Volkswagen apresenta o mais novo SUV compacto do mercado nacional: T-Cross

José Oswaldo Costa*

de São Paulo (SP)

Volkswagen_T-Cross__2_A Volkswagen realizou, na tarde dessa quarta-feira (25 de outubro), a avant-première do seu mais no utilitário esportivo. O T-Cross, que brigará no segmento de SUVs compactos, será lançado oficialmente no Brasil no 1º semestre de 2019.

O novo modelo chegará para brigar em um dos segmentos mais disputados do mercado nacional e terá como rivais, entre outros, o Jeep Renegade, o Honda HR-V, o Hyundai Creta, o Nissan Kicks e o Ford EcoSport.

A montadora anunciou, que em 2018, até o mês de setembro, comercializou cerca de 349.400 unidades na América Latina. Em comparação com o mesmo período do ano passado, esse número significa um aumento de 10,9% nas suas vendas.

No Brasil, nesse mesmo período, seu crescimento em vendas foi de 34%. Um ótimo desempenho ao verificarmos que o crescimento do nosso mercado foi de 13% no período informado. A aposta da montadora no segmento de SUVs mostra-se acertada tendo em vista que esse mercado específico teve um crescimento, em 2018, de 16%.

Volkswagen_T-Cross__3_A VW informou que, dentro da sua análise de mercado, a previsão é de que, até 2020, de cada 10 veículos vendidos no Brasil, 3 serão utilitários esportivos. Certo é que, em se tratando do mercado nacional, a chegada do T-Cross ocorre com bastante atraso, uma vez que todas as principais concorrentes da VW já possuem um modelo nesse segmento.

Ou seja, o novo SUV terá que brigar bastante para abocanhar sua fatia em um nicho que já tem, por exemplo, Honda HR-V, Jeep Renegade e Nissan Kicks bastante estabelecidos.

O T-Cross foi apresentado globalmente, para a imprensa especializada, em evento inédito que integrou os três continentes onde o modelo será produzido (Europa, Ásia e América) e terá seus principais mercados.

Ele faz parte da estratégia da empresa de oferecer modelos globais com características específicas para atender às necessidades locais de cada região. A versão final do SUV foi revelada, de forma simultânea, em Amsterdam (Holanda), Xangai (China) e São Paulo (Brasil).

Volkswagen_T-Cross__4_“O T-Cross é o primeiro SUV produzido pela Volkswagen no Brasil, que chega para revolucionar os padrões de seu segmento”, afirmou o presidente e CEO da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si.

“É um carro global, que traz alterações para o gosto e perfil dos clientes da América Latina, reforçando a nossa estratégia de Regionalização”, explicou Di Si. “O T-Cross que será feito no Brasil traz mudanças em seu design, maior espaço interno e é mais alto que o modelo europeu, além de ser um modelo seguro, conectado e cheio de tecnologia”, concluiu.

O T-Cross para os mercados da América Latina será produzido em São José dos Pinhais (PR) – para isso, a fábrica recebeu R$2 bilhões em investimentos – e faz parte dos cinco novos SUVs a serem lançados pela Volkswagen na região até 2020. O modelo será produzido sobre a plataforma MQB, a mesa utilizada por Polo e Virtus, por exemplo.

Volkswagen_T-Cross_-_Estrategia_Modular_MQB__3_O T-Cross oferecerá itens exclusivos no segmento, informou a VW, como o painel totalmente digital (Active Info Display), seletor de perfil de condução, controle de estabilidade (ESC) de série, bloqueio eletrônico do diferencial, Park Assist 3.0, suporte para celular no painel, quatro entradas USB (inclusive para o banco traseiro), iluminação da cabine em LED e acabamento com apliques no painel.

Também contará com faróis full-LED, seis airbags, saída de ar-condicionado para o banco traseiro e teto solar panorâmico, entre outros recursos.

Volkswagen_T-Cross__11_No Brasil, o T-Cross terá exclusivamente motores TSI, que combinam injeção direta de combustível e turbocompressor. O motor 250 TSI (1.4 turbo) gera potência de até 150 cv (110 kW), com gasolina ou etanol, a 4.500 rpm.

O torque máximo, também com ambos os combustíveis, é de 250 Nm (25,5 kgfm). Esse motor será combinado exclusivamente à transmissão automática de seis marchas com função Tiptronic e aletas (shift paddles) para trocas no volante.

Já o motor 200 TSI (1.0 turbo) desenvolve potência de até 128 cv (94 kW) a 5.500 rpm, com etanol – com gasolina, são 116 cv (85 kW), à mesma rotação. O torque máximo é de 200 Nm (20,4 kgfm), com gasolina ou etanol, sempre na faixa de 2.000 a 3.500 rpm.

Esse motor poderá ser combinado à transmissão manual ou à automática com função Tiptronic (também com as aletas no volante), ambas de seis marchas.

Volkswagen_T-Cross__9_Medidas – O T-Cross mede 4,20 metros de comprimento e 1,57 metro de altura (9 mm mais alto que o T-Cross europeu). A distância entre os eixos do modelo que será produzido no Brasil é maior: 2,65 metros (88 mm a mais do que a distância entre-eixos do T-Cross europeu).

A capacidade do porta-malas do modelo varia entre 373 e 420 litros. O encosto rebatível do banco do passageiro dianteiro oferece ainda mais flexibilidade.

Além de sensores dianteiro e traseiro para estacionamento, o T-Cross também poderá ser equipado com o sistema Park Assist 3.0, que permite o estacionamento autônomo em vagas paralelas e transversais – e agora com a função de freio de manobra.

Volkswagen_T-Cross__14_Design – A parte dianteira destaca-se por sua altura, com uma grade ampla e faróis de LED integrados e diferencia-se do desenho do modelo europeu.

Também responsável por essa altura acentuada é a tampa do compartimento do motor. A região inferior da parte dianteira distingue-se por detalhes como os faróis de neblina.

Todas as versões do T-Cross serão equipadas com luz de condução diurna (DRL) em LED, integrada ao farol de neblina. Haverá oferta de faróis full-LED – neste caso, a luz de condução diurna encontra-se na própria carcaça do farol.

Nas laterais, uma linha característica acentuada divide os espaços. Atrás, ela forma uma seção dos ombros impactante, e assinala na traseira um novo elemento de design da Volkswagen: a faixa de refletores estendida transversalmente na parte traseira e emoldurada por um painel preto.

Volkswagen_T-Cross__16_Serão oito as opções de cores para a carroceria: branco, preto, prata, cinza, vermelho, azul e as novas laranja e bronze – haverá também opção de teto na cor preta, para um visual ainda mais diferenciado e moderno.

O T-Cross também poderá ser equipado com teto solar panorâmico Sky View – dois painéis de vidro que abrangem mais da metade da área do teto do carro (a seção dianteira pode ser aberta eletricamente).

Interior – Um destaque no interior do T-Cross é a iluminação ambiente em LED. Há luzes na região dos pés, no centro do console, no painel e nas maçanetas.

Volkswagen_T-Cross__7_O SUV terá disponível o sistema de som Beats, de alta fidelidade sonora, com sete alto-falantes (incluindo um subwoofer no porta-malas) e potência é de 300W RMS.

O T-Cross inclui, opcionalmente, um sistema multimídia com tela sensível ao toque (touchscreen) de 8 polegadas e o quadro de instrumentos totalmente digital Active Info Display, de última geração. O mesmo que pode equipar Polo e Virtus, por exemplo.

O modelo poderá ser equipado com Seletor do perfil de Condução, para o motorista ajustar a experiência de direção entre os modos normal, ecológico, esportivo ou individual.

Volkswagen_T-Cross__12_Quatro entradas USB (duas na frente, duas atrás) garantem a conexão ideal e energia suficiente para os smartphones. Todas as versões são equipadas, de série, com o suporte para telefone celular localizado no centro do painel, que contará com tomada USB de carregamento rápido.

Assim como o Virtus, o Tiguan Allspace e o novo Jetta, o T-Cross também será o primeiro modelo em seu segmento no Brasil a oferecer o Manual Cognitivo – que usa IBM Watson para responder, ao motorista, questões sobre o veículo, incluindo informações contidas no manual do carro.

Volkswagen_T-Cross__8_Todas as versões serão equipadas de série com ESC – Controle Eletrônico de Estabilidade. O ESC inclui uma série de sistemas de assistência à condução. Entre eles estão:

HHC (Hill Hold Control) ou controle de assistência de partida em rampa – Em aclives acima de 5%, o sistema mantém o veículo freado por até 2 segundos, após o motorista aliviar o pedal do freio. Os freios são liberados progressivamente durante a aceleração, permitindo a partida do veículo com mais conforto e tranquilidade em rampas.

HBA (Hydraulic Brake Assist system) – reconhece a frenagem de emergência por meio da velocidade de acionamento e da pressão aplicada no pedal. Então aumenta ativamente a pressão de freio, que é modulada pela intervenção do ABS. Quando o motorista reduz a pressão no pedal de freio ou ocorrer redução da velocidade do veículo abaixo de um limite mínimo, ocorre o fim da assistência de frenagem.

EDS (Elektronische Differenzialsperre ou bloqueio eletrônico do diferencial) – Em trilhas, ou em situação de baixa tração em uma das rodas motrizes, o bloqueio eletrônico do diferencial aciona o freio da roda com menor tração, transferindo o torque para a roda com maior tração, proporcionando assim melhor eficiência à saída do veículo.

Esse sistema de “tração inteligente” funciona de forma automática, sem necessidade de o motorista acionar um botão no painel. Além disso, o sistema atua em curvas e em velocidade de até 80 km/h.

XDS+ (bloqueio eletrônico do diferencial), uma exclusividade no segmento. Função integrada ao controle eletrônico de estabilidade (ESC), o XDS+ melhora o comportamento dinâmico do carro. Esse sistema aumenta a agilidade e diminui a necessidade de movimentação do volante por meio de intervenções seletivas nos freios das rodas internas às curvas nos dois eixos e permitindo uma transferência do torque disponível do motor para as rodas externas.

Além disso, o XDS+ funciona com quaisquer condições de aderência do piso. Isso resulta em uma dirigibilidade mais precisa, com mais tração e agilidade nas curvas.

RKA+ (monitoramento da pressão dos pneus), sistema que monitora a pressão dos pneus e colabora para maior segurança. O recurso funciona por meio dos sensores que monitoram o modo de vibração e frequência dos pneus, detectando se houve perda de pressão em um ou mais pneus.

Entre os outros recursos de assistência à condução também estarão o sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão (aciona automaticamente os freios do veículo em caso de acidente) e o Detector de Fadiga (detecta a perda de concentração do motorista e o sistema recomenda uma pausa para descanso).

O detector de fadiga analisa a forma como o motorista dirige e compara com os 15 primeiros minutos de direção. Caso detecte desvio no comportamento ao volante, o equipamento emite um alerta, sugerindo uma parada para descansar e tomar um café.

Volkswagen_T-Cross__15_O T-Cross terá configuração dianteira independente tipo McPherson e interdependente na traseira, com eixo de torção.

Trará pneus “verdes”, de baixa resistência ao rolamento, que colaboram para a redução no consumo de combustível – sem deixar de lado a performance dinâmica (dirigibilidade e frenagens). Serão duas medidas disponíveis: 205/60 R16 e 205/55 R17.

O modelo terá freios a disco nas quatro rodas como item de série. Os discos terão 276 mm de diâmetro nas rodas dianteiras e 230 mm de diâmetro nas rodas traseiras.

Volkswagen_T-Cross__13_

Fotos: Volkswagen / Divulgação

*o jornalista viajou à convite da Volkswagen

**com informações da VW

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s