Toyota Corolla 2020 é o primeiro híbrido flex do mundo

Amintas Vidal*

do Guarujá (SP)

Nova geração do sedan-médio também ganhou assistentes de condução inéditos

0001As montadoras japonesas, em especial a Toyota e sua arquirrival, a Honda, construíram um patrimônio no Brasil que as diferenciam das demais.  Primeiramente como importadoras e, em seguida, como produtoras locais, elas entregaram tanta qualidade no produto e no processo de venda e pós-venda que se tornaram sinônimo de bom negócio, um conceito que gerou fidelidade nos clientes e atraiu compradores de outras marcas.

Confiante neste diferencial, a Toyota projetou conquistar 10% do mercado nacional em 10 anos, a partir de 1998, quando começou fabricar o Corolla de 8ª geração no Brasil. Mesmo liderando o mercado de sedans-médios em boa parte desses 21 anos, ela não atingiu este patamar, mas esteve sempre próxima.

Diversas novas montadoras chegaram para disputar o nosso mercado e todas elas, mesmo as quatro pioneiras, General Motors, Volkswagen, Fiat e Ford, passaram a comer uma fatia menor deste bolo.

Em 2018 as vendas da Toyota representaram 8,10% do mercado, considerando os números de automóveis e comerciais leves somados, o que lhe rendeu a 7ª colocação no ranking nacional.

Este ano, no fechamento de agosto, os seus emplacamentos correspondem a 8,21%, tomando da Hyundai a 6ª posição, segundo dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

IMG_3540Todas as cinco montadoras que estão à frente da Toyota fazem volume em vendas com modelos compactos, normalmente, em suas versões de entrada. No caso da japonesa, seu carro chefe é o Corolla.

Além de ser um sedan-médio, sua versão mais vendida é a XEi, intermediária que, na gama 2019, tinha preço sugerido de R$ 105,99 mil. Outro dado que surpreende é que, neste ano, mesmo com toda a expectativa de lançamento de uma nova geração na linha 2020, foram vendidas 36.640 unidades do modelo até o fechamento de agosto, apenas 1.515 unidades a menos que o registrado neste mesmo período em 2018.

Mas o Corolla é um sucesso mundial. Ofertado em mais de 150 países, é o carro mais vendido da história. Segundo a Toyota, ele já bateu a barreira dos 45 milhões, mas a montadora considera todas as variantes produzidas sobre a sua plataforma, mesmo as que receberam outros nomes.

Controvérsia à parte, ano após ano, o Corolla tem sido o carro mais vendido no mundo. No Brasil, já foram produzidas mais de 1 milhão de unidades.

Visando continuar o sucesso do seu sedan-médio, a Toyota lançou o Corolla 2020 nessa semana, ou seja, a 12ª geração do modelo que existe desde 1966. Para tal, a Toyota do Brasil investiu R$ 1 bilhão em sua unidade fabril de Indaiatuba e R$ 600 milhões na unidade de motores de Porto Feliz, ambas localizadas no Estado de São Paulo.

0011Nascido como sedan de motor dianteiro, tração e suspensão traseira com feixe de molas, o modelo passou por diversas mudanças mecânicas, ampliações em suas medidas e deu origem a outras carrocerias como coupè, hatch, perua e até van.

As suspensões só receberam molas helicoidais na 4ª geração, em 1979. Apenas em 1983 ele passou a ter tração dianteira, na 5ª geração, mas apenas no sedan e na perua, pois no coupè ela continuou traseira.

A 6ª geração, de 1987, trouxe muitas novidades, como uma versão diesel 4×4 e um motor 1.6 turbo. A 7ª geração, lançada em 1991, foi o cartão de visita do modelo no Brasil, sucesso da marca em sua fase como importadora.

A 8ª geração estreou a produção nacional em 1998 na unidade de Indaiatuba, interior do Estado de São Paulo. A 9ª geração foi marcada pelo comercial estrelado pelo ator americano Brad Pitt.

Suas vendas no País aumentaram 130% em apenas um ano, entre 2002 e 2003. A 10ª geração, de 2006, ainda mantinha um câmbio automático de apenas quatro marchas, mas continuou a vender muito bem.

IMG_2781A 11ª geração, vendida do modelo 2013 até o modelo 2019, foi a mais bem sucedida em nosso mercado. Ela finalmente recebeu o câmbio CVT com simulação de 7 marchas, mas continuou sem os controles de tração e estabilidade, o que ocorreu apenas em uma reestilização, em 2017.

A nova geração do Corolla chega ao mercado brasileiro disponível em três versões diferentes, duas motorizações e o câmbio CVT, agora com 10 marchas simuladas. O Corolla com motor 2.0 Dynamic Force está disponível nas versões GLi, XEi e Altis, enquanto a versão com sistema híbrido está disponível apenas para a Altis.

Híbrido – A grande novidade do novo Corolla é este sistema que combina três motores, dois elétricos e um a combustão, 1.8 com tecnologia flex, o primeiro híbrido produzido em nosso País e o primeiro no mundo a aceitar gasolina e etanol no tanque.

Montado sobre a mesma plataforma GA-C do Prius, o modelo híbrido mais vendido da história, o Corolla 2020 possui centro de gravidade 10 mm mais baixo e tem seu chassi 60% mais rígido, comparando à geração anterior.

Outra inovação, trazida por essa nova geração, é o Toyota Safety Sense, um pacote de equipamentos para o auxílio à condução que inclui os sistemas de alerta de mudança de faixa (Lane Departure Alert – LDA), o controle de velocidade de cruzeiro adaptativo (ACC), o farol alto automático (Auto High Beam – AHB) e o assistente de pré-colisão (Pre-Crash System – PCS) com alerta sonoro e visual e, se necessário, frenagem automática.

IMG_2649Medidas – Com relação às dimensões gerais, o modelo possui 4,63 metros de comprimento (+10 mm em relação à geração anterior), 1,78 metro de largura (+5 mm) e 1,45 metro de altura (-20 mm), enquanto a distância entre eixos se manteve a mesma (2,70 metros), assim como o volume do porta-malas (470 litros).

Já o tanque de combustível comporta 50 litros nas versões a combustão e 43 litros na versão híbrida.

Design – O Corolla 2020 é totalmente novo, externamente e no interior. Assim como o Prius, a base desta nova geração, ele ganhou linhas mais dinâmicas e modernas. Capô, teto e porta-malas formam ângulos menos pronunciados entre eles, a receita tradicional dos modelos com alto coeficiente de penetração aerodinâmica.

A grade frontal foi ampliada no estilo “bocão” e os faróis foram afunilados, uma tendência dos carros modernos. A linha de cintura está mais alta nas laterais e descreve um ângulo mais acentuado.

A traseira está igualmente mais elevada, integrada à linha ascendente das laterais, finalizando o desenho em cunha da carroceria.

IMG_3500Todo este conjunto tornou o Corolla menos robusto, é verdade, mas conferiu um ar mais jovial ao modelo que sempre foi taxado de conservador, “carro de tio”.

Os novos faróis contam com regulagem de altura e sistema automático de iluminação. Eles são de halogênio nas versões GLi e XEi e têm assinatura luminosa em formato de três “J”.

Para a versão Altis, os faróis Bi-LED possuem desenho em formato de dois “J” com luzes de condução diurna (DRL) que acompanha o mesmo design. A versão híbrida ainda possui acabamento na cor azul.

As lanternas na versão Altis (Híbrido e 2.0 Dynamic Force) possuem todas as luzes em LED. Nas versões GLi e XEi as luzes de freio, de ré e de neblina são em LED e, as dos faroletes, em halogênio.

Todas as versões do Novo Corolla possuem rodas de liga leve, sendo que na GLi é de 16 polegadas com acabamento na cor prata e com pneus 205/55 R16, enquanto a XEi e Altis híbrida são de 17 polegadas com acabamento na cor prata.

IMG_3505A versão Altis 2.0 Dynamic Force conta com acabamento na cor preto brilhante com pneus 225/45 R17 (opcional para a versão Altis híbrida no pacote Premium).

Outra novidade é o teto solar elétrico com função antiesmagamento, mas ele é pequeno. Vem de série na versão Altis 2.0 Dynamic Force ou como opcional no pacote Premium para a versão Altis Híbrido.

Interior – O interior do Corolla 2020 também é novo. O painel ganhou um design mais horizontal, simétrico e contínuo com as portas. A central multimídia ficou destacada em sua parte superior, com as saídas de ar ao centro e os controles do ar-condicionado abaixo, um lay-out bem mais limpo e organizado.

O painel de instrumentos nas versões com motor 2.0 Dynamic Force conta com três mostradores analógicos e uma tela de TFT de 4,2 polegadas colorida. Já a versão híbrida possui uma tela TFT de 7 polegadas digital e colorida, ao centro, exibindo o velocímetro e informações do computador de bordo.

O volante de três raios com controles de áudio e computador de bordo tem acabamento em material que imita couro e possui aletas (paddle shift) para a troca das marchas nas versões XEi e Altis com motor 2.0.

IMG_3782

IMG_3783(1)Os materiais do acabamento interno são macios ao toque e as peças são muito bem encaixadas, sem rebarbas ou parafusos aparentes. A versão GLi conta com partes revestidas de tecido e em material sintético que imita couro, ambos na cor preta.

Já as versões XEi e Altis híbrida contam, exclusivamente, com partes revestidas neste mesmo material na cor preta. As versões Altis 2.0 Dynamic Force e Altis Híbrido com pacote Premium contam com partes revestidas em material sintético que imita o couro nas cores bege e marrom. Os ocupantes do banco traseiro contam com apoio de braços com porta-copos central em todas as versões.

IMG_3813

Sistema híbrido conta com um motor 1.8 de ciclo Atkinson e dois motores elétricos

Desde a versão de entrada GLi o modelo conta com ar-condicionado manual com filtro antipólen e ar quente, banco do motorista com regulagem manual para seis ajustes, banco do passageiro dianteiro com regulagem manual para quatro ajustes, direção eletroassistida progressiva (EPS), vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico por um toque e função antiesmagamento e sistema de áudio central multimídia Toyota Play com tela sensível ao toque de 8 polegadas, rádio AM/FM, função MP3, entrada USB, bluetooth, conexão para smartphones e tablets com Android Auto, Apple CarPlay e SDL.

Também contam com sete airbags, freios ABS com BAS e EBD, câmera de ré com linhas de distância com projeção na central multimídia, sistema Isofix para fixação de cadeirinhas infantis no banco traseiro com ancoragem de três pontos, controle de estabilidade (VSC), tração (TRC) e assistente de partida em rampa (HAC), dentre outros.

XEi – A versão XEi adiciona os seguintes itens: ar-condicionado automático, controle de velocidade de cruzeiro, modo de seleção de condução Sport, paddle shift, sistema de destravamento das portas por sensores na chave (Smart Entry), sistema de partida por botão (Start Button/Push Start), faróis de neblina dianteiros em LED e espelho retrovisor interno eletrocrômico.

Altis – Já a versão Altis 2.0 Dynamic Force adota faróis dianteiros em LED e o exclusivo pacote de segurança ativa Toyota Safety Sense. Além disso, tem como item de série o pacote Premium.

O pacote é composto por: ar-condicionado automático de duas zonas, banco do motorista com regulagem elétrica para 8 ajustes, espelhos retrovisores externos eletro-retráteis com regulagem elétrica e rebatimento automático ao fechar o veículo, teto solar elétrico, limpador do pára-brisa com sensor de chuva e faróis e lanternas traseiras em LED.

0012Na versão híbrida, o Altis conta com painel de instrumentos com tela TFT de 7 polegadas digital e colorida com computador de bordo e, como opcional, o pacote Premium descrito anteriormente ao preço de R$ 6 mil. Mas o Corolla híbrido não conta com o paddle shift no volante.

A suspensão traseira passou a ser independente com duplo braço triangular. A coluna A está mais fina e foi reposicionada, melhorando a visibilidade lateral frontal. Os espelhos retrovisores externos foram reposicionados, ampliando a visibilidade frontal diagonal superior. O painel central foi colocado em uma posição mais baixa, ampliando a visão para os ocupantes dos bancos dianteiros.

O novo motor a combustão 2.0L Dynamic Force Dual VVT-iE 16V DOHC de ciclo Atkinson Flex conta com comando de válvulas variável inteligente que, por meio de um motor elétrico, modifica os tempos de abertura das válvulas de admissão. Ele ainda vem com um novo sistema de injeção direta e indireta de combustível D-4S que adapta a injeção às condições de direção, oferecendo mais potência e menor consumo de combustível que o modelo anterior.

Ele rende 177 cv de potência a 6.600 rpm, quando abastecido com etanol, e 169 cv, a 6.600 giros, com gasolina. Com alta taxa de compressão (13:1) e curso longo, novos pistões de baixa fricção, ele é 15% mais potente e 9% mais eficiente. Seu torque máximo é 21,4 kgfm a 4.400 rpm, quando abastecido com etanol ou gasolina.

O sistema híbrido da Toyota, nesta nova geração do Corolla, combina um motor a gasolina de 1.8 VVT-i 16V de ciclo Atkinson flex, com 101 cv de potência a 5.200 giros quando abastecido com etanol, e 98 cv também a 5.200 rpm, quando abastecido com gasolina, e 14,5 kgfm de torque a 3.600 rpm (abastecido com etanol ou gasolina).

IMG_3834Esse motor funciona em conjunto com dois motores elétricos (MG1 e MG2) de 72 cv de potência e 16,6 kgfm de torque. A potência máxima combina é de 123 cv e o torque de todo o conjunto não foi divulgado pela montadora.

O modelo conta com bateria híbrida de níquel-hidreto metálico, responsável por alimentar os motores elétricos. Ela está localizada sob o banco traseiro, contribuindo para a redução do centro de gravidade.

Sua transmissão Hybrid Transaxle funciona através de planetária com engrenagem, praticamente eliminando perdas e atritos. Também possui sistema de freios regenerativos que acumula a energia cinética gerada pelas frenagens e a transforma em energia elétrica, alimentando a bateria híbrida.

Consumo – Segundo o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), o Corolla híbrido é capaz de rodar 14,5 km/l na estrada e 16,3 km/l na cidade quando abastecido com gasolina.

Com etanol, o modelo roda 9,9 km/l na estrada e 10,9 km/l na cidade. Mas a Toyota garante que os parâmetros do Instituto não refletem a realidade, e na cidade, ele ultrapassa os 20 km/l.

0016Importante destacar que, ao contrário do que ocorre com veículos com motor somente à combustão, o modelo é mais econômico no trânsito urbano porque é nessa condição que o motor elétrico é mais utilizado.

Assim como já ocorre com seus outros modelos híbridos à venda no Brasil, a versão híbrida do Novo Corolla também contará com garantia estendida de 8 anos para o sistema híbrido, que é composto por bateria híbrida, inversor/conversor, módulo de controle da bateria híbrida e módulo de controle de energia.

0018Fotos: Malagrine / Toyota / Divulgação

*o colaborador viajou a convite da Toyota

Preço Público Sugerido:

Corolla GLi 2.0 Dynamic Force Flex – R$ 99,99 mil

Corolla XEi 2.0 Dynamic Force Flex – R$ 110,99 mil

Corolla Altis 2.0 Dynamic Force Flex – R$ 124,99 mil

Corolla Altis Híbrido Flex – R$ 124,99 mil

*Pacote opcional Premium para o Altis Híbrido Flex – R$ 6 mil

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s