Nissan Versa 2021 chega ao mercado mais moderno e tecnológico

Nova geração trouxe um belo design para o sedan que conta com motor 1.6 16V

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 30/10/2020)

Nissan Versa 2021 - Versão Exclusive (20)-source

A Nissan apresentou, nesta semana, a nova geração do sedan compacto Versa. De acordo com a fabricante, o modelo foi totalmente pensado e desenhado tendo três pilares fundamentais: tecnologia, design e conforto.

A novidade será oferecida em quatro versões e com equipamentos de segurança e tecnologias só presentes em veículos de segmentos superiores. A pré-venda começa com o topo de linha Exclusive (fotos que ilustram esta matéria) e, em novembro, chegam às concessionárias da marca todas as quatro versões.

Tecnologias – Dentro de sua visão de mobilidade, a Nissan incorporou à nova geração do sedan equipamentos que oferecem mais segurança, conforto e tecnologia e que estão presentes em modelos da gama mais alta da marca e, até mesmo, no 100% elétrico Nissan Leaf.

Nissan Versa 2021 - Versão Exclusive (18)-source

Assim, o Versa está equipado com o que a fabricante chama de Nissan Intelligent Safety Shield, conjunto de tecnologias avançadas de segurança que monitora, protege e responde em algumas situações nas quais o veículo e seus ocupantes possam estar em risco.

Esse “escudo inteligente de segurança” integra sistemas como o Alerta de Colisão Frontal com Assistente Inteligente de Frenagem (FCW/FEB); o Alerta de Tráfego Cruzado Traseiro (RCTA); a Visão 360° Inteligente com Detector de Movimento (MOD); o Monitoramento de Ponto Cego (BSW) e o Alerta de Objetos no Banco Traseiro (Rear Door Alert).

Somados aos seis airbags; controles de estabilidade e tração; freios ABS com distribuição de força; Sistema Inteligente de Auxílio de Partida em Rampa (HSA);  Isofix de cadeiras infantis (todos equipamentos de série desde a versão de entrada, a Sense com câmbio manual), o Nissan Intelligent Safety Shield ajuda o carro e o motorista a monitorar o movimento no entorno, responder a ações inesperadas (como a aproximação desatenta a um veículo na frente) e a proteger (frenagem de emergência e segurança passiva).

Nissa Versa 2021 - Versão Exclusive (6)-source

O Alerta de Colisão Frontal (FCW) detecta objetos na frente e avisa o motorista no painel e, caso ele não acione o freio, o Assistente Inteligente de Frenagem (FEB) atua para estancar o carro.

O Alerta de Tráfego Cruzado Traseiro (RCTA) previne colisões e atropelamentos involuntários nas manobras de ré, já que emite sinais para o motorista quando há a aproximação de outro veículo.

Já as quatro câmeras (localizadas na frente, traseira e laterais) do sistema de Visão 360​​° Inteligente fornecem visibilidade total do entorno. Elas atuam com o Detector de Objetos em Movimento (MOD) para que o Nissan Versa identifique objetos, animais, crianças em locais com visibilidade reduzida nas manobras. E o Monitoramento de Ponto Cego (BSW) emite alertas visual e sonoro ao detectar um veículo em uma manobra de troca de faixa de rolamento.

Nissan Versa 2021 - Versão Exclusive (11)-source

O modelo conta, agora, com o novo sistema multimídia Nissan Connect. Com tela de sete polegadas, inclui os aplicativos Android Auto e Apple CarPlay, assistência de voz para ler mensagens e atualizações de software e do aplicativo do GPS via Wi-Fi.

Com ele é possível, também, a conexão simultânea de dois equipamentos via bluetooth para o uso de um deles para a condução com as mãos livres e de outro para ouvir o aplicativo de música por streaming, por exemplo.

O quadro de instrumentos em TFT, também utilizado na linha do utilitário esportivo Kicks, é outra inovação em tecnologia (para as versões Advance e Exclusive). Com mostradores configuráveis, o painel digital de instrumentos oferece 12 funcionalidades que auxiliam o motorista com informações sobre os equipamentos e sua segurança.

Design – O novo design deu ao Versa dimensões exteriores mais baixas, mais largas e mais longas do que a versão anterior, ao mesmo tempo em que preservou o seu característico interior espaçoso.

À primeira vista, o DNA da marca japonesa se destaca com elementos marcantes como a grade denominada V-motion, os faróis e as lanternas traseiras de LED em formato de bumerangue, coluna C ascendente e teto flutuante com antena tipo barbatana de tubarão, que acentua a sua silhueta aerodinâmica.

As linhas da traseira do sedan expressam o maior espaço interno além de conferir a fluidez que um belo coupé transparece.

O estilo é complementado com espelhos retrovisores externos na cor da carroceria (com regulagem elétrica e aquecimento) e luzes de mudança de direção integradas, além do novo desenho do para-choque traseiro com sensores de estacionamento e de rodas aro 17.

Nissan Versa 2021 - Versão Exclusive (12)-source

Por dentro, a semelhança (bem-vinda) com o Kicks é muito grande. O Versa recebeu, por exemplo, a mesma faixa em material sintético que imita o couro atravessando todo o painel. A Nissan investiu na utilização de materiais macios ao toque, o que traz requinte ao modelo.

A manutenção do ótimo entre-eixos da geração anterior, aliada ao aumento na largura em 5 cm, trouxe ao sedan compacto o espaço interno de um sedan-médio.

O habitáculo conta com 20 compartimentos capazes de acomodar diferentes objetos e três entradas USB, sendo duas delas no console central para atender aos passageiros do banco traseiro.

Nissan Versa 2021 (6)-source

O porta-malas acomoda até 482 litros de carga, 22 litros a mais do que o seu antecessor.

Câmbio e Motor – A Nissan disponibiliza uma transmissão manual de cinco marchas para a versão de entrada Sense. Para as demais versões, adotou a nova geração do câmbio CVT, a mesma utilizada no Nissan Kicks.

A caixa da transmissão tem o modo Sport que, acionado por um botão no câmbio, eleva as rotações para proporcionar respostas mais rápidas quando o pedal do acelerador é acionado.

O câmbio CVT trabalha em conjunto com um motor já conhecido dos brasileiros: o 1.6 16V, que desenvolve 114 cv de potência e torque de 15,5 kgfm.

Nissan Versa 2021 (3)-source

Versões e Preços:

Sense – Manual (R$ 72,99 mil)

  • Acabamento de tecido nos bancos
  • Ar-condicionado
  • Comandos de áudio e telefone no volante
  • Chave inteligente presencial (I-Key)
  • Sistema eletrônico de ignição (botão Push Start)
  • Painel central com tela de 3,5 polegadas
  • Retrovisores externos com regulagem elétrica
  • Rodas de aço aro 15 com calotas integrais
  • 6 airbags (frontais, laterais e de cortina)
  • Alerta de cinto de segurança destravado (frontal e traseiros)
  • Controle de Tração e Estabilidade (VDC)
  • Fixadores traseiros para cadeiras de crianças (Isofix)
  • Freios ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA)
  • Sensor de estacionamento traseiro
  • Sistema Inteligente de Partida em Rampa (HSA)
  • Sistema de áudio com rádio AM/FM, entrada auxiliar, conector USB (um no painel e dois no console para passageiros do banco traseiro)

Linha Nissan Versa 2021-source

Sense – CVT (R$ 77,99 mil)

Todos os itens da versão Sense com câmbio manual acrescidos de:

  • Câmbio CVT com função Overdrive
  • Apoio de braço frontal
  • Controle automático de velocidade com comando no volante

Advance – CVT (R$ 83,49 mil)

Todos os itens da versão Sense CVT acrescidos de:

  • Acendimento inteligente dos faróis
  • Banco traseiro bipartido rebatível (60/40)
  • Faróis com função Follow Me Home
  • Indicador de temperatura externa
  • Quadro de instrumentos multifuncional em TFT de 7 polegadas com 12 funções
  • Retrovisores externos com indicadores de direção
  • Rodas em liga leve aro 16
  • Câmera traseira de estacionamento
  • Faróis de neblina
  • Alerta de Objetos no Banco Traseiro (Rear Door Alert)
  • Central Multimídia com tela sensível ao toque colorida de 7 polegadas

Nissa Versa 2021 - Versão Exclusive (5)-source

Exclusive – CVT (R$ 92,99 mil)

Todos os itens da versão Advance CVT acrescidos de:

  • Acabamento premium soft touch nos bancos (material sintético que imita o couro)
  • Ar-condicionado automático digital
  • Apoio de braço central traseiro
  • Welcome Function
  • Volante com acabamento premium soft touch
  • Antena estilo barbatana de tubarão
  • Faróis dianteiros em LED
  • Assinatura dos faróis dianteiros em LED
  • Rodas em liga leve aro 17
  • Alerta de Colisão Frontal com Assistente Inteligente de Frenagem (FCW/FEB)
  • Visão 360° Inteligente com imagem integrada à tela do rádio
  • Detector de Objetos em Movimento (MOD)
  • Alerta de Tráfego Cruzado Traseiro (RCTA)
  • Monitoramento de Ponto Cego (BSW)
  • Espelho retrovisor com aquecimento
  • 2 tweeters
  • GPS integrado

Nissa Versa 2021 - Versão Exclusive (3)-sourceFotos: Pedro Bicudo / Nissan / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

VW Amarok passa a contar com motor de 258 cv

Da Redação

Amarok V6 258 - 1

Aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 7,4 segundos e velocidade máxima de 190 km/h (limitada eletronicamente). Com estes números de causar inveja a qualquer esportivo, a Volkswagen apresentou a nova Amarok com motor 3.0 V6 TDI (turbodiesel) de 258 cv.

Fabricada na planta de General Pacheco, na Argentina, as primeiras unidades da picape média mais potente do País desembarcam nas concessionárias da marca nas próximas semanas,

Com uma nova calibração da ECU (central eletrônica), o propulsor passou dos 225 cv (165 kW) para 258 cv (190 kW), um ganho significativo de 33 cv (25 kW), ou 15%, entregues entre 3.250 rpm e 4.000 rpm.

Amarok25834Frente

Juntamente com este ganho de potência, o torque foi elevado significativamente, passando de 56,1 kgfm (550 Nm) para 59,1 kfgm (580 Nm), o que representa um incremento de 5%. Esta força está totalmente à disposição do motorista entre 1.400 rpm e 3.000 rpm, garantindo robustez de sobra a todo momento.

Outra importante novidade em termos de performance é a função Overboost, que permite, durante 10 segundos, que o motorista tenha um incremento de 14 cv (10 kW), elevando a potência total da Amarok para 272 cv.

Esta função está disponível quando a picape roda entre 50 km/h e 120 km/h. Este recurso é ideal para uma ultrapassagem em subida com a caçamba lotada, por exemplo. Depois de utilizada, a função Overboost volta a estar disponível após apenas 5 segundos de intervalo.

Amarok25878TraseiraAlta

Atrelado a este motor 3.0 V6 Turbodiesel continua a eficiente transmissão automática de oito marchas, que também passou por uma recalibração, para adequação aos novos padrões de potência e torque.

A transmissão entrega trocas suaves e praticamente imperceptíveis, garantindo não apenas máximo conforto aos ocupantes, mas também elevada eficiência energética. Este câmbio permite, ainda, trocas manuais pela alavanca ou pela aletas (Shift Paddles) atrás do volante.

Assim como a transmissão automática, a tração integral 4MOTION foi mantida, garantindo capacidade e segurança máxima, especialmente em situações fora de estrada, como em pisos de terra, cascalho ou muito acidentados.

Amarok258LateralRgida

Outros recursos eletrônicos de série na picape Volkswagen são o Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), HDC (Hill Descent Control ou Controle Automático de Descida), HSA (Hill Start Assist ou Assistente para Partida em Subida), BAS (Sistema de Assistência à Frenagem), ASR (Controle de Tração), EDS (Bloqueio Eletrônico do Diferencial), freios ABS off-road, RBS (sistema de frenagem na chuva), freios com discos ventilados nas rodas traseiras, airbags frontais e laterais para motorista e passageiro, e Post Collision Brake (sistema que para o veículo após uma batida frontal).

Uma das principais qualidades da VW Amarok é proporcionar um rodar suave e confortável igual ao de um utilitário esportivo, independentemente da caçamba estar cheia ou vazia. Isso se deve à enorme quantidade de recursos tecnológicos e equipamentos voltados para o conforto e a comodidade não apenas do motorista, mas de todos os ocupantes.

Na configuração topo de linha, Extreme, por exemplo, a Amarok oferece ar-condicionado digital Climatronic de duas zonas, bancos dianteiros (motorista e passageiros) com ajustes elétricos, câmera de ré, chave e chave reserva tipo canivete com comando remoto, função Coming & Leaving Home, Piloto Automático (controle automático de velocidade), display multifuncional com computador de bordo Premium Color, faróis bixênon com luz de condução diurna (DRL) em LED e regulagem de altura, faróis de neblina com luz de conversão estática, indicação de pressão dos pneus, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos elétricos, aquecíveis e rebatíveis eletricamente, sensores de chuva e crepuscular, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, travas e vidros (nas quatro portas) elétricos, sistema de alarme com comando remoto keyless, volante com regulagens de altura e profundidade, e bancos, volante multifuncional, alavancas de câmbio e estacionamento revestidos parcialmente em couro.

Amarok258PainelCentral

Em termos de conectividade, as configurações Highline e Extreme trazem de série a central de infotainment Discover Media com App-Connect, CD-player/MP3, conexão bluetooth, entradas USB, SD-card (2) e aux-in , sistema de navegação nativo e tecnologia de espelhamento de smartphone via Apple CarPlay e Android Autro.

A picape será ofertada em três versões de acabamento (Comfortline, Highline e Extreme) e duas de motores (2.0 TDI turbodiesel de 180 cv e 3.0 V6 TDI turbodiesel de 258 cv). Todas cabine dupla.

Uma performance ainda mais robusta exige um design ainda mais arrojado. Junto com o motor 3.0 V6 TDI de 258 cv de potência, a Amarok passa a oferecer o pacote Black Style para a versão topo de linha Extreme na cor Mystic Black. Como o próprio nome diz, a picape da Volkswagen assume um visual dark, com a introdução de uma série de acessórios na cor preta.

São eles:

  • Rodas de liga leve de 20 polegadas ‘Talca’ com acabamento em preto brilhante
  • Para-choque traseiro em preto fosco
  • Grade dianteira com frisos em Black Glossy e cromado
  • Espelhos retrovisores externos em preto Ninja
  • Estribos tubulares em aço em preto fosco
  • Spoiler dianteiro em preto brilhante
  • Frisos dos faróis de neblina em preto brilhante
  • Detalhes de acabamento interno em preto brilhante

A Amarok tem 5,25 metros de comprimento, 3,10 metros de distância entre os eixos, 1,83 metro de altura e 1,94 metro de largura. Preparada para rodar grandes distâncias, o tanque de combustível tem capacidade para até 80 litros.

Já a caçamba tem uma capacidade volumétrica de 1.280 litros. Suas dimensões são: 1,56 metro de comprimento, 580 milímetros de altura, 1,62 metro de largura e 1,22 metro entre as caixas de roda. A carga útil máxima, por sua vez, é de 1.156 quilos.

DSC05612Fotos: Volkswagen / Divulgação

Preços:

VW Amarok Highline V6 (258cv): R$ 243,29 mil

VW Amarok Extreme V6 (258cv): R$ 256,39 mil

Opcionais Highline:

. Capota Marítima e Estribo: R$ 2,98 mil

. Roda em Liga Leve de 19 polegadas: R$ 3,46 mil

Opcionais Extreme:

. Capota Marítima: R$ 1,17 mil

. Pacote Black Style: R$ 1,88 mil

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Toyota anuncia recall do Camry e dos Lexus NX200t, RX350 e LS500h

Da Redação

A Toyota do Brasil disponibilizou um comunicado sobre abertura de uma campanha de chamamento preventiva (recall) dos veículos Toyota Camry e Lexus NX200t, RX350 e LS500h, fabricados entre 2014 e 2019.

De acordo com a fabricante, a campanha abrange um total de 576 unidades de todos os modelos envolvidos.

Leia, abaixo, o comunicado da Toyota na íntegra:

Defeito apresentado: Os veículos envolvidos são equipados com uma bomba de combustível de baixa pressão localizada no tanque de combustível. A Toyota identificou que, devido a certas condições de produção inadequadas, o impulsor presente na bomba de combustível pode apresentar trincas superficiais, resultando no aumento da deformação deste equipamento. Essa deformação pode criar uma interferência com o corpo da bomba de combustível suficiente para torná-la inoperante.

Riscos e implicações: Caso este fato aconteça, a luz de advertência de verificação do motor pode acender e ocorrer o funcionamento irregular do motor. Em casos raros, o veículo pode parar totalmente durante a condução em altas velocidades, aumentando o risco de acidente, com danos materiais ao veículo e lesões físicas graves ou até mesmo fatais a seus ocupantes.

Medidas corretivas: A partir dessa semana (26 de outubro) a Toyota realizará a substituição da bomba de combustível do veículo.

O tempo de reparo é de até quatro (4) horas.

Locais de atendimento e agendamento: O proprietário deverá entrar em contato com a Rede de Concessionárias Autorizadas Toyota, para agendamento prévio. A relação de concessionárias autorizadas para atendimento está disponível no site www.toyota.com.br.

A Toyota esclarece que a presente campanha será realizada de forma gratuita ao consumidor.

unnamed15

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Alpine e Desert são os dois novos modelos da Triumph Tiger 1200 no Brasil

Da Redação

tiger-1200-se-joint-3

As Tiger 1200 Alpine Edition (R$ 83,59 mil) e Desert Edition (R$ 88,59 mil) já estão chegando às 18 concessionárias brasileiras da Triumph, ambas trazendo novidades tecnológicas, principalmente em relação ao modelo de entrada XR e ao intermediário XCx, já disponíveis em nosso mercad

As duas contam com uma condição exclusiva e inédita: 3 anos de garantia de fábrica.

A Tiger 1200 Desert Edition foi inspirada em aventuras épicas da Tiger 1200 nos desertos mais inóspitos e implacáveis do mundo, do Saara ao Kalahari, por exemplo. Já a Alpine Edition teve como inspiração as lendárias aventuras da Tiger 1200 por algumas das cadeias de montanhas mais espetaculares do mundo, informou a Triumph.

Cada nova versão também ganhou uma nova cor exclusiva. A Tiger 1200 Alpine está disponível no tom Snowdonia White, enquanto a Tiger 1200 Desert vem na cor Sandstorm.

tiger-1200-se-joint-2

As duas motos oferecem o já conhecido motor, de três cilindros, de 1.200 cc. Ele desenvolve potência máxima de 141 cv (a 9.350 rpm) e torque máximo de 122 Nm (a 7.600 rpm), com o som incrível proporcionado pelo novo sistema de escapamento Arrow – uma  das novidades que chegam como recursos de série nos dois modelos.

O sistema de escapamento Arrow é um conjunto mais leve, com acabamento em titânio e fixadores feitos de fibra de carbono – tudo isso, além de contribuir com o desempenho e proporcionar um som muito mais refinado ao motor, também oferece um visual mais moderno e nobre às motocicletas.

As duas motos já vêm equipadas, também como item de série, com o sistema de Auxílio de Troca de marcha Triumph (TSA – Triumph Shift Assist). O recurso chegou recentemente ao Brasil na linha Tiger 900 e foi desenvolvido a partir do tradicional quickshifter da Triumph, presente em outros modelos da marca.

O TSA permite mudanças de marchas rápidas para cima e para baixo, mais suaves e confortáveis, sem o auxílio da embreagem, enquanto o piloto mantém a posição do acelerador. Essa tecnologia reduz a fadiga do piloto e melhora a pilotagem.

tiger-1200-alpine-edition-3(1)Tiger 1200 Alpine Edition

A Tiger 1200 Alpine Edition é baseada na versão XRx, não disponível no Brasil, sendo equipada com todos os seus recursos. Isso inclui, por exemplo, piloto automático atualizado, tela ajustável com display TFT colorido, iluminação de LED (que oferece estilo mais moderno e maior visibilidade ao piloto), interruptores com design ergonômico e iluminação de fundo, manoplas com aquecimento, ignição sem chave “amigável ao piloto” e quatro modos de pilotagem: Rain, Road, Off-Road e Sport.

 A Tiger 1200 Desert Edition foi construída a partir da conhecida Tiger 1200 XCx, vendida no Brasil desde 2018. Assim como a Alpine, ela chega ao consumidor equipada com piloto automático, tela ajustável com display TFT colorido, iluminação de LED, interruptores com design ergonômico e iluminação de fundo, manoplas com aquecimento, ignição sem chave “amigável ao piloto”.

A maior diferença é que ela oferece cinco modos de pilotagem: Rain, Road, Off-Road, Off-Road Pro e Sport.

As novas motocicletas oferecem, também: sistemas de gestão totalmente integrados controlados por uma Unidade de Medição de Momento de Inércia (IMU), sistema de frenagem integrado (desenvolvido com a Continental), freios ABS e controle de tração otimizados para curvas, controle de arranque em subida e acelerador e para-brisa ajustável eletricamente.

tiger-1200-desert-edition-10Tiger 1200 Desert Edition                                  

Fotos: Triumph / Divulgação

As novas Tiger são equipadas com freios Brembo de alta especificação, suspensão WP ajustável controlada pela tecnologia Triumph de suspensão semi-ativa, duas posições de altura do assento (835-855 mm), ajustáveis em 20 mm para adaptação ao estilo de pilotagem e ao terreno.

A linha Tiger 1200 conta com mais de 50 acessórios opcionais, permitindo que o cliente personalize bastante a sua moto para maximizar a experiência de pilotagem, independentemente do modelo escolhido.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Porsche anuncia chegada do 718 Cayman GT4 e do 718 Spyder no Brasil

Da Redação

PBR20_0093_fine

A Porsche anunciou a chegada ao Brasil do coupé 718 Cayman GT4 e do roadster 718 Spyder. Eles poderão ser encomendados em todas as concessionárias Porsche a partir de hoje (26 de outubro), com entrega das primeiras unidades prevista para o início de 2021.

Os preços iniciam-se partir de R$ 555,00 mil, para o 718 Cayman GT4, e R$ 549,00 mil, para o 718 Spyder.

PBR20_0094_fine

Os dois modelos foram concebidos para oferecer alto desempenho e máximo prazer de condução esportiva. Ambos são equipados com motor boxer atmosférico de 6 cilindros com 3.995 cm³ e 420 cv de potência.

São duas opções de câmbio: PDK de sete marchas (com modo PDK Sport) ou manual de seis marchas. Esse conjunto mecânico, segundo a Porsche, permite aceleração de 0 a 100 km/h em 4,4 segundos para ambos os modelos, com velocidades máximas de 301 km/h (718 Spyder) e 304 km/h (Cayman GT4).

Tanto o 718 Cayman GT4 quanto o 718 Spyder (apesar de ser derivado do Boxster, esse nome não é usado nesta versão) possuem PASM (sistema de gerenciamento ativo da suspensão) com suspensão rebaixada em 30 milímetros, PSM (gerenciamento de estabilidade) otimizado e PTV (vetoreamento de torque). O PCCB (discos de freio de composto de cerâmica) é opcional.

Para o GT4, existe a opção de pacote Clubsport com santantônio traseiro de aço, extintor de incêndio manual e cintos de segurança de seis pontos para o piloto.

PBR20_0096_fine

No 718 Spyder, a capota de lona tem acionamento manual, de operação fácil e rápida. Com isso, elimina-se o peso do sistema elétrico presente nos 718 Boxster.

Ambos foram feitos pensando no uso em pistas, mas os equipamentos de conforto e conveniência presentes possibilitam o uso em ruas e estradas, informou a Porsche.

Fotos: Porsche / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Avaliamos o Jeep Renegade Trailhawk 2020

Da Redação

Versão topo de linha é equipada com motor turbodiesel de 170 cv e câmbio de 9 marchas

Amintas Vidal* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 23/10/2020)

No primeiro semestre deste ano, abalado pela pandemia, o mercado de automóveis retraiu 40,24%. No acumulado dos seis primeiros meses, o Jeep Renegade liderou o mercado de utilitários esportivos, com 20.270 emplacamentos.

O pódio é completado pelo compacto Volkswagen T-Cross, com 20.595 unidades (2º lugar), e pelo médio Jeep Compass, com 17.637 vendas registradas (3º lugar). Os dados foram fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

DC Auto recebeu o Jeep Renegade Trailhawk  2.0 turbodiesel 4×4, automático, para avaliação. No site da montadora o preço sugerido dessa versão topo de linha é R$ 161,49 mil. Este preço só se aplica para a cor sólida verde. Outras cores metálicas, como a cinza da unidade avaliada, elevam o preço em R$ 1,70 mil. Já a branca perolizada, acresce R$ 2,38 mil. Essa versão vem completa de série e o único opcional disponível é o teto solar panorâmico ofertado pela bagatela de R$ 8,49 mil.

Os principais equipamentos da versão Trailhawk são: ar condicionado dual zone, direção elétrica, sistema de áudio com tela de 8.4 polegadas touch com espelhamento por meio dos aplicativos Apple CarPlay e Android Auto e emparelhamento por bluetooth.

Também estão presentes: quadro de instrumentos de 7 polegadas colorido e configurável, faróis e lanternas traseiras em LED, Keyless Entry’n’go, espelhos retrovisores externos com rebatimento, travas elétricas e vidros elétricos nas 4 portas com one touch, entre outros.

Em relação à segurança, os destaques são: freios com ABS, 7 airbags (dianteiros, de cortina, laterais e de joelho para o motorista), controles de tração e de estabilidade, HDC (controle eletrônico de velocidade em descidas), Hill Start Control e controle eletrônico anti capotamento.  Completam o “pacote” a câmera de marcha à ré, o sensor de estacionamento traseiro, o espelho retrovisor interno eletrocrômico, o sensor crepuscular e o sensor de chuva.

Suas principais diferenças estéticas são: bancos e volante revestidos em material sintético que imita o couro com costura na cor vermelha, assim como as molduras do painel e console nesta mesma cor. Retrovisores externos na cor cinza, adesivo antirreflexo no capô e teto pintado, ambos na cor preta,  completam os difrenciais.

Além de mais equipada de série, a versão Trailhawk é mais preparada para o off-road: as suspensões são elevadas em 20 mm, possui 3 ganchos para ancoragens de cintas para reboque e as rodas em liga leve de 17 polegadas são calçadas com pneus “super verdes” 215/60 de uso misto, inclusive o estepe.

Motor e Câmbio – O motor de 4 cilindros é o Multijet 2.0 turbodiesel com injeção direta e duplo comando acionado por correia dentada. Ele desenvolve 170 cv de potência às 3.750 rpm e torque de 35,69 Kgfm às 1.750 rpm.

O câmbio é automático com conversor de torque e 9 marchas comutáveis manualmente na alavanca ou por aletas posicionadas atrás do volante. A tração é integral e conta com programação automática ou dedicada para areia, neve, lama ou pedra, além de funcionar em reduzida ou em reduzida com bloqueio, tudo controlado por botão localizado no console central. No modo automático, o sistema pode desacoplar a tração no eixo traseiro, em condições de alta aderência, deixando o Jeep em 4×2 para economizar combustível.

Este conjunto propulsor é o melhor oferecido pela Fiat Chrysler Automobiles (FCA) no Brasil. Boa potência, ótimo torque e baixo consumo fizeram a fama do sistema a diesel que equipa, além do Renegade, o Compass e a picape Fiat Toro.

Diferenças de peso, distância entre-eixos e coeficiente de penetração aerodinâmica das carrocerias são os principais motivos que distinguem o comportamento dinâmico de cada modelo. O Renegade é o mais leve, tem a menor distância entre-eixos e a pior aerodinâmica da trinca.

 

 

Contudo, ele apresenta o melhor desempenho em acelerações e a maior capacidade para superar obstáculos no fora de estrada. Entretanto, por conta da sua carroceria com muitos ângulos retos, ele sofre para vencer a resistência do ar quando em altas velocidades.

O Renegade Trailhawk acelera e retoma velocidades com muita rapidez, tornando-se muito ágil no trânsito urbano. Seu alto torque aparece em baixa rotação e se mantêm constante por uma ampla faixa de giro. Isso favorece o desempenho em subidas, superando os inúmeros aclives de Belo Horizonte (MG) com desenvoltura.

Aliada a esta característica, o seu entre-eixos mais curto (2,57 metros) e os seus bons ângulos de ataque, saída e a altura livre do solo (30 graus, 33 graus e 216 mm) conferem ótima capacidade de superar obstáculos em estradas de terra e trilhas.

Seu acerto das suspensões é muito bom, absorvendo as irregularidades e mantendo a tração das rodas com o piso, ajudado, é certo, pelos pneus de uso misto. Certificado pela chancela Trail Rated da Jeep, que habilita pelo menos uma versão de cada modelo a superar trilhas com nível mais alto de dificuldade, o Renegade Trailhawk passou com desenvoltura pelos diversos obstáculos aos quais foi submetido. Não chegamos nem perto dos seus limites, mas, segundo a Jeep, ele aceita inclinação lateral de até 40 graus, habilidade para os mais experientes.  

Rodando – Se na cidade e no campo o Renegade é só alegria, em rodovias ele apresenta uma característica que não agrada a todos. A programação do câmbio não é permissiva e segura as marchas, deixando o modelo um pouco amarrado.

Mesmo tentando trocar pelas aletas, a eletrônica só permite que elas sejam avançadas quando a velocidade já está bem acima da dezena correspondente a cada uma delas, por exemplo, a quarta marcha só entra próximo aos 50 km/h, a quinta acima dos 60 km/h, e assim progressivamente.

Nas duas marchas mais longas é ainda pior. A oitava só entra próximo aos 100 km/h e, a nona, próximo aos 110 km/h. Para quem dirige de forma mais agressiva, este acerto não incomoda, mas quem gosta de uma condução mais econômica, aproveitando o deslocamento por inércia, isso não contribui. Mesmo assim, os números de consumo foram muito bons, como veremos à frente.

No caso do Renegade Trailhawk, os pneus de uso misto e a maior altura do solo também não favorecem ao deslocamento, pois aumentam o atrito e pioram a penetração aerodinâmica.

Acima dos 100 km/h o ruído do vento contra a carroceria, e do contato dos pneus contra o asfalto, são mais audíveis que o barulho de funcionamento do motor, mas todos eles muito contidos, pois o isolamento acústico é muito eficiente. Aos 110 km/h, e na nona marcha, o motor trabalha apenas às 1.750 rpm, outra característica que joga a favor do silêncio a bordo.

Detalhes à parte, o Renegade Trailhawk tem um desempenho dinâmico muito bom em estradas. Além de acelerar com desenvoltura, ele contorna curvas sem grande inclinação da carroceria e mantém a trajetória com pouca tendência ao sobre-esterço.

Mesmo conseguindo essa estabilidade, suas suspensões entregam relativo conforto, principalmente se considerarmos que essa versão é mais alta e o modelo tem entre-eixos mais curto e um reduzido balanço traseiro, algo que, normalmente, faz a suspensão posterior trabalhar em frequências mais altas, desconfortáveis, mas isso não acontece no Renegade.

Essa última característica também penalizou o espaço no porta-malas. São apenas 273 litros de capacidade, especificamente nessa versão que abriga o estepe maior. Já em seu tanque de combustível cabem 60 litros, um bom volume para um compacto.

Com 1,80 metro de largura, 1,71 metro de altura e 4,23 metros de comprimento, medidas de uma carroceria predominantemente quadrada, o Renegade acomoda muito bem cabeças e ombros de quatro adultos. Motorista e passageiro da frente têm bom espaço para as pernas, que é reduzido para os que viajam no banco traseiro. Na parte central do banco traseiro, com conforto, só mesmo uma criança.

 

Acabamento continua sendo referência para o segmento

A ergonomia no interior é acertada e a visibilidade é muito boa para todos os lados. Exceção, a visão cruzada, pois as colunas “C” são muito largas. Os retrovisores externos são grandes, ampliando a visão para trás, mas requerem cuidados, pois costumam esconder pessoas e até mesmo veículos menores quando se olha para os lados.

Existe uma profusão de nichos para todas as necessidades. Garrafas, carteiras, celulares e óculos têm espaços dedicados que tornam a vida a bordo bem prática. Destaque em toda linha Jeep, os materiais de revestimento internos são de ótima qualidade, emborrachados ou acolchoados em sua maioria. Até as partes em plástico rígido apresentam texturas agradáveis ao toque. Com certeza, o Renegade é referência em acabamento na categoria.

A central multimídia é bem completa e responde satisfatoriamente, tanto em sensibilidade ao toque quanto em velocidade de operação. É possível espelhar o smartphone através da porta USB para usar o GPS, por exemplo, e ainda emparelhar um segundo celular pelo bluetooth para ouvir músicas por outro aplicativo que não aparece no Android Auto.

O ar-condicionado permite regulagem individual em duas zonas e é eficiente. Tanto o som, como o sistema de refrigeração, podem ser controlados por botões físicos ou por toque na tela. Arquitetura ideal.

Por fim, podemos destacar outros equipamentos relevantes em nossa avaliação: a direção elétrica é leve em manobras de estacionamento e ganha peso ideal com o aumento da velocidade. As aletas para trocas de marchas ajudam bastante, principalmente, nas reduções para ativar o freio motor e economizar combustível.

A câmera de marcha à ré, com guias esterçáveis, tem boa definição e, em conjunto com os sensores de aproximação traseiros, são muito úteis para amenizar os pontos cegos do modelo. O sistema de aberturas das portas e partida do motor com chave presencial facilita muito o uso no dia-a-dia.

Consumo – Mesmo sendo ruim de aerodinâmica, o Renegade se saiu bem em nossos testes padronizados de consumo. No circuito rodoviário, nós realizamos duas voltas 38,7 km, uma mantendo 90 km/h e outra os 110 km/h, sempre conduzindo economicamente.

Somente o motorista, vidros fechados, ar-condicionado regulado na refrigeração intermediária e faróis acesos completam a padronização. Na volta mais lenta atingimos 18,6 km/l e, na mais rápida, 16,2 km/l. Os números são muito bons, mas inferiores aos do Jeep Compass Trailhawk que utiliza este mesmo conjunto mecânico, dado que comprova a importância da eficiência aerodinâmica para um melhor consumo em estradas.

No teste de consumo urbano, rodamos por quatro vezes em um trajeto de 6,3 km, totalizando 25,2 km. Desenvolvemos velocidades entre 40 e 60 km/h, fizemos 20 paradas simuladas em semáforos com tempos cronometrados entre 5 e 50 segundos e vencemos 152 metros de desnível entre o ponto mais baixo e o mais alto do circuito.

Seguindo os padrões complementares descritos anteriormente, o Renegade Trailhawk atingiu 9,7 km/l, uma ótima média urbana para um teste tão severo como este e marca superior à do Compass Trailhawk. Essa inversão corrobora com a afirmação sobre a aerodinâmica descrita acima, pois sua influência se faz presente apenas em velocidades mais altas do que as praticadas em circuitos urbanos.

Como já mencionamos em avaliações com o Jeep Renegade Trailhawk em outras ocasiões, a versão é muito bem equipada, mas seu preço é elevado para um SUV compacto. Para quem trafega com frequência por estradas de terra e trilhas, ele é uma das melhores opções do mercado. Mas, para quem não faz uso off-road recorrente, a versão Longitude com este conjunto mecânico é mais barata e ainda entrega aptidão para eventuais trajetos no fora de estrada.

Fotos: Amintas Vidal

*Colaborador

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

GM apresenta sua primeira picape 100% elétrica

Da Redação

A General Motors revelou, nos Estados Unidos, a primeira picape 100% elétrica da companhia, a Hummer EV. O modelo chega ao mercado norte-americano, até o final de 2021, pela marca GMC.

A Hummer EV utiliza uma tecnologia de propulsão específica para veículos elétricos de última geração, batizada de Ultium, que permite ao automóvel extraordinária performance nos mais variados tipos de uso, informou a GM.

“Esta inovadora super picape chega ao mercado com celeridade e propósito, deixando a GM um passo mais próximo de um futuro completamente elétrico”, disse Mark Reuss, presidente da General Motors. “Utilizando a nossa arquitetura Ultium Drive, que permite uma ampla gama de opções de configurações, a Hummer EV é ideal para aquele consumidor que busca funcionalidade, eficiência energética e performance”.

A Hummer EV é impulsionada pelo sistema Ultium, um novo conceito de baterias e propulsores específicos para veículos elétricos, ambos de propriedade da GM. De acordo com estimativas da empresa, a picape é capaz de gerar aproximadamente 1.000 cv de potência e 1.500 kgfm de torque, que são gerados por três motores independentes, distribuídos entre as duas unidades de propulsão do utilitário.

Esse conjunto permite a Hummer EV, com tração e-4WD, alto desempenho tanto em pisos asfaltados como no off-road.

Tecnologias adicionais, tanto as que são acionadas voluntariamente pelo condutor como aquelas que entram em funcionamento de forma automática, aumentam a autonomia e a capacidade da super picape para superar desafios.

“Tínhamos uma meta para a Hummer EV: construir a picape mais a impressionante da história”, disse Al Oppenheiser, engenheiro-chefe do projeto. “Ela é um legítimo utilitário off-road com o exclusivo sistema e-4WD, que proporciona dirigibilidade diferenciada, nunca vista em um produto da GM até então.”

Projetada para ser a melhor super picape off-road elétrica, segundo  GM, a Hummer EV conta com tecnologias realmente inovadoras para superar inclusive as mais desafiadoras trilhas.

Entre os equipamentos de destaque estão:

  • Tração nas quatro rodas com o exclusivo sistema CrabWalk: Permite que as rodas traseiras e as rodas dianteiras sejam esterçadas em um mesmo ângulo a baixas velocidades, proporcionando um movimento diagonal do veículo ideal para transpor determinados tipos de obstáculos.
  • Suspensão adaptativa a ar com a função Extract Mode: Permite que a altura da picape seja elevada em, aproximadamente, 150 mm, facilitando a transposição de terrenos rochosos ou mesmo alagados.
  • Pneus Goodyear Wrangler All Territory MT de 35 polegadas, com opção de adotar pneus de até 37 polegadas. Foram desenhados para oferecer resistência e flexibilidade excepcional no fora-de-estrada. Com eles, a super picape elétrica é capaz de realizar escaladas verticais de até 18 polegadas e travessias de áreas molhadas com até 610 mm de profundidade.
  • Blindagem da parte inferior da carroceria: Placas de aço reforçado fixadas à base do veículo ajudam a melhor proteger os componentes posicionados nesta região, como as baterias, principalmente no uso extremo.
  • UltraVision: Composto por um conjunto de câmeras frontais e traseiras instaladas debaixo da carroceria para que se possa ter uma visão de “reconhecimento virtual”. Isso auxilia o condutor, inclusive, a posicionar corretamente os pneus diante de determinados obstáculos. As câmeras localizadas sob o assoalho ficam protegidas e também contam com sistema para lavagem das lentes. A Hummer EV conta com a maior quantidade de câmeras da categoria. São 18 delas para uma visibilidade realmente panorâmica do veículo, e em diversos ângulos.
  • Dispositivos off-road mostram no painel o status dos principais equipamentos do veículo, assim como as condições do terreno. Os dados são projetados nas telas do quadro de instrumentos e do sistema multimídia. Entre as informações estão torque instantâneo, ativação do bloqueio do diferencial, ângulos de inclinação e balanço da carroceria, ciclo de fricção e o funcionamento do sistema de vetorização de torque.

Os recursos de carregamento rápido, combinados com a nova bateria Ultium da GM e suas tecnologias avançadas, oferecem capacidade máxima e autonomia otimizada.

Os destaques incluem:

  • Sistema de tração e-4WD de três motores, que fornece o equivalente a 1.000 cv de potência e mais de 1.500 kgfm de toque;
  • Compatibilidade com sistemas públicos de carregamento rápido de 800 volts DC até 350 kW. A tecnologia pioneira na indústria muda mecanicamente a conexão das baterias do modo paralelo para o modo em série durante o carregamento, o que torna a Hummer EV compatível com os carregadores DC de 350 kW e proporciona quase 160 km de autonomia em 10 minutos de carga.
  • Sistema de propulsão de bateria de Ultium dupla de 24 módulos que entrega excelente autonomia e potência para os três motores;
  • Autonomia estimada de mais de 560 km com carga total, com base em testes preliminares;
  • Versão mais recente do Super Cruise. O recurso de assistência ao motorista permite dirigir sem utilizar as mãos por mais de 320 mil km em estradas onde o uso dessa função é permitido. Traz também a função que pode determinar quando a mudança de faixa é ideal e iniciar a manobra, respeitando os protocolos de sinalização.

A Hummer EV estreia exclusivamente com um pacote de equipamentos de ponta na configuração Edition 1, que se destaca pelas seguintes tecnologias:

  • Watts to Freedom – uma experiência imersiva à escolha do motorista, que libera os recursos de aceleração total do sistema de propulsão elétrico, que vai de 0 a 100 km/h em 3 segundos, aproximadamente, de acordo com estimativa da GM;
  • O controle do modo de direção oferece modos personalizáveis pelo motorista – incluindo divisão de torque entre as rodas dianteiras e traseiras e configurações de direção nas quatro rodas – para diferentes condições de terreno. Inclui o modo Terrain, que aumenta a altura em aproximadamente 5 cm;
  • Controle de direção adaptável com amortecimento contínuo para direção on-road e off-road;
  • Condução ao ar livre graças à rigidez estrutural das baterias Ultium, com teto infinito padrão e Sky Panels removíveis e transparentes, que podem ser armazenados no compartimento frontal do veículo;
  • Materiais de primeira linha no interior do carro;
  • A tela grande do multimídia de 13,4 polegadas e o display do condutor de 12,3 polegadas transmitem a riqueza do desempenho do veículo e as informações de navegação para o motorista.
  • A tampa traseira MultiPro da caçamba com seis posições funcionais.
  • Vidro traseiro elétrico e capô elétrico .

O design da picape Hummer EV é, ao mesmo tempo, marcante e futurista, com acabamento bem executado e algumas minúcias, tal como a letra “H” estampada em uma variedade de peças. A robustez e o apelo tecnológico do veículo também são transmitidos por meio dos efeitos do sistema de iluminação externo e interno.

“A picape Hummer EV conta com uma silhueta marcante e simboliza um futuro moderno e completamente elétrico” explicou Phil Zak, diretor-executivo de design. “As linhas do veículo traduzem esse aspecto extremamente imponente, reforçado por uma arquitetura robusta e um interior realmente premium e distinto”.

A picape é o primeiro modelo elétrico da marca GMC e o início de sua produção está prevista para o fim de 2021. A fábrica Zero da GM de Detroit-Hamtramck (EUA), fundada há cerca de 40 anos, foi toda atualizada e preparada para a produção exclusiva de veículos com este tipo de propulsão. Para isso, foram investidos 2,2 bilhões de dólares.

Fotos: General Motors / Divulgação

 

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Mustang Mach 1 será vendido na Europa

Da Redação

A Ford vai vender o Mustang Mach 1, edição limitada de alto desempenho do esportivo, pela primeira vez na Europa. O anúncio foi feito na abertura da Goodwood SpeedWeek, um dos eventos automobilísticos mais badalados do mundo, em West Sussex, no Reino Unido.

A Ford também exibe no festival o Mustang Mach-E 1400, protótipo elétrico com mais de 1.400 cv que estreia no circuito Goodwood conduzido pelo famoso piloto Vaughn Gittin Jr., e o novo Puma ST, primeiro SUV da grife Ford Performance na Europa, além do Ford GT e outros modelos.

Mustang Mach 1

O motor V8 5.0 com calibração e refrigeração especial, de 460 cv, e a aerodinâmica aprimorada para as pistas dão ao novo Mustang Mach 1 um desempenho digno da tradição desse ícone. Ele é o primeiro Mustang de produção na Europa a ter a opção de transmissão manual Tremec de alto desempenho, além da automática de 10 velocidades.

A suspensão também é especial, com amortecedores MagneRide, molas, barras estabilizadoras e buchas com especificações sob medida para oferecer controle e resposta aprimorados sob altas cargas em curvas. O software de assistência elétrica da direção foi calibrado para proporcionar um nível inédito de precisão.

O design externo do Mustang Mach 1 lembra os icônicos modelos dos anos 1960 e 1970, com faixa no capô, listras laterais e rodas exclusivas de 19 polegadas. Cada modelo é identificado com uma placa trazendo o seu número de produção.

Criado em 1969, o Mustang Mach 1 elevou o nível de desempenho do Mustang GT com uma série de melhorias, incluindo motores V8 mais potentes, suspensão de competição e estilo personalizado.

O Mach 1 de primeira geração estabeleceu 295 recordes de velocidade e resistência em Bonneville Salt Flats e venceu o Campeonato de Rali de Construtores SCCA, nos EUA, em 1969 e 1970. Novas versões foram introduzidas em 1971, 1974 e 2003, somando mais de 300.000 unidades produzidas desde 1969.

Fotos: Ford / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Linha 2021 traz nova versão topo de linha para o Fiat Mobi

Da Redação

Mobi_Trekking_0001

A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) anunciou a chegada da linha 2021 do subcompacto Fiat Mobi. O modelo conta com mais de 215 mil unidades vendidas desde o seu lançamento, de acordo com a FCA.

O destaque da linha 2021 fica com a nova versão aventureira Trekking. Ela se junta às configurações Easy e Like.

Depois da nova Strada e do hatch Argo, agora é a vez do Mobi receber a nova identificação da marca na grade do radiador e a Fiat Flag (pequena bandeira), também na grade frontal.

Mobi_Trekking_0040

O Mobi 2021 levou também para seu interior a nova identidade da marca. A nova logomarca está no centro do volante e na chave. Já a Fiat Flag está presente no revestimento do câmbio.

O Mobi ganhou novos para-choques dianteiros, nova moldura na caixa de rodas, pintura lateral inferior e novas calotas para a versão Like. O modelo ganhou na altura livre do solo, agora de 190 mm, e no ângulo de entrada, com 24º.

Dentre as novidades da configuração topo de gama Trekking, podemos destacar:

Barras longitudinais de teto;

Teto bicolor com logo alusivo à versão e adesivo no capô;

Calotas escurecidas com desenho exclusivo ou rodas em liga leve de 14 polegadas;

Retrovisores com pintura black piano;

Mobi_Trekking_0004

Faixas laterais e maçanetas pintadas na cor do veículo;

Novos tecidos exclusivos com costura laranja;

Novo adesivo na tampa traseira e nova identificação da versão.

Com a nova geração da central multimídia, o Mobi passa a oferecer o sistema de multimídia UConnect 7”, o mesmo que equipa as picapes Toro e Strada.

Com uma tela sensível ao toque, traz recursos importantes como Apple CarPlay e Android Auto com projeção sem fio (wireless), e pode parear dois smartphones.

Mobi_Trekking_0055

Desenvolvida no País, a central é intuitiva, funcional e amigável, melhorando de maneira significativa a experiência do usuário com o veículo, através das funções:

Navegação via Waze e Google Maps;

Música (Streaming | MP3);

Reconhecimento de voz (Siri | Google Voice);

Leitura e resposta de mensagem handsfree para SMS e WhatsApp, por exemplo;

Integração com calendário.

A tela é personalizável e exibe controle de todas as funções do veículo. Além disso, tem baixo reflexo diurno e brilho ajustável, segundo a Fiat. O sistema dá suporte a múltiplas conexões via bluetooth e conta com computador de bordo. Há, ainda, uma segunda porta USB à disposição dos passageiros.

A central multimídia é um equipamento opcional nas versões Like e Trekking. O pacote acrescenta quatro alto-falantes e dois tweeters, além de volante multifuncional.

Mobi_Trekking_0003

O consumidor também pode optar pelo Pack Fit In na versão Like, composto por ajuste de altura do volante, do cinto de segurança e do banco do motorista, e abertura interna da tampa de combustível.

A configuração Trekking traz, exclusivamente, dois pacotes de opcionais:

  • Style: rodas de liga leve de 14 polegadas e faróis de neblina;
  • One: espelhos retrovisores elétricos com função tilt down, sensor de estacionamento traseiro, ajuste de altura do volante, do cinto de segurança e do banco do motorista, além de abertura interna da tampa de combustível.

O Fiat Mobi é equipado com o motor Fire Evo Flex 1.0, de até 75 cv de potência a 6.250 rpm (com etanol), e câmbio manual de 5 marchas.

Na linha 2021, o Fiat Mobi tem preço público sugerido de R$ 38,99 mil (Easy), R$ 46,49 mil (Like) e R$ 47,39 mil (Trekking).

Mobi_Trekking_0002Fotos: Fiat Chrysler Automóveis (FCA) / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

VW Taos entra na briga com o Jeep Compass

SUV, que chega ao Brasil no 2º trimestre de 2021, é equipado com motor 1.4 turbo

Da Redação (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 16/10/2020)

A Volkswagen apresentou, nessa semana, o utilitário esportivo médio que disputará, no Brasil, mercado com o líder do segmento, o Jeep Compass. O Taos, segundo a VW no lançamento online, se caracteriza principalmente pelo design, tecnologia e segurança.

O novo SUV coincide com a celebração do 40º aniversário da marca na Argentina, país de onde foi transmitida sua avant-premiere mundial. O Volkswagen Taos significa um investimento de US$ 650 milhões, destinados à modernização dos equipamentos e da infraestrutura da planta de General Pacheco, em Buenos Aires (Argentina).

Com a implementação da nova plataforma global MQB e uma nova área de pintura, que permitirá grande economia no consumo de água e energia, além de uma redução substancial de emissão de partículas, o Volkswagen Taos será lançado na América Latina a partir do segundo trimestre de 2021.

Na linha da Volkswagen, o Taos se posicionará acima do T-Cross e abaixo do Tiguan All Space. O novo utilitário mede 4,46 metros de comprimento, 1,63 metro de altura, 1,84 metro de largura e possui um entre-eixos de 2,68 metros.

Design – O design é um dos pontos de destaque do modelo. O Taos possui uma silhueta típica SUV, que transmite uma imagem sólida e robusta, além de garantir espaço interno aos seus ocupantes.

Nas laterais, destacam-se as caixas de roda “quadradas” com os cantos arredondados e para-choques “musculosos”, que realçam e aumentam a sensação de força do modelo.

O Taos também se destaca por sua frente elevada que, juntamente às fortes linhas angulares no para-choque, conferem a ele um design dinâmico e ágil.

Como principal novidade, ele estreia a nova assinatura noturna da marca, que conecta os faróis com uma linha de luz de LED que percorre a grade de um lado ao outro. Esta nova identidade de LED também pode ser encontrada nas lanternas traseiras do veículo.

No interior, de acordo com a Volkswagen, a equipe de design da marca se inspirou em 3 conceitos-chave: premium, único e sofisticado. A disposição horizontal do painel transmite sensação de espaço e coloca à vista do motorista a “ilha digital”, composta pelo Active Info Display (quadro de instrumentos digital) com tela de 10,25 polegadas e o sistema multimídia VW Play, que apresenta tela de 10,1 polegadas sensível ao toque.

Os materiais soft touch (macios ao toque) e as inserções em couro no painel complementam a premissa de sofisticação que, somados às luzes de ambiente com possibilidade de programação de 10 cores, criam uma atmosfera única.

Motor e Câmbio – O modelo conta com o motor 1.4 turbo (250 TSI) capaz de gerar 150 cv de potência e 25,5 kgfm de torque. O câmbio é automático de seis (6) marchas com a possibilidade de trocas sequenciais. O motor 1.4 TSI é produzido na fábrica de São Carlos, no interior do Estado de São Paulo.

Como ainda não foi feito o lançamento oficial, a Volkswagen não informou todos os itens que o Taos oferecerá. Porém, adiantou alguns. Um deles é o sistema VW Play, que estreou no Nivus.

A central multimídia, desenvolvida no Brasil, oferece a possibilidade de baixar aplicativos na VW Play Apps, além de configurar o perfil, vincular o celular por meio de Wireless App Connect e ainda programar o serviço de manutenção do carro.

Além disso, o modelo possui um carregador de celular sem fio, que possibilita ao cliente carregar o celular sem a necessidade de usar um cabo.

Novo utilitário esportivo se destaca pela segurança

O Taos promete ser um SUV bem equipado no que diz respeito à segurança. A VW informou que ele conta com o sistema de Controle Adaptativo de Cruzeiro (ACC) com stop & go, o qual permite que o veículo seja conduzido com segurança, mantendo uma velocidade pré-selecionada e conservando a distância do veículo à frente de forma autônoma. Se este veículo parar por completo e arrancar novamente dentro de 3 segundos, o Taos realizará o mesmo movimento.

Outro elemento de segurança é o sistema de Frenagem Autônoma de Emergência (AEB) com detector de pedestres. A partir de um radar frontal que está sempre ativo, ele identifica o risco de colisão ou atropelamento e alerta o motorista sobre esta possibilidade. Caso o motorista não reaja, o veículo freia automaticamente de forma autônoma, evitando ou reduzindo um acidente.

O SUV conta, ainda, com Detector de Ponto Cego, que detecta objetos no ponto cego do motorista e o avisa quando um veículo se aproxima por trás, mantendo a segurança em uma tentativa de mudança de faixa.

Este último elemento é complementado pelo Detector de Tráfego Traseiro, estrategicamente projetado para evitar colisões em estacionamentos. Este sistema identifica os veículos que se aproximam por trás, alertando o motorista e freando automaticamente em caso de risco.

O novo Taos também conta com a mais recente tecnologia de iluminação da marca, chamada IQ. Light. Ela permite que os faróis de LED tenham um alcance maior e mais amplo nas laterais.

Também inclui assistentes inteligentes para a direção, como o Dynamic Light Assist, que ajusta o facho dos faróis para evitar ofuscamento de outros motoristas. Por último, a Luz de Conversão Dinâmica acende de acordo com o ângulo de direção que o motorista aplica ao volante.

Concorrência – Como dissemos no início, o principal concorrente do VW Taos será o Jeep Compass. O líder do segmento vendeu em 2020, até ontem, 36.432 unidades. No ano passado, sem a pandemia, que impactou fortemente a economia, emplacou 60.362 unidades. Os números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Mas, é bom lembrar que o novo modelo também terá que disputar uma fatia do bolo com o Ford Territory e com o Chevrolet Equinox. O Ford Territory conta com motor 1.5 turbo de 150 cv e 22,9 kgfm de torque. O Chevrolet Equinox também apresenta motorização 1.5 turbo. No caso do modelo da GM, ele rende 172 cv e 27,8 kgfm de torque.

Também é importante destacar que a Toyota se prepara para lançar o Corolla Cross. Nada se sabe, ao certo, sobre a motorização que será utilizada. Porém, ele já chegará ao mercado herdando a ótima fama que a marca ostenta no Brasil no que diz respeito à durabilidade e confiança dos seus veículos.

Por se tratar de um pré-lançamento, preços e versões do Taos não foram revelados. Mas é possível estipular que os preços ficarão na faixa daqueles praticados pelas versões com motorização flex do modelo da Jeep, ou seja, algo entre R$130 mil e R$160 mil.

Afinal, não é possível conceber que, com o powertrain disponibilizado para o Taos, a VW queira bater de frente com as versões do Compass equipadas com tração 4×4 e motor 2.0 turbo diesel (170 cv e 35,7 kgfm de torque).

Certo é que a briga será muito boa nos próximos anos. Se hoje a Jeep não oferece um motor flex competitivo em termos de tecnologia e desempenho (2.0 aspirado de166 cv e 20,5 kgfm de torque, com etanol), em 2021 ela finalmente disponibilizará um motor turbo, bicombustível, para o seu líder de mercado. Quem ganha com essa “guerra” é o consumidor.

Fotos: Volkswagen / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br