Carros conceito e um brasileiro na Europa

Rogério Machado*

de Paris (França)

Quando a indústria automobilística desenvolve novas ideias, é necessário avaliar a reação do público e da imprensa especializada. No passado já aconteceram grandes fiascos de venda, com perda de milhões, e nenhuma empresa quer passar por isso.

Este teste de novas formas e novos dispositivos é materializado na forma de um carro conceito que pode conter diferentes propostas no campo estético, ou funcional, que não necessariamente serão usadas em um mesmo veículo quando produzido.

O Museu do Chateau de Compiegne, localizado próximo a Paris (França), organizou uma mostra sobre alguns desses conceitos que marcaram seu lugar na história.

Bugatti T28

PHOTO-2020-02-10-08-27-04Ettore Bugatti se dedicava especificamente a veículos esportivos quando, em 1921, apresentou, no Salão de Paris, um veículo de luxo com um acabamento primoroso, o modelo T28.

Embora a prioridade tenha sido a parte estética, a mecânica também recebeu muita atenção com um motor 8 cilindros em linha e diversos dispositivos na área de freios e calibração.

Chrysler-Ghia Streamline X “Gilda”

PHOTO-2020-02-10-08-28-37O engenheiro aeronáutico Giovanni Savonuzzi foi diretor técnico da Ghia entre 1953 e 1957. Este conceito de 1955 é marcado pela utilização de propulsão a turbina e explora a aerodinâmica nas suas formas esguias.

Socema-Gregoire

PHOTO-2020-02-10-08-27-36Este é o primeiro carro francês movido a turbina. A carroceria foi construída pela Hotchkiss a partir de um desenho do Gregorie. O veiculo atingiu 200 km/h, em 1952.

Chevrolet Corvair “Testudo” – Bertone

PHOTO-2020-02-10-08-29-49Em 1960, a GM lançou o Corvair e encomendou à Pininfarina e Bertone um carro conceito a cada um. O modelo do Bertone apresentava as portas incorporadas ao teto e foi apresentado no Salão de Genebra, de 1963.

A mostra estará ativa até o próximo dia 23 de março.

Simca brasileiro em Paris

PHOTO-2020-02-10-09-40-54Embora a Simca (Societe Industrielle de Mecanique et Carrosserie Automobile) tenha nascido em 1935, os carros chegaram ao Brasil vinte anos depois. O primeiro incentivador da vinda para cá foi o próprio Juscelino Kubitschek.

PHOTO-2020-02-10-09-42-03A marca não ia bem no mercado francês e o seu proprietário, Enrico Pigozzi, viu ali uma boa chance de sobreviver e, em 1958, foi dado o pontapé inicial para o Simca brasileiro, um derivado do Simca Vedette Chambord produzido na França cujo motor era o velho flathead americano da Ford.

PHOTO-2020-02-10-09-45-23A fábrica deveria ser formada em Minas Gerais, mas iniciou as atividades em São Bernardo do Campo (SP), de onde nunca mais saiu.

PHOTO-2020-02-10-09-45-50O engenheiro francês Jaques Pasteur foi o responsável pelo empreendimento que superou completamente a evolução do modelo na França, inclusive com a adoção de um novo cabeçote do motor inspirado em um cabeçote de performance americano, o Ardun (projeto do Arkus Zora Duntov da GM).

PHOTO-2020-02-10-09-44-40Na última semana, a Retromobile, maior feira de carros clássicos da Europa, recebeu um exemplar do Simca brasileiro. O modelo, raríssimo, é o Simca Rallye Emisul 6 marchas, de 1966, do qual existem somente dois exemplares conhecidos.

PHOTO-2020-02-10-09-45-00

Fotos: Rogério Machado

O proprietário, Eduardo Wahrlich, trouxe o exemplar do Rio Grande do Sul e o estande aqui em Paris ficou movimentado durante toda a semana. O veiculo ficará na Europa por um ano, participando de feiras e encontros de clássicos.

PHOTO-2020-02-10-09-48-42 2*Colaborador

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s