Jeep: o futuro do futuro

Rogério Machado*

de São Paulo (SP)

DSC04005Algumas marcas têm tamanha carga emocional que extrapolam o campo da produção publicitária. Parece que sempre estiveram por perto desde que éramos crianças, quando brincávamos com miniaturas, pretendendo dirigir e dominar aqueles pequenos sonhos.

Uma destas marcas icônicas, a Jeep, comemorou nesse mês de dezembro, os resultados de uma escalada que colocou o Brasil como o seu segundo maior mercado no planeta. Os Estados Unidos ocupam a 1ª posição.

Embora a Jeep, fazendo jus à sua origem de veículo multiuso, já tenha se tornado “pau para toda obra” durante a motorização do Brasil, lá na década de 60, o seu desembarque definitivo por aqui aconteceu em 2014, já como parte da Fiat Chrysler Automobiles (FCA).

Para reiniciar sua produção, foi construída a fábrica mais moderna na América Latina, tanto tecnologicamente quanto nos quesitos ambientais, em Goiana (PE). Daquele ano para cá, partindo de uma cota de 1% do mercado dos SUVs (utilitários esportivos), a marca chegou aos incríveis 22% em 2019, segundo os números acumulados até o momento. E podemos testemunhar esta realidade nas ruas: é Jeep por toda parte.

Em cinco anos de conquistas a Jeep colocou cinco modelos no mercado, oferecendo opções que vão do conforto adequado ao uso urbano e viagens até o outro extremo, atendendo a demanda dos exploradores que não precisam de estradas pavimentadas para traçar seu caminho.

A diversificação das opções oferecidas aqui no Brasil tem claramente muito peso para a aprovação do público, mas, o enorme patrimônio imaterial da marca comprova que o futuro dela ainda está sendo escrito.

DSC04006Fotos: Rogério Machado

Para manter o terreno conquistado, e aumentar seu território, a Jeep fará investimentos no Brasil da ordem de R$ 7,5 bilhões nos próximos três anos. A meta, apenas para o ano que vem, é de expandir o share em 7%.

Para atingir esse resultado, virão por aí muitas novidades que incluem novas motorizações para toda a linha e também o lançamento da picape Gladiator, um verdadeiro símbolo de um fora de estrada agressivo, impregnado da identidade original da marca.

O motor da Gladiator produz quase 300 cv e ela está preparada, em sua essência, para o uso fora de estrada. Além da picape, motorizações e reestilizações, o próximo ano deverá trazer um modelo exclusivo ao cardápio da marca, um veículo de sete lugares baseado no Compass.

No campo da personalização, buscando oferecer aos clientes a possibilidade de adaptação dos modelos às suas necessidades individuais, a Mopar, bandeira responsável pelos componentes e acessórios Jeep, promete ampliar sua gama de opções que vão desde elementos de customização puramente estéticos até equipamentos que complementam as funções dos veículos.

Finalmente, na área de assistência técnica e vendas, o ambiente digital irá ditar novos rumos à relação com os clientes. O objetivo é explorar todas as plataformas de interação virtual através de textos, diálogos em tempo real e imagens mantendo os clientes cientes dos aspectos determinantes da manutenção, removendo incertezas e fornecendo perspectivas reais de tempos de reparação.

A implantação de um sistema dessa envergadura não e simples, mas, os desafios serão encarados com tração nas quatro rodas.

*o colaborador viajou à convite da FCA – Fiat Chrysler Automóveis

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s