Volkswagen T-Cross é apresentado em Minas Gerais

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição:15/03/2019)

Modelo chega ao mercado para disputar fatia do segmento mais concorrido

bc46ccc1-c51e-4e7b-86e4-9e80c4d8a04fO T-Cross nacional foi projetado sobre a plataforma MQB, a mesma do Polo, Virtus, Jetta, Tiguan Allspace e outros modelos da Volkswagen e da Audi. Ele é ligeiramente maior que o modelo europeu, tendo 88 mm a mais no entre-eixos e sendo 11mm mais alto em relação ao solo, com as  rodas de 17 polegadas. Essas medidas se traduzem em mais espaço no banco traseiro e maior capacidade de transpor obstáculos.

Ele foi lançado em quatro versões: 200TSI com câmbio manual (R$84,99 mil), 200TSI Automático (R$94,49 mil), Comfortline 200TSI Automático (R$99,99 mil) e Highline 250TSI Automático (R$109,99 mil).

200TSI (manual) – O T-Cross 200TSI manual é equipado com ar-condicionado, direção elétrica e ajuste de altura e distância para o volante, volante multifuncional, travas e vidros elétricos, 6 airbags, controle eletrônico de estabilidade (ESC), freios a disco nas quatro rodas, bloqueio eletrônico do diferencial (XDS+), assistente para partida em rampas (Hill Hold), sensores traseiros de estacionamento, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis, faróis com função Coming & Leaving Home, faróis de neblina com função cornering, luzes de condução diurna em LED, lanternas traseiras em LED, banco dianteiro do passageiro com encosto rebatível, suporte para smartphone com entrada USB para carregamento, entre outros.

Como opcional, o pacote Interactive I (R$1,72 mil) inclui sistema de som Composition Touch com App-Connect, dois alto-falantes adicionais (além dos quatro de série), câmera de ré para auxílio em manobras e sensores dianteiros de estacionamento.

200TSI (automático) – Essa versão traz os mesmos itens da anterior acrescidos de: câmbio automático de 6 marchas, controle automático de velocidade, apoio de braço central com porta-objetos, volante multifuncional revestido em material que imita couro com shift paddles para trocas manuais de marcha, duas entradas USB para o banco traseiro, saída traseira de ar-condicionado, sistema de som Composition Touch com tela colorida sensível ao toque de 6,5 polegadas e App-Connect.

Seu único pacote opcional é o Interactive II (R$1,59 mil) que inclui câmera de ré, sensores dianteiros de estacionamento e espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico.

cf232713-e0bc-4c7a-ac64-3cb0435fa190Comfortline 200TSI (automático) – O T-Coss Comfortline 200TSI, com câmbio automático, vem equipado com ar-condicionado digital, banco do motorista com ajuste lombar, câmera de ré para auxílio no estacionamento, indicador de pressão dos pneus, manopla da alavanca de câmbio revestida em material que imita couro, porta-luvas refrigerado, sistema save de variação do espaço do porta-malas, rodas de liga leve de 17 polegadas com pneus 205/55 R17, sensores dianteiros de estacionamento e sistema de frenagem automática pós-colisão.

Esteticamente, ele se diferencia por detalhes cromados na grade dianteira (que é pintada em preto brilhante), colunas centrais pintadas na cor preto brilhante e para-choque traseiro com apliques cromados na região inferior. O revestimento interno é na cor azul escuro e há insertos decorativos no painel.

Para essa versão, existem quatro pacotes opcionais. O Exclusive & Interactive (R$3,95 mil) inclui sistema multimídia Discover Media com navegador via satélite, tela de 8 polegadas, comando por voz e entrada USB no console central; iluminação ambiente em LED; seletor do modo de condução; sistema Kessy de abertura das portas sem chave e partida do motor por botão; espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico e tapetes adicionais de carpete.

O pacote Sky View II (R$4,80 mil) traz o teto solar panorâmico, espelho retrovisor interno eletrocrômico e sensores de chuva e crepuscular. O pacote Design View (R$1,95 mil) agrega bancos em material que imita couro com detalhes na cor Marrakesh Brown e apliques decorativos no painel com detalhes na cor bronze.

O quarto pacote, Premium (R$6,05 mil), traz o sistema de assistência de estacionamento Park Assist, faróis full-LED com luz de condução diurna em LED e sistema de som da marca Beats com subwoofer.

c0ede57b-867e-4c03-8859-baa3fc357025_mediumHighline 250TSI (automático) – Essa é a única versão do T-Cross com o motor 1.4 turbo já que, as demais, utilizam o 1.0 turbo.

Ela agrega os seguintes itens: bancos revestidos em material que imita couro, espelho retrovisor interno eletrocrômico, espelhos retrovisores externos com rebatimento automático, iluminação ambiente em LED, detector de fadiga, sistema Kessy, sistema start&stop e sensores de chuva e crepuscular.

Ela se diferencia visualmente pelo rack de teto na cor prata, moldura cromada para os faróis de neblina e para a grade dianteira e frisos laterais na região inferior dos vidros.

No interior, iluminação ambiente em LED, manopla da alavanca de freio de estacionamento revestida em material que imita couro e cobertura dos pedais em alumínio.

tcross-2Há três pacotes opcionais para essa versão: o Innovation (R$4 mil) traz o painel totalmente digital (Active Info Display); sistema de som Discover Media com navegador via satélite, tela colorida de 8 polegadas, comando por voz e entrada USB no console central e o seletor de modo de condução.

O opcional Sky View (R$4,80 mil) inclui o teto solar panorâmico. E o pacote Tech&Beats (R$6,05 mil) engloba o sistema Park Assist; faróis full-LED com luz de condução diurna em LED e o sistema de som Beats com subwoofer.

Motor 1.4 turbo é o destaque da versão topo de linha Highline

Os motores são turbo alimentados, tem injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas tracionado por correia dentada com variação da abertura, tanto na admissão como na exaustão.

O motor 200TSI é 1.0 turbo flex que rende 128/116 cv às 5.500 rpm com etanol e gasolina, respectivamente, e tem torque de 200 NM (20,4 kgfm) às 2.000 rpm com os dois combustíveis.

O motor 250TSI é 1.4 turbo flex que rende 150 cv às 4.500 rpm e tem torque de 250 NM (25,5 kgfm) às 1.500 rpm, números iguais com os dois combustíveis.

Ambos os câmbios tem 6 marchas. O manual tem embreagem monodisco a seco e o automático tem conversor de torque tradicional, com opção de trocas sequenciais na alavanca ou nas aletas atrás do volante.

2edfcb2f-61ac-4643-a516-8953c9254a94_mediumTest-Drive – Apesar de curto, o circuito do teste-drive foi variado, descendo e subindo serras em estradas estreitas e sinuosas e também em estradas planas, largas e com velocidades de até 110 km/h. Percorremos as estradas entre as serras do Rola Moça e da Moeda (RMBH).

Andamos na versão Highline 250 TSI. Assim como outros modelos da marca que usam essa mesa plataforma, o T-Cross se destacou pela dirigibilidade. A direção é leve e, ao mesmo tempo, precisa. Qualidades que nem sempre andam juntas.

O isolamento acústico é muito bom, quase não se ouve o motor, pneus e o vento passando pela carroceria. Por falar em motor, este 1.4 turbo sobra para o modelo compacto. Acelera com bastante desenvoltura.

Segundo a montadora, de 0 a 100 km/h ele cumpre em 8,7 segundos e, entre 80 e 120km/h, ele retoma em 6,1s. Também divulgaram a eficiência em frenagem. Entre 100 e 0 km/h, ele desacelera em 37,8 metros.

Por ter um centro de gravidade mais alto, desvantagem de todos os SUVs, as suspensões são mais rígidas, mas não são desconfortáveis, ao menos sobre o asfalto. Não andamos na terra, pois não estava programado um trecho fora de estrada no percurso.

0c04df19-6ca0-4fad-a797-263fff25a83b_mediumPelas características do T-Cross, inclusive como ele é apresentado em fotos e vídeos pela Volkswagen, sua pegada deve ser mesmo urbana. Quando recebermos uma unidade para avaliação, reportaremos as impressões no uso off-road.

Dos cinco utilitários que Volkswagen prometeu lançar até 2020, o T-Cross é o segundo e o mais importante. Ele terá a árdua missão de competir entre os modelos compactos, fatia mais disputada do mercado brasileiro de automóveis.

Segundo dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entre os 50 carros mais emplacados este ano figuram 12 SUVs compactos e apenas um médio-compacto.

Os números dos principais compactos são os seguintes: Jeep Renegade (9.488), Honda HRV (7.923), Nissan Kicks (7.621) e Hyundai Creta (7.222). Pela pequena diferença de unidades emplacadas de cada modelo, e o número de concorrentes querendo abocanhar este bolo, tem-se a exata noção da responsabilidade depositada sobre o caçula da marca de origem alemã.

860ae36b-68e3-4a09-8b45-4f0f2c6a1b18_mediumFotos: Pedro Danthas / Volkswagen / Divulgação

*Colaborador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s