O dia que o piloto da F1 comeu poeira da Kombi

Chico Lelis*

MEU LOGO

Se a gente pode usar a imaginação para transformar a Via Anchieta num circuito, vamos dizer que, lá pelos anos 70, um motorista de Kombi arrasou na Fórmula 1, “levantando poeira” para um dos maiores ídolos da temporada, o sueco Ronnie Peterson, que tinha dois apelidos: Suéco Voador e SuperSwede (Super Suéco).

foto_KombidowesleyEle andou, em 1970, na Tyrrel P34, de seis rodas, lembram? Faleceu em razão de um acidente tumultuado em Monza (Itália), que envolveu vários carros. Naquele tempo, quando da realização da prova em São Paulo (Interlagos), Emerson Fittipaldi e José Carlos Pace, o Moco, desaparecido precocemente em um acidente de avião, promoviam almoços, no Guarujá.

Ronnie Peterson, Grand Prix Of Italy

Lá eles recebiam amigos, entre pilotos, membros de equipes e jornalistas. Em um deles o sueco chegou um tanto quanto furioso e dizendo algo mais ou menos assim: “agora eu sei porque o Brasil tem tantos pilotos. Agora eu sei!”.

Indagado sobre a razão das suas “insinuações”, ele contou que estava no volante de um carro, descendo pela Anchieta, curtindo “as curvas da estrada de Santos”, como cantou o Rei Roberto Carlos, sem radares, quando chegou naquela que é conhecida com a “Curva da Onça”.

Metros à frente, uma Kombi seguia rapidamente pela estrada. E quando Ronnie, que faleceu tempos depois, se aproximou, o cara da Kombi acelerou e entrou na “Onça” com o pé direito no fundo, e as rodas traseiras da Kombi “saltitando” como é característica do veículo em curvas fortes como aquela, um verdadeiro “cotovelo”.

Ronnie-Peterson-The-Champion-That-Never-Was

Fotos: Divulgação (responsabilidade do editor da Coluna)

O piloto de F1 bem que tentou ultrapassar a Kombi, mas, enquanto durou aquele curto trecho (ali são três curvas) de serra, não conseguiu – ou não ousou fazê-lo – e ficou vendo o “piloto” brasileiro ganhando distância e “quicando” com a sua Kombi, modelo que já saiu de produção.

Era um veículo não apropriado para curvas, mas tinha uns “loucos” imbatíveis nelas, porque ninguém tinha coragem de ultrapassá-los. Ou melhor, nem mesmo tentar.

Ninguém conseguiu, claro, identificar o “piloto” da Kombi, mas todos riram muito da ira que provocou no Ronnie Peterson.

índice

 *chicolelis – chicolelis@gmail.com – Jornalista com passagens pelos jornais A Tribuna  (Santos), O Globo e Diário do Comércio. Foi assessor de Imprensa na Ford, Goodyear e, durante 18 anos, gerenciou o Departamento de Imprensa da General Motors do Brasil. Assina a coluna “Além do Carro”, na revista Carro, onde mostra ações do setor automotivo nos campos social e ambiental.

Apoio

LOGO TOYOTA COLUNA

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s