6 litros da FCA oferece 285 cavalos de potência e 36 kgfm de torque. Ele é projetado para fornecer uma ampla gama de torque com uma ênfase especial no torque a baixas rotações, aspecto crucial na direção extrema do off-road.

Uma transmissão manual de seis velocidades totalmente nova é padrão em todos os modelos Wrangler equipados com o Pentastar V6 de 3.6 litros, tendo um câmbio automático de oito marchas como opcional.

O motor EcoDiesel de 3 litros só estará disponível a partir de 2019 nas versões de 4 portas do Wrangler, com 260 cv de potência e 61 kgfm de torque, bem como sistema Stop-Start (ESS) de série.

Uma nova transmissão automática de 8 marchas também vem como padrão, retralhada para lidar com o aumento de torque. O EcoDiesel V6 implementará a nova tecnologia de turbocompressor com rolamento de baixa fricção projetado para funcionar em baixas velocidades e em situações de transição onde a resposta imediata é necessária.

All-new 2018 Jeep® Wrangler Sahara

Fotos: FCA US LLC / Divulgação

Amortecedor recondicionado coloca a segurança em risco

Da Redação

Suspensao

Imagem: Monroe / Divulgação

Os amortecedores são itens essenciais à segurança do condutor e passageiros de veículos. Por isso, é importante ter atenção com a procedência do componente.

As peças recondicionadas, por exemplo, possuem preço atrativo no mercado, mas devem ser evitadas, uma vez que não possuem os padrões de qualidade e especificações exigidos pelas fabricantes de veículos.

A recomendação é da Monroe, marca líder mundial na fabricação e desenvolvimento de amortecedores.

“As peças recondicionadas passam apenas por uma ‘maquiagem‘ para que fiquem com aparência de novas. Na maioria das vezes, os componentes são somente lavados e pintados e voltam ao mercado com o mesmo problema de desgaste que fez com que ele fosse substituído anteriormente”, explicou Juliano Caretta, coordenador de Treinamento Técnico da Monroe.

Outra prática comum é, conforme o especialista, substituir o óleo do amortecedor por um fluído diferente do especificado. “Isso compromete a performance e o desempenho do componente, podendo causar sérios acidentes”, alertou.

A indicação do coordenador é que o consumidor opte sempre por peças homologadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e que possuam certificado de garantia e nota fiscal.

“O amortecedor é, em primeiro lugar, um dos principais itens de segurança do veículo. Somente a peça nova pode assegurar os padrões de qualidade exigidos pelas montadoras”, advertiu Caretta.

Função – O amortecedor é o componente responsável por manter o contato permanente dos pneus com o solo, garantindo a estabilidade e a boa dirigibilidade ao veículo.

A Monroe indica que a peça seja revisada, preventivamente, a cada 10 mil quilômetros aproximadamente, conforme a orientação da montadora ou, ainda, quando o motorista perceber problemas na suspensão, tais como: ruídos, solavancos, balanços excessivos e problemas de dirigibilidade.

 

FCA convoca os proprietários do Jeep Renegade

Da Redação

GEDSC DIGITAL CAMERA

Foto: José Oswaldo Costa

A FCA – Fiat Chrysler Automóveis Brasil, está convocando os proprietários dos veículos Jeep Renegade, todas as versões, ano/modelo 2016 a 2018 para agendarem o seu comparecimento a uma das concessionárias Jeep para que seja providenciada, gratuitamente, a atualização do software da central eletrônica do comando da chave de setas.

Uma eventual falha do componente poderá acarretar o não funcionamento das luzes das setas de direção sem a ciência do condutor, aumentando o risco de acidente, com consequentes danos físicos e materiais ao condutor, aos passageiros e a terceiros.

Os veículos envolvidos nesta convocação têm numeração de chassi 988611101GK101234 a 98861115YJK140582  (não sequencial), totalizando 6.537 unidades.

O tempo de reparo é de aproximadamente uma hora. Os agendamentos começaram ontem (4 de dezembro).

A montadora disponibilizou o telefone 0800 703 7150 e o site www.jeep.com.br  para consultas e/ou dúvidas.

BMW Motorrad inicia vendas da K 1600 Bagger, apresentada no Salão Duas Rodas

Da Redação

P90238902_highRes_bmw-k-1600-b-10-2016

Foto: Arnold Debus / BMW Motorrad / Divulgação

Destaque da BMW Motorrad no Salão Duas Rodas 2017, a inédita BMW K 1600 Bagger estréia, neste mês, nas concessionárias autorizadas da marca no País, com preço sugerido de R$134,90 mil.

Assim como a BMW K 1600 GTL, a Bagger conta com um motor de seis cilindros em linha de 1.649 cm³, 4 tempos, 24 válvulas com duplo comando.

Ele é capaz de entregar 160 cv de potência, a 7.750 rpm, e 175 Nm de torque, a partir de 5.250 rpm. O conjunto motriz agrega ainda câmbio de seis marchas e transmissão por eixo cardã.

A lista de equipamentos de série engloba freios assistidos por ABS, controle de tração dinâmico (DTC), ajuste eletrônico de suspensão (ESA), manoplas e banco aquecidos, farol xênon, lanterna e luzes indicadoras de direção em LED, controle eletrônico de velocidade, computador de bordo, modos de pilotagem e para-brisa com ajuste elétrico.

Outro destaque desta cruiser da família K são os recursos tecnológicos semelhantes aos encontrados em automóveis, como: farol direcional, assistente de partida em ladeira (HSC), controle de pressão dos pneus (RDC), partida sem chave (keyless), assistente de trocas de marchas, luzes adicionais em LED, interface Bluetooth, sistema de alarme antifurto, sistema de áudio com preparação para GPS e marcha a ré.

A BMW K 1600 Bagger está disponível na cor preta e traz malas laterais na mesma cor da motocicleta.