Argo Precision: para quem aprecia conforto

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 29/11/2019)

Hatch da Fiat, com excelente rendimento, é equipado com motor 1.8 e câmbio automático

DSCN7261Hoje, o hatch compacto Argo é o principal carro da Fiat, pois além de substituir o Palio e o Novo Palio, modelos que saíram de linha, ele ainda preenche a lacuna deixada por Punto e Bravo. Contudo, ele é oferecido em várias versões e preços, em combinações entre três motores e três câmbios diferentes.

DC Auto recebeu o Argo Precision 1.8 automático para avaliação. No site da montadora, seu preço sugerido é R$ 63,99 mil, valor exclusivo na opção de cor preto sólido. As demais cores sólidas custam R$ 800,00, as metálicas têm o valor de R$ 2,00 mil e, a perolizada branca, R$ 2,30 mil.

Apesar de ser a sexta versão mais cara, entre as sete disponíveis, seus itens de série não são tão generosos, ficando para os pacotes opcionais os equipamentos mais desejados atualmente.

De série, os principais equipamentos da versão são: ar-condicionado, direção elétrica progressiva, sistema de som com bluetooth, volante com regulagem em altura e comandos do rádio e telefone, airbag duplo, ABS com EBD, ESC (Controle de Estabilidade), TC (Controle de Tração), Hill Holder (controle eletrônico que auxilia nas arrancadas em subidas), quadro de instrumentos com tela de 3,5 polegadas multifuncional em TFT, assinatura em LED nos faróis, rodas de 15 polegadas em aço com calotas, travas elétricas, vidros elétricos dianteiros e traseiros com one touch e antiesmagamento, entre outros.

DSCN7227A unidade avaliada foi equipada com quatro dos cinco pacotes opcionais disponíveis para a versão. O Kit Uconnect 7 polegadas, que agrega a central multimídia touch screen com Android Auto e Apple CarPlay e porta USB adicional na traseira, é vendido por  R$ 2,10 mil.

O Kit Function vem com câmera de marcha à ré, rodas de liga leve, retrovisores externos elétricos com função Tilt Down e setas integradas, sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico e faróis de neblina, tudo por R$ 3,30 mil.

O Kit Style conta com apoia braço para motorista, bancos e volante revestidos em material sintético que imita o couro, controlador de velocidade, “borboletas” atrás do volante para as trocas de marchas, acabamento interno com detalhes cromados e banco traseiro bi partido que saem por R$ 2,90 mil.

Fechando a lista de opcionais, o Pack Tech adiciona ar-condicionado digital, retrovisores externos com rebatimento elétrico e luz de cortesia, chave presencial, sensor de chuva, sensor crepuscular e  retrovisor interno eletrocrômico, com acréscimo de R$ 3,05 mil. Somando tudo, inclusive a cor metálica, o Argo avaliado tem o alto preço de R$ 77,34 mil.

DSCN7310Motor e Câmbio – O motor da versão é o E.TorQ 1.8 16V  Flex de 4 cilindros em linha. Seu cabeçote tem comando de válvulas simples tracionado por corrente com variação de abertura apenas na admissão.

A injeção é indireta, multiponto, e a taxa de compressão é 12.5/1. O torque máximo é 19,3/18,8 kgmf às 3.750 rpm e a potência atinge 139/135cv às 5.750 rpm, com etanol e gasolina, respectivamente.

O câmbio é automático convencional com conversor de torque e 6 marchas. Ele oferece seleção entre automático e manual com possibilidade de comutação pela alavanca de câmbio ou pelas aletas posicionadas atrás do volante.

O porta-malas do Argo comporta 300 litros e, o tanque de combustíveis, 48 litros. Suas dimensões são: 3,99 metros de comprimento, 2,52 metros de distância entre-eixos, 1,72 metro de largura (sem considerar os retrovisores), 1,51 metro de altura total e 15,5 centímetros de vão livre.

DSCN7293Confortável, o Argo acomoda bem quatro adultos com bom espaço para as cabeças, ombros e pernas de todos. Como na maioria dos carros compactos, um ocupante no centro do banco traseiro fica mal acomodado, mas a distância entre-eixos é boa e o espaço para as pernas na parte de trás é um dos melhores entre os hatches compactos.

A ergonomia é bem projetada, com todos os comandos à mão. A central multimídia é “flutuante”, destacada acima do painel e tem fácil visualização. As maçanetas internas e os comandos dos vidros e retrovisores elétricos são bem localizados. Os puxadores das portas dianteiras são grandes, facilitando o seu fechamento, apesar de atrapalharem um pouco a abertura das mesmas.

Destaque – O acabamento interno é um dos seus destaques. Detalhes cromados e prateados em diversas partes internas e o revestimento sintético que imita o couro, aplicado ao volante, à coifa da alavanca de marchas e aos bancos, conferem requinte ao interior.

As peças plásticas não são emborrachadas, mas são muito bem encaixadas e não apresentam rebarbas. Apenas nas portas dianteiras existem materiais macios ao toque. Nas portas traseiras é tudo rígido mesmo. Os revestimentos das colunas e do teto são claros, menos esportivos que os escuros, mas ampliam a percepção do espaço interno.

DSCN7267

DSCN7311A tela digital no centro do cluster tem apenas 3,5 polegadas e não é colorida, como a opcional de 7 polegadas que não está disponível para essa versão. Mas ele tem as mesmas funções e oferece uma boa leitura das informações, pois seus números ainda são bem dimensionados.

A central multimídia e o ar-condicionado possuem botões físicos, giratórios para as funções principais e de pressão para as secundárias, além dos comandos por toque na tela. Controles físicos são mais eficientes, pois não precisamos desviar o olhar das vias para operá-los.

A central multimídia (tela de 7 polegadas) funciona com precisão, tanto usando o bluetooth, como os aplicativos de espelhamento para celulares, quanto via cabo USB. Por sinal, com os dispositivos espelhados, o uso da tela se torna mais fácil, pois os gráficos originais da mesma apresentam ícones pequenos e difíceis de serem identificados rapidamente quando estamos dirigindo.

A sensibilidade ao toque, a definição da imagem e o tamanho da tela são muito bons, mas o sistema operacional da central multimídia poderia ter maior velocidade de processamento.

DSCN7296

DSCN7295O sistema de refrigeração também apresenta uma configuração de fácil leitura e operação e, mesmo sendo um ar-condicionado de zona única, é muito eficiente no resfriamento da cabine.

Acerto das suspensões da versão se destaca

Assim como observamos no Cronos HGT, avaliado há três semanas, a direção elétrica é muito leve em baixas velocidades, ótima para manobras de estacionamento, mas poderia ser mais progressiva.

Ela deixa de ser leve muito rapidamente e estabiliza em um peso que garante controle ao condutor em altas velocidades, porém, o ideal seria que este ganho de peso fosse mais gradual, com pesos intermediários, adequados às velocidades médias.

Além da leveza da direção, os sensores de estacionamento traseiros, aliados à câmera com guias gráficas esterçáveis, facilitam bastante as manobras em garagens e ao se deslocar em marcha à ré, pois, o vidro traseiro é estreito, diminuindo a visibilidade para trás, e as colunas “c” são largas, atrapalhando a visão cruzada.

DSCN7217Mesmo não sendo dos mais modernos, o conjunto motor e câmbio é bem dimensionado para o Argo. Andando moderadamente, o motor é silencioso e as trocas de marchas ocorrem suavemente, sem trancos. A programação do câmbio visa à economia de combustível, comutando as marchas em baixas rotações, mas essa não é a essência deste motor.

O E.TorQ 1.8 16V é o famoso motor “girador”. Acorda após às 4.000 rpm e muda de personalidade.  Na posição manual do câmbio, e trocando as marchas pelas aletas, é muito divertido andar mais forte com o Argo.

Suspensões – Como no Cronos, o grande destaque do Argo são as suspensões. O acerto do conjunto privilegia o conforto, mas entrega estabilidade e não deixa a carroceria inclinar muito em curvas, como acontecia com o Palio.

O que mais impressiona é a capacidade de absorção do conjunto. Ele filtra a maior parte dos impactos causados por imperfeições e buracos das vias, transferindo pouca vibração para a cabine.

DSCN7247Independente da situação, as suspensões trabalham de forma silenciosa, passando a impressão de robustez. O Argo Precision é equipado com rodas menores e pneus mais altos que os do Cronos HGT, características que permitem calibração mais baixa dos pneus e, consequentemente, um maior conforto ao rodar.

Consumo – Em um circuito rodoviário de 38,4 km realizamos duas voltas, uma aos 90 km/h e outra aos 110 km/h. Considerando que o Argo Precision e o Cronos HGT têm os mesmos motor e câmbio, sabíamos que os resultados seriam próximos, pois o Cronos é apenas 7 kg mais pesado que o Argo.

O Argo se mostrou um pouco mais econômico. Aos 90 km/h, ele registrou 12,2 km/l contra 11,9 km/l do Cronos. Já aos 110 km/h, o hatch chegou aos 11 km/l e, o sedan, não passou dos 10,5 km/l, abastecidos apenas com etanol.

Circulando em cidades, também com etanol, o Argo registrou médias entre 5,5 km/l e 7,5 km/l, dependendo da intensidade do tráfego. A Fiat deixou de oferecer o sistema stop/start para o Argo e o Cronos alegando pouca aceitação do consumidor. Este recurso melhoraria as médias urbanas.

O Argo Precision é uma versão para quem aprecia o bom desempenho, mas não abre mão do conforto. Para quem busca maior economia de combustível, o Argo Drive GSR ou o Drive manual são os mais indicados. Já o Argo HGT entrega o mesmo desempenho e maior estabilidade, mas é menos confortável que o Argo Precision.

DSCN7250Fotos: Amintas Vidal

*Colaborador

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s