Bons ventos sopram sobre Minas

Rogério Machado*

Fiat anuncia investimentos de R$ 8,5 bilhões e novos motores turbo

Apostando em Minas.Foto: Leo Lara / FCA / Divulgação

É inegável que a unidade da Fiat, em Betim (MG), tenha desempenhado, na última década, um papel fundamental nos caminhos da Fiat, suportando sua transição para a gigante FCA (Fiat Chrysler Automobiles).

O volume de produção e vendas de Betim, somado à diversidade de modelos em uma só planta, resultou em números dignos de cases na área de administração automotiva. Tudo isso aconteceu contemporaneamente à gradativa transição entre a fábrica tradicional, extremamente dependente da intervenção humana direta, até a fábrica atual, altamente elaborada e que usa inteligência artificial em seus processos.

O papel da planta de Betim foi reconhecido, ontem, com a confirmação de investimentos da ordem de R$ 8,5 bilhões que deverão se consolidar até 2024.

A unidade da FCA na China também estava entre os potenciais destinos do investimento porém, o governo de Minas, entendendo a importância desta captação para a economia local, mostrou-se mais atrativo para a empresa italiana.

O anúncio foi feito em uma cerimônia ontem, em Betim, da qual participaram o presidente da FCA John Elkann, neto de Giovanni Agnelli, o CEO (Chief Executive Officer) Michael Manley e o COO (Chief Operative Officer) Antonio Filosa, responsável pela operação na América Latina.

Representando Minas Gerais, o governador Romeu Zema observou que, na história da indústria mineira, este investimento se compara somente a própria implantação da Fiat, quarenta anos atrás. Zema aproveitou o evento para anunciar a isenção de IPVA para veículos movidos a Gás Veicular no Estado.

O 3 cilindro turbo.Motor turbo 1.0 de 3 cilindros

Motores mais leves e com novas tecnologias

Parte do investimento, R$ 500 milhões, será aplicada na montagem de uma nova linha no setor de Mecânica destinada a produzir motores turboalimentados de 1.0 litro e três cilindros e 1.3 litros e quatro cilindros, denominados, respectivamente, T3 e T4.

A potência gerada por cada um deles não foi informada no evento. Porém, segundo a FCA norte-americana, o 1.0 rende 120 cv e, o 1.3, 180 cv. É importante lembrar que, com a utilização da nossa gasolina (de qualidade inferior), esses números de desempenho podem ser alterados.

Estes motores são a última geração da linha GSE (Global Small Engine) que recebe o nome comercial de FireFly. São motores preparados para normas de emissões mais severas com um menor consumo e um desempenho que chega a ser 50% superior ao aspirado, tudo com muito gerenciamento eletrônico.

O coletor de descarga faz parte do cabeçote reduzindo o tempo de warm up e as emissões de HC. Paralelamente, um intercooler incorporado ao coletor de admissão diminui as emissões de NOx.

Estes novos cabeçotes recebem quatro válvulas por cilindro operadas por dois comandos com a admissão administrada pelo sistema MultiAir que, além de customizar a abertura de válvula em função da rotação, permite também uma ligeira alteração da taxa de compressão.

A injeção direta utiliza pressão de 200 bar e o arrefecimento do cabeçote e do bloco é feito por circuitos independentes. A bomba de óleo produz um fluxo variável, maior com o motor frio, e se ajusta em função da demanda, também em nome das emissões.

Os motores T4 de 1.3 litros deverão pesar cerca de 110 Kg, reduzindo o peso total dos veículos sobre os quais serão aplicados. Estes motores têm previsão de exportação para diversos mercados e o CEO Michael Manley evidenciou seu caráter revolucionário.

Segundo Filosa, a nova linha de produção devera demandar cerca de 300 postos de trabalho diretos e mais 900 indiretos.

O 4 cilindro turbo. Muita potencia com peso reduzido. (2)Motor turbo 1.3 de 4 cilindros

Engenharia de Betim inovando, etanol turbo

Aproveitando a característica antidetonante do etanol, a engenharia de motores esta trabalhando em um motor próprio para o álcool com injeção direta. Desta forma, com o setup de compressão dedicado a um combustível, será possível obter maior desempenho e menor consumo, aumentando sua competitividade.

Este motor recebe o código de T4 e comprova o expertise da equipe de Betim.

Novas famílias de veículos e participação nas universidades

O restante do aporte da FCA será destinado ao lançamento de 15 novos modelos ainda não anunciados. Sabe-se que os planos incluem o esperado SUV da picape Toro e, provavelmente, uma picape de maior porte. Esta sequência de produtos novos deverá se consolidar até 2024.

O Governo de Minas assinou acordo com a Fiat para a área de educação que inclui a participação da empresa em ações com a PUC (Pontifícia Universidade Católica) e UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) para o desenvolvimento de competências que atendam as novas demandas tecnológicas, incluindo a indústria automotiva e seus fornecedores.

Razões para acreditar

Michael Manley disse que as expectativas com relação ao País são positivas e que, a introdução das reformas previstas na esfera Federal, deverão consolidar um cenário econômico estável, razão pela qual o grupo decidiu fazer estes investimentos.

A turbina de pequeno diametro para respostas mais rapidas.A turbina de pequeno diâmetro para respostas mais rápidas

Fotos: FCA (Fiat Chrysler Automóveis) / Divulgação

*o colaborador esteve no evento a convite da FCA (Fiat Chrysler Automóveis)

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s