Fusion 2017 se destaca pela tecnologia

José Oswaldo Costa* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 23/09/2016)

de Salvador / BA

vei1O Ford Fusion foi lançado no Brasil há 10 anos e já vendeu mais de 96 mil unidades. A atual geração passou por algumas mudanças que foram mostradas, pela primeira vez, no Salão de Detroit (EUA), no início desse ano. Agora elas chegam ao país como linha 2017 do sedan. Sua venda começa em outubro.

De acordo com os números da Federação Nacional da Distribuição de Veículo Automotores (Fenabrave), o Fusion encerrou 2015 com 7.410 unidades emplacadas, o que significa algo em torno de 617 unidades/mês. E a Ford vislumbra a possibilidade de crescimento das vendas dentro do segmento de sedans de luxo premium. Segundo ela, no nicho de sedans de luxo vendidos no Brasil, cerca de 70,9% deles são premium.

Até a linha 2017, a montadora norte-americana considerava os seguintes modelos como principais concorrentes: Volkswagen Passat, Nissan Altima, Honda Accord, Toyota Camry e Hyundai Azera. Todos sedans de luxo. Com as mudanças feitas no Fusion, adotando novos sistemas de segurança e conforto, ela quer incluir nessa lista os modelos premium Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C.

vei4A linha 2017 traz algumas novidades no desenho, mas o que realmente chama a atenção são as chamadas tecnologias semiautônomas embarcadas no modelo. “O Ford Fusion está na vanguarda em tecnologia para a segurança, desempenho e conectividade”, afirmou Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

Com design sofisticado e esportivo, o Fusion apresenta, agora, novos para-choques, faróis (que estão com perfil mais alongado) e lanternas redesenhados. Cada versão (três no total) possui um desenho específico para as rodas de 18 polegadas.

Na topo de linha, Titanium, os faróis são totalmente em LED, inclusive os de neblina. Nas versões SE e SEL eles são halógenos. As lanternas traseiras também são em LED. Um novo friso cromado ocupa toda a traseira, fazendo a união delas. Detalhe que deu um bonito toque de sofisticação.

vei2A grade dianteira foi redesenhada e conta com sistema de fechamento ativo. Ele ajuda a melhorar a aerodinâmica e refrigeração do motor. Quando a entrada de ar não é necessária para o resfriamento, as aletas se fecham, ajudando a reduzir o arrasto do vento.

O interior não passou por mudanças profundas. Mas algo já desperta interesse no primeiro contato: onde está a alavanca do câmbio? A Ford optou por trocá-la por um botão do tipo seletor, para o qual deu o nome de E-shifter. Com isso, os porta-copos foram reposicionados, o que proporcionou espaço para alongar o apoio de braço central.

vei5Os bancos são revestidos com couro. Os dianteiros têm comandos elétricos para 10 posições e contam com 2 memórias, além de oferecer aquecimento. Na versão Titanium apresentam, também, refrigeração. O acabamento do painel e das portas é em material macio e agradável ao toque. As cores variam entre o preto, o cinza e o prata dentro do carro, mas a versão topo de linha (somente com tração integral – AWD) conta com uma bonita opção por couro claro (chamado de Soft Ceramic) nos bancos e nas portas

Versões e Motores – Como dissemos anteriormente, o Ford Fusion conta com três versões: SE, SEL e Titanium. A SE traz um motor 2.5 bicombustível, exclusividade do mercado brasileiro. Ele é capaz de render 167/175 cv de potência e 228/236 Nm de torque (gasolina/etanol).

De acordo com a Ford, com etanol, ele faz 6,0 km/l na cidade e 8,5 km/l na estrada e, com gasolina, 8,6 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada. Esse motor tem bloco e cabeçote em alumínio, além de comando e coletor de admissão variáveis. O sistema de partida a frio é totalmente novo.

Já as versões SEL e Titanium utilizam o moderno motor 2.0 turbo da família Ecoboost. Ele passou por alterações que o deixaram, segundo a montadora, 6% mais potente e 7% mais econômico. Agora é capaz de render 248 cv, 14 cv a mais na comparação com o anterior.

vei3O torque é de 373 Nm e 95% dele já está disponível a 1.750 rpm. Um ganho importante para a economia de combustível foi a adoção do sistema auto start-stop, que desliga o motor quando o carro está parado, como em um sinal de trânsito ou no congestionamento. Por falar nisso, os números de consumo informados são os seguintes: 8,6 km/l na cidade e 11,7 km/l na estrada.

Os dois motores trabalham em conjunto com a transmissão automática de 6 marchas. Quando o motor é o 2.5, ela apresenta a função Low que aciona o freio-motor. No caso do 2.0 turbo, ela traz a função Sport, realizando trocas de marchas mais esportivas.

Segurança e conforto elevam o patamar

O Fusion oferece, em todas as versões, controles de estabilidade e tração. Na Titanium, o comprador pode optar, ainda, pela tração integral (AWD). Outro item comum às três versões é o sistema de estacionamento automático que, na linha 2017, também realiza baliza em vagas perpendiculares. O motorista controla apenas os freios, o acelerador e o câmbio.

Dentre as tecnologias semiautônomas, destaque para algumas novidades: alerta de colisão com assistência autônoma de frenagem (dispara um alerta sonoro e visual ao detectar a possibilidade de colisão com um veículo à frente); sistema autônomo de detecção de pedestres (rastreia por radar e câmera a movimentação de pessoas à frente do veículo, em velocidades de 3,6 km/h a 80 km/h) e piloto automático adaptativo com stop and go (além de manter a velocidade programada do veículo, ele permite selecionar uma distância segura do carro à frente e, se o trânsito parar, é capaz de frear totalmente – voltando a acelerar se o fluxo for retomado dentro de 3 segundos).

Esses sistemas de segurança se unem a outros que já estavam presentes no Fusion, como sistema de permanência na faixa; monitoramento de ponto cego com alerta de tráfego cruzado; sistema de detecção de cansaço; sistema de monitoramento da pressão dos pneus; oito airbags (dianteiros, laterais, de cortina e de joelhos para o motorista e passageiro) e cintos traseiros laterais infláveis.

novo-fusion-interior-9Com eles, o sedan da Ford, que é importado do México, recebeu nota máxima em segurança dos principais órgãos reguladores dos Estados Unidos. O modelo traz um keypad na porta do motorista, que pode usar uma senha para trancar e destrancar as portas, mantendo a chave dentro do carro. Muito útil quando se vai à praia, por exemplo.

Recentemente lançado pela Ford, o sistema de conectividade Sync 3 também está presente no Fusion 2017. Sua tela capacitiva é de 8 polegadas e pode ser operada por toque ou comando de voz. O Sync 3 permite acesso ao Apple CarPlay e ao Android Auto.

novo-fusion-interior-4O menu reúne as funções do telefone, do ar-condicionado, da navegação, dos aplicativos e do áudio de forma simplificada. Na versão Titanium, o som é premium da marca Sony, contando com 12 alto-falantes. O painel de instrumentos apresenta duas telas de LCD de 4,2 polegadas cada.

novo-fusion-interior-19

Fotos: Divulgação / Ford

São sete opções de cores para o Fusion na linha 2017: branco, prata (duas opções), cinza, preto, vermelho e azul. Os preços sugeridos pela Ford são os seguintes: SE 2.5 Flex – R$121,50 mil; SEL 2.0 Ecoboost – R$125,50 mil; Titanium 2.0 Ecoboost (FWD) – R$138 mil e Titanium 2.0 Ecoboost (AWD) – R$154,50 mil. A montadora continua apostando suas fichas na versão Titanium que, atualmente, representa mais de 60% das vendas do sedan de luxo.

*o colaborador viajou a convite da Ford do Brasil

Volkswagen amplia família TSI

José Oswaldo Costa*

de São Paulo / SP

A Volkswagem está apresentando para a imprensa especializada, hoje, os novos modelos da marca que passam a contar com os motores TSI (turbo). A expectativa é repetir o sucesso do compacto up! TSI. Quando foi lançado, a montadora acreditava que suas vendas representariam 20% do mix. Hoje, já é responsável por 50% dos emplacamentos do modelo.

golf-comfortline-tsi-10

Foto: Divulgação / Volkswagen / Pedro Danthas

Um dos mais esperados era o Golf, que passa a oferecer, para a versão de entrada, o motor 1.0 (três cilindros) TSI Flex capaz de render 116/125 cv. A única opção de câmbio é o manual de 6 marchas. O preço sugerido é R$74,99 mil.

tiguan-1-4-4

Foto: Divulgação / Volkswagen / Ingo Barenschee

O SUV Tiguan recebeu o motor 1.4 TSI com 150 cv de potência, somente com tração 4×2. No caso do utilitário, o câmbio escolhido foi o automatizado, de dupla embreagem, DSG. O preço sugerido pela VW é R$125,99 mil.

golf-variant-6

Foto: Divulgação / Volkswagen

Por fim, temos a perua Golf Variant. A motorização escolhida foi a mesma do Tiguan: 1.4 TSI (150 cv). A Variant utiliza câmbio automático de 6 marchas e traz duas versões de acabamento: Comfortline (R$101,88 mil) e Highline (R$113,29 mil).

Em breve, publicaremos a matéria completa no caderno de Veículos do Diário do Comércio (DC Auto) e aqui, no nosso blog.

*o colaborador viaja a convite da Volkswagen do Brasil

Ford Fusion 2017 chega às concessionárias em outubro

José Oswaldo Costa

de Salvador / BA

novo-fusion-2017-30A Ford apresentou o Fusion linha 2017 com muito destaque para as tecnologias semiautônomas voltadas, principalmente, para a segurança.

Também foram feitas algumas alterações no design. Os motores continuam sendo o 2.5 Flex e o 2.0 turbo da família Ecoboost. Mas eles passaram por mudanças que melhoraram desempenho e consumo.

novo-fusion-2017-16Com três versões, assim fica a família Fusion no Brasil: SE 2.5 Flex – R$121,50 mil; SEL 2.0 Ecoboost – R$125.50 mil; Titanium 2.0 Ecoboost – R$138 mil e Titanium 2.0 Ecoboost (Tração Integral – AWD) – R$154,50 mil.

Leia a matéria complea no DC Auto, caderno de Veículos do Diário do Comércio, nessa sexta-feira, 23 de setembro.

novo-fusion-interior-1

Fotos: Divulgação / Ford

*0 colaborador viaja a convite da Ford do Brasil

CAOA realizará, amanhã, inspeção gratuita em veículos de todas as marcas

Da Redação

Neste sábado, 17 de setembro, acontece nas concessionárias HMB CAOA o Nacional Before Service Day, evento da Hyundai Motor do Brasil (HMB) que oferece inspeção gratuita de diversos itens em veículos de todas as marcas. Em Minas Gerais, a ação ocorrerá nas concessionárias Hyundai CAOA Belo Horizonte, nos bairros Cidade Nova e São José, das 9h às 17h, e contará também com a distribuição de brindes exclusivos da marca.

A lista de itens verificados compreende inspeção da carga de bateria, desgaste do pneu, calibragem dos pneus, nível do óleo, nível do fluído de freio, nível do fluído de direção, nível do fluído do limpador, tensão e desgaste da correia, lâmpadas dianteiras e traseiras para veículos de passeio de qualquer marca, exceto motocicletas, e ainda para veículos Hyundai, verificação do manual de manutenção, GDS (Sistema de Medição Eletrônica), programação de relógio (HB20), explicação sobre o aplicativo mobile (HB20), adesivo do pedal (HB20) e borracha do limpador (HB20). A média de duração da inspeção é de 10 minutos.

Os proprietários recebem, ao final da inspeção, um check-list com o resultado completo com as peças examinadas e orientações de especialistas sobre a necessidade de manutenção. A avaliação é totalmente gratuita e válida para veículos de todas as marcas, nacionais ou importados.

Concessionárias CAOA participantes em Minas Gerais:

Hyundai CAOA HB Belo Horizonte – Av. Cristiano Machado, 2020 – Bairro Cidade Nova – Belo Horizonte (MG)

Hyundai CAOA BH Catalão – Av. Presidente Antonio Carlos, 6531 – Bairro São José – Belo Horizonte (MG)

 

Volvo apresenta o novo V90 Cross Country

Da Redação

New Volvo V90 Cross Country detail

Com o futuro lançamento do novo V90 Cross Country, a Volvo Cars completa sua linha de produtos da série 90 – formada pelo utilitário esportivo XC90, o sedã S90 e a station wagon V90 – construídos sobre a plataforma modular SPA (Scalable Product Architecture).

Os modelos Cross Country ocupam uma parcela importante no portfólio da marca sueca, na medida em que os consumidores de carros de luxo passaram a buscar um estilo baseado na experiência – e que, ocasionalmente, levam os veículos para o fora-de-estrada.

New Volvo V90 Cross Country Driving Matte

No interior, sistema de som da Bowers & Wilkins de última geração e todos os benefícios da conectividade apresentada nos novos S90 e V90.

“Nossos carros são muito conhecidos por sua segurança, força e durabilidade. Com a tração integral, o aumento da altura livre do solo e o chassi otimizado para conforto e controle em qualquer condução de clima e estrada, o novo V90 Cross Country toma a versatilidade da station wagon V90 para levar os passageiros ainda mais longe”, contou o vice-presidente sênior de Pesquisa & Desenvolvimento da Volvo Cars, Peter Mertens.

Interior

O V90 Cross Country foi submetido a testes rigorosos para garantir sua polivalência em situações extremas: das instalações secretas no norte gelado da Suécia – onde as temperaturas regularmente atingem 40ºC negativos – ao deserto escaldante do Arizona (EUA), na qual a Volvo executa seu programa de testes de alta temperatura, o modelo foi concebido para durar.

Com um dos invernos mais rigorosos do mundo e 77% do País coberto por florestas e rios, a Suécia é um local natural para desenvolver e testar de forma extrema a durabilidade e a capacidade dos veículos em qualquer condição. Esta experiência duramente conquistada representa grande parte da herança da Volvo Cars, que se reflete na linha de modelos Cross Country da marca.

A produção do novo V90 Cross Country começará em poucas semanas na fábrica de Torslanda, na Suécia. No Brasil, a marca não pretende, momentaneamente, importar o veículo.

New Volvo V90 Cross Country Driving
Fotos: Divulgação / Volvo Cars

Discovery Sport nacional já está disponível nas concessionárias

Da Redação

vic_2463-2As primeiras unidades do Land Rover Discovery Sport produzido na recém-inaugurada fábrica da Jaguar Land Rover em Itatiaia, no sul do estado do Rio de Janeiro, já estão disponíveis para venda nas concessionárias da marca em todas as regiões do Brasil.

O SUV compacto – que já se tornou o mais vendido Land Rover no Brasil, e foi o modelo importado mais vendido em agosto – é oferecido no mercado brasileiro em três diferentes versões de acabamento: SE, HSE e HSE Luxury.

O Discovery Sport traz tração nas quatro rodas e é equipado com motor 2.0 a gasolina, 240 cv de potência e sistema de transmissão de nove velocidades, com opção para trocas sequenciais no volante. O conjunto proporciona força de 340 Nm de torque entre 1.800 e 4.000 rotações.

vec_3725-2Enquanto as marchas baixas oferecem mais força, as marchas altas trazem relação mais longas, proporcionando economia de combustível e conforto, aliados a índices mínimos de ruído e trepidação dentro da cabine.

De série, além do conjunto motor e câmbio, o veículo é equipado com exclusivo sistema Terrain Response, que adapta todas as configurações de tração, aceleração e torque de acordo com o tipo de terreno em que se trafega: normal, grama/neve/cascalho, lama e sulcos, areia, além do modo Eco, que maximiza a economia de combustível.

Retrovisores elétricos, sistema de ignição stop/start, sistema de entretenimento com tela touchscreen de 8”, conexão Bluetooth com streaming de áudio, entrada USB e sete airbags, incluindo um para proteção dos joelhos do motorista também chegam em todas as versões do modelo.

Na versão HSE Luxury, o modelo ainda é equipado com faróis xenon com assinatura em LED, teto solar panorâmico, ar condicionado dual zone, bancos em couro Windsor climatizados com memória de regulagem para passageiro e motorista, sistema de áudio Meridian com 16 alto-falantes e um subwoofer, com 825W de potência, rodas em liga leve de 19 polegadas, iluminação interna configurável e duas entradas USB na segunda fileira de bancos. A versão também conta com teto panorâmico fixo.

vec_3553-2

Fotos: Divulgação / Land Rover / Victor Eleutério

Sim, nós temos autódromo em MG

Rogério Machado* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 09/09/2016)

vei0-o-circuito-dos-cristais-em-curvelo-mg-divulgacao

Imagem: Divulgação

Minas Gerais recebeu, no último fim de semana, o seu esperado asfalto sagrado. Foi inaugurado, na cidade de Curvelo, região Central, o Circuito dos Cristais, proposta que promete atender não somente a demanda por uma pista de corridas, como, também, é um local dotado de espaços para abrigar uma série de outros esportes motorizados em uma área de 4 milhões de metros quadrados.

Para se ter ideia do tamanho, o espaço inclui uma reserva natural e um loteamento na área anexa do complexo de recreação, batizado de Clube Casa de Pista. Os proprietários, além de possuírem uma casa anexa ao conjunto de pistas, possuem acesso livre aos eventos. Todo esse plano, que se materializa rapidamente, é fruto da mente dos empresários Alfredo Rodrigues e Marco Túlio dos Santos que assumiram, respectivamente, os aspectos técnicos e financeiros deste empreendimento.

O local não poderia ser mais interessante no que diz respeito ao cenário, localizado em pleno cerrado, com visível atenção a preservação de vegetação através de uma reserva intocável e com um perfil topográfico variado. Não deixa dúvida de que o sucesso virá a passos largos. A opção por Curvelo foi motivada por uma série de fatores, entre eles a malha rodoviária que possibilita o acesso fácil a Belo Horizonte (160 Km) e ao aeroporto de Confins (144 Km). Além disso, segue a lógica do Green Field, aquele tipo de empreendimento que parte da estaca zero, sem antecedentes que possam limitar ou influenciar o novo projeto.

A oportunidade de conceber um autódromo, com esta envergadura, possibilita uma série de considerações que podem determinar o seu futuro, atraindo mais e mais realizações. Visitando o local pela primeira vez, é possível perceber a atenção dedicada aos acessos, estacionamento, áreas de circulação e comercial (equipamentos esportivos, turismo e alimentação), arquitetura dos boxes e edificações de apoio.

vei1-reta-de-chegada-com-algumas-instalacoes-concluidasEmbora ainda em fase de implantação, torna-se evidente que o planejamento não foi intuitivo e, sim, fruto da visão de quem estudou a fundo antes de enterrar ali a primeira pá. Digo isso tendo visitado autódromos americanos que me vêm a mente quando vejo o Circuito dos Cristais, entre eles Laguna Seca, em Monterey (Califórnia), e Road América, em Elkhart Lake (Wisconsin).

Estes dois circuitos mistos americanos se tornaram ícones em um país que idolatra os circuitos ovais. Ambos já completaram 60 anos de idade e tenho certeza que o circuito mineiro também fará história. Autódromos como o de Silverstone, no Reino Unido, mantém no mesmo complexo escolas de pilotagem, oficinas de preparação, concessionária de carros esportivos, lojas de acessórios de performance e, até mesmo, instalações de equipes de Fórmula 1. Nesse último caso, a Sahara Force India.

Além disso, nas cidades periféricas, em um raio de ate 60 quilômetros, estão localizadas as equipes de F-1 Williams (Wantage), Marussia (Banbury), Lotus (Enstone), Mercedes (Brackeley) e Red Bull (Milton Keynes). A concentração rendeu a região o nome de Motorsport Valley. O grande desafio aos autódromos é a sua sustentabilidade financeira. Daí muitos se tornarem empreendimentos particulares ou administrados por patrocinadores, como verdadeiras empresas, longe das mãos do Estado.

Laguna Seca é dirigida pela Mazda e o Road America é uma empresa privada. O Brasil possui 17 autódromos, 5 deles privados e 12 públicos.

vei3-acesso-aos-boxes-e-bem-dimensionado

Race Resort será a verdadeira Disneylândia da velocidade:

O Circuito dos Cristais segue uma modalidade de empreendimento chamado de Race Resort, atendendo exatamente aspectos da sustentabilidade do negócio. Ao longo de sua implantação, ele visa incorporar o condomínio residencial a sua volta, um centro hoteleiro, uma área comercial de caráter convencional e uma específica para o business das competições e eventos, reduzindo a sazonalidade da atividade.

O trajeto do novo autódromo mineiro tem a extensão de 4,4 quilômetros e é formado por onze curvas à direita e sete à esquerda, além de uma reta com quase 1 km. A pista, com largura entre 13 e 22 metros, segue as normas internacionais com uma variação de, no máximo, 1 metro de largura a cada 20 metros.

Além disso, conta com declives e aclives que atingem uma variação de trinta metros, trazendo mais prazer e tornando o percurso mais desafiador para quem pilota. Os responsáveis pela direção de algumas modalidades de competições nacionais já visitaram o Circuito dos Cristais e a aprovação foi unânime, o que favorece a inclusão de Minas no calendário da Fórmula Truck, Stock Car, Campeonato Brasileiro de Turismo, Mercedes-Benz Challenge e Fórmula 3 Brasil. Para quem quer participar, serão realizadas provas organizadas localmente. No grupo das duas rodas estarão presentes motos com 1.000cc nas categorias Superbike Pro, Superbike Stock, Superbike Master e Superbike Light.

vei4-o-cerrado-se-movimenta-com-as-motosAlém destas, serão organizadas provas para 600cc, 500cc, 300cc e Touring (com motos de rua), dando oportunidade de os pilotos elaborarem suas habilidades, subindo de categoria gradativamente. Para aqueles que preferem os carros, será possível optar pela categoria “Marcas e Pilotos”, com as graduações Super, Light e Novatos. Considerando sempre a experiência dos pilotos e a potência dos veículos.

Assim como nas motos, as categorias Touring e Touring GT possibilitarão a participação de novatos em veículos normais e superesportivos que poderão estar, até mesmo, emplacados. Outras atividades contarão com traçados específicos, com destaque para: motocross, enduro, cross-country e, até mesmo, atendendo as bicicletas na categoria mountain bike, com inúmeras possibilidades dentro da área do autódromo. A enorme opção de áreas permitirá, ainda, o encontro de antigomobilistas, corridas de automóveis e motocicletas clássicas, autoclubes e motoclubes, feira de peças e muito mais. Um centro médico e heliponto completarão as necessidades de emergência, cumprindo os padrões de segurança da atividade.

Inauguração – Para a inauguração foram organizadas provas de motovelocidade e de automobilismo. A nova pista ofereceu um desafio para todos os pilotos e cada um queria deixar seu nome registrado nesse marco zero do Circuito dos Cristais. Os carros que inauguraram a pista participaram em três categorias e, na motovelocidade, foram cinco categorias.

vei5-campeonato-de-marcas-e-pilotos

Fotos: Rogério Machado

Para criar e construir os troféus de premiação foi convidada a Cooperativa Dedo de Gente, destinada a valorizar o rico artesanato da região. Além disso, pude verificar o grande número de jovens de Curvelo que estão aprendendo e desenvolvendo funções do universo das competições, sinalizando um amplo leque de possibilidades que a atividade poderá consolidar no município. Quem sabe veremos em Curvelo o início do nosso Motorsport Valley.

*Colaborador