Mitsubishi ASX ganha nova frente e muda de nome

Da Redação

380344_939766_mitsubishi_outlander_sport_2021___foto_leo_sposito__6_A Mitsubishi Motors apresentou seu mais “novo” modelo: o Outlander Sport. As aspas na palavra novo devem ser explicadas. Na verdade, o SUV nada mais é do que um facelift do conhecido ASX. Foram feitas mudanças na dianteira, no para-choque traseiro e nos elementos internos das lanternas, nada mais.

Para tentar distanciar um produto do outro, o ASX, com o visual atual, continuará a ser produzido em Catalão (GO), passando a ser o modelo de entrada da marca no Brasil.

O ASX permanecerá sendo vendido em versão única, a GLS, com o preço de R$112,99 mil.

CXz8hxBwDisponível nas versões GLS, HPE 2WD e HPE AWD, o Outlander Sport já está disponível na rede de concessionários da marca em todo o Brasil com preço inicial de R$119,99 mil.

A maior gama de opções, especialmente no segmento de SUVs compactos, um dos que mais cresce na indústria automobilística brasileira, permitirá à marca atingir um número maior de consumidores com os mais diferentes perfis, desde os amantes da condução off-road até aqueles que rodam mais sobre o asfalto.

O Outlander Sport  é equipado, de série, com o sistema de entretenimento da JBL. Compatível com as interfaces Apple CarPlay e Google Android Auto, a central multimídia oferece tela sensível ao toque de 7 polegadas e total integração com smartphones, rodando aplicativos que se tornaram essenciais no dia a dia, como Waze, Google Maps e Spotify. Na versão de topo HPE AWD, a tela do sistema é maior, com 9 polegadas.

380344_939769_mitsubishi_outlander_sport_2021___foto_leo_sposito__12_(1)Chamado de Advanced Dynamic Shield, o estilo traz uma dianteira agressiva, com para-choque redesenhado e grade dianteira prateada. O visual mais moderno do modelo, muito semelhante ao do Eclipse Cross, é complementado pelas duas peças em formato de bumerangue, que conectam grade, faróis, para-choques e luzes auxiliares.

Outro elemento estético marcante na dianteira fica por conta dos faróis de neblina agrupados com as luzes de direção em cubos verticais.

O modelo conta com iluminação Full LED nos faróis e lanternas e rodas com acabamento diamantado, de série,  de 18 polegadas.

Desde a versão de entrada, GLS, o Outlander Sport é equipado com: direção elétrica, ar-condicionado automático, duplo airbag frontal, controles eletrônicos de estabilidade e de tração, freios a disco nas quatro rodas com ABS, distribuidor eletrônico de frenagem (EBD), assistente de emergência (BAS), Brake Override System (BOS), que atua nos pedais durante as frenagens, assistente de saída em rampas (Hill Start Assist System – HSA), ancoragem Isofix para cadeirinhas infantis, ajuste de altura do facho principal dos faróis, vidros elétricos nas quatro portas, travamento automático das portas, sistema de monitoramento da pressão dos pneus (TPMS) e câmera de ré.

As versões HPE incluem a chave presencial, botão de partida do motor, bancos em couro (com opção bicolor nas cores preto e bege), aquecimento dos assentos dianteiros, ajustes elétricos para o motorista, grade frontal prateada com acabamento em preto brilhante, detalhes cromados nas fendas laterais, sensores de chuva e crepuscular, full airbags (bolsas frontais, laterais, de cortina e para os joelhos do motorista) e retrovisores com rebatimento elétrico, luzes de seta integradas e desembaçador.

Todas as versões do Outlander Sport saem de fábrica equipadas com o motor 2.0 16V flex de quatro cilindros com bloco em alumínio, dotado de duplo comando de válvulas com abertura e fechamento variáveis na admissão e no escape.

Xa8BnlXgO propulsor produz 170 cv de potência com etanol e 160 cv com gasolina a 6.000 rotações (com ambos os combustíveis). Já o torque fornecido às rodas é de 23 kgfm com etanol, e de 22 kgfm com gasolina, sempre a 4.250 rpm.

Em todas as versões, o motor é conectado ao câmbio automático CVT que conta como o sistema Sport Mode, em que o câmbio simula seis marchas e permite trocas manuais por meio dos paddle-shifters no volante.

A versão topo de linha conta com sistema AWD (All-Wheel Drive) com tração integral. Para a maior comodidade do condutor, o sistema opera eletronicamente de forma automática e adapta o veículo às condições de momento, alternando, quando necessário, a distribuição da energia entre os eixos dianteiro (4×2) e traseiro (4×4).

380344_939776_mitsubishi_outlander_sport_2021___foto_leo_sposito__15_Em situações off-road, essa distribuição chega a ser de 50/50, ou seja, igualmente repartida, para que o veículo possa superar obstáculos mais difíceis. Há ainda o modo Lock, que ajusta o sistema para ficar no 4×4 o máximo de tempo.

Confira cada um dos modos:

2WD: Modo para condução em rodovias normais, secas e asfaltadas; tração nas rodas dianteiras.

4WD Auto: Modo padrão que controla automaticamente a distribuição de torque para as 4 rodas, de acordo com as condições de direção.

4WD Lock: Modo para condições escorregadias, quando o veículo trafegar por vias de areia, terra ou neve. A grande quantidade de torque aplicado aos pneus traseiros permite sair de áreas escorregadias, e a força de tração possibilita atravessar trechos off-road mais exigentes.

ThlDWXRQFotos: Leo Sposito / Mitsubishi Motors / Divulgação

O novo Outlander Sport já está disponível nas concessionárias de todo o País em diversas cores. São elas: azul perolizado, branco perolizado, cinza perolizado, preto perolizado, marrom, vermelho e duas tonalidades de prata.

O SUV tem três anos de garantia sem limite de quilometragem, além da MitRevisão com preços fixos e o programa de recompra garantida da rede Mitsubishi.

Versões e Preços:

Outlander Sport GLS 2WDR$119,99 mil

Outlander Sport HPE 2WDR$132,99 mil

Outlander Sport HPE AWDR$138,99 mil

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

 

Honda Civic Si 2020 chega ao Brasil

Da Redação

4J6A7945-1cA Honda apresentou, hoje, a linha 2020 do Civic Si. O coupé esportivo chega renovado ao mercado brasileiro com mudanças no design externo e interno, aprimoramentos mecânicos e novos equipamentos de conforto e conveniência.

Detentor de uma dianteira agressiva, com grade frontal preta, largas tomadas de ar no para-choque e faróis full LED, o modelo ganha novas molduras para os faróis de neblina – que agora também são em LED – com novo desenho com acabamento em preto brilhante e uma barra transversal que acompanha a cor da carroceria.

Outra novidade é a adoção de novas rodas de liga leve de 18 polegadas com acabamento em preto fosco, aliadas aos pneus de 235 mm (235/40 R18), que ressaltam a esportividade. Na traseira, o Si mantém a assinatura de design do modelo, com o elevado aerofólio e barra de LED horizontal, que acompanha toda extensão da traseira.

4J6A3675-16

4J6A3705-17cO escapamento central tem formato poligonal e acabamento cromado. O modelo traz, ainda, teto solar.

No interior, o painel ganha novos elementos em vermelho, mesma tonalidade adotada nas novas faixas centrais dos bancos esportivos, em formato concha, com logotipos da versão bordados no encosto.

A estética diferenciada é replicada nas costuras vermelhas dos bancos, laterais de portas, bem como no volante, manopla e coifa do câmbio.

4J6A7919O quadro de instrumentos digital em TFT conta com iluminação vermelha, os pedais esportivos são em alumínio e o acabamento do painel é feito em Dry Metal Carbon.

Para a linha 2020, o Civic Si também recebe novos equipamentos de conforto e comodidade, como o sensor de chuva, que permite o acionamento automático dos limpadores, além do sistema de recarga de celulares sem fio, por indução, posicionado no console central.

Eles complementam a lista de itens de série do modelo, como o freio de estacionamento eletrônico, travamento das portas por distância e ar-condicionado digital de duas zonas, entre outro.

Quando o assunto é conectividade, o Civic Si traz um sistema multimídia de sete polegadas, sensível ao toque, integrado aos sistemas Apple CarPlay e Android Auto, o que permite uma conexão fácil do smartphone ao automóvel. Além disso, possui um sistema de áudio premium de 450 watts com 10 alto-falantes.

O motor 1.5 turbo que equipa o Civic Si, com alta performance e torque, traz injeção direta, duplo comando de válvulas variáveis no cabeçote (Dual VTC) e quatro cilindros.

Essa família de motores turbo também é adotada – com diferentes configurações de potência e torque – em outras versões do Civic, no HR-V e  no CR-V Touring.

4J6A7883c-28No Si, ele é combinado a uma transmissão manual de seis velocidades. Na linha 2020, o modelo recebe uma relação de marchas 6% mais curta, o que proporciona uma sensação de aceleração ainda mais aprimorada.

Com intercooler frontal e turbo de maiores dimensões, bem como outros aprimoramentos mecânicos, o motor do Si traz potência máxima de 208 cv aos 5.700 rpm e o torque de 26,5 kgfm aparece aos 2.100 rpm e é mantido em 70% da faixa de rotação do motor.

O coupé traz componentes de chassi e de direção aprimorados, como a direção elétrica adaptativa de duplo pinhão com relação variável, suspensão com acerto esportivo, amortecedores adaptativos e diferencial com deslizamento limitado. Os freios são de 12,3 polegadas na dianteira.

4J6A7917C-30Em complemento aos amortecedores adaptativos, a suspensão possui, ainda, molas mais firmes, barras estabilizadoras mais rígidas (30% a mais na dianteira e 60% a mais na traseira), buchas sólidas na dianteira e traseira, além de braços de controle ultra rígidos na traseira, oriundos do Civic Type R.

Outro diferencial do Civic Si é a possibilidade de escolher entre dois modos de condução, que aumentam a dinâmica na utilização esportiva e, também, permitem conforto no uso diário. Por meio da tecla Sport, localizada no console central, o condutor seleciona entre dois ajustes de rodagem, que alteram parâmetros de suspensão, acelerador e assistência de direção.

No modo conforto, os amortecedores operam de forma mais suave, a assistência da direção é aprimorada e o acelerador opera de forma menos direta, permitindo uma condução mais suave.

4J6A3605-12Com a tecla Sport acionada, os amortecedores trabalham com mais carga, enquanto a resposta de acelerador fica mais direta e a direção, por sua vez, tem a sua assistência reduzida.

Na linha 2020, o modelo ganhou o Active Sound Control, uma tecnologia que usa o sistema de áudio para amplificar o som do motor durante uma condução mais agressiva.

O Civic Si é equipado com os seguintes sistemas: ABS, com distribuição eletrônica de frenagem, o VSA (controle de tração e estabilidade), o HSA (Hill Start Assist – assistente de partida em aclives), além do exclusivo AHA (Agile Handling Assist) que aprimora a estabilidade dinâmica em curvas.

4J6A3263-2Fotos: Honda / Divulgação

O modelo também possui 6 airbags, câmera de ré multivisão e ainda vem equipado com o sistema Honda LaneWatch, composto de uma câmera instalada no retrovisor direito. Quando você aciona a seta, ele amplia o ângulo de visão do motorista, eliminando pontos cegos e projetando essa imagem ampliada no sistema multimídia.

O Civic Si 2020 será comercializado no Brasil em versão única, coupé de duas portas, com três opções de cores: Platinum White, Crystal Black e Rallye Red.

O modelo tem três anos de garantia, sem limite de quilometragem e estará disponível para venda a partir de julho com o preço sugerido de R$179,90 mil.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Emplacamentos de veículos registram aumento de 93,5% em junho, mas no acumulado do semestre a retração é de 36,13%

Da Redação

De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), foram vendidos 194.354 veículos em junho/2020, contra 100.422 unidades em maio, num aumento de 93,5%.

Mas, se comparados aos resultados de junho de 2019, os emplacamentos de junho de 2020 ficaram 38,58% abaixo das 316.453 unidades, comercializadas no ano passado.

No acumulado do 1º semestre/2020, foram emplacados 1.225.663 veículos, entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, o que representa queda de 36,13%, na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram emplacadas 1.918.977 unidades.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr, a pandemia do coronavírus, iniciada na segunda quinzena de março, impactou, negativamente, no balanço do 1º semestre do setor.

“A queda já era esperada, em função do atual cenário, considerando os efeitos da pandemia do Covid-19, que obrigou o fechamento do comércio e o isolamento social, durante longo período. Mas, quando avaliamos o mês de junho, na comparação com maio deste ano, já observamos uma expressiva melhora, explicada pelo retorno das atividades dos Detrans, principalmente, em São Paulo, que representou 32,1% das vendas nacionais, e da reabertura das concessionárias, para vendas, na capital paulista e em outras localidades”, explicou  Assumpção Júnior.

Para ele, o aumento de vendas, em junho, reflete, parcialmente, possíveis vendas represadas e realizadas em maio, enquanto os Detrans não estavam operando, mas, também, revela a melhora nos índices de confiança por parte do consumidor e empresários, “principalmente, em segmentos como de caminhões e motocicletas, que só não tiveram resultados melhores pela falta de produtos, já que as montadoras estão retomando a produção aos poucos e ainda de forma reduzida”, comentou.

Segundo levantamento da entidade, os resultados de emplacamentos no acumulado do semestre revelam que 2020 está na 17ª posição no ranking histórico dos primeiros semestres e na 20ª colocação entre os meses de junho.

Todos os segmentos automotivos apresentaram recuperação em junho sobre maio deste ano, embora a queda acumulada também seja geral.

Automóveis e Comerciais Leves – Com aumento de 116,78%, as vendas de automóveis e comerciais leves, em junho, totalizaram 122.772 unidades emplacadas, contra 56.635 em maio deste ano, mês que ainda teve uma base baixa para comparação, em função de muitas concessionárias estarem fechadas.

Se comparado a junho de 2019 (213.416 unidades vendidas), o resultado de junho/2020 mostra queda de 42,47%.

Também no acumulado do 1º semestre, os impactos da pandemia sobre as vendas de automóveis e comerciais leves fizeram o resultado cair de 1.248.843 unidades, vendidas nos seis primeiros meses de 2019, para 763.280 unidades, comercializadas no 1º semestre de 2020.

Caminhões, Ônibus e Implementos Rodoviários – Em junho, os 8.762 caminhões emplacados ficaram 12,28% acima do volume comercializado, no mesmo mês de 2019 (7.804 unidades), e 85,05% acima das vendas de maio de 2020 (4.735 unidades).

Mesmo sendo um dos segmentos automotivos menos afetados pela crise, o mercado de caminhões registrou retração de 19,71% nas vendas do primeiro semestre de 2020, sobre mesmo período de 2019, totalizando 37.629 unidades, contra 46.865 unidades no 1º. Semestre do ano passado.

As vendas de ônibus registraram baixa no primeiro semestre, chegando a uma queda de 36,5% sobre o acumulado de 2019, somando 7.875 unidades, contra as 12.402 unidades emplacadas no mesmo período do ano passado.

Na comparação com junho de 2019, a queda refletida foi de 34,09%. Mas, se comparados com o mês de maio/2020, os números apresentam crescimento de 58,03%.

O segmento de implementos rodoviários registrou 6.614 unidades emplacadas em junho/2020, numa alta de 25,98% em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com maio deste ano, o segmento apresentou crescimento de 76,23%.

No entanto, houve retração de 13,42% nos licenciamentos do primeiro semestre deste ano, frente à igual período do ano passado, totalizando 26.702 unidades, contra 30.841 implementos rodoviários, registrados em 2019.

Motocicletas – Com a expansão dos serviços de entrega (delivery), durante a pandemia, o segmento de motocicletas teria acelerado mais as vendas não fosse a falta de produtos nas concessionárias.

Em junho, foram licenciadas 45.893 motos, 42,66% a menos do que em igual mês do ano passado, que registrou 80.040 motos emplacadas.

Já na comparação entre junho e maio/2020 (29.221 motos emplacadas), os resultados de junho foram 57,05% superiores.

Segundo os registros históricos da entidade, para o segmento de motos, o mês de junho/2020 ficou na 20ª colocação entre todos os meses de junho e, se considerado o resultado do acumulado, o 1º semestre de 2020 ficou na 19ª posição.

Tratores e Máquinas Agrícolas – Para o segmento de tratores, máquinas agrícolas e colheitadeiras, os dados da Fenabrave mostram que foram comercializadas, no atacado, de janeiro a maio (dados de junho ainda não disponíveis, pois esse segmento não é emplacado), 14.612 unidades, numa retração de 6,9% ante igual intervalo do ano passado, quando foram comercializadas 15.688 unidades.

Na comparação entre os meses de maio/2020 e maio/2019, houve expansão de 16,1% este ano, totalizando 3.673 unidades, contra 3.164, em maio do ano passado.

Maio de 2020 também superou o mês de abril, com aumento de 57,3%, superando, portanto, as 2.335 unidades vendidas.

Revisão das Projeções para 2020 – Diante dos resultados do primeiro semestre de 2020, e do comportamento do mercado e da economia durante a pandemia, com observância da evolução dos últimos meses, a Fenabrave revisou suas expectativas para o mercado de veículos em 2020.

Para o setor em geral, a entidade projeta queda de 35,8%, ante o crescimento de 9,7% esperado na previsão feita em janeiro. Com isso, o mercado total, com exceção de tratores e máquinas agrícolas, que não são emplacados, deverá somar 2.522.560 unidades.

A previsão para as vendas de automóveis e comerciais leve, ao mercado interno, passou de uma alta esperada de 9%, para uma retração projetada em 37,1%, somando, agora, 1.672.428 unidades.

Para caminhões, a projeção, que era de alta de 24%, passou a uma queda de 18,6%, totalizando 82.854 unidades.

As vendas de ônibus devem retrair 39,1%, com o total de 16.554 unidades, ante a expectativa anterior, de aumento de 16%.

O mercado de implementos rodoviários deve apresentar de queda de 7,6% este ano, o que representa de 58.600 unidades, contra os 23% de aumento, previstos em janeiro.

Para o mercado de motocicletas, a Fenabrave projeta retração de 35,8% e não mais alta de 9%, como avaliou, inicialmente, em janeiro. Agora, as projeções apontam para 692.124 unidades vendidas este ano.

unnamed 2

Tabela: Fenabrave

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br