Suzuki V-Strom 650 XT ABS mostra o quanto é versátil

Jota*

DL650A_XAL7_Action_17No ano passado, chegou ao Brasil mais uma geração da Suzuki V-Strom 650. Ela oferece duas versões: ABS e XT ABS. Os modelos vendidos nesse mês de junho já são da linha 2020.

As duas versões são comercializadas com as opções das cores branca ou amarela. A XT tem a opção exclusiva pela cor vermelha enquanto, a ABS, pode ser encontrada, também de forma exclusiva, na cor preta. O preço promocional, à vista, é de R$ 39,89 mil para a versão XT e R$ 38,89 mil para a versão com roda de liga-leve, a ABS. Esses preços não têm o frete incluso.

A diferença entre ambas se dá pelo caráter mais aventureiro da XT, pelas suas belíssimas rodas raiadas da marca DID (japonesas) feitas para uso com pneus sem câmara, pelos protetores de punhos, de cárter e grafismos, o que a deixa cerca de R$ 1 mil mais cara.

Novidades – Essa nova geração apresenta muitas novidades, mas acerta ao manter a mesma estrutura que fez da V-Strom 650 um sucesso de mercado em diferentes países. O quadro perimetral em alumínio e o motor em V a 90º, alma da moto e que trazem grande confiabilidade ao produto, permanecem.

DL650XAL9_action_2O tanque de 20 litros, aliado ao consumo na faixa de 22 km/l aos 120km/h, oferece grande autonomia ao modelo.

As novidades são várias.  A primeira delas é o controle de tração em dois níveis. Muito bem-vindo, pois permite ao piloto escolher um modo menos intrusivo para uso normal e um modo mais presente, para uso em chuva ou ambientes escorregadios, além de poder ser desligado pelo condutor.

Outra novidade é o assistente de partida. Você apenas toca o botão de partida e o acionamento do motor de arranque pelo tempo necessário é feito de modo automático.

Mais funcional é o low rpm assist, que eleva a rotação do motor automaticamente, sendo possível colocar a moto em movimento sem o uso do acelerador, manter uma velocidade baixíssima constante ou mesmo evitar que o motor morra em manobras bastante lentas.

Novo, também, é o painel herdado da irmã maior, a V-Strom 1000, com indicador de rotação analógico e várias seções digitais, bem organizadas e de fácil leitura.

DL650XAL7_Cockpit_2Ele é completo e inclui, no computador de bordo, consumo médio e instantâneo, voltagem no sistema elétrico, temperatura externa, relógio, indicador de marcha e range de consumo, entre outros.

A inclusão de uma tomada 12v em padrão universal faz parte do painel. O escapamento é mais leve e baixo, auxiliando no rebaixamento do centro de gravidade.

O acabamento é correto. Não se observam falhas graves, mas também não se vêem exemplos de requinte comumente encontrados em motocicletas Triumph, Ducati e BMW.

Um detalhe que deixa a desejar é a pedaleira para o garupa, própria de um segmento inferior. A iluminação é convencional para setas e faróis, que nessa geração são montados verticalmente. Apenas a lanterna traseira e a luz de freio são em LED.

Suspensão – A suspensão dianteira, apesar de convencional, aliada à roda de 19 polegadas, atende de forma invejável ao compromisso entre conforto e estabilidade. Uma nota negativa é a perda da regulagem de pré-carga, presente na geração anterior.

DL650A_XAL7_Action_9A suspensão traseira mantém-se a mesma, com regulagem de retorno do amortecedor e pré-carga da mola pelo prático dispositivo que dispensa o uso de ferramentas. O ABS está bem calibrado e tem respostas rápidas, o que significa que ele para de atuar imediatamente após o momento em que foi necessária sua intervenção.

Um item a ser melhorado é a bolha que, apesar de eficiente para tirar o vento do peito, poderia vir com o prático ajuste manual de altura e inclinação sem uso de ferramenta, presente em sua irmã maior.

Na 650, ajuste apenas em altura, em 3 níveis, mas dependente de uso de uma chave allen para remover e recolocar os 4 parafusos de fixação da bolha.

A ergonomia é correta e o piloto dirige em uma posição confortável, com os joelhos não muito dobrados. O guidão se encontra a uma distância e altura confortáveis, com toda a sensação de vestir a moto.

DL650A_XAL7_Action_14Infelizmente, o banco, apesar de bastante largo, peca na densidade da espuma. Poderia ser mais macio, uma vez que é uma motocicleta que se pretende estradeira e tem muitas qualidades para isso.

Os freios não decepcionam, mas também não constituem um destaque, podendo ser classificados como corretos. Para que estivessem ao nível das demais prestações da moto, deveriam vir com malha de aço (aeroquip).

Por outro lado, a estabilidade da motocicleta em curvas ou em alta velocidade é exemplar. Seu comportamento é sempre previsível e o quadro de dupla trave superior de alumínio fundido, aliado à balança também de alumínio, garantem uma estabilidade impecável à motocicleta, tornando-a acessível mesmo aos principiantes.

DL650XAL7_YU1_Rear

O motor é correto, e ganhou um ligeiro incremento de potência e torque, chegando aos 71hp a 8800rpm e 6,32kgfm a 6500rpm. Está longe de ser empolgante como uma Tiger 800, mas é suficiente para transportar com desenvoltura e segurança piloto, passageiro e bagagens.

Com um peso em ordem de marcha de 216 kg na versão XT (3 kg a mais que na versão ABS), a V-Strom 650 se mostra uma das motocicletas mais versáteis do mercado, sendo plenamente habilitada a enfrentar longas viagens com conforto e segurança. Na cidade, trafega com relativa facilidade e, ainda, é capaz de rodar em estradas de terra, obviamente sem a pretensão off-road de uma Honda Africa Twin.

*Colaborador

suzuki-v-strom-650-graphics-set-yellow

Suzuki V-Strom 650 ABSDL650XAL9_YU1_D

Suzuki V-Strom 650 XT ABS

Fotos: Suzuki / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

9 comentários em “Suzuki V-Strom 650 XT ABS mostra o quanto é versátil”

  1. Boa matéria. Avaliação completa, justa e realista.
    Quem já teve V-Strom sabe o quanto o equipamento é confiável. O “calcanhar de aquiles” da Suzuki, no Brasil, é a rede de concessionárias, muito restrita e pouco estruturada.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Muito obrigado pelo prestígio de sua leitura, Luiz Eduardo. Continue nos acompanhando pois, além de outros assuntos, continuaremos a trazer avaliações com motocicletas feitas pelo nosso novo colaborador, o Jota.

      Curtir

  2. Parabéns pelo texto , fiz uma escolha certa hoje sou proprietario de uma v strom 650 xt 2020, fiz teste na tiger 800 e BMW, melhor custo beneficio foi a V strom

    Curtir

  3. Tive a V-Strom 650 e atualmente uma V-Strom 1000 2016, acho que é um excelente custo-benefício.
    Iria comprar uma BMW GS 800, fiz um comparativo e optei pela V-Strom.

    Curtir

  4. Tive a V-Strom 650 e atualmente uma V-Strom 1000 2016, acho que é um excelente custo-benefício.
    Iria comprar uma BMW GS 800, fiz um comparativo e optei pela V-Strom.
    Itambacuri-MG

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s