Pequenas alterações na linha VW 2019

José Oswaldo Costa*

A linha 2019 dos modelos Polo, Virtus, up!, Saveiro e SpaceFox já chegou às concessionárias Volkswagen.

Polo_MSIO Polo 1.0 MPI e 1.6 MSI, e o Virtus 1.6 MSI, passam a oferecer, como opcionais, o sensor de estacionamento traseiro e retrovisores externos com ajuste elétrico e função tilt down. Além disso, as versões MSI recebem, de série, volante multifuncional.

O Polo 1.0 MPI tem o preço sugerido, no site da montadora, de R$50,49 mil. O pacote opcional, Connect Pack, traz os itens informados anteriormente acrescidos de computador de bordo (I-System), rodas em liga leve de 15 polegadas, sistema de som com tela touchscren e volante multifuncional. Esse pacote tem o preço de R$3,80 mil. Ou seja, o modelo, com os novos opcionais, tem o preço de R$54,29 mil.

Já a versão 1.6 MSI do hatch tem o preço sugerido de R$56,99 mil. O pacote opcional é quase idêntico, oferecido por igual valor (R$3,80 mil). Importante lembrar que, como passa a ser de série para as versões MSI, o volante multifuncional não está no pacote, apesar do preço mantido. Dessa forma, o Polo 1.6 com os novos itens tem o preço de R$60,79 mil.

Virtus_MSIO Virtus 1.6 MSI é oferecido com o preço sugerido de R$61,39 mil. O pacote para o sedan recebeu o nome de Interatividade e, ao contrário do Polo, não inclui computador de bordo (I-System). Ele oferece: sensor de estacionamento traseiro, espelhos retrovisores elétricos com função tilt down, rodas em liga leve de 15 polegadas e sistema de som com tela touch. Seu preço é R$3,36 mil. Ou seja, o Virtus 1.6 equipado com os novos opcionais tem o preço de R$64,75 mil.

A novidade na linha 2019 do up! fica por conta do DRL (luz de condução diurna) de série para todas as versões. O cross up! e o up! Pepper, além do DRL, trazem como item de série o “piloto automático” (controlador automático de velocidade).

Os preços da linha up! são os seguintes:

move up! – de R$50,27 mil (motor 1.0 MPI, manual); R$52,71 mil (motor 1.0 MPI, automatizado) e R$55,70 mil (motor 1.0 TSI, manual)

cross up! – R$58,73 mil (motor 1.0 TSI, manual)

up! pepper – R$59,24 mil (motor 1.0 TSI, manual)

move_up__TSI__1_As versões TSI do up! 2019 recebem o emblema 170 TSI na tampa do porta malas, seguindo a nova estratégia da Volkswagen de nomenclatura de seus modelos TSI em relação ao torque em Newton metro (Nm).

Isso já ocorria com o Polo, por exemplo, com a nomenclatura 200 TSI para o motor 1.0 turbo.

A Saveiro Robust e a Saveiro Trendline trazem calotas com novo design (as fotos dessas versões não foram disponibilizadas pela VW). Já a Saveiro Cross, agora pode ser equipada com revestimento dos bancos na cor marrom.

Saveiro_Cross_CD_Completo_34_Frente_FBPreços dessas versões da Saveiro:

Robust (CS) – R$48,39 mil

Robust (CD) – R$60,45 mil

Trendline (CS) – R$59,89 mil

Cross (CE) – R$77,39 mil

Cross (CD) – R$80,69 mil

Já a SpaceFox, recebe o novo pacote Connect, que agrega ao modelo rodas de liga leve de 15 polegadas, sistema multimídia com tela de 6,5 polegadas e APP-Connect, volante multifuncional com comandos do sistema de som, grade dianteira em preto brilhante, faróis e lanterna de neblina, frisos laterais na cor do veículo, entre outros.

SpaceFox_10

Fotos: Volkswagen / Divulgação

A SpaceFox é oferecida, no site da montadora, na versão única Trendline. O motor é o 1.6 MSI. A diferença fica quanto ao o câmbio, que pode ser manual ou automatizado.

Os preços são: Trendline (manual) – R$60,29 mil e Trendline (automatizado) – R$63,69 mil.

*com informações da Volkswagen

Mercado de caminhões cresce 50,71% e, o de motocicletas, 6,93%

Da Redação

Porém, previsão de crescimento, para todos os segmentos do mercado de veículos em 2018, é reduzida de 13% para 9,8%

O mercado de caminhões registrou alta de 50,71% no primeiro semestre de 2018 sobre mesmo período de 2017, somando 32.338 unidades licenciadas.

Em junho, os 5.731 caminhões emplacados representaram crescimento de 37,14% sobre idêntico mês de 2017, e aumento de 0,24% em relação a maio de 2018.

Segundo Sérgio Zonta, Vice-Presidente da Fenabrave para os segmentos de caminhões e implementos rodoviários, houve um expressivo aumento nos níveis de financiamento, principalmente pela oferta dos bancos privados e ligados às montadoras, o que tem contribuído, significativamente, para esta retomada.

“Além disso, verificamos uma queda acentuada na inadimplência e, mesmo com as recentes revisões do PIB, as perspectivas para o segmento continuam positivas, até, porque, a base de comparação com anos anteriores ainda é muito baixa”, comentou.

O segmento de Implementos Rodoviários registrou alta de 79,80% no acumulado do semestre frente a igual período do ano passado, totalizando 20.019 unidades, contra 11.134 unidades de 2017. Em junho, os emplacamentos somaram 3.776 unidades, marcando alta de 71,64% em relação ao mesmo mês do ano passado e 4,66% acima do volume de maio de 2018.

Na avaliação de Zonta, este desempenho está relacionado à necessidade de renovação dos equipamentos.

A greve de caminhoneiros provocou vários problemas ao segmento de motocicletas. “Não houve transporte de motos de Manaus, o que desabasteceu as concessionárias”, avaliou Carlos Porto, vice-presidente da Fenabrave para o segmento de duas rodas.

Apesar dos impactos negativos da greve, realizada em maio, os dados mostram que o mercado cresceu 6,93% no primeiro semestre de 2018, ante o mesmo período de 2017, somando 456.889 unidades.

Já em junho, como reflexo da greve, foram licenciadas 74.089 motos, registrando queda de 8,83% sobre o volume de maio deste ano, mas 3,22% acima das vendas registradas em junho de 2017.

Para o segmento de Tratores e Colheitadeiras, os dados da Fenabrave mostram que foram vendidos, no atacado, de janeiro a maio, 14.249 unidades, retração de 12,34% ante igual intervalo do ano passado.

Na mesma comparação, as vendas no varejo caíram apenas 0,6%. Contudo, segundo Marcelo Nogueira, vice-presidente da Fenabrave para estes segmentos, as perspectivas são positivas para o segundo semestre.

“A inadimplência é a menor do setor, em torno de 1,5%, e os estoques caíram 18,23% nas concessionárias nesse período. Temos de lembrar, ainda, que a greve dos caminhoneiros também prejudicou a entrega de máquinas aos produtores rurais”, explicou Nogueira.

Ele reforçou os pontos positivos do Plano Safra 2018/2019 que, também, devem contribuir para o crescimento das vendas de tratores e colheitadeiras nos próximos meses, como a queda na taxa de juros e a ampliação do volume disponível para os produtores rurais.

Revisão das Projeções para 2018

Diante do novo cenário econômico brasileiro, afetado pela greve dos caminhoneiros e pelo início da Copa do Mundo de Futebol, a Fenabrave revisou, pela segunda vez, as projeções para o Setor da Distribuição de Veículos em 2018.

Considerando os emplacamentos de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e implementos, motocicletas, tratores e colheitadeiras), a entidade projeta, para este ano, alta de 9,8% sobre 2017, totalizando 3.420.259 unidades. Anteriormente, a entidade estimava aumento de 13%.

A nova projeção da entidade para os segmentos de Automóveis e Comerciais Leves aponta para crescimento de 9,7% em 2018, chegando a 2.383.184 unidades. Em março, a entidade estimava que os segmentos cresceriam 15,2% no ano.

Com a revisão das projeções, o segmento de Caminhões deve registrar alta de 24,8% nos emplacamentos em 2018, atingindo 65.000 unidades. No início do ano, as projeções divulgadas indicavam crescimento de 17%.

A Fenabrave projeta, para o segmento de Ônibus, retração de 4,1%, em função do ano eleitoral, o que reduz o total a ser comercializado para 14.480 unidades. Em março, a projeção era de 3,3% de crescimento.

Para Implementos Rodoviários, o novo índice de crescimento projetado é de 58,6%, com 40.615 unidades, contra 41% de alta, anteriormente prevista.

A entidade também está revendo a projeção para o mercado de Motocicletas que, com a retomada dos níveis de renda pelas classes C e D, que formam a maior parte dos consumidores de motos de baixa cilindrada, deve passar para 7,7% de crescimento, ante os 6,5% estimados anteriormente. Com a nova previsão, o total de motocicletas emplacadas deve chegar a 916.980 unidades.

Os segmentos de Tratores e Colheitadeiras, que não têm emplacamentos, devem manter estabilidade com relação ao ano passado. Por isso, a entidade manteve sua estimativa de crescimento no patamar de 0,24%, devendo totalizar 41.600 unidades.

Emplacamentos de automóveis e comerciais leves cresce 13,71% no semestre

José Oswaldo Costa*

A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, divulgou, ontem, o desempenho dos emplacamentos no mês de junho e do acumulado do primeiro semestre de 2018.

De acordo com a entidade, foram vendidos 1.691.556 veículos no primeiro semestre do ano, entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, o que representa crescimento de 12,37% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apenas em junho, as 287.721 unidades vendidas representaram alta de 3,85% ante igual mês de 2017, mas o resultado, se comparado ao mês de maio de 2018, teve queda de 2,45%.

Para o Presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr., os resultados não foram melhores em função da greve dos caminhoneiros, que impactou, negativamente, nas vendas do mês de junho e nos índices de confiança dos investidores e consumidores. “Os impactos ainda devem se refletir nos resultados dos próximos meses”, alertou.

Os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, encerraram o primeiro semestre com 1.127.217 unidades licenciadas, o que representa crescimento de 13,71% no comparativo com o mesmo acumulado de 2017.

Considerando apenas o resultado de junho, as 195.066 unidades emplacadas representam 3,18% de crescimento em relação a junho do ano passado, e aumento de 0,08% sobre maio deste ano.

“As vendas diárias, em junho, tiveram média de 9.289 unidades, contra 9.281 unidades em maio”, comentou Assumpção Júnior. Vale ressaltar que maio e junho tiveram 21 dias úteis.

Assumpção Jr., comentou que o “resultado mais negativo da greve foi o aumento do sentimento de insegurança do consumidor em adquirir bens duráveis, como um veículo”.

Dentre os automóveis, o ranking dos dez modelos mais vendidos no Brasil, no 1º semestre/2018, ficou da seguinte forma:

1º) Chevrolet Onix – 89.620 unidades

2º) Hyundai HB20 – 50.419 unidades

3º) Ford Ka – 48.262 unidades

4º) Volkswagen Polo – 34.138 unidades

5º) Volkswagen Gol – 32.512 unidades

6º) Chevrolet Prisma – 32.015 unidades

7º) Renault Kwid – 29.678 unidades

8º) Toyota Corolla – 28.554 unidades

9º) Jeep Compass – 28.194 unidades

10º) Fiat Argo – 27.983 unidades

Já entre os utilitários esportivos (SUV), o ranking dos cinco modelos mais vendidos, no 1º semestre/2018, é o seguinte:

1º) Jeep Compass – 28.194 unidades (9º geral)

2º) Honda HR-V – 23.149 unidades (13º geral)

3º) Nissan Kicks – 21.837 unidades (14º geral)

4º) Jeep Renegade – 21.430 unidades (15º geral)

5º) Hyundai Creta – 20.152 unidades (16º geral)

Por fim, no segmento de comerciais leves, o ranking nacional, dos cinco modelos mais vendidos, ficou da seguinte forma:

1º) Fiat Strada – 32.512 unidades

2º) Fiat Toro – 26.062 unidades

3º) Volkswagen Saveiro – 22.196 unidades

4º) Toyota Hilux – 17.442 unidades

5º) Chevrolet S10 – 15.486 unidades

*com informações da Fenabrave

Honda CB 650F e CBR 650F, 2019, têm novas cores e grafismos

Da Redação

Linha650cc_2019_7A Honda renovou a família 650. Em sua versão 2019, ambas chegam nas novas cores laranja e vermelho, além do exclusivo preto perolizado (somente na naked), e estarão disponíveis em toda rede de concessionários até o fim de julho, com preço público sugerido de R$34,90 mil para a CB 650F e R$36,50 mil para a CBR 650F.

Esses preços têm como base o estado de São Paulo, sem despesas com frete e seguro. Os modelos têm garantia de 3 anos + Honda Assistance, sem limite de quilometragem.

Um destaque é o motor de quatro cilindros em linha com duplo comando no cabeçote (DOHCDouble Over Head Camshaft). A naked CB 650F e a esportiva CBR 650F compartilham do mesmo motor.

A potência máxima é de 88,5 cv cv a 11.000 rpm e o torque máximo chega a 6,22 kgfm aos 8.000 rpm. O câmbio de seis velocidades tem um escalonamento cujas relações de 2ª a 5ª marcha exaltam a performance, em favor de melhores acelerações e retomadas de velocidade, informou a Honda.

CBR650F_ESTATICA_5

CBR650F_ESTATICA_9jpg

CBR650F_DETALHE_8A agilidade das CB 650F e CBR 650F é mérito, segundo a Honda, do chassi tipo Diamond, no qual o motor tem função estrutural. Duas robustas traves de aço de seção elíptica, medindo 64 x 30 mm, ligam a coluna de direção ao ponto de fixação do eixo da balança traseira.

A suspensão dianteira usa um garfo Showa Dual Bending Valve (SDBV) com tubos de 41 mm de diâmetro. A tecnologia SDBV garante respostas mais adequadas, especialmente sob grande solicitação, como frenagens fortes e em pisos irregulares. Além disso, apresenta menor peso se comparada à uma suspensão convencional.

Quanto aos freios, tanto a CB 650F como a CBR 650F são equipadas de sistema ABS de dois canais que atua nos discos dianteiros e disco traseiro tipo wave. A grande dimensão dos discos dianteiros (320 mm) em conjunto pinças Nissin de duplo pistão na dianteira e de pistão simples atrás configura um dimensionamento coerente com a performance dos modelos.

As rodas são em alumínio fundido sob pressão. Com seis raios duplos, calçam pneus esportivos de medidas 120/70-ZR17 e 180/55-ZR17 e dispõe de válvulas de ar em “L” para facilitar o controle da pressão.

CB650F_ESTATICA2

CB650F_ESTATICA5

CB650F_DETALHE3

Fotos: Honda / Divulgação

Fiat faz recall por falha dos relés dos sistemas de ignição e injeção de combustível

Da Redação

A FCA – Fiat Chrysler Automóveis Brasil, está convocando os proprietários dos veículos Uno, Argo, Mobi e Toro em todas as suas versões, ano modelo 2018 e 2019, Grand Siena versões 1.0 e 1.4, ano modelo 2018 e 2019, Strada na versão 1.4, ano modelo 2017 e 2018, Palio Weekend e Fiorino na versão 1.4, ano modelo 2018 para, a partir de hoje, agendarem seu comparecimento em uma das concessionárias da marca a fim de que seja providenciada, gratuitamente, a substituição dos relés dos sistemas de ignição e injeção de combustível dos veículos convocados.

Foi detectado que, a eventual falha dos relés, poderá acarretar o funcionamento irregular do motor e, em casos extremos, o seu desligamento inesperado, comprometendo as condições de dirigibilidade do veículo e aumentando o risco de colisão, além de possibilitar a ocorrência de danos físicos e materiais ao condutor, aos passageiros e a terceiros.

A existência da falha mencionada poderá ser observada mediante o acendimento da luz-espia da bateria no quadro de instrumentos do veículo. Independentemente do acendimento da luz-espia, dirija-se imediatamente a uma concessionária da rede Fiat.

O tempo estimado de reparo é de aproximadamente 30 minutos. A montadora solicita que o proprietário agende sua visita previamente..

Para os números dos chassis envolvidos e outras informações, a consulta deve ser feita pelo site http://www.fiat.com.br. Outro canal de atendimento é a Central de Serviços ao Cliente Fiat: 0800 707 1000.

VEÍCULO ANO/MODELO CHASSIS (NÃO
SEQUENCIAIS)
UNIDADES ENVOLVIDAS
Uno 2018 e 2019 814974 a 835992 14.150
Argo 2018 e 2019 H20145 a H82351 44.125
Mobi 2018 e 2019 493776 a 558183 43.696
Toro 2018 e 2019 B40604 a C01788 48.900
Grand Siena 2018 e 2019 340455 a 359006 15.807
Strada 2017 e 2018 181519 a 246187 46.167
Palio Weekend 2018 099712 a 103166 504
Fiorino 2018 085164 a 107200 9.685