Nova BMW R 1250 RT chega ao Brasil

Da Redação

A BMW Motorrad anunciou o lançamento, no mercado nacional, da nova BMW R 1250 RT. O modelo, fabricado na Alemanha, chega ao Brasil com preços a partir de R$ 165,75 mil para a versão na cor branco Alpine e R$ 178,75 mil na versão Option 719 azul Planet. O modelo estará disponível em toda a rede autorizada da marca a partir de 19 de outubro.

A BMW R 1250 RT está inserida no segmento touring e se destaca, entre outros fatores, pela dinâmica fornecida pelo motor boxer com controle variável das válvulas. “Trazer ao País um modelo como a BMW R 1250 RT atesta o compromisso que assumimos com os clientes da marca em oferecer opções com as mais distintas aptidões. Neste caso, uma motocicleta desenvolvida para longas viagens, versátil, moderna, atraente e extremamente confiável”, afirmou Julian Mallea, diretor da BMW Motorrad do Brasil.

A versatilidade da nova BMW R 1250 RT se deve muito aos atributos do propulsor boxer bicilíndrico de quatro tempos com sistema variável de distribuição BMW Shift Cam que oferece uma boa dinâmica de condução, desempenho surpreendente e maior suavidade de funcionamento.

Isso ocorre graças à árvore de comando com abertura diferenciada das válvulas de admissão do motor, que tem diferentes perfis. O motor conta com sistema de injeção eletrônica, possui 136 cv de potência a 7.750 rpm e gera 143 Nm de torque máximo a 6.250 rpm.

O propulsor é acompanhado de câmbio de seis (6) velocidades com embreagem hidráulica multidisco, lubrificada a óleo. Esse conjunto traz um aumento visível do torque em combinação com mais suavidade de funcionamento e, ao mesmo tempo, alto desempenho do motor.

Com 2,2 metros de comprimento entre para-lamas; 1,5 metro de altura e 985 mm de largura entre espelhos, a nova BMW R 1250 RT pesa 279 quilos sem carga.

O sistema de suspensão Telelever na dianteira permite adaptar a geometria de forma que a seção dianteira reaja apenas com um afundamento mínimo em caso de frenagem brusca. Desta forma, o condutor obtém uma resposta mais adequada.

Já a suspensão traseira é do tipo monobraço oscilante em alumínio fundido. Em comparação com a suspensão convencional com os dois braços oscilantes, o monobraço oscilante permite uma economia de peso conjugada com uma rigidez de torção superior e uma instalação e remoção da roda traseira extremamente simples.

A BMW Motorrad R 1250 RT é calçada em rodas de 17 polegadas, com tala de 3,5 polegadas na frente e de 5,5 polegadas atrás. Os pneus medem 120×70 e 180×55, respectivamente.

A frenagem é atribuição de dois discos flutuantes de 320 mm na frente e discos simples com 276 mm e pinças flutuantes atrás. Este conjunto opera com auxílio tecnológico de um sistema ABS integral.

Entre os demais sistemas auxiliares de condução destaca-se o Shift Assistant Pro, que possibilita mudanças mais rápidas de marcha, sem a necessidade de acionamento da embreagem.

Graças ao sensor de inclinação, é possível configurar tanto a regulagem do ABS quanto as funções DTC (Controle de Tração Dinâmico). Dependendo do modo de condução utilizado, o DTC permite mais ou menos derrapagem, garantindo, assim, a melhor propulsão possível em qualquer superfície.

Outro diferencial é o sistema de suspensão semiativa eletrônica Dynamic-ESA, que realiza um ajuste automático de amortecimento de acordo com as condições do terreno. A ação de amortecimento da mola é adaptada na dianteira e na traseira por meio das válvulas de controle de acionamento elétrico.

As configurações básicas do Dynamic-ESA também estão associadas aos modos de condução Rain, Road e Dynamic que podem ser facilmente ativados por meio de um botão. Em cada modo de condução, é aplicada uma afinação de amortecimento recomendada pelos especialistas da BMW Motorrad.

O condutor pode adaptar a coordenação entre o Dynamic ESA, a entrega de potência do motor (características), HSC e DTC à situação de condução, ao selecionar os modos preferidos com as respectivas configurações. Destaque também para o Cruise Control, sistema responsável pelo controle eletrônico de velocidade e por mantê-la constante.

Entre os demais itens de série estão diferenciais como assento e manoplas aquecidos; sistema keyless (que permite ao condutor ligar a moto por meio de um simples botão); preparação para GPS; sistema de áudio com bluetooth; sistema de monitoramento de pressão dos pneus; farol dianteiro Pro e farol auxiliar em LED.

Todo este pacote chega com duas opções de cores: branco Alpine ou a azul Planet, uma opção exclusiva do pacote Opcional 719.

Neste caso, além da coloração azul Planet, o Opcional 719 inclui, também, diferenciais como tampa do cabeçote e tampa do motor personalizadas em alumínio anodizado e banco em couro castanho.

Há, também, como diferencial do Opcional 719 a roda sport, neste caso, disponível para as duas cores ofertadas no Brasil.

Fotos: Joerg Kuenste / BMW Motorrad / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Nova Fiat Strada ganha série limitada Opening Edition

Da Redação

NovaStradaOpeningEdition_dianteira

A Fiat anunciou, hoje, que a nova Fiat Strada contará com a série Opening Edition.

Trata-se de uma série limitada e numerada em 250 unidades na cor branco Alaska, que traz itens exclusivos para a picape líder de seu segmento há 20 anos.

“A nova Strada Opening Edition foi feita para colecionadores, pensada e desenvolvida nos mínimos detalhes para marcar esse momento histórico. Depois de emplacarmos 6.564 unidades em julho, chegamos a 8.689 modelos comercializados em agosto, colocando a picape como o segundo veículo mais vendido do Brasil. Com a série limitada, oferecemos uma configuração para clientes que desejam ter um veículo ainda mais especial”, afirmou Herlander Zola, diretor do brand Fiat e Operações Comerciais Brasil.

NovaStradaOpeningEdition_skidplate

Baseada na versão topo de linha Volcano, que destaca os faróis de LED afilados com luzes DRL (Daytime Running Light), a picape recebeu skidplate grafite na dianteira e barras de teto na mesma cor.

Na lateral, rodas de liga leve de 16 polegadas com acabamento diamantado, estribos laterais, retrovisores em preto brilhante, badges, adesivos e soleiras em vinil alusivos à série limitada.

A traseira é completada por um engate de reboque e a caçamba possui um divisor de carga, com o adesivo Opening Edition ilustrando a tampa.

NovaStradaOpeningEdition_traseira

Internamente, a série limitada apresenta diversos elementos na cabine dupla que a diferenciam na gama. O revestimento do volante em couro tem costura de cor prata, que é o mesmo tom da mostrina, das pedaleiras e da costura da coifa do câmbio.

A Strada Opening Edition conta, ainda, com um badge que indica a numeração do modelo – que vai de 1 a 250 – e tapete de carpete com borda em vinil e pesponto prata.

O consumidor que adquirir uma unidade da série limitada também terá uma atenção ainda mais dedicada da Fiat. Ele receberá um Welcome Kit contendo uma caixa exclusiva numerada com boné da nova Strada, squeeze, carteira, duas xícaras, chaveiro e carta nominal, e poderá receber o veículo em casa, se for de sua vontade.

NovaStradaOpeningEdition_interno1

O motor é o mesmo a versão Volcano, o 1.3 Firefly de quatro cilindros, com 109 cv de potência a 6.250 rpm e 14,2 kgfm de torque (etanol); com gasolina, são 101 cv a 6.000 rpm e torque de 13,7 kgfm a 3.500 rpm. O câmbio é manual de 5 marchas.

A Strada Opening Edition tem garantia de fábrica de 3 anos e preço sugerido de R$ 92,29 mil. Para fins de comparação, a versão Volcano, na qual a série especial foi baseada, tem o preço sugerido de R$ 79,99 mil.

NovaStradaOpeningEdition_lateralFotos: Fiat Chrysler Automóveis (FCA) / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Scania lança caminhão vocacional 10×4

Maior capacidade de carga para a mineração e a construção pesada reduz custos e aumenta a produtividade

Da Redação (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 25/09/2020)

SCANIA G500 10X46 - TSL TRANSPORTES

A Scania apresentou ao mercado seu novo veículo de configuração 10×4, o único da indústria nacional, segundo a fabricante. Todos os componentes, por exemplo, trem de força, eixos e tecnologias embarcadas, são 100% Scania.

O Scania G 540 10×4/6 XT Heavy Tipper chega para ser o caminhão mais próximo da linha amarela na capacidade de carga líquida (até 55 toneladas), com Opex (despesas operacionais) e Capex (despesas de capital) muitos menores, custo total de operação (TCO) mais competitivo, além de maior versatilidade na atividade, o que se traduz em aumento de produtividade.

Produzido com componentes mais robustos do que os demais membros da linha XT, o G 540 10×4 Heavy Tipper foi desenvolvido para atender as demandas mais severas da mineração e da construção pesada (que compõe as grandes obras de infraestrutura).

O caminhão chega para ampliar a gama XT Heavy Tipper, formada, até então, pelos modelos 6×4 e 8×4. O G 540 10×4 salta das atuais 44 toneladas de capacidade de carga líquida do Heavy Tipper 8×4 para até 55 toneladas, aumentando consideravelmente sua produtividade.

SCANIA G500 10X46 - TSL TRANSPORTES

Dessa forma, o peso bruto total (PBT) sobe para 69 toneladas. “Os concorrentes oferecem, no máximo, 35 toneladas de carga e 50 toneladas de PBT. A Scania está inovando o mercado mais uma vez e vai superar as expectativas dos clientes”, salientou Fabricio Vieira, gerente de Soluções Off-Road da Scania no Brasil.

“Ainda em comparação aos 8×4 competidores, o Scania 10×4 possibilita até 15% de redução no custo por tonelada, pois são necessários menos veículos para movimentar a mesma carga.”, concluiu Vieira.

Para tracionar este caminhão, sob a cabine se encontra uma motorização com tecnologia XPI de injeção de combustível em alta pressão, 540 cv de potência e 2.700 Nm de torque. De acordo com Scania, o propulsor da nova geração também tem a vantagem de economizar, no mínimo, 8% de combustível em comparação à gama anterior.

Equipamentos – O Scania G 540 10×4 XT Heavy Tipper está equipado com bogie traseiro (capacidade nominal de 36 toneladas) e eixos direcionais (11 toneladas cada um), eixo cardan que suporta maior torque para melhor partida em rampa, maior robustez do diferencial e do redutor de cubo com relação final 7.63, que possibilitam uma capacidade máxima de tração (CMT) de até 210 toneladas.

SCANIA G500 10X46 - TSL TRANSPORTES

O quinto eixo (100% Scania) tem novo mecanismo de acionamento e mudou de posição (passando a ficar na frente do bogie traseiro). Para suportar a maior demanda de carga todo o conjunto de suspensão (molas, barras estabilizadoras e amortecedores) foi alterado.

Por outro lado, para garantir a segurança necessária durante a operação, o sistema de direção se tornou mais robusto e o freio ganhou um reforço no sistema para proporcionar melhor desempenho de frenagem.

O câmbio Opticruise 100% automatizado tem 14 velocidades e dispõe na alavanca do modo Off-Road, que ao ser acionado faz o propulsor girar em rotações mais amplas. A caixa de marchas é da versão GRSO935R e oferece uma resistência superior. O lay shaft brake, freio do eixo secundário, está incorporado e garante trocas mais rápidas, seguras e suaves.

O sistema de frenagem auxiliar conta com o freio hidráulico Scania Retarder com desacoplamento do rotor do trem de força, que funciona quando o sistema não estiver acionado para economizar combustível.

SCANIA G500 10X46 - TSL TRANSPORTES

Com potência de 4.100 Nm, ele aumenta significativamente a performance da frenagem, principalmente em baixas velocidades, além de diminuir os custos de manutenção, pois reduz o desgaste do freio de serviço, das lonas e tambores, especialmente, em descidas íngremes e muito acidentadas.

Completam os itens de série, controle de tração, hill-hold (sistema de auxílio que segura o veículo em aclives, impedindo que ele recue no momento da saída), eixo traseiro com diferencial duplo, para-choque em aço com ângulo de ataque de 29º, proteção nos faróis, espelhos retrovisores reforçados e pino de reboque frontal com capacidade de 40 toneladas.

O Heavy Tipper 10×4 pode ser equipado com alguns opcionais que garantem mais segurança na operação. Entre eles, airbag no volante e airbag lateral de cortina (contra tombamento), que propiciam mais proteção aos motoristas. O veículo também pode ser especificado com bafômetro, que só libera a partida após testar que o condutor não ingeriu bebidas alcoólicas nas últimas horas.

Para os segmentos fora de estrada (canavieiro, madeireiro, construção e mineração) a nova geração de caminhões oferece as cabines P, G e R com a linha vocacional XT. Há opções de alturas de teto diferentes, eixos e suspensões de molas ou pneumáticas adequadas a condições extremas, freio de estacionamento elétrico e soluções adaptadas para cada aplicação.

17320-014

Para os segmentos da mineração e construção pesada, tanto para o transporte dentro e fora das operações, a Scania oferece uma ampla gama de soluções, no seu portfólio, com as mais variadas opções de carga para maximizar a produtividade, a disponibilidade e com o menor custo por tonelada transportada. 

As potências vão de 220 a 620 cv e os torques de 1.000 a 3.000 Nm. Já as trações disponíveis são 4×2, 4×4, 6×4, 6×6 e 8×4. E, agora a 10×4. Os veículos podem ser plataforma (chassi rígido) e cavalo mecânico.

Marca oferece amplo pacote de serviços para o novo modelo

Da mesma forma que a robustez dos componentes impacta no dia a dia dos veículos usados na mineração e na construção pesada, quanto mais personalizados os serviços mais benefícios trazem para o cliente.

 “O perfil do cliente do G 540 10×4 Heavy Tipper é de um alto grau de exigência tanto do produto quanto do serviço. Por isso, com a chegada da nova geração de caminhões, nossa promessa se baseia em oferecer serviços desenhados especificamente para estes segmentos. Temos um portfólio completo, que atende as mais diversas necessidades”, afirmou Marcelo Montanha, diretor de serviços da Scania no Brasil.

17074-049

Foto: Göran Wink / Scania / Divulgação

“Para este lançamento, os pilares das nossas soluções são gestão inteligente da frota, maior disponibilidade, máxima produtividade e menor custo possível de manutenção.”, disse Montanha.

Em razão do trem de força e dos eixos serem 100% Scania, a garantia de fábrica é um diferencial decisivo.

Para o cliente obter o ápice de retorno, o portfólio dos Serviços Scania contempla manutenções nos lugares mais remotos, soluções personalizadas de atuação no local da mina ou no canteiro da obra, mecânicos dedicados, gerenciamento e estrutura física de oficina.

Além de programas de manutenção (PMS), serviços de gestão de frota, programa completo de treinamento e coaching para os motoristas (Driver Services), sistema de troca exclusivo, intervalo de manutenções personalizadas, sistema de diagnose e programação.

SCANIA G500 10X46 - TSL TRANSPORTES

Os Serviços Conectados Scania também estão disponíveis para o G 540 10×4 XT Heavy Tipper. Na aquisição já estará incluso o pacote Desempenho por um ano, de forma gratuita. Ele incorpora os benefícios do pacote de entrada Análise e permite a leitura e a identificação detalhada de dados da operação, tanto para informações dos veículos quanto individualmente por motorista. 

Para aproveitar ao máximo a conectividade pelo uso dos dados gerados na operação, o cliente pode contratar o Scania Fleet Care com um Gestor de Frota, que terá o objetivo de aumentar a disponibilidade e a confiabilidade dos veículos e diminuir custos.

Ferramentas inteligentes ajudam a planejar a manutenção e os reparos de modo a serem feitos no tempo ideal e com o mínimo de paradas. O serviço é avançado a ponto de indicar se um condutor precisa ser treinado ou reorientado em pontos específicos como, por exemplo, na utilização do freio auxiliar Scania Retarder ou no controle da marcha lenta. Uma vantagem determinante na garantia da segurança e na redução dos custos operacionais.

Onde o cliente estiver – Para aquelas minas ou canteiros de obras distantes, de difícil acesso ou aonde os caminhões trabalham sem sair do confinamento, a Scania disponibiliza  soluções para atender os clientes. O atendimento remoto é uma delas.

SCANIA G500 10X46 - TSL TRANSPORTES

Ele pode ter um ou mais pontos de apoio no local para agilizar o fornecimento das peças e da manutenção. Ainda abrange estoque de peças utilizadas, ferramentas e equipamentos previstos na manutenção e a presença de técnicos especializados para pronto atendimento. Além dele, a Scania pode instalar contêineres de oficina, de peças e loja in company no ambiente de trabalho do veículo.

Há também os Serviços Dedicados em que uma filial da concessionária é montada dentro da estrutura da operação fora de estrada. Ao atender o cliente nas suas instalações há eliminação imediata de tempo de deslocamento e espera até o concessionário. O resultado é a racionalização dos custos operacionais.

Para o novo G 540 10×4 XT Heavy Tipper, e também para os caminhões da atual linha XT vocacionada à mineração e construção, a fabricante oferece o Sistema de Troca Scania, com mais itens disponíveis e a mesma garantia de uma peça nova.

Entre as novidades incorporadas estão caixa de câmbio, freio auxiliar Scania Retarder, planetária e diferenciais. A variedade de peças originais remanufaturadas da Scania garante a mesma qualidade que as novas, mas numa aquisição mais econômica (a média de redução dos preços pode chegar a 50%). Além de assegurar a rapidez da entrega e da troca no veículo evitando perda desnecessária de hora trabalhada.

SCANIA G500 10X46 - TSL TRANSPORTESFotos (exterior): Wagner Menezes / Scania do Brasil / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

BMW apresenta os novos M3 Sedan e M4 Coupé

Da Redação

P90399285_highRes_the-new-bmw-m3-compe

A BMW apresentou os novos M3 Sedan e M4 Coupé. Trinta e cinco anos após o lançamento do primeiro M – o lendário E30 M3 – a 6ª geração do M3 e a 2ª geração do M4 integram atributos tanto de rua quanto de pista.

Equipados com a última versão dos motores BMW TwinPower Turbo S58 em linha de 3.0 litros com 510 cv, os novos M3 Sedan e o M4 Coupé também oferecem a opção da tradicional transmissão manual de 6 velocidades, algo raro neste segmento.

Quatro modelos serão oferecidos no lançamento no mercado global em março de 2021, todos eles com tração traseira: o M3 Sedan com transmissão manual e o M3 Competition Sedan com transmissão automática; o M4 Coupé com transmissão manual e M4 Competition Coupé com transmissão automática.

P90399293_highRes_the-new-bmw-m3-compe

Ainda em 2021, os modelos Competition receberão a opção M xDrive (tração integral), ampliando o poder de escolha dos fãs de BMW M.

O novo motor S58 oferece 480cv a 6.250 rpm e 550 Nm de torque entre 2.650 e 6.130 rpm. Isso permite que o M3 Sedan e o M4 Coupé acelerem de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos no caminho para uma velocidade máxima de 250 km/h ou 290 km/h quando o modelo contar com o pacote M Driver.

Já o motor S58 das versões Competition é ainda mais ajustado para produzir 510 cv a 6.250 rpm e 650 Nm de torque entre 2.750 e 5.500 rpm e reduzir o tempo de aceleração de 0 a 100 km/h para 3,9 segundos e obter velocidades superiores semelhantes de 250 km/h ou 290 km/h. Todos os modelos atingem a faixa vermelha do conta-giros em 7.200 rpm.

P90399303_highRes_the-new-bmw-m3-compe

Os novos BMW M3 e M4 incluem sistemas de resfriamento de água e óleo projetados para resistir às altas temperaturas do uso em pista. As grandes entradas dianteiras garantem que haja fluxo de ar suficiente para os radiadores de baixa e alta temperatura na parte superior da abertura da grade. Já o fluxo de ar da área inferior é usado para resfriar o óleo do motor e nos modelos Competition há um resfriador independente.

O sistema de escape duplo nos novos M3 e M4 foi ajustado com foco em desempenho e sonorização. Os fãs da marca reconhecerão facilmente as ponteiras duplas cromadas, com acabamento em preto nas versões Competition.

Os flaps controlados eletricamente fornecem níveis de som confortáveis, reduzindo as frequências sonoras intrusivas. O usuário tem à disposição a possibilidade de selecionar os modos de condução SPORT ou SPORT + e, então, aumentar a intensidade do ronco do escapamento para coincidir com a sensação dinâmica do veículo.

P90399288_highRes_the-new-bmw-m3-compe

Há, ainda, o botão de som M que permite que o motorista reduza a nota do motor quando desejado e funciona em qualquer modo de direção.

Em um segmento cada vez mais desprovido de experiência de direção clássica, os novos modelos BMW M3 e M4 destoam ao oferecer a opção de tração traseira e transmissão manual de 6 velocidades.

As mudanças de marcha curtas e precisas fazem sua parte para aumentar a conexão entre o motorista e o carro. Um assistente de mudança de marcha melhora a estabilidade direcional durante uma condução mais dinâmica, combinando as rotações do motor durante as reduções de marcha.

P90399359_highRes_the-new-bmw-m3-compe

Este sistema pode ser desligado por meio do menu iDrive por motoristas mais experientes. Outro bônus da opção com transmissão manual é a redução de peso de 22 kg em relação à transmissão automática M Steptronic de 8 velocidades e uma distribuição de peso aprimorada.

Os novos modelos se beneficiam de melhorias na carroceria e no chassi (em relação às versões que não integram a família M) e de incontáveis horas de testes intensos nas instalações do BMW Group em Miramas, no sul da França; no centro de testes de inverno em Arjeplog, Suécia; e em Nurburgring’s Nordschleife, na Alemanha.

A suspensão M Adaptativa com amortecedores controlados eletronicamente oferece controle preciso com conforto e agilidade. O sistema de frenagem integrado M oferece duas configurações selecionadas pelo motorista para sentir o pedal do freio.

P90399214_highRes_the-new-bmw-m4-compe(1)

O controle de tração M traz uma nova função integrada ao controle de estabilidade que ajusta a sensibilidade de subesterço e sobresterço em 10 diferentes estágios, com base nas preferências e necessidades do motorista.

Os componentes dos freios padrão M foram desenvolvidos especialmente para os novos BMW M3 e M4 e apresentam um sistema dianteiro composto por pinça fixa de seis pistões com discos de 380 mm e pinças flutuantes de pistão único traseiros com discos de 370 mm. As pinças são pintadas em azul metálico, mas há opcionais em preto ou vermelho; todos com o logotipo M.

Os freios opcionais de cerâmica M Carbon oferecem maior poder de frenagem, estabilidade térmica aprimorada e resistência extremamente alta ao desgaste. Suas pinças são complementadas por discos frontais de 400 mm e discos traseiros de 380 mm.

P90399213_highRes_the-new-bmw-m4-compe

Os novos BMW M3 e M4 são as mais agressivas versões das respectivas séries até hoje. O design específico M os diferencia mais do que nunca das versões não esportivas. Cores exclusivas da pintura externa, rodas forjadas de liga leve M, teto de fibra de carbono e o pacote externo opcional M Carbon enfatizam o caráter superesportivo dos modelos.

Por dentro, destaque para a assinatura M o que inclui detalhes em vermelho para os botões M no volante de couro e o botão start / stop no console central. A alavanca seletora de marcha com interruptor Drivelogic nas versões Competition é revestida em couro com um logotipo M embutido e costuras nas cores M GmbH. Os modelos também contam com acabamento interno opcional em fibra de carbono.

Os modelos dispõem da tecnologia BMW Live Cockpit Professional e contam com um display de instrumentos totalmente digital de 12,3 polegadas e um display central digital de alta resolução com tela sensível ao toque de 10,25 polegadas.

P90399240_highRes_the-new-bmw-m4-compe

O mais recente sistema operacional iDrive 7.0 inclui navegação com novos mapas armazenados em nuvem e conectividade sem fio para dispositivos móveis como Apple CarPlay e compatibilidade com Android Auto e BMW Intelligent Personal Assistant. O iDrive 7 também permite que motorista e passageiros interajam com os veículos por meio de comandos de voz.

O novo botão de configuração (setup) no console central fornece ao usuário acesso direto às sete opções configurações de uso do trem de força e do chassi. O motorista agora pode usar o controle por toque ou o controlador iDrive para ativar o modo desejado para a resposta do motor, configurações do amortecedor e características ajustáveis de direção e freios.

Estreiam com os novos modelos o opcional M Drive Professional, desenvolvido especificamente para a condução em pista. Esta nova opção ajuda o piloto a fazer progressos consistentes na busca do traçado ideal e de uma volta perfeita.

P90399268_highRes_the-new-bmw-m4-compe

Fotos: Daniel Kraus / BMW Group / Divulgação

Os recursos incluem o M Drift Analyzer, que registra a duração, distância percorrida, linha e ângulo de um drift com uma classificação exibida no display.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

GM lança Onix RS e Onix Plus Midnight

Da Redação

b60487e935ba55f634b7ac3dbce993f9

A General Motors apresentou, hoje, duas versões especiais para o Chevrolet Onix. O primeiro deles é o Onix RS, para a carroceria hatch.  A outra novidade é estreia mundial do Onix Plus Midnight, que marca o lançamento do acabamento todo preto da grife global da Chevrolet para a carroceria sedan.

A versão RS traz um apelo mais arrojado e esportivo, enquanto o Midnight mescla ousadia e elegância, segundo a GM. Em relação à configuração, essas duas novidades da linha Onix reúnem os equipamentos considerados essenciais pelos seus respectivos clientes, como a eficiência do motor turbo, o conforto da transmissão automática, a segurança dos seis airbags e a conectividade do sistema MyLink, agora com tela maior, de 8 polegadas.

A versão RS do hatch e a série Midnight do sedan começam a chegar às concessionárias Chevrolet a partir de outubro.

No Brasil, o Onix é ofertado em duas opções de carrocerias (hatch e sedan), três pacotes mecânicos (1.0 MT6, 1.0 Turbo MT6 e 1.0 Turbo AT6) e, a partir de agora, em mais dois níveis de acabamentos (MT, LT, LTZ, RS, Midnight e Premier).

Onix RS (23)

A versão RS é uma das mais cultuadas da Chevrolet no mundo, pelo fato de agregar acabamentos exclusivos que proporcionam um design mais esportivo ao veículo e dão um toque mais marcante para o interior.

Inicialmente presente apenas em carros icônicos da marca, seu conceito vem se expandindo para diversos modelos recém-lançados do portifólio. No Brasil, o Onix foi o escolhido para estrear a versão RS, justamente por alcançar diversos perfis de clientes com seu grande volume de vendas.

O Onix RS se destaca pelos diversos itens exclusivos. A dianteira traz uma nova grade tipo colmeia, spoilers mais pronunciados esculpidos nas extremidades do próprio para-choque e um imponente conjunto luminoso, com faróis tipo projetor com máscara negra e luz DRL com moldura em preto brilhante, além do exclusivo emblema RS e da gravata Chevrolet black bow tie.

Na lateral, o modelo traz os retrovisores pintados em preto metálico, combinando com as novas rodas em alumínio de 16 polegadas e uma saia lateral na cor do veículo, que faz o carro parecer mais próximo do solo.

Onix RS (24)

Na traseira, além do spoiler integrado ao para-choque, o Onix RS traz um aerofólio e o emblema com o nome do veículo com acabamento escurecido. O teto também é pintado em preto.

“O exterior é caracterizado pelos diversos acabamentos em tons de preto. A grade, as rodas e o logo ‘Onix’ ganham um tom preto brilhante, já os retrovisores, o teto e o aerofólio são pintados com uma tinta metálica, enquanto as máscaras dos faróis e os adesivos de coluna são foscos para que criem um efeito interessante com qualquer uma das três opções de cores para a carroceria: branco Summit, vermelho Carmim e preto Ouro Negro”, explicou Rodrigo Fioco, diretor de marketing de produto da GM América do Sul.

No interior, a cor a escolhida para diferenciar a versão é o vermelho. A cor está presente nas costuras pespontadas da forração do volante esportivo de base reta, iguais às que decoram os bancos inteiriços.

Já as saídas de ar trazem molduras com um toque vermelho acetinado que combina com o grafismo do quadro de instrumentos projetado especialmente para esse carro. Os ponteiros são iluminados em LED.

Onix RS (9)

Vale destacar que este modelo é o único da linha a trazer cabine com revestimento de teto e colunas escurecidos.

O Onix RS utiliza o motor 1.0 turbo, de 116 cv (etanol), que trabalha em conjunto com uma transmissão automática de 6 marchas. Segundo a GM, esse powertrain leva o Onix, da imobilidade aos 100 km/h, em 10,1 segundos.

De acordo com os dados do Inmetro, o carro percorre com gasolina, em média, até 14,4 km/l na estrada e 10,1 km/l na cidade. Com etanol, os números são: 12 km/l e 8,3 km/l, respectivamente.

O Onix RS traz uma tela maior, de oito polegadas, para o MyLink compatível com Android Auto e Apple Car Play.

Alguns dos itens presentes na série especial:

  • Luz de condução diurna em LED com moldura em preto brilhante
  • Sistema de áudio com seis alto-falantes
  • Ar-condicionado
  • Direção com assistência elétrica
  • Travas e vidros elétricos com controle remoto na chave
  • Sensor de estacionamento traseiro
  • Computado de bordo
  • Controlador de limite de velocidade
  • Regulagem de altura do banco e cinto de segurança do motorista
  • Regulagem de altura e profundidade para o volante
  • Airbag duplo frontal, duplo lateral e duplo de cortina
  • Freios ABS com sistema de distribuição de frenagem e assistência de frenagem de urgência
  • Controle eletrônico de estabilidade e tração
  • Assistente de partida em aclive

Onix Plus Midnight (3)

Onix Plus Midnight – A série especial Midnight já está presente na linha Chevrolet em modelos como a picape S10 e os SUVs Tracker e Equinox.

O conceito “todo preto” para carroceria e acabamentos, que caracteriza a série Midnight, chega desta vez ao Onix Plus Premier.

A série se diferencia das demais versões do sedan por conta do conjunto frontal mais esportivo, com a nova grade tipo colmeia em preto brilhante e pelos faróis tipo projetor com máscara negra.

O modelo conta, também, com rodas escurecidas de 16 polegadas com desenho diferenciado da versão Premier original, assim como os frisos frontais e laterais e logos, que aqui aparecem monocromáticos – incluindo a gravata Chevrolet em preto, característica de séries especiais da marca.

Onix Plus Midnight (25)

Os bancos dianteiros e traseiros apresentam revestimento na cor preta denominada Jet Black, exclusiva da versão. O Onix Plus Midnight oferece um pacote único de itens de aparência e uma combinação de itens de série.

Alguns dos itens presentes na série especial:

  • Sistema de áudio com seis alto-falantes
  • Ar-condicionado
  • Direção com assistência elétrica
  • Acendimento automático dos faróis por sensor crepuscular
  • Sensor de estacionamento traseiro e câmera de ré
  • Chave inteligente para destravamento das portas e partida da ignição por botão
  • Computado de bordo
  • Controlador para limitar a velocidade
  • Regulagem de altura e profundidade para o volante
  • Regulagem de altura do banco e cinto de segurança do motorista
  • Airbag duplo frontal, duplo lateral e duplo de cortina
  • Freios ABS com sistema de distribuição de frenagem e assistência de frenagem de urgência
  • Controle eletrônico de estabilidade e tração
  • Assistente de partida em aclive
  • Controlador de limite de velocidade

O conjunto mecânico do Onix Plus Midnight é o mesmo do Onix RS. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 10,4 segundos, de acordo com a Chevrolet.

Fotos: General Motors do Brasil (GMB) / Divulgação

A média de consumo fica entre 12 km/l (cidade) e 15 km/l (estrada) com gasolina e entre 8,6 km/l (cidade) e 10,9 km/l (estrada) com etanol no tanque.

Preços:

Chevrolet Onix RS: R$75,59 mil

Chevrolet Onix Plus Midnight: R$81,39 mil

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Ford inicia a produção da nova F-150 nos EUA

Da Redação

NovaFordF-150Elétrica-3Ford F-150 elétrica

A Ford anunciou o início da produção da nova F-150 no complexo do Rouge, em Dearborn (EUA), e a construção de um novo centro de veículos elétricos no local, onde será feita a F-150 elétrica em meados de 2022, além de uma versão híbrida – veja o vídeo.

“Estamos orgulhosos de mais uma vez inovar para o futuro no Rouge, com a estreia da nova F-150 e a construção de um novo centro de manufatura para a produção da primeira F-150 elétrica”, disse Bill Ford, presidente do Conselho da Ford.

“A crise de Covid-19 deste ano deixou claro por que é tão importante para empresas como a Ford ajudar a manter nossa base de manufatura forte e ajudar o país a voltar ao trabalho.”

Ford-FuturoCentroVeículosElétricosRouge-ProjetoProjeto do futuro Centro de Veículos Elétricos da Ford – Rouge, Dearborn (EUA)

Um estudo recém-lançado do Boston Consulting Group (BCG) revelou que a Série F, picape mais vendida da América do Norte desde 1977, está entre os bens de consumo mais valiosos de lá e é um importante gerador de empregos.

Seus dados incluem:

  • Dos mais de dois milhões de picapes grandes produzidas nos EUA no ano passado, a Ford montou quase a metade – o dobro de qualquer outra montadora;
  • A Série F contribuiu com quase US$ 50 bilhões para o PIB dos EUA;
  • A Série F sozinha gera mais receita do que grandes empresas como McDonalds, Nike, Coca-Cola, Visa e Netflix.

A nova F-150 chega ao mercado norte-americano em novembro. Ela terá a maior capacidade de reboque e carga útil do segmento, segundo a Ford, e recursos totalmente novos para aumentar a produtividade, como atualizações over-the-air e um trem de força híbrido PowerBoost de 3.5 litros com gerador de energia integrado, o Pro Power Onboard.

NovaFordF-150Elétrica-1

“O lançamento da nova F-150 está a caminho – no prazo e com a qualidade que os nossos clientes exigem para realizar o seu trabalho”, disse Jim Farley, diretor de Operações da Ford e novo CEO.

“As picapes Série F são a espinha dorsal do trabalho e da produtividade dos EUA. Agora estamos nos preparando para construir uma versão elétrica do veículo mais popular da América do Norte, uma ferramenta realmente capaz feita especialmente para os clientes de picapes.”

A F-150 elétrica está passando por dezenas de milhares de horas e milhões de quilômetros de testes extenuantes nas pistas e laboratórios para ser a picape mais poderosa e com menor custo total de operação da linha já feita até hoje, informou a Ford.

NovaFordF-150Elétrica-2Fotos: Ford / Divulgação

Além disso:

  • A Ford vai lançar uma nova tecnologia na F-150 elétrica que permite usar a picape como fonte de energia para acampamentos e locais de trabalho;
  • A F-150 elétrica contará com dois motores elétricos para entregar mais potência, torque, aceleração e capacidade de reboque que qualquer F-150 disponível hoje;
  • ​​Veículos elétricos, como a F-150 elétrica, requerem significativamente menos manutenção que um motor a gasolina típico, com economia de mais de 40% no custo total operação;
  • Com um porta-malas dianteiro gigante, a F-150 elétrica aumenta a versatilidade e segurança no transporte de carga e objetos valiosos;
  • Como os demais modelos da nova F-150, a versão elétrica será melhorada continuamente ao longo do tempo com atualizações rápidas over-the-air.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Honda apresenta linha 2021 do WR-V

SUV, que já emplacou mais de 5 mil unidades em 2020, passou por atualizações do design, ganhou equipamentos e uma nova versão

José Oswaldo Costa (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 18/09/2020)

4J6A6180c-5

O WR-V, utilitário esportivo compacto da Honda, foi lançado em 2017. No ano passado, o SUV emplacou 12.160 unidades, o que dá uma média de cerca de 1.013 unidades/mês.

Com esses números, o WR-V obteve o 47º lugar no ranking dos modelos mais vendidos no Brasil, em 2019, e a 14ª posição entre os utilitários.

Agora em 2020, nos primeiros oito meses do ano, o modelo teve 5.463 unidades comercializadas, ou seja, uma média mensal de cerca de 682 unidades. Os números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O SUV compacto, desenvolvido no País, é responsável por 22% de todas as vendas da marca no nosso mercado.

A Honda apresentou, ontem, a linha 2021 do modelo. O WR-V passou por pequenas mudanças visuais, ganhou equipamentos de segurança e uma nova versão de entrada, a LX. Com a introdução dessa versão, a fabricante espera conquistar novos clientes e retomar os números de vendas mensais de antes da pandemia (1.000 unidades/mês).

4J6A6264x-9

A mudança mais significativa ocorreu na dianteira. A barra cromada está mais fina e a nova grade frontal ganhou acabamento preto brilhante. Os novos faróis são em LED, da mesma forma que os faróis de neblina (nas versões mais caras).

Esses últimos também ganharam nova moldura. Todas as versões passam a contar com luzes de rodagem diurnas em LED.

O pra-choque traseiro está mais alongado (67 mm) e o friso acima da placa, antes cromado, agora é na mesma cor da carroceria. As novas lanternas passam a utilizar iluminação em LED.

Para completar as alterações visuais, rodas em liga-leve, de 16 polegadas, com acabamento escurecido para as versões EX e EXL.

4J6A6149c-4

Interior – Nas versões LX e EX, os bancos receberam nova padronagem para o tecido utilizado. A versão EXL, topo de linha, utiliza material sintético que imita o couro. O painel ganha atualizações pontuais nas cores aplicadas, com a utilização de friso do volante e molduras do painel em black piano, com detalhes cromados.

Todas as versões trazem, de série, o sistema de bancos que a Honda denomina de Magic Seat. Ele permite diversas configurações de assentos e a acomodação de objetos de grandes dimensões.

Na lista de equipamentos, desde a versão LX, o WR-V é equipado com ar-condicionado, direção assistida eletricamente, vidros elétricos nas quatro portas e retrovisores elétricos com setas integradas. O SUV traz, ainda, sistema de áudio com conexão bluetooth e câmera de ré integrada, além de tapetes em carpete.

Além disso, as três versões passam a contar com controle de estabilidade, controle de tração, Hill Start Assist, monitoramento da pressão dos pneus e alerta de frenagem emergencial.

4J6A0112ccc

Motor e Câmbio – No que diz respeito ao powertrain, nenhuma novidade. O Honda WR-V segue utilizando o motor 1.5 capaz de render 115/116 cv de potência, a 6.000 rpm, e 15,2/15,3 kgfm de torque, a 4.800 rpm, com gasolina e etanol, respectivamente.

O câmbio é automático do tipo CVT e possui conversor de torque. Como novidade, as versões EX e EXL do SUV trazem paddle shifts (“borboletas”) atrás do volante para trocas de marchas manuais.

De acordo com a Honda, com esse conjunto o WR-V obtém os seguintes números de consumo: Etanol – 8,1 km/l na cidade e 8,8 km/l na estrada; Gasolina – 11,7 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada.

O WR-V apresenta altura do solo (207,3 mm) e ângulos de ataque (21º) e saída (30,1º) compatíveis com a proposta de um SUV, sem comprometer o conforto e a agilidade de um modelo compacto.

4J6A0028

A suspensão adota amortecedores com batente hidráulico e haste do amortecedor reforçada, barra estabilizadora robusta, projetada para minimizar a rolagem da carroceria, garantindo estabilidade mesmo com uma altura do solo mais elevada.

O eixo traseiro tem seu desenvolvimento baseado no HR-V e traz alta rigidez para o aumento do conforto e dirigibilidade.

O WR-V 2021 será comercializado no Brasil, a partir de outubro, em três versões (LX, EX e EXL), nas seguintes cores: branco Tafetá (sólida), prata Platinum, cinza Barium (metálicas), preto Cristal, branco Estelar e vermelho Mercúrio (perolizadas), além da nova cor azul Cósmico (metálica).

O utilitário compacto tem três anos de garantia sem limite de quilometragem.

4J6A0001 (85)

Honda WR-V 2021 – Versões, Preços e Itens:

LX – R$83,40 mil

Essa versão é equipada, entre outros, com: duplo airbag, controle de estabilidade, controle de tração, Hill Start Assist, direção com assistência elétrica, câmera de ré, sistema Isofix para fixação de cadeiras infantis, luzes diurnas em LED, ar-condicionado, rodas em liga-leve de 16 polegadas, faróis de neblina, faróis com acendimento automático e regulagem de altura, sistema de áudio de 5 polegadas com bluetooth, vidros, travas e retrovisores elétricos e volante com regulagem de altura e profundidade.

EX – R$90,30 mil

Conta com todos os itens da versão LX acrescidos de: dois airbags laterais (quatro no total), ar-condicionado digital, paddle shifts para trocas de marchas manuais, faróis principais e de neblina em LED, lanternas traseiras em LED, sistema de aúdio de 7 polegadas com Apple CarPlay e Android Auto, câmera de ré multivisão, sensor de estacionamento traseiro, volante revestido em couro, rodas em liga-leve de 16 polegadas escurecidas, entre outros.

EXL – R$94,70 mil

A versão topo de linha do WR-V traz todos os equipamentos da versão EX acrescidos de: dois airbags do tipo cortina (seis no total), sistema multimídia com GPS integrado, bancos revestidos em material sintético que imita o couro, retrovisor interno eletrocrômico, sensor de estacionamento dianteiro, entre outros.

4J6A0454c-194Fotos: Honda / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Ducati apresenta a nova Multistrada 950S

Da Redação

Ducati Multistrada 950 S Action 03

A Ducati lançou, nessa semana, a nova Multistrada 950S. O modelo chega ao Brasil se destacando pela alta tecnologia embarcada.

A moto vem equipada, entre outros, com a nova Unidade de Medição Inercial Bosch de seis eixos (6D IMU), Vehicle Hold Control (VHC) para arranques mais fáceis em subidas (especialmente com piloto, garupa e bagagem) e embreagem hidráulica.

O Ducati Quick Shift up & down (DQS) permite a troca de marchas sem o uso da embreagem, tanto para cima quanto para baixo. A Multistrada 950S tem tanque de 20 litros, e peso seco de 206 kg.

A moto é compatível com o Ducati Link App: esta aplicação permite ao utilizador ativar o journey mode (uma combinação do Load e Riding Mode) e personalizar os parâmetros de cada Riding Mode através do seu smartphone.

Sua versatilidade de aplicação também fornece informação detalhada sobre os intervalos de manutenção, manual de utilização e localizador de Ducati Store. Além disto, o Ducati Link App possibilita aos motociclistas gravarem as suas performances e viagens.

DucativMultistrada 950 S Touring Static 07

A 950S conta com espaço e conforto, permitindo que duas pessoas possam sentar-se facilmente, mesmo com a top case e as malas laterais. Os pedais foram revestidos com inserções em borracha para minimizar as vibrações.

Outra característica é o assento com altura de 840 mm do solo. O assento mais baixo (820 mm de altura do solo) está disponível para os motociclistas que queiram colocar os pés no chão com maior facilidade, bem como uma opção de assento mais alto (860 mm).

O para-brisas permite o ajuste vertical com uma mão numa amplitude de 60 mm (e a gama de acessórios inclui, também, uma opção de para-brisas mais baixo). Existem duas tomadas de 12 V, uma sob o assento do passageiro e a outra na área do painel. As duas podem ser usadas para carregar itens eletrônicos.

O GPS da Garmin, disponível como acessório, é carregado com um conector dedicado. Existe também uma entrada USB sob o assento, que pode ser utilizada para carregar smartphones.

A área de armazenamento sob o assento do passageiro permite guardar o kit de ferramentas, manual de utilizador e objetos pessoais.

Ducati Multistrada 950 S Static 02

O motor que equipa a Multistrada 950S é o bicilíndrico Testastretta 11º de 937 cm3 com distribuição desmodrômica. Com refrigeração líquida e quatro válvulas por cilindro, ele conta com medidas de 94 e 67,5 mm para o diâmetro e curso, respetivamente.

A potência máxima é de 113 cv a 9.000 rpm e o torque máximo é de 9,6 kgf.m a 7.500 rpm. A taxa de compressão é de 12.6:1.

O motor tem intervalos de manutenção de 15.000 km ou a cada 12 meses, com a inspeção da folga das válvulas a cada 30.000 km.

O quadro é em treliça com tubos de diâmetro largo e espessura reduzida e dois sub-quadros laterais. A Multistrada 950 tem uma distância mínima ao solo de 183,5 mm, enquanto numa distância entre eixos de 1.594 mm distribui o peso do condutor e bagagem (quando aplicável), beneficiando as entregas dinâmicas do veículo. O novo e mais leve duplo braço oscilante em alumínio fundido está pintado de preto.

A moto apresenta um garfo ajustável de 48 mm e curso da suspensão de 170 mm, sendo totalmente regulável em compressão, extensão e pré-carga da mola.

Ducati Multistrada 950 S Static 06

Na traseira, um amortecedor liga o braço oscilante ao elemento esquerdo do subquadro, também totalmente ajustável e com curso de suspensão de 170 mm.

A Multistrada 950S está equipada com o sistema Ducati Skyhook Suspension Evo (DSS). A compressão e extensão são continuamente ajustadas de acordo com a abordagem semiativa que assegura o equilíbrio ideal da moto.

Na prática, o sistema mantém a atitude da moto constante, qualquer que seja a superfície da estrada, minimizando as oscilações sofridas pela moto, aumentando significativamente o conforto e a segurança.

A tecnologia DSS Evolution analisa os dados de numerosos sensores para calcular e estabelecer os ajustes necessários de modo a tornar a pilotagem o mais suave possível.

O sistema permite um ajuste fácil e intuitivo das definições da moto através da nova interface HMI, garantindo que a suspensão esteja exatamente de acordo com as condições de utilização.

Ducati Multistrada 950 S Action 02

Ele tem um potencial de configuração praticamente ilimitado, uma vez que se podem selecionar eletronicamente 400 combinações de parâmetros através da nova interface.

A Multistrada 950S dispõe de rodas redesenhadas que reduzem o peso total em 500 g em relação ao modelo anterior. Os aros têm as medidas de 3.0” x 19’’ na frente e 4.5” x 17’’ atrás, equipada com pneus Pirelli SCORPION Trail II (120/70 ZR19 à frente e 170/60 ZR17 na roda traseira).

A moto é equipada com pinças monobloco Brembo M4.32 de fixação radial, com quatro pistões de 32 mm de diâmetro e duas pastilhas, bombas radiais com manetes reguláveis e dois discos dianteiros de 320 mm. Na traseira ela traz um disco de 265 mm com pinça flutuante Brembo.

O Ducati Traction Control (DTC) detecta, e controla, qualquer derrapagem da roda traseira, aumentando a segurança. Este sistema permite selecionar entre oito diferentes perfis, cada um deles calibrado para permitir uma tolerância ao derrapar da roda traseira que se molde aos níveis progressivos de capacidade de pilotagem (classificados de 1 a 8).

O modelo pode ser ligado sem a chave mecânica graças ao sistema Hands Free que permite acionar a moto num raio de até dois metros. O código da chave é reconhecido e a ignição ativada.

Ducati Multistrada 950 S Static 01

Os modos de pilotagem introduzidos pela primeira vez na Multistrada em 2010, permitem a seleção de diferentes modos pré-definidos que otimizam o comportamento da moto de acordo com o estilo de condução individual e as condições da estrada.

A Multistrada 950S conta com quatro modos de pilotagem: Touring, Esportivo, Urbano e Enduro.

Cada um deles programado para agir sobre o sistema eletrônico Ride-by-Wire de comando do motor, bem como nos níveis de intervenção do ABS e DTC.

Os modos de pilotagem podem ser alterados mesmo em movimento, enquanto as definições personalizadas do ABS e do DTC têm de ser efetuadas com a moto parada.

Touring – entrega a potência máxima de 113 cv com uma resposta progressiva do acelerador Ride-by-Wire; o DTC está num nível mais elevado, tal como o ABS, maximizando tanto a estabilidade em travagem com a prevenção da elevação da roda traseira.

Esportivo –  transforma a Multistrada numa máquina capaz de proporcionar elevadas doses de adrenalina, com uma potência máxima de 113 cv. Este modo de pilotagem caracteriza-se por uma resposta direta do Ride-by-Wire às solicitações do acelerador e baixa intervenção do DTC e do ABS, não contando com a prevenção da elevação da roda traseira.

Urbano –  entrega uma potência máxima de 75 cv e uma resposta progressiva do acelerador Ride-by-Wire; O DTC está regulado para um nível de intervenção mais elevado, tal como o ABS, maximizando a estabilidade em travagem e a prevenção da elevação da roda traseira.

Enduro – dá à Multistrada 950S uma potência máxima de 75 cv com uma resposta progressiva do acelerador Ride-by-Wire; a intervenção do DTC está adaptada à utilização em off-road e a regulação do ABS é baixa, desativando a prevenção de elevação da roda traseira.

Ducati Multistrada 950 S Static 04

O quadro de instrumentos consiste num painel TFT de alta resolução, o mesmo disponível nas Multistrada 1260S e Enduro. Fácil de ler, mesmo sob a luz solar direta, este painel caracteriza-se pela interface extremamente intuitiva, o que torna fácil percorrer os menus e ajustar as definições. O novo HMI da 950S conta com os mesmos computadores retroiluminados que equipam a Multistrada 1260.

Tal como em outros modelos da família Multistrada, a 950S tem um conjunto ótico full-LED, integrando o sistema Ducati Cornering Lights (DCL) que otimiza a iluminação em curva de acordo com o ângulo de inclinação da moto. Também conta com uma nova função que desliga automaticamente os indicadores de mudança de direção de acordo com o ângulo de inclinação.

Graças à IMU (Unidade de Medição Inercial), os piscas desligam-se após completar uma mudança de direção ou percorrer uma distância prolongada.

O preço público sugerido da Ducati Multistrada 950S é de R$94,99 mil e a moto já está disponível nas concessionárias da Ducati.

O novo modelo será vendido com duas opções de cores: Ducati Red e na nova cor Glossy Grey. São quatro pacotes completos de acessórios para customização: touring, enduro, esportiva, e urbana.

Ducati Multistrada 950 S Action 04Fotos: Ducati / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Chevrolet Tracker ganhará duas novas versões com a motorização 1.0 Turbo

Da Redação

De março até agosto desse ano, o Chevrolet Tracker registrou a venda de 20,9 mil unidades, alta de 145% ante o mesmo período do ano passado, segundo a General Motors.

Quando foi lançada, há seis meses, a nova geração do SUV teve a maior parte de suas vendas concentradas na versão topo de linha, a 1.2 Turbo Premier, de 133cv e 21,4 kgfm de torque.

Porém, com o ajuste do mercado, as vendas começaram a migrar para as versões com o motor 1.0 Turbo, de 116 cv e 16,8 kgfm de torque. De olho nesse movimento, a GM vai ampliar as opções com essa motorização.

Ao mesmo tempo, vai retirar duas versões com o motor 1.2 do catálogo (1.2 Turbo AT e 1.2 Turbo LTZ). Ou seja, o motor mais potente equipara somente a versão topo de linha, a mais cara.

As novas versões 1.0 Turbo chegarão ao mercado em outubro. Por esse motivo, a fabricante ainda não informou os seus respectivos preços. O portfólio manterá, basicamente, os que são praticados hoje: entre os R$ 87,49 mil, da versão de entrada mais básica, e os R$ 119,49 mil, para a 1.2 Turbo Premier.

Fotos: General Motors do Brasil / Divulgação

“O Tracker 1.0 Turbo surpreendeu em performance e eficiência energética, superando inclusive concorrentes equipados com motores maiores. Além disso, estamos observando grande interesse do mercado por configurações mais equipadas”, disse Rodrigo Fioco, diretor de marketing de produto da GM América do Sul.

Com estas duas novas opções de acabamento, LTZ e Premier, o modelo 1.0 Turbo passa a oferecer itens até então exclusivos do modelo 1.2 Turbo, como sensor de ponto cego, alerta de colisão com assistente autônomo de frenagem, assistente de estacionamento, rodas de 17 polegadas, ar-condicionado digital e acabamento interno premium.

Multimídia com Wi-Fi e câmera de ré, sistema de telemática OnStar com serviços conectados de segurança e proteção, além do aplicativo myChevrolet app para comandar funções do veículo à distância eram algumas das tecnologias já disponíveis para o modelo.

Além do motor mais potente, o teto solar panorâmico é outra exclusividade do Tracker 1.2 Turbo Premier.

Com estas alterações, a gama de versões do produto fica da seguinte forma:

  • 1.0 Turbo MT/AT
  • 1.0 Turbo LT
  • 1.0 Turbo LTZ
  • 1.0 Turbo Premier
  • 1.2 Turbo Premier

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Fiat Strada evolui na 2ª geração mantendo os principais atributos que lhe renderam a liderança nos últimos 20 anos

Muito mais tecnológica, a picape se tornou um produto completo para vários perfis de clientes, podendo ser utilizada tanto para o trabalho quanto para o lazer

José Oswaldo Costa

(Publieditorial)

Nova Fiat Strada Endurance Cabine Plus 1.4 Fire

A Fiat Strada é líder do seu segmento há 20 anos. Em 2019, foram comercializadas 76.223 unidades da picape, uma média de cerca de 6.351 unidades/mês.

Para que se tenha uma melhor idéia de sua incontestável liderança, a concorrente direta emplacou, no mesmo período, 42.270 unidades (cerca de 3.522 unidades/mês). Esses números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

De acordo com a Fiat Chrysler Automóveis (FCA), já são mais de 1,5 milhão de exemplares da Fiat Strada vendidos até hoje e, no ano passado, o modelo bateu seu recorde histórico de vendas com 58,2% de participação no segmento.

Mas, engana-se quem acha que não se mexe em time que está ganhando. O que já é muito bom pode sempre melhorar. Dessa forma, a FCA lançou, no fim do mês de junho, a segunda geração da Fiat Strada.

Essa nova geração passou a atender também os proprietários que usam a picape nos momentos de lazer com suas famílias, mas sem deixar de lado seu uso no trabalho, onde o modelo sempre se destacou e angariou admiradores.

Para se ter uma ideia da incrível receptividade alcançada pela Nova Fiat Strada, hoje a demanda média diária é de 770 unidades. Isso significa vendas 3,5 vezes maiores comparadas a 2019, e uma procura quatro vezes superior ao previsto à época do lançamento, informou a FCA.

Cerca de 70% das vendas da picape são feitas para micros, pequenos e médios empresários. Tanto da cidade, quanto do campo. Ainda assim, com a ampliação do público-alvo, as vendas para pessoa física, no varejo, saltaram de 5% na geração anterior para 25% com a Nova Fiat Strada.

Como destaca o gerente de Veículos Comerciais da FCA, Felipe Daemon, “no território work, a Fiat Strada sempre foi líder. E essa liderança se dá pelos seus atributos diferenciados: versatilidade, qualidade do produto (refletida em sua robustez para o trabalho) e o custo-benefício”.

“A Nova Fiat Strada vem se destacando pela tecnologia embarcada, pelo design e pela segurança, que evoluíram muito em relação à geração anterior, fazendo com que ela atinja uma maior faixa de público. Ou seja, o segredo é que ela passou a ser um produto completo que atende a vários perfis”, completa Daemon.

Dentro dessa evolução mencionada pelo executivo, podemos destacar alguns quesitos importantes para o segmento. O primeiro deles, diretamente ligado à sua vocação para o trabalho, é o aumento da capacidade da caçamba.

Cabine Plus – Foi muito interessante a criação da versão Cabine Plus em substituição à Cabine Simples, que saiu de linha. É uma solução híbrida entre simples e estendida. A nova versão para dois passageiros ganhou em espaço volumétrico para a caçamba e, também, no espaço interno.

A Fiat Strada Cabine Plus é capaz de acomodar até 1.354 litros, um acréscimo de 134 litros. Já a capacidade de carga passou de 705 kg para 720 kg.

Além disso, o novo posicionamento da suspensão traseira permitiu maior vão de carga na caçamba entre as picapes da categoria: os 1.059 mm entre as torres no compartimento de carga facilitam muito a acomodação de grandes volumes. Há novas molas, amortecedores e geometria, além de novas travessa de suspensão e barra estabilizadora na dianteira, e novo eixo traseiro.

E essa nova engenharia da suspensão manteve o DNA já consagrado pelo mercado de trabalho, como o feixe de molas, mas evoluiu muito. Foi mantida a robustez e obteve-se um nível de conforto muito interessante.

Outra novidade é que a caçamba conta com um vão de carga modular. Ele recebeu trilhos para acessórios da Mopar, como divisórias e cargo box, além de contar com ganchos inferiores e superiores, que tornam o espaço preparado para diferentes funções.

Com o travamento da tampa, fica bloqueado também o acesso ao estepe, localizado abaixo do assoalho da caçamba para liberar mais espaço para carga. Aliás, a nova tampa traseira está 60% mais leve, facilitando o seu manuseio.

A tampa suporta cargas de até 400 kg, o que ajuda muito, como apoio, no momento de acomodar volumes mais pesados na caçamba. Não menos importante é que ela pode se tornar uma prática mesa para serviços no campo ou para momentos de lazer, por exemplo, possuindo, para isso, até mesmo porta-copos.

O protetor de caçamba é de série para todas as versões. Através da Mopar, a Fiat oferece alguns opcionais interessantes para o serviço diário, como divisores de caçamba que impedem o deslocamento de cargas menores no interior dela, e o extensor.

Esse último possui dupla função. Serve para “fechar” a caçamba, quando é necessário transitar com a tampa aberta, e como rampa de embarque. Para as duas funções, o melhor exemplo é quando o proprietário precisa embarcar e realizar o transporte de uma motocicleta.

Internamente, o ganho de espaço foi grande. A antiga versão Cabine Simples contava com 49 litros, além de ter o estepe alojado atrás do banco, para acomodar bagagens e outros objetos. A Nova Fiat Strada Cabine Plus, com a otimização do espaço interno, conta com 151,2 litros. Não menos importante, o proprietário ganhou mais espaço para reclinar o encosto do banco.

No que diz respeito aos porta-objetos espalhados na cabine, houve um ganho de 30% em relação à geração anterior. Destaque para o nicho localizado acima da tampa do porta-luvas que pode acomodar uma máquina para cartões de crédito ou outra ferramenta de trabalho.

A Fiat Strada Cabine Plus oferece duas versões de acabamento: Endurance e Freedom.

Motores – Quando se fala em trabalho utilizando uma picape, o consumidor fica atento à motorização oferecida. No caso da Nova Fiat Strada, são duas opções: 1.4 Fire e 1.3 Firefly. Os dois são os únicos do segmento que contam com o selo A de consumo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O motor 1.4 Fire gera potência de 88 cv a 5.750 rpm (etanol) e 85 cv a 5.750 rpm (gasolina). Seu torque é de 12,4 kgfm com gasolina e 12,5 kgfm com etanol, ambos a 3.500 rpm.

Na média, seu consumo é o seguinte: Cidade – 11,8 km/l (gasolina) e 8,3 km/l (etanol); Rodovia – 12,4 km/l (gasolina) e 8,9 km/l (etanol).

O motor 1.3 Firefly é uma evolução do Fire. Ele conta com quatro cilindros e oferece 109 cv de potência a 6.250 rpm e 14,2 kgfm de torque (etanol). Com gasolina, são 101 cv a 6.000 rpm e torque de 13,7 kgfm a 3.500 rpm. Interessante ressaltar, também, sua autonomia de 725 km.

Consumo do motor Firefly: Cidade – 12,8 km/l (gasolina) e 9 km/l (etanol); Rodovia – 14,2 km/l (gasolina) e 9,8 km/l (etanol).

Equipamentos de Série – É importante destacar que, nos dias de hoje, mesmo que o veículo seja mais voltado para o uso no trabalho, o consumidor não abre mão de alguns recursos tecnológicos (inclusive os de segurança) e de conveniência. Ou seja, ele não se contenta mais com um carro “pelado”, o conhecido “pé de boi”.

De olho nessa tendência, a FCA trouxe uma Nova Fiat Strada bem equipada desde as versões de entrada. Todas elas contam com: airbags frontais, freios ABS, controle de estabilidade, controle de tração, assistente de partida em rampas (Hill Holder), luzes de condução diurnas, ar-condicionado, volante com regulagem de altura, computador de bordo, iluminação da caçamba, grade de proteção do vidro traseiro, entre outros.

Inclusive, devido à boa relação Preço X Conteúdo, Felipe Deamon destaca que muitos clientes estão partindo para a versão intermediária Freedom. Deamon também faz questão de lembrar as dimensões da nova picape: “A Nova Fiat Strada traz entre-eixos superior à antiga geração, o maior comprimento da categoria, ganhou em largura e em altura. Ou seja, ela está maior, mais alta e mais robusta”.

Nova Fiat Strada Freedom Cabine Plus 1.3 Firefly

Falando em números, vamos a eles, com destaque para a altura mínima do solo e para os ângulos de entrada e saída, que permitem ultrapassar obstáculos com mais facilidade e segurança:

Nova Fiat Strada Cabine Plus: comprimento – 4,48 metros; largura – 1,73 metro; altura – 1,61 metro; distância entre-eixos – 2,74 metros; altura mínima do solo – 208 mm; ângulo de entrada – 23,4°; ângulo de saída – 26,7° e ângulo de rampa – 20,8°. O tanque de combustível tem capacidade para 55 litros.

Nova Fiat Strada Cabine Dupla: comprimento – 4,48 metros; largura – 1,73 metro; altura – 1,60 metro; distância entre-eixos – 2,74 metros; altura mínima do solo – 212 mm; ângulo de entrada – 23,7°; ângulo de saída – 26,5°; ângulo de rampa – 20,9°. O tanque de combustível tem capacidade para 55 litros.

Cabine Dupla – Outra novidade da linha 2021 da Fiat Strada é a nova carroceria com cabine dupla. Com esse grande diferencial, e sua versatilidade, a nova picape está atraindo consumidores de outros segmentos.

Afinal, a ampla gama de versões com a inédita cabine dupla de quatro portas, e única na categoria para cinco ocupantes, faz da picape a melhor opção para atender múltiplos usos, seja para o trabalho, seja para o lazer.

Nova Fiat Strada Volcano Cabine Dupla 1.3 Firefly

As versões com cabine dupla possuem capacidade volumétrica para 844 litros. A capacidade de carga é de até 650 kg.

Com essa carroceria, a Fiat Strada pode contar com alguns itens a mais de segurança e tecnologia, de série ou como opcionais. Vale destacar os airbags laterais, que são de série em todas as versões com cabine dupla, aumentando a segurança para os passageiros.

A Fiat Strada Cabine Dupla é equipada com direção elétrica progressiva e, na versão de topo Volcano, com faróis em LED e a nova central multimídia Uconnect 7”, que apresenta tela sensível ao toque de sete polegadas e traz recursos como Apple CarPlay e Android Auto com projeção sem fio (wireless).

A tela é personalizável e apresenta os controles de todas as funções da picape. O multimídia oferece, ainda, a possibilidade de parear até dois smartphones.

Ele traz diversas funções, como: navegação via Waze e Google Maps; música (Streaming | MP3); reconhecimento de voz (Siri | Google Voice); leitura e resposta de mensagem handsfree para SMS e WhatsApp e integração com calendário.

Além disso, a picape chega com controle de tração avançado E-Locker (TC+) de série em todas as versões. Esse sistema é voltado para situações de off-road leve e auxilia em manobras quando o veículo que se encontra em terreno escorregadio e com a roda patinando.

O E-Locker funciona transferindo mais torque para a roda com maior aderência, fazendo com que a picape vença os obstáculos. A função, acionada através do botão TC+, é desativada automaticamente a partir de 65 km/h.

A Fiat Strada Cabine Dupla oferece três versões de acabamento: Endurance, Freedom e Volcano.

A Nova Fiat Strada conta com três anos de garantia, tendo o cliente a opção de adquirir um dos planos da Garantia Adicional Fiat de 12 ou 24 meses, para chegar a até 5 anos de cobertura.

Nas versões com motor 1.3, o valor das três primeiras revisões é de R$ 1.284, 27,3% mais baixo que o da principal concorrente, informou Felipe Daemon. “Quando se analisa o trio de revisões iniciais das versões com propulsor 1.4, o custo total é de R$ 1.336, 22% a menos do que na mesma rival em versão equivalente”, disse o gerente de Veículos Comerciais da FCA.

Por fim, Daemon faz questão de ressaltar que a Nova Fiat Strada manteve os mesmos preços praticados na geração anterior.

A Fiat Strada, desde a concepção de sua primeira geração, é um veículo que encontrou o equilíbrio entre robustez, conforto, acessórios e baixos custos de manutenção para o proprietário, apresentando um ótimo custo-benefício. A nova geração evoluiu em todos esses quesitos.

Investimentos – A FCA está vivendo um ciclo de investimentos na planta de Betim (MG). Para tanto, houve o aporte de R$ 8,5 bilhões. Este montante foi utilizado na modernização do Polo Automotivo Fiat, bem como no desenvolvimento da nova Fiat Strada, além de outros dois modelos que chegarão ao mercado no ano que vem.

A planta de Betim também passa a contar com novas áreas instaladas: Hub FCA, Safety Center, Design Center, Virtual Center e de transformação digital.

Não menos importante, o valor engloba a capacitação permanente dos colaboradores do Polo Automotivo Fiat.

NovaFiatStradaVolcanoCD33

NovaFiatStradaVolcanoCD_externas2Fotos: Fiat Chrysler Automóveis (FCA) / Divulgação

Nova Fiat Strada – Versões e Preços:

Endurance Cabine Plus 1.4 Fire (manual) – R$ 63,59 mil

Endurance Cabine Dupla 1.4 Fire (manual) – R$ 74,99 mil

Freedom Cabine Plus 1.3 Firefly (manual) – R$ 69,49 mil

Freedom Cabine Dupla 1.3 Firefly (manual) – R$ 77,99 mil

Volcano Cabine Dupla 1.3 Firefly (manual) – R$ 79,99 mil

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br