Peugeot 2008, turbo, finalmente passa a contar com câmbio automático

Da Redação

ALTA-8302_0O Peugeot 2008 acaba de chegar às concessionárias da marca equipado com o motor turbo THP de 173 cv de potência e uma novidade: câmbio automático de 6 marchas. A versão, topo de linha, é a Griffe THP.

Para celebrar o início da comercialização, a fabricante informou que oferecerá o 2008 Griffe THP por um preço promocional de R$ 99,99 mil, com as três primeiras revisões gratuitas. A oferta vale a todos os clientes que adquirirem o modelo até o fim do ano.

O conjunto que desembarca como grande novidade é formado pelo motor 1.6 THP (Turbo High Pressure), flex, de 173 cv a 6.000 rpm (com etanol) e 24,5 kgfm de torque a 4.000 rpm,  associado ao câmbio automático de seis velocidades – produzido pela líder mundial em transmissões, a empresa japonesa AISIN.

ALTA-0257De acordo com a Peugeot, com esse powertrain o SUV faz de 0 a 100 km/h em 8,8 segundos. O motor 1.6 tem 16 válvulas, com duplo comando no cabeçote e injeção direta sequencial. O turbo compressor é do tipo Twin-scroll, com bomba eletrônica de alta pressão, bomba de óleo com gestão de vazão e cárter duplo.

Já a caixa de câmbio automática sequencial de 6 marchas (EAT6) traz quatro modos de condução (drive, eco, sport e sequencial), adaptando o veículo às mais diferentes necessidades do proprietário, seja para ter respostas mais esportivas do carro, como quando o modo de condução Sport é acionado, ou ainda, ao reduzir o consumo de combustível em situações de trânsito intenso em até 6,5%, no caso da ativação da função Eco.

O 2008 Griffe THP também vem equipado com o Grip Control, sistema antipatinagem que auxilia o motorista na direção ao otimizar a motricidade em diferentes e acidentados terrenos, como areia, lama ou neve. O Grip Control está disponível com cinco ajustes manuais (padrão, areia, neve, lama ou ESP OFF).

ALTA-0016A suspensão dianteira do utilitário esportivo mantém o conjunto Pseudo McPherson, independente, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos pressurizados à gás e barra estabilizadora. Já a traseira, é formada por travessa deformável, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos pressurizados à gás e barra estabilizadora.

O SUV continua contando com a ótima solução criada pela marca para o posicionamento do quadro de instrumentos. Denominado i-Cockpit, a solução deixa o motorista completamente integrado ao veículo e com acessos simples a todas as funcionalidades presentes no painel ou no volante do carro.

À frente, o volante de multifunções com dimensões reduzidas no estilo SportDrive, revestido em couro, dispõe de regulagem de profundidade e de altura, e assistência elétrica progressiva.

Ai94MV_INTERIOR_N3_GRIFFE_THP_BRA_AT

CAM05_CLUSTER_N3_THPO painel de instrumentos está posicionado acima do volante, dentro do campo de visão do motorista, o que permite uma completa visualização de toda a condição do veículo sem que seja necessário tirar os olhos da estrada.

No console central encontra-se a central multimídia da de 7 polegadas, que possui os sistemas Android Auto e Apple CarPlay e possibilita o espelhamento do celular.

O porta-malas tem capacidade para 402 litros. Com a possibilidade de rebatimento dos bancos traseiros, o volume sobe para 1.172 litros (para isto basta pressionar o botão de comando localizado na parte superior do encosto traseiro e o assento é escamoteado automaticamente).

CAM06_SMAG_BRAEm se tratando de segurança para os ocupantes, o 2008 Griffe THP oferece 6 airbags (dois para colisões frontais, dois laterais e dois de cortina); piloto automático (regulador/limitador de velocidade); apoios de cabeça dianteiros e traseiros (disponíveis para todos os ocupantes) e freios a disco nas quatro rodas com ABS.

Versões:

Allure – R$ 69,99 mil

Allure Pack – R$ 79,99 mil

Griffe – R$ 89,99 mil

Griffe THP – R$ 99,99 mil

ALTA-0689_0Fotos: Pedro Bicudo / Peugeot / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Novo Porsche Cayenne Coupé chega ao Brasil

Da Redação

PBR19_0054_fineA Porsche Brasil apresentou, nessa semana, a nova versão da sua linha de utilitários esportivos: o Cayenne Coupé.

“Ao lado do Macan, o Cayenne é o grande líder de vendas da Porsche. A chegada do Coupé, novo membro da família de SUV’s, ajudará a empresa a conquistar ainda mais espaço no mercado brasileiro que já é fã dos nossos utilitários esportivos” afirmou Werner Schaal, diretor de vendas da Porsche Brasil.

As proporções mais dinâmicas combinam com elementos de design exclusivos que dão ao novo Cayenne Coupé um nível de elegância inigualável. “A linha de teto significativamente mais inclinada, que cai para a traseira, faz o Cayenne Coupé parecer ainda mais dinâmico e o posiciona como o modelo com aparência mais esportiva em todo o segmento”, disse Michael Mauer, vice-presidente de estilo da Porsche.

PBR19_0052_fineO efeito é reforçado por um defletor aerodinâmico no teto, que marca ainda mais a silhueta diferenciada do Coupé. O para-brisa dianteiro e a coluna A são mais baixos do que no Cayenne, graças ao rebaixamento da borda do teto em torno de 20 milímetros.

As portas traseiras e para-lamas redesenhados alargam os ombros do veículo em 19 mm, contribuindo para a impressão muscular do conjunto. A placa traseira é integrada ao para-choques, fazendo o veículo parecer mais próximo do chão.

Com seu defletor adaptativo, o atual Cayenne Turbo foi o primeiro SUV a trazer esse tipo de aerodinâmica ativa. O novo Cayenne Coupé aproveita essa iniciativa e dá continuidade a ela.

PBR19_0058_fine

PBR19_0064_fineEm todos os modelos Cayenne Coupé, o defletor de teto é combinado a um novo defletor traseiro adaptativo, como parte da Porsche Active Aerodynamics (PAA – aerodinâmica ativa). O defletor se estende 135 mm em velocidades acima de 90 km/h, aumentando a pressão de contato sobre o eixo traseiro.

O Cayenne Coupé oferece bom espaço a bordo para até quatro pessoas. Na frente, os novos assentos esportivos com oito regulagens com apoios de cabeça integrados oferecem conforto e apoio lateral.

Na traseira, o Coupé vem equipado com um banco com características típicas de bancos individuais. Como alternativa, bancos conforto tipo 2+1 pode ser especificado sem custo adicional.

PBR19_0061_fine

PBR19_0063_fineOs passageiros de trás sentam-se 30 milímetros mais baixo que no Cayenne, o que garante amplo espaço para a cabeça, apesar da silhueta esportiva rebaixada do veículo.

A capacidade do bagageiro e de 625 litros e pode ser elevada até 1.540 litros quando os assentos traseiros são rebatidos (no Cayenne Turbo Coupé, de 600 para 1.510 litros).

No lançamento ao mercado brasileiro serão disponibilizados duas versões: Cayenne Coupé e, o topo de linha, Cayenne Coupé Turbo S E-Hybrid.

PBR19_0060_fineO Cayenne Coupé com motor turbo 3.0, de seis cilindros, tem potência de 340 cv e desenvolve 450 Nm de torque. O pacote Sport Chrono que equipa os veículos de série permite realizar a arrancada de 0 a 100 km/h em 6,0 segundos, tempo que pode cair para 5,9 segundos com os pacotes esportivos de peso leve opcionais. A velocidade máxima do veículo é 243 km/h, informou a Porsche.

O topo de linha Cayenne Turbo S E-Hybrid Coupé obtém sua potência de 680 cv da interação entre um motor 4.0 V8 (550 cv) e um motor elétrico (136 cv) integrado à transmissão Tiptronic S de oito velocidades. O torque máximo do sistema é de 900 Nm, disponibilizado logo acima da marcha lenta.

O modelo leva, de 0 até 100 km/h, 3,8 segundos e atinge uma velocidade máxima de 295 km/h, segundo a fabricante. O Cayenne Turbo S E-Hybrid Coupé pode rodar até 40 quilômetros sem nenhuma emissão local. O consumo, segundo o ciclo NEDC, é de 3,9 -3,7 l/100 km (combustível) e 19,6-18,7 kWh/100 km (eletricidade).

PBR19_0057_fineFotos: Porsche Brasil / Divulgação

Ambos modelos estão disponíveis para encomenda na rede de concessionárias Porsche. O Cayenne Coupé tem o preço público sugerido de R$ 459 mil e, o Cayenne Turbo S E-Hybrid, tem o preço de  R$ 956,50 mil.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

 

Honda lança linha 2020 da PCX 150

Da Redação

PCX 150 Sport e PCX 150 DLX_MOV_ (12)Apresentada aos brasileiros em meados de 2013, a scooter Honda PCX 150 imediatamente conquistou a liderança no segmento, segundo a fabricante, mas não só: de fato, foi através da PCX que as scooters se tornaram verdadeiramente populares em nosso País, trazendo novos usuários para o mundo das duas rodas e também conquistando fãs de outros segmentos.

Hoje, após seis anos de mercado e nada menos do que 165.876 unidades produzidas (até setembro de 2019), o panorama é claramente favorável ao segmento das scooters, um dos que mais cresce atualmente no Brasil.

Entre os donos de PCX há motociclistas de todos os tipos, desde iniciantes que entenderam ser este o vetor ideal para os “primeiros passos” ao guidão de um meio de duas rodas motorizado, como motociclistas experientes, fascinados pela praticidade e excelência do modelo em termos de performance global.

PCX 150 Sport e PCX 150 DLX_MOV_ (16)São quatro as versões 2020 da PCX: as mais requintadas, Sport ABS e DLX ABS, e a versão “porta de entrada”, a PCX 150 CBS. A ela se junta a PCX 150 ABS, que traz a opção da frenagem assistida eletronicamente na roda dianteira.

Um destaque que certamente não passou despercebido desde seu lançamento foi o motor monocilíndrico de nova geração e baixo índice de atrito, dotado do sistema eSP (enhanced Smart Power), exclusivo dispositivo que reduz a rotação do motor automaticamente quando em aceleração constante em terreno plano.

A parceria entre o sistema eSP e a transmissão CVT resultou, na prática, em funcionamento mais suave do motor, economia de combustível e maior durabilidade do conjunto mecânico.

Honda PCX 150 DLX_DET_ (12)Outro diferencial técnico dos PCX é o Idling Stop System, ou ISS. Tal dispositivo, acionado através de uma tecla no punho direito do guidão, promove o desligamento automático do motor em situações como paradas em semáforos. Basta acionar o acelerador para que a partida seja dada, automaticamente e de forma imediata.

O conjunto chassi e suspensões recebeu importantes mudanças nesta que é a 3ª geração do PCX. Para oferecer mais conforto ao condutor e passageiro, um novo par de amortecedores traseiros foi desenvolvido.

Além de um novo ajuste na parte hidráulica e carga das molas (reguláveis em três posições), os pontos de fixação superiores no novo chassi tubular de aço foram deslocados à frente, aperfeiçoamento que aumentou a suavidade do funcionamento da suspensão traseira sem prejudicar sua eficiência.

Honda PCX 150 DLX_DET_ (14)Importante evolução ocorreu no âmbito da frenagem: o sistema ABS (Antilock Brake System), que impede o travamento da roda dianteira em frenagens abruptas, agora equipa não apenas as versões “top” (DLX e Sport) como, também, uma versão de preço mais acessível. Todas as PCX dotadas de ABS contam com freio a disco na roda dianteira e traseira, ambas de 14 polegadas.

A mais acessível das versões da PCX preserva o sistema de freios CBS (Combined Brake System), com disco na dianteira e tambor na traseira, adequado para condutores novatos pela ação do freio em ambas rodas através de um único comando, a manete da esquerda.

Às qualidades técnicas das PCX é necessário acrescentar também os elementos de praticidade que conquistaram a admiração dos usuários, tais como o amplo compartimento sob o assento, o moderno painel de fácil visualização e a proteção oferecida pela carroceria, que inteligentemente envolve pés, pernas e parte do tórax do condutor, protegendo-o de chuva, poeira e desviando o vento de modo a garantir uma condução relaxada, confortável e segura.

Honda PCX 150 ABS Sport_DET_ (16)Um destaque técnico das PCX é o motor de 149,3 cm3, monocilíndrico SOHC (Single Over Head Camshaft), 4 tempos, com injeção eletrônica PGM-FI (Programmed Fuel Injection), arrefecido a líquido e com transmissão automática continuamente variável CVT. A potência máxima é de 13,2 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 1,38 kgfm a 5.000 rpm.

Uma característica do motor das PCX é o sistema de arrefecimento a líquido dotado de ventoinha de refrigeração para o radiador, o que permite fluxo de ar constante, que independe do movimento.

Seja no para e anda do trânsito pesado ou rodando em vias mais livres, este padrão de refrigeração constante oferece uma estabilidade térmica ideal, o que favorece a durabilidade e menor consumo de combustível e lubrificante.

Honda PCX 150 DLX_EST_ (4)Um diferencial técnico relevante da PCX é o gerador/motor de partida ACG tipo “brushless”, posicionado na ponta do virabrequim, e que atua como elemento fundamental no funcionamento do sistema ISS: além de alimentar a bateria durante o funcionamento do motor, se encarrega de posicionar o pistão para promover a rápida partida quando o Idling Start System estiver ativo.

Outra característica positiva ante às PCX pioneiras é o incremento na dimensão dos pneus, agora mais largos tanto na dianteira como na traseira, com medidas de 100/80-14 na dianteira e 120/70-14 na traseira. Tal melhoria foi complementada por rodas de oito raios, mais leves.

Fator positivo desta nova geração das PCX é a mola que mantém o assento em posição aberta enquanto objetos são acomodados no compartimento sob o banco, recordista em capacidade (28 litros) em sua categoria, segundo a Honda.

Honda PCX 150 ABS Sport_DET_ (5)O prático sistema de abertura do banco se dá através de tecla situada ao lado do botão de partida, tecla esta que também aciona a abertura da tampa que encobre o acesso ao reservatório de combustível (8 litros), entre as amplas plataformas para os pés do condutor.

No lado esquerdo do escudo frontal, um compartimento com portinhola dispõe de tomada de força de 12V e é capaz de abrigar um smartphone, uma pequena garrafa ou outros objetos de pequeno volume.

Nas versões Sport e DLX, o Smart Key System é equipamento padrão: trata-se de sensor presencial, cujo porte dá acesso automático ao destravamento do botão de partida e tecla de acesso ao compartimento sob banco e tanque de combustível.

Honda PCX 150 DLX_DET_ (24)A Honda PCX 150, 2020, chega às concessionárias de todo o Brasil até o fim de novembro desse ano.

Abaixo, as cores disponíveis para cada uma das quatro versões e seus preços sugeridos (base: estado de São Paulo):

PCX 150 CBS: R$ 11,99 mil, nas cores cinza metálico e azul escuro perolizado

PCX 150 ABS: R$ 13,19 mil, na cor cinza metálico

PCX 150 Sport ABS: R$ 13,59 mil, na cor prata metálico

PCX 150 DLX ABS: R$ 13,59 mil, na cor branco perolizado

Honda PCX 150 DLX_EST_ (3)Fotos: Honda / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Nissan intensifica contatos com clientes que ainda não atenderam aos seus recalls

Da Redação

A Nissan está começando uma campanha para intensificar os contatos com os clientes que ainda não atenderam a seus recalls no Brasil. Com isso, a empresa vai fazer ações ativas para conscientizar os proprietários de carros da marca sobre a importância da revisão e marcar suas visitas às concessionárias para realizarem os procedimentos necessários em seus veículos.

“Quando iniciamos um recall é porque identificamos que o carro realmente precisa passar por algum procedimento técnico. É uma ação que é regulamentada por uma legislação específica, mas sabemos que muitos motoristas brasileiros não atendem aos chamados. Por isso, decidimos ir além. Nós cuidamos dos nossos clientes e vamos tentar ir atrás deles para agendar o serviço gratuito”, explicou Rodolfo Possuelo, diretor da área de satisfação do cliente e desenvolvimento de rede.

O foco principal será nas convocações ligadas a sistemas de airbags e, para falar com os clientes, a empresa usará diferentes recursos. O Serviço de Atendimento ao Cliente da Nissan do Brasil, por exemplo, vai ligar ativamente para proprietários de veículos da marca que estejam inscritos em convocações, mas que ainda não atenderam ao chamado de comparecer às concessionárias.

Também serão feitos contatos por email, SMS e por mala direta mostrando ao cliente o chassi e a campanha em questão que ele ainda não realizou o reparo. A previsão é fazer mais de 100 mil contatos até o fim do ano.

Os clientes que não sabem se seu automóvel já foi convocado para um recall, também podem agir ativamente e pesquisar em uma página dentro da homepage oficial da Nissan do Brasil (https://www.nissan.com.br/servicos/recall-nissan.html). Nela, a busca é realizada pelo número do chassi do veículo.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Accord será o primeiro modelo híbrido da Honda no Brasil

Da Redação

unnamedFoto: Honda / Divulgação

A Honda anunciou, em Tóquio (Japão), que o sedan Accord será o primeiro modelo comercializado no Brasil com a tecnologia de propulsão híbrida e:HEV, exclusiva da marca.

O modelo é um dos três veículos híbridos que serão comercializados até 2023 no País, conforme compromisso firmado pela marca durante o Salão do Automóvel de 2018.

O anúncio é feito no mesmo momento em que a Honda apresenta globalmente a sua nova nomenclatura e:TECHNOLOGY para veículos eletrificados. O e:HEV é a nova identificação para veículos híbridos, substituindo o nome i-MMD.

O Accord foi escolhido para estrear a tecnologia e:HEV no Brasil pelo fato de ser o modelo mais tecnológico comercializado pela marca localmente e, também, por representar o topo do desenvolvimento de sedans da Honda, informou a fabricante.

 “Com o Accord híbrido, a Honda pretende proporcionar aos consumidores brasileiros um produto que combina baixo consumo e emissões de poluentes a um comportamento dinâmico superior”, explicou Issao Mizoguchi, presidente da Honda South America.

A tecnologia e:HEV traz diversos diferenciais. O sistema oferece performance aprimorada em diferentes cenários de condução, priorizando tanto a eficiência energética como a dinâmica divertida, em uma operação automática, onde o condutor não precisa selecionar entre os três modos de operação do conjunto motriz híbrido.

Além disso, a tecnologia e:HEV do Accord permite a otimização do espaço interno, já que os componentes do sistema foram alocados de forma inteligente, compacta e segura, não ocupando o porta-malas ou a área interna do habitáculo.

A tecnologia Honda e:HEV é composta de um motor 2.0 i-VTEC de quatro cilindros a gasolina, ciclo Atkinson, que funciona tanto para propulsão como para fornecimento de energia elétrica, e dois motores elétricos – um para propulsão e outro para geração, separados.

Pela configuração adotada para o sistema, não se faz necessário um conjunto de transmissão, sendo a conexão do motor a combustão com o eixo motriz controlada por um sistema de embreagem do tipo lock-up, com relação direta.

Com essa combinação, o Accord pode rodar em três modos de uso: EV Drive, Hybrid Drive e Engine Drive, selecionados automaticamente de forma a obter a melhor relação entre desempenho e eficiência energética.

O modo EV Drive permite o uso 100% elétrico e zero emissão de poluentes. Já no modo híbrido, o motor a gasolina fornece energia para o motor elétrico gerador, enquanto o excesso de energia produzido é convertido em carga para o sistema de baterias de íons de lítio.

No modo Engine Drive, o motor a combustão transmite diretamente para as rodas, permitindo a máxima eficiência de trabalho.

Na maioria das situações, o Honda Accord circulará nos modos Hybrid Drive e EV Drive, para alcançar a melhor eficiência possível. O modo Engine Drive é adotado apenas em situações de velocidades de cruzeiro, em condições de estrada.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Honda HR-V ajudou a alavancar o seu segmento no País

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 25/10/2019)

Avaliamos a versão ELX do modelo, equipada com motor 1.8 16V e câmbio CVT

DSCN6872Alguns modelos pavimentaram a moda dos veículos utilitários esportivos (SUVs) no Brasil. Os importados, a partir dos anos de 1990, o Ford Ecosport, primeiro SUV nacional, lançado em 2003, e o Renault Duster, apresentado em 2011.

A partir de 2015, Honda HR-V e Jeep Renegade começaram a transformar a categoria em uma verdadeira febre. O segmento deixou de ser apenas mais um e consolidou-se como o terceiro maior em nosso mercado, atrás dos hatches e muito próximo a superar os sedans.

Atualmente, entre os 50 automóveis mais vendidos no Brasil, existem 16 SUVs concorrendo contra 18 sedans, 14 hatchs e 2 monovolumes, números que mostram a grande expansão dos utilitários esportivos nos últimos quatro anos.

Considerando estes modelos, seus emplacamentos somados em 2019, até o fechamento de setembro, registram 679.848 hatches, 397.656 sedans, 356.068 SUVs e 39.977 monovolumes, segundo dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Dc Auto recebeu o Honda HR-V EXL para avaliação. No site da montadora ele tem o preço sugerido de R$ 111,90 mil. Este é o valor da versão na cor branca, única opção de pintura sólida. As cores metálicas, como a da unidade avaliada, e as especiais elevam seu preço em R$ 1,35 mil e R$ 1,50 mil, respectivamente.

DSCN6876Equipamentos – As versões do HR-V são vendidas em configuração única, com todos os equipamentos de série, e sem opcionais. Os principais itens da EXL são: ar-condicionado digital, direção com assistência elétrica, volante com comandos do áudio e do piloto automático, travas e vidros elétricos com função um toque e multimídia com tela de 7 polegadas e espelhamento por Android Auto e Apple CarPlay.

No quesito segurança, o modelo conta com seis airbags, controles de tração e estabilidade, freios ABS com EBD, assistente de partidas em rampas, sensor crepuscular, luz de rodagem diurna (DRL), fixação Isofix para cadeirinha infantil e alerta de frenagem emergencial.

Completam o pacote: freio de estacionamento eletrônico com bloqueio em paradas, alarme, computador de bordo, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e câmera de marcha à ré multivisão, rebatimento elétrico dos retrovisores, função de regulagem automática para execução de baliza, entre outros.

No interior, o revestimento dos bancos é feito com material sintético que imita couro, o console central traz acabamento na área superior em blackpiano e as maçanetas internas são cromadas.

DSCN6976

DSCN6973Motor e Câmbio – O motor desta versão é o 1.8 16V SOHC i-VTEC FlexOne. Ele é equipado com injeção multiponto indireta de combustível, comando de válvulas simples, tracionado por correia dentada com variação da abertura na admissão.

Ao contrário dos outros motores, sua potência é maior com gasolina. Ele rende 140 cv às 6.500 rpm e tem torque de 17,3 kgfm às 4.800 rpm, quando abastecido com gasolina. Rodando com etanol, sua potência é de 139 cv às 6.300 rpm e a força atinge 17,4 kgfm às 5.000 rpm.

Sua transmissão é automática do tipo CVT com simulação de sete velocidades, apresenta acoplamento por conversor de torque e permite comutação das marchas por meio das aletas posicionadas atrás do volante.

O HR-V passou por sua primeira reestilização há quase um ano. O para-choque dianteiro, a grade atualizada com o DNA da marca e os faróis foram as principais alterações no design. Novas rodas e lanternas escurecidas, iluminadas por LEDs, completam as poucas mudanças externas.

Interior – Por dentro, as novidades do HR-V também foram comedidas. Nova iluminação do painel de instrumentos, modificações na estrutura dos bancos dianteiros e alguns detalhes nos materiais de acabamento. Acertos técnicos também foram realizados. Vamos descrevê-los mais a frente.

DSCN6919

DSCN6946Referência no segmento, seu espaço interno continua ótimo para cabeça, ombros e, principalmente, pernas de quatro adultos. A ambientação assemelha-se mais a um carro do que a um SUV, pois os bancos não ficam tão altos, o console central é muito elevado e as janelas são estreitas.

O quinto passageiro fica incomodado com os ressaltos no encosto e assento do centro do banco traseiro, mas o túnel central é dos mais baixos e pouco atrapalha a acomodação dos seus pés.

Um recurso que amplia o aproveitamento interno, exclusivo da Honda, é o sistema de rebatimento do banco traseiro. Ele pode ter parte do encosto, ou sua totalidade, rebatido para frente, formando uma plataforma em toda a porção traseira do modelo.

Já os assentos, podem ser dobrados para cima, também integralmente ou parcialmente, abrindo um vão de porta a porta, do piso ao teto, ideal para cargas altas.

DSCN6997

DSCN6989Acabamento interno é ponto forte do utilitário esportivo compacto

O ponto forte do HR-V é o acabamento. O mesmo revestimento dos bancos está presente em parte das portas, painel e console central. Detalhes cromados e em preto brilhante conferem requinte ao carro.

Mesmo os plásticos rígidos têm um toque que lembra emborrachado, aparentando qualidade superior. Vale destacar que estes acabamentos são aplicados em todo o interior do modelo e, não somente, na parte da frente, como muitas montadoras têm feito.

A ergonomia é acertada. Volante e pedais estão alinhados. Todos os comandos estão ao alcance das mãos, sem exigir movimento do tronco para acioná-los. Apenas a central multimídia fica um pouco recuada e inclinada para trás. Dependendo da posição do sol, a tela recebe muita luz externa, o que dificulta sua visualização.

Tanto espelhando celulares, como por meio da conexão bluetooth, o sistema de entretenimento funcionou de forma estável em todos os seus recursos, mas, carece evoluir em sensibilidade ao toque, velocidade de processamento e definição de imagem.

O ar- condicionado digital funciona com eficiência, mesmo não tendo múltiplas zonas. Ele tem todos os comandos por toque em um painel bem organizado visualmente e muito tecnológico.

DSCN6928Contudo, ainda exige desvio da atenção do motorista para ser comandado. Botões físicos giratórios, pelo menos para as funções de temperatura e intensidade do fluxo de ar, ainda são os mais eficientes.

Rodando – A direção elétrica é leve, mas poderia ter maior assistência em manobras de estacionamento. Em estradas, ela se torna firme e segura, na medida certa.  A câmera de marcha à ré permite três ângulos de visão que ajudam em situações específicas, mas suas guias não esterçam com o movimento do volante, algo que auxiliaria a todo o momento.

Os acertos técnicos elevaram o conforto de marcha, o isolamento acústico e o desempenho dinâmico do HR-V. As suspensões dianteira e traseira foram recalibradas para filtrarem melhor as imperfeições dos pisos.

O uso do stop hidráulico também tornou este sistema mais silencioso, característica aprimorada pela aplicação de materiais isolantes em diversas partes internas da carroceria do modelo. O conjunto é muito apropriado ao uso em vias pavimentadas. Trilhas, ou mesmo estradas de terra, não são ambientes amigáveis ao HR-V. Assim como o Volkswagen T-Cross, um dos seus concorrentes, ele é um SUV urbano.

DSCN6863Outra grande mudança foi promovida no câmbio CVT. Sua programação foi alterada para o sistema funcionar de forma mais progressiva. Quando selecionado em drive (D), as trocas das marchas pré-programadas são imperceptíveis, pois a elevação da rotação do motor ocorre suavemente.

Colocando em Sport (S), as marchas são trocadas em rotações mais elevadas, aumentando o desempenho, mas, diminuindo um pouco o silêncio interno e a suavidade da operação. Também nessa posição S, e fazendo as trocas pelas aletas, o sistema fica totalmente manual e bem mais divertido.

O motorista assume o controle das trocas que ficam mais rápidas e precisas, e o câmbio trabalha quase como um manual, sem deixar a rotação do motor subir mais que a velocidade do carro, algo que acontece nas outras posições quando aceleramos mais forte. O conjunto confere boa dinâmica ao modelo, mas sem sobras. Mesmo no modo manual, o HR-V com motor aspirado é um SUV familiar e, não, um esportivo.

Consumo – Essas mudanças no câmbio também favoreceram o consumo. Em nosso teste padrão, realizamos duas voltas no percurso de 38,4 km, uma mantendo 90 km/h e outra os 110 km/h, sempre conduzindo economicamente. Somente o motorista, vidros fechados, ar-condicionado regulado na refrigeração intermediária e faróis acesos completam a padronização.

Na volta mais lenta, atingimos 16 km/l. Na mais rápida, 14,6 km/l, com 100% de gasolina no tanque. Na cidade, com o mesmo combustível, o consumo variou entre 6,5 e 8,5 km/l, dependendo da intensidade do tráfego. Se a Honda equipasse o modelo com o sistema start/stop, isso ajudaria a melhorar o consumo urbano.

O Honda HR-V é um ótimo SUV compacto para quem valoriza o seu design robusto, o amplo espaço interno, para passageiros e carga, e a qualidade elevada dos seus materiais de acabamento. Essa versão EXL, equipada exclusivamente com o motor aspirado, é mais indicada para quem curte uma condução mais suave. Para quem quer um utilitário, realmente esportivo, o HR-V Touring, com motor turbo, é a melhor opção.

*Colaborador

DSCN6866

DSCN6871Fotos: Amintas Vidal

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Jaguar lança linha 2020 do sedan XE no Brasil

Da Redação

jagxerdynamicsp300calderared100419101A Jaguar está trazendo para o Brasil a linha 2020 de seu sedan mais esportivo, o XE, com atualizações de design, tecnologia e acabamento. O modelo já está disponível em todas as 38 concessionárias Jaguar Land Rover, distribuídas nas cinco regiões do Brasil, na versão única R-Dynamic S, com preço a partir de R$ 245,90 mil.

As primeiras unidades a serem comercializadas no Brasil trazem pintura metálica, teto solar elétrico panorâmico, carregador de celular por indução, painel de instrumentos interativo e digital de TFT, sistema de entretenimento Touch Pro Duo, rodas aro 18 e sistema de abertura de portas keyless. Com essa configuração, o modelo é vendido por R$ 267,75 mil.

O design conta com entradas de ar dianteiras maiores. A frente recebeu um novo visual com um para-choques renovado e uma grade mais larga, proporcionando uma aparência mais esportiva.

jagxerdynamicsp300calderared100419062A grade redesenhada apresenta novo design com um formato mais encorpado e curvado; um visual similar ao do Jaguar I-PACE, que realça a “musculatura” do design. Entradas de ar inferiores mais largas e nítidas criam uma impressão mais técnica, com aparência mais definida e linhas fluidas.

A traseira do veículo também foi redesenhada e apresenta um novo conjunto de para-choque e saia inferior que melhora visualmente a sua largura, adiciona esportividade e ao mesmo tempo favorece o desempenho aerodinâmico, informou a fabricante.

Os faróis LED premium são de série e as lanternas, mais finas, também são de LED. O novo design de farol acompanha o estilo do elétrico Jaguar I-Pace.

jagxerdynamicsp300calderared100419020bO novo interior conta com o uso de materiais e revestimentos premium e um design de portas totalmente novo para melhorar a usabilidade e a praticidade. Todos os aspectos do interior foram melhorados para maior comodidade, melhor armazenamento e maior conforto de todos a bordo, segundo a Jaguar.

Foi introduzido o novo sistema multimídia InControl Touch Pro Duo, semelhante ao encontrado no Jaguar I-PACE elétrico. Esse sistema responsivo e intuitivo utiliza uma combinação de duas telas de alta resolução e sensíveis ao toque, perfeitamente integradas, controladas por meio de uma combinação de sensores capacitados e controles táteis para realizar as principais funções do veículo.

O sistema apresenta uma tela  de 10 polegadas e outra de 5,5 polegadas que, juntas, fornecem uma interface personalizável, intuitiva e responsiva.

jagxerdynamicsp300calderared100419136

jagxe20mytechnology100419006

jagxe20mytechnology100419001Além dessas duas telas o painel de instrumentos incorpora a mais recente geração do Interactive Driver Display, de 12,3 polegadas, onde todas as informações importantes são apresentadas de forma lógica e intuitiva, evitando as distrações.

Elementos de alta tecnologia, como o carregador de dispositivos sem fio e o painel de instrumentos digital elevam o conforto e a conveniência.

Inspirado no esportivo Jaguar F-Type, o novo XE recebeu o seletor de marchas Sport Shift e o Jaguar Drive Control no novo console central, a fim de fornecer uma experiência de condução mais intuitiva e dinâmica.

O novo volante multifuncional, também igual ao do Jaguar I-Pace, inclui comandos com gráficos que ficam ocultos até serem iluminados, e interruptores capacitivos para controle das principais funções. As borboletas para trocas de marchas, que contribuem para aumentar a esportividade na condução, são maiores e têm acabamento em Satin Chrome.

jagxerdynamicsp300calderared100419144

jagxerdynamicsp300calderared100419133Os bancos estão mais confortáveis, revestidos de couro premium mais macio, e apresentam detalhes muito bem trabalhados, incluindo costuras com agulha dupla e a nova etiqueta da Jaguar.

O XE é equipado com o motor Ingenium 2.0 turbo com 250 cv de potência, tração traseira e caixa automática de oito marchas. De acordo com a Jaguar, esse conjunto leva o modelo da imobilidade aos 100 km/h em apenas 6,5 segundos, e à velocidade máxima de 250 km/h.

A estrutura de alumínio da carroceria, leve e extremamente robusta, juntamente com as suspensões (dianteira com braços triangulares sobrepostos e traseira independente Integral Link) proporcionam uma condução esportiva, segura e prazerosa.

jagxerdynamicsp300calderared100419094O novo XE recebeu o seletor de marchas Jaguar Sport Shift, herdado do esportivo F-Type, que comanda a caixa automática de oito marchas. O seu desenho intuitivo substitui o controlador rotativo anterior e permite ao condutor utilizar o seletor para mudanças de velocidade manuais puxando a alavanca para trás para selecionar uma mudança superior ou empurrando-a para a frente para escolher uma relação inferior. Ainda como alternativa, as grandes aletas no volante também podem ser utilizadas para as trocas de marchas.

Como equipamento de série o XE tem o Jaguar Drive Control. Um interruptor no console central permite ao condutor escolher entre quatro definições para a direção, resposta do acelerador e caixa de velocidades: Conforto, Eco, Rain/Ice/Snow e Dynamic. A ativação do modo dinâmico amplifica o caráter esportivo do automóvel, com passagens de marchas mais rápidas, maior resposta do acelerador e maior peso da direção.

O sedan é equipado com o Monitor de Estado do Condutor. O sistema monitora a atuação na direção, acelerador e freios, analisa a manutenção das faixas de rodagem e a utilização dos indicadores direcionais para determinar o estado de atenção do condutor.

jagxerdynamicsp300calderared100419080bSe os algoritmos do sistema determinarem que o condutor tem um comportamento sonolento, um símbolo de café é apresentado no painel para alertar para a necessidade de fazer uma pausa.

A segunda geração do Head-up Display está disponível como parte do Pacote de Tecnologia, opcional, e foi desenvolvido para ajudar os condutores a manterem os olhos na estrada, projetando as principais informações, tais como direções de navegação por satélite, dados de velocidade atual, seleção de velocidades, informações de contato e alertas do sistema de assistência diretamente na sua linha de visão.

 Esse pacote também apresenta o novo retrovisor ClearSight, que usa uma câmera voltada para trás, alimentando imagens para uma tela de alta resolução dentro do próprio espelho.

jagxe20mytechnology100419015Um pequeno interruptor de comutação no espelho permite ao condutor alterar entre o espelho padrão e a câmera. Isso permite que os motoristas tenham uma visão mais clara atrás do veículo, mesmo quando o para-brisa traseiro está obstruído por passageiros, itens no compartimento de carga ou devido ao mau tempo.

O recurso opcional Pacote de Estacionamento foi projetado para identificar vagas de estacionamento paralelas e perpendiculares usando sensores ultrassônicos. Uma vez identificado um espaço adequado, o sistema conduz o veículo para o estacionamento na vaga. O condutor aciona o acelerador, os freios e seleciona a marcha a frente ou ré enquanto o volante faz a manobra automaticamente.

jagxerdynamicsp300calderared100419098

jagxerdynamicsp300calderared100419049Fotos: Nick Dimbleb / Jaguar Land Rover / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br