Volkswagen ID.Buzz, a nova Kombi elétrica, é lançado

Da Redação

vw-id-buzz-a-kombi-eletrica-1646851437964_v2_4x3

Uma Kombi para o futuro. E agora elétrica. A Volkswagen Commercial Vehicles e a Volkswagen Passenger Cars apresentaram, hoje, os novos ID. Buzz e ID. Buzz Cargo, primeira linha de veículo multiuso e van totalmente elétrica da Europa, oferecendo mais uma solução para a mobilidade sustentável e livre de CO2.

O ID. Buzz vem com o mais recente ID. software e estabelece novos padrões em seu segmento com novíssimos sistemas e funções para segurança, conforto e carregamento.

“O ID. Buzz é um ícone genuíno da era elétrica. Um carro que só a Volkswagen pode construir. Na década de 1950, a Kombi representava uma nova sensação de liberdade automotiva, independência e grande emoção. O ID. Buzz carrega esse estilo de vida e o transfere para o nosso tempo: livre de emissões, sustentável, totalmente conectado e agora pronto para o próximo grande capítulo, a direção autônoma. Com este carro, estamos reunindo os temas centrais da nossa estratégia ACCELERATE em um produto pela primeira vez”, disse Ralf Brandstätter, Presidente e CEO da marca Volkswagen.

Totalmente elétricos, ID. Buzz e ID. Buzz Cargo se baseiam na primeira geração da Kombi original, a T1, e resgatam um dos maiores ícones do design automotivo para a era da mobilidade elétrica.

O ID. Buzz também é neutro em emissões de carbono durante o ciclo de vida, desde a fabricação até o transporte. Além disso, o uso de um alto percentual de materiais reciclados e a não-utilização de couro no interior do veículo completam a estratégia sustentável que a Volkswagen implementa com os novos modelos.

unnamed

As novas versões da icônica Kombi chegarão ao mercado inicialmente em alguns países europeus em setembro deste ano. As vendas antecipadas devem começar em maio. As unidades europeias serão equipadas com uma bateria de 77 kWh.

Ela fornece corrente para um motor elétrico de 204 cv, que movimenta o eixo traseiro. A potência de carga, utilizando corrente alternada (AC) é de 11 kW. Com uma tomada CCS, numa estação de carga rápida de corrente contínua (DC), a potência de carga aumenta para até 170 kW.

Carregada dessa maneira, o nível da bateria sobe de 5% para 80% em cerca de 30 minutos. Como acontece com todos os modelos da família ID. da Volkswagen, os novos ID. Buzz e ID. Buzz Cargo são tecnicamente baseados na plataforma modular elétrica (MEB) do Grupo Volkswagen.

Os sistemas de assistência da nova linha de modelos proporcionam facilidade de condução e segurança. O ID. Buzz e o ID. Buzz Cargo trazem sistema de alerta local Car2X, que utiliza sinais de outros veículos e da infraestrutura de transporte para detectar perigos em tempo real.

Outros itens presentes são Front Assist e Lane Assist. Com o novo software, novas funções de assistência também estão a caminho. Uma delas é o “Travel Assist com Swarm data”, que facilita a condução parcialmente autônoma em toda a faixa de velocidade e, pela primeira vez, a mudança de faixa assistida na estrada.

unnamed(4)

Outra novidade é a função de memória para estacionamento autônomo em um ambiente salvo anteriormente.

“O ID. Buzz tem uma grande dose de charme e traz a afinidade com as pessoas de volta à estrada”, disse Jozef Kaba?, Head de Design da marca Volkswagen. Tais proporções que tornam o ID. Buzz tão único.

O time de design criou uma conexão direta com o veículo clássico original: “Na Kombi T1 (primeira geração), você fica sentado praticamente em cima do eixo dianteiro, não há um balanço dianteiro. O ID. Buzz tem balanços incrivelmente curtos, garantindo tudo o que é importante para a segurança e tecnologia.”

Falando apenas em números, isso é ressaltado pela relação entre o comprimento de 4,71 metros e a distância entre-eixos de 2,98 metros. No caso da T1, a primeira Kombi, o design sempre seguiu a função.

A forma segue a função (este princípio central da construção automotiva) também se aplica ao design do ID. Buzz. Nela, as formas icônicas e limpas são acompanhadas por uma aerodinâmica excepcional: o ID. Buzz tem um coeficiente de arrasto de apenas 0,285, e o ID. Buzz Cargo, 0,29. Isso reduz o consumo de energia e amplia a autonomia.

unnamed(1)

Os motoristas e passageiros do ID. Buzz experimentam a sensação da nova Kombi num interior concebido como um espaço aberto. Os dois veículos oferecem um espaço interno grande para sua pegada de veículo compacto.

O interior acomoda bem cinco pessoas, que dispõem de amplo espaço para viajar e para levar suas bagagens (com até 1.121 litros de capacidade). Se a segunda fileira de bancos for rebatida, a capacidade de carga sobe para até 2.205 litros.

Configurações com seis e sete lugares e distância entre eixos maior virão em médio prazo. Enquanto isso, três bancos na dianteira (alternativamente dois) e uma divisória fixa separando o espaço de carga são itens diferenciados da configuração do ID. Buzz Cargo.

Os novos modelos ID. Buzz e ID. Buzz Cargo estão sendo produzidos pela Volkswagen Commercial Vehicles em Hannover, na Alemanha. Desde 2022, essa fábrica tem sido uma das instalações de alta tecnologia do grupo para a produção de veículos totalmente elétricos.

Nela, a produção do ID. Buzz atinge, em algumas partes, um nível de automação de até 90%. Paralelamente à transformação da fábrica, a força de trabalho também está dando um grande passo para o futuro, já que muitos perfis de funções estão mudando: através de medidas para treinamento, os trabalhadores estão adquirindo o know-how necessário para lidar com o novo hardware e software dos ID. Buzz e da Multivan com sistema de propulsão híbrido plug-in também feito em Hannover.

unnamed(3)

Coincidentemente, o ID. Buzz não é a primeira versão da Kombi com sistema de propulsão elétrica. Há 50 anos, a Volkswagen já mostrava, na Hannover Trade Fair, uma Kombi T2 (segunda geração) impulsionada por um motor elétrico montado na parte traseira.

O alcance máximo de 85 km, porém, mostrava que a tecnologia de baterias desse projeto de curta duração ainda estava muito longe de ser adequada para o uso prático.

unnamed(2)Fotos: Volkswagen / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

 

Ford Ranger FX4 já está disponível nas concessionárias

Da Redação

FordRangerFX4-4

A Ford ampliou, recentemente, a linha Ranger com as versões Black e Storm. Agora, lança a Ranger FX4, nova opção da picape inspirada na mesma receita.

Ela foi feita, de acordo com a fabricante, para os consumidores que querem uma picape off-road robusta e exclusiva sem abrir mão do requinte e conforto de uma topo de linha e começa a ser vendida hoje nas concessionárias da marca.

A FX4 dá sequência à estratégia de ampliação e diversificação da Ranger, com opções desenvolvidas para atender diferentes perfis de clientes, a chamada subsegmentação do mercado.

“A Ford é líder mundial em picapes, este é o nosso território, e estamos usando esse legado para ampliar a base de consumidores da Ranger com novas opções dentro do portfólio”, disse Marcel Bueno, diretor de marketing da Ford América do Sul.

“O comportamento do consumidor está mudando e identificamos clientes que não estavam totalmente atendidos pelos veículos existentes no mercado. Foi assim que nasceu a Ranger FX4.”, completou.

FordRangerFX4-1

A linha 2023 da Ranger traz também outras novidades. Todos os modelos (XL, XLS, Black, Storm, FX4, XLT, e Limited) vêm com um novo sistema de controle de emissões que atende as exigências do Proconve 7, sem perda de potência e desempenho do motor.

A Ford Ranger conta hoje com versões voltadas para o trabalho (XL), para uso misto (XLS) e para uso pessoal (Black, Storm, XLT e Limited). Este último grupo se subdivide em dois perfis de clientes: os que buscam sofisticação (Black, XLT e Limited) ou aventura (Storm).

“A Ranger Storm atende o cliente que quer robustez e estilo para uso off-road, sem se incomodar em abrir mão de alguns equipamentos para ter um custo-benefício melhor. Após o seu lançamento, identificamos que existe também um cliente com o mesmo perfil aventureiro, mas que exige mais requinte, tecnologia e conforto. Foi para ele que nós desenvolvemos a Ranger FX4”, disse Antonio Freitas, gerente de marketing de Picapes da Ford.

O nome FX4 começou a ser usado pela Ford no começo dos anos 2000 para identificar o pacote off-road de suas picapes, formado pela junção de Ford e 4×4. Com o tempo, ele passou a identificar também versões com atributos especiais de desempenho e estilo.

A Ranger FX4 é uma picape superesportiva, equipada e elegante, feita para o cliente que busca sofisticação e alto nível de capacidade para suas aventuras off-road.

FordRangerFX4-2

Ela vem com o motor mais forte da linha, o Duratorq 3.2 turbodiesel com potência de 200 cv e torque de 47,9 kgfm, transmissão automática, direção elétrica, tração 4×4 e diferencial traseiro blocante.

O novo sistema de redução de poluentes que equipa todos os modelos da Ranger 2023 reduz significativamente as emissões de óxido de nitrogênio, ultrapassando em mais de 70% as exigências legais do Proconve 7, além de duplicar o intervalo entre as regenerações do filtro de partículas.

Ele protege o meio ambiente sem perda de potência e torque do motor, com uso do reagente líquido Arla 32, que é facilmente encontrado nas concessionárias Ford e postos de combustível.

Abastecido em um tanque com capacidade de 20 litros, permite rodar de 10.000 a 14.000 km em condições normais, com custo de menos de R$0,01 por quilômetro rodado.

O sistema aprimorado de suspensão da Ranger FX4, igual ao da versão Storm, é outro diferencial que contribui para o comportamento dinâmico e dirigibilidade da picape, seja vazia ou carregada e em diferentes condições de terreno.

FordRangerFX4-6

O seu conjunto de segurança inclui sete airbags, sistema AdvanceTrac com controle eletrônico de estabilidade e tração, controle anticapotamento e adaptativo de carga, assistente de partida em rampas, controle automático em descidas, câmera de ré e sensor de estacionamento traseiro.

Entre os itens de conforto, a picape oferece ar-condicionado digital de dupla zona, banco do motorista com ajuste lombar e elétrico, sensor de chuva, painel com duas telas de LCD, central multimídia SYNC com tela de 8 polegadas, acesso a Android Auto e Apple CarPlay e assistente de fechamento da tampa da caçamba.

Como toda a linha Ranger, a FX4 conta ainda com o sistema de conectividade FordPass Connect, com comandos e informações remotas do veículo pelo celular.

Com ele é possível dar partida remota e climatizar a cabine, conferir a autonomia, o odômetro e pressão dos pneus, travar e destravar portas, receber alertas de alarme e de funcionamento e localizar a picape, além de agendar serviços nas concessionárias da marca e acessar o manual do proprietário.

O estilo da FX4 é marcado por cores de destaque em preto que valorizam a esportividade, combinando partes foscas e brilhantes na dose certa para criar um design elegante e exclusivo.

FordRangerFX4-7

“A FX4 se destaca também pelo que ela não tem. Ou seja, não traz cromados, rodas diamantadas ou detalhes na cor do carro, porque é uma receita diferente do luxo tradicional. É uma versão aventureira que valoriza a esportividade e a elegância com um pacote exclusivo”, explicou Ricardo Sugimoto, supervisor de design da Ford.

A grade dianteira com desenho exclusivo traz o logotipo oval da marca em destaque no centro.

Assim como a parte central inferior do para-choque, ela tem acabamento em preto brilhante, e se conecta aos faróis com máscara escura formando um conjunto harmonioso. Os faróis full-LED com projetores são exclusivos da versão.

A traseira exibe um distintivo vermelho FX4 em alto relevo e o nome Ranger em letras grandes totalmente em preto. As lanternas têm máscara escurecida. O para-choque traseiro, assim como os retrovisores e maçanetas, são em preto brilhante.

O santantônio tubular, exclusivo e funcional, dispõe de pontos de ancoragem para amarração de equipamentos. Na lateral, os alargadores de paralama em preto fosco são projetados para enfrentar batidas de pedras no off-road.

FordRangerFX4-3

A faixa cinza na região inferior das portas, logo acima dos estribos tipo plataforma, é complementada pela assinatura FX4 em vermelho.

As rodas de 18 polegadas têm visual exclusivo e são calçadas com pneus Pirelli Scorpion 265/60 R18 All Terrain (50% on-road e 50% off-road).

Quem quiser enfrentar trilhas mais pesadas pode optar pelas rodas de 17 polegadas com pneus 265/65 R17 All Terrain Plus da versão Storm, por um custo adicional de R$ 2,00 mil.

Como acessórios, a Ranger FX4 oferece um snorkel desenhado especialmente para ela, que aumenta a margem de segurança na travessia de lâminas d’água, com profundidade de até 800 mm.

Há, também, caixas organizadoras da caçamba com 42 litros e chave, muito úteis para transportar pequenos equipamentos e compras.

FordRangerFX4-5Fotos: Ford / Divulgação

O interior da nova picape, igualmente exclusivo, inclui bancos de couro premium com costuras vermelhas e o emblema FX4 em relevo nos encostos.

O mesmo acabamento é visto na alavanca do câmbio e no descansa-braço central. Outro detalhe que chama a atenção é o aplique com acabamento escuro brilhante no painel em frente ao passageiro, no volante e nas molduras das maçanetas internas.

A Ranger FX4 chega por R$ 288,99 mil, mesmo preço da versão XLT, já com a redução do IPI (- 2%), para que o consumidor possa optar pelos dois modelos de acordo com a sua necessidade.

Ela é disponível em seis cores selecionadas, com tonalidades de tendência, como vermelho Toscana e vermelho Bari, e outras mais tradicionais: prata Geada, branco Ártico, preto Gales e cinza Moscou.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

BMW i3 ganha série limitada, já disponível no Brasil

Da Redação

bmw-i3-unique-forever-edition-2021-01-20210930162650-1280x720

O BMW i3, lançado no Brasil em 2014, segue como o carro elétrico mais eficiente energeticamente do Brasil, fato atestado pelo Inmetro, segundo a fabricante.

E carros a frente do seu tempo são historicamente colecionáveis. O que falar então do BMW i3 Unique Forever? Limitado a 30 unidades, o modelo chega ao Brasil como uma opção de carro de coleção 0 km.

Dentre os diferenciais da versão, estão a cor da carroceria, que vem no tom exclusivo cinza Storm Bay, grade frontal bicolor e elementos de design E-Copper.

i3-1x1-2

bmw-i3-unique-forever-edition-2021-03-20210930162540-1280x720-1

Por dentro, o i3 está mais sofisticado. As novidades ficam para os bancos com o emblema Unique Forever nos encostos de cabeça e pela plaqueta One of 2000, que evidência a tiragem limitada do modelo a 2.000 unidades em todo o mundo.

O conjunto motriz é o mesmo do BMW i3 120Ah. A unidade elétrica BMW eDrive é capaz de gerar 125kW (170 cv) e 250Nm de torque instantâneo; a transmissão é automática continuamente variável, a tração traseira, e as baterias de alta voltagem de íons de lítio, tem capacidade de armazenamento de energia de 120 Ah/42,2 kWh.

Nesta configuração, os i3 Unique Forever alcança até 310 quilômetros de autonomia no ciclo WLTP e 335 quilômetros de autonomia no ciclo NEDC, acelera de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e atinge a velocidade máxima de 150 km/h.

bmw-i3-unique-forever-edition-2021-04-20210930162540-1280x720-1

Os destaques do i3 Unique Forever ficam por conta dos faróis full-LED, do teto solar elétrico em cristal, das rodas de liga leve JetBlack de 20 polegadas e dos freios a discos ventilados com ABS.

O pacote tecnológico do compacto premium traz os sistemas Comfort Access e Driving Assistant Plus. O primeiro trava e destrava as portas com a simples aproximação da chave, incluindo a tampa do porta-malas; enquanto o segundo informa, por meio de alertas visuais e sonoros, situações de tráfego cruzado, riscos de colisão traseira, mudanças involuntárias de faixa de rolamento e controle e prevenção de aproximação frontal.

Por dentro, chamam a atenção o painel de instrumentos digital, o acabamento, o revestimento de couro e os recursos do BMW ConnectedDrive.

image.1632227960352

Entre eles, destacam-se a Chamada de Emergência Inteligente, função responsável por acionar os serviços de auxílio ao usuário em caso de colisão; o BMW Teleservices, dispositivo capaz de monitorar e informar o proprietário do veículo sobre a necessidade de manutenção de determinados componentes do veículo; e os Serviços Remotos, que permite a utilização de algumas funcionalidades do veículo remotamente por meio de smartphones Android e iOS.

Nos modelos elétricos, o BMW ConnectedDrive indica os pontos de recarga para veículos (de utilização pública) disponíveis em shoppings, postos, supermercados, restaurantes e hotéis.

Ainda é possível visualizar no mapa a autonomia do veículo elétrico, que considera o histórico de consumo, a informação de trânsito e a topografia do terreno para definir se haverá necessidade de recarga durante o percurso.

29210120-2O pacote de itens inclui, ainda, conectividade bluetooth, porta USB, e seis airbags (duplos frontais, laterais dianteiros e tipo cortina dianteiros e traseiros).

O BMW i3 Unique Forever já está à venda nas concessionárias da BMW do Brasil por R$ 353,95 mil e vem de fábrica com um carregador portátil, além do BMW Wallbox em cortesia, e garantia de dois anos sem limite de quilometragem.

E_3-RihVIAAItLxFotos: BMW Group / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Renault anuncia produção de um novo motor 1.0 turbo no Brasil

Da Redação

O Renault Group anunciou, hoje, a produção de uma nova plataforma CMF-B, da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, e um novo motor 1.0 turbo no Complexo Industrial Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR). Um novo SUV será produzido nesta plataforma.

“A decisão de localizar a moderna plataforma CMF-B no Brasil visa oferecer na América Latina o mesmo nível de conteúdo e qualidade que oferecemos mundialmente”, afirmou José Vicente De Los Mozos, EVP Industrial Renault Group.

A plataforma CMF-B permite a chegada de novos produtos no futuro bem como uma eventual eletrificação.

O anúncio foi feito hoje ao governador do Estado do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, pelo presidente da Renault América Latina, Luiz Fernando Pedrucci, e pelo presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo.

“Esta decisão demonstra o início da fase Renovation do nosso plano estratégico Renaulution na América Latina. Seguimos trabalhando para a aprovação de outros produtos para os demais países da latam onde temos fabricação”, afirmou Luiz Fernando Pedrucci, presidente da Renault América Latina.

“A chegada da moderna plataforma CMF-B, juntamente com um novo motor 1.0 turbo dão continuidade à nossa estratégia de reforçar nossa presença em segmentos mais altos do mercado, coerente com o plano estratégico Renaulution”, explicou Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil.

Após um ciclo de R$ 1,1 bilhão anunciado exatamente há um ano, a Renault do Brasil realizou o lançamento do novo Captur com novo motor turbo TCe 1.3 Flex, Kwid 2023, da nova Master 2023 e do Duster com novo motor turbo TCe 1.3 Flex, além do lançamento do Zoe E-TECH Electric, em abril de 2021, e a confirmação da comercialização do Kwid E-TECH Electric, ainda este ano no Brasil.

A conclusão deste ciclo de investimento acontecerá no primeiro semestre deste ano com mais um lançamento.

Vale destacar que a aprovação do acordo coletivo com o Sindicato dos Metalúrgicos da grande Curitiba (SMC) e os colaboradores em 2020, trouxe previsibilidade e flexibilidade, fundamentais para a aprovação desta nova plataforma, do novo SUV e do novo motor 1.0 turbo. O acordo tem duração de quatro anos (2020-2024).

A marca segue com a aplicação do plano estratégico mundial Renaulution, que prevê a mudança da estratégia do Renault Group de volumes para valor, que entra na fase Renovation com a chegada de novos produtos. 

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Honda NC 750X 2022 tem design renovado

Agora em duas versões, motocicleta passa a contar com opções do câmbio manual e da transmissão DCT

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 04/03/2022)

21YM HONDA X-ADV

Há uma década a Honda NC é sinônimo de inovação e sucesso, um verdadeiro novo conceito de motocicleta explicitado pela sigla escolhida, NC, derivada de New Concept.

Lançada no Brasil em 2012, o modelo estreou aqui pouquíssimo tempo após ter chegado ao mercado europeu.

Cá como lá atraiu grande atenção por causa de aspectos peculiares e inovadores, como o motor bicilíndrico de torque abundante e grande economia, cuja arquitetura com cilindros inclinados 62º à frente facilitou a criação de um compartimento localizado onde geralmente está o reservatório de combustível e capaz de abrigar um capacete integral.

A posição de pilotagem confortável oferecida pelo guidão largo, banco amplo e suspensões adequadas a um grande espectro de utilizações, se aliaram à segurança dos freios ABS tornando a Honda NC 750X uma campeã em versatilidade: motocicleta à vontade em uso urbano, rodoviário e até mesmo em escapadas por vias sem pavimentação.

Ao longo dos anos a Honda NC 750X foi sendo lapidada, recebendo um upgrade no motor que passou dos 670cc da versão inicial para 745cc em 2015.

21YM HONDA X-ADV

No ano seguinte, mais atualizações de caráter estético e técnico foram aplicadas ao modelo, como suspensões de maior curso, iluminação por LED, novo painel e ampliação do compartimento de 21 para 22 litros.

Agora, a NC 750X 2022 é alvo de uma profunda e importante atualização, que todavia não alterou o caráter original, mas sim exalta as reconhecidas qualidades da genuína crossover.

À versão com câmbio convencional se soma a NC 750X DCT, dotada de transmissão de dupla embreagem, já presente na scooter X-ADV, na grã-turismo GL 1800 Gold Wing e em versões da Honda CRF 1100L Africa Twin.

Mudanças – Entre as principais alterações das NC 750X para 2022 está a elevação do regime de rotação máxima do motor em 500 rpm, possibilitado graças ao redesenho do sistema de admissão/exaustão e comando de válvulas.

Relações mais curtas na 1ª, 2ª e 3ª marchas e mais longas na 4ª, 5ª e 6º marchas visaram melhoria na performance. Na NC 750X a carga no manete de embreagem diminuiu em 20% graças a aperfeiçoamentos na embreagem deslizante, o que favoreceu a pilotagem urbana em trajetos truncados, feitos em baixa velocidade.

21YM HONDA X-ADV

O sistema de acelerador eletrônico TBW (Throttle By Wire), possibilitou introduzir três modos de condução que alteram o caráter do motor e cuja seleção e controle se dá através de seletor no punho esquerdo e painel: são eles Rain, Standard, e Sport, assim como o modo User, que permite personalização dos parâmetros.

No modo Sport a entrega de potência e o freio-motor são mais agressivos, com baixa atuação do sistema HSTC e, quando disponível, o DCT estará em modo 4.

Em Rain a entrega da potência fica menos agressiva assim como freio-motor. A intervenção do HSTC é alta e o DCT fica em nível 1.

O modo Standard oferece um ponto intermediário entre entrega de potência, efeito de freio-motor e nível de atuação do HSTC, com DCT em 2.

Ao selecionar User a personalização dos parâmetros de acordo com as preferências do condutor é possível.

21YM HONDA X-ADV

2021 HONDA NC750X

Importante, também, foi a redução de 6 kg no peso total da motocicleta graças a um novo quadro e melhorias no motor e parte ciclística. O sistema HSTC (Honda Selectable Torque Control), é outra novidade, destinada a limitar perdas de aderência do pneu traseiro, podendo ser ajustado em três níveis ou ser desligado.

Inédita no Brasil, a NC 750X DCT permite optar entre trocas de marchas plenamente automáticas ou atuar na seleção das marchas com os dedos através de comandos instalados no punho esquerdo.

No design, a NC 750X ganhou novo conjunto ótico dianteiro e uma rabeta reestilizada com nova lanterna e indicadores de direção. O compartimento situado entre guidão e banco foi redesenhado internamente e ganhou ainda mais espaço.

A distância do banco em relação ao solo foi reduzida em 30 mm enquanto o para-brisa reprojetado oferece mais proteção. O novo painel LCD possibilita melhor visualização e controle dos dados.

Motor e Câmbio – O motor bicilíndrico paralelo da NC750X e NC 750X DCT é dotado de arrefecimento líquido e cabeçote SOHC de 8 válvulas, projeto que privilegia baixas e médias rotações, com curso dos pistões relativamente longo, câmaras de combustão de formato especial e virabrequim de elevada massa de inércia, o que permite torque elevado desde as mais baixas rotações.

21YM HONDA X-ADV

2021 HONDA NC750X

A característica de ter os cilindros inclinados 62º a frente favorece um centro de gravidade baixo e, por consequência, melhor estabilidade, no que também ajudou a redução de 1,2 kg no peso do motor.

Em ambas as versões da NC 750X estão disponíveis o acelerador eletrônico TBW, os modos de condução selecionáveis e o controle de tração HSTC.

Com a introdução do acelerador eletrônico, ajustes no comando de válvulas a melhorias no escape, a potência do bicilíndrico subiu a 58,6 cv a 6.750 rpm. O torque máximo de 7,03 kgf.m surge a 4.750 rpm.

O câmbio de ambas versões, convencional ou DCT, tem as três primeiras marchas encurtadas visando maior poder de aceleração, enquanto as três últimas marchas foram alongadas para melhoria do consumo.

Dois eixos de equilíbrio se encarregam de mitigar vibrações do motor, que oferece pulsação característica graças ao virabrequim de 270º e intervalos de ignição irregulares.

21YM HONDA X-ADV

A embreagem deslizante da NC 750X atua para diminuir a tendência ao bloqueio da roda traseira em reduções de marcha mais rápidas. A carga para acionamento do manete ficou 20% menor em relação a versão anterior.

A ponteira de escape, de formato pentagonal e baixo peso, usa duas câmaras unidas por um tubo de ligação, que age como câmara de ressonância para criar uma sonoridade profunda e distinta. O catalisador de estrutura dupla mantém o índice de emissão de gases nocivos ao meio ambiente baixo assim como a emissão de ruídos.

O motor da NC750X é capaz de oferecer grande autonomia graças ao tanque de 14,1 litros situado no centro do quadro, sob o banco do condutor, posicionamento que contribui para a maneabilidade.

Tecnologia do câmbio DCT permite uma condução suave e confortável

A tecnologia DCT, exclusiva da Honda no mundo das motos, está em seu décimo segundo ano de produção. Na Europa, maior mercado do sistema DCT, cerca de 60% dos clientes escolheram tal opção para a NC750X, segundo a Honda.

A confiabilidade e facilidade de uso do DCT é consenso. Tanto subir quanto reduzir marchas, seja em opção automática como agindo nos seletores do punho esquerdo, resulta suave e precisa.

21YM HONDA X-ADV

O câmbio DCT usa duas embreagens, uma que serve 1ª, 3ª e 5ª marcha; a outra 2ª, 4ª e 6ª. Cada grupo de marchas, pares e ímpares, tem eixo-piloto e embreagem exclusiva.

Cada embreagem tem circuito eletro-hidráulico individual. Quando ocorre uma mudança o sistema pré-seleciona a mudança seguinte através do sistema de embreagem que não está ativo. Depois, a primeira embreagem é desengrenada eletronicamente, ao mesmo tempo em que a segunda embreagem acopla.

O resultado é uma condução suave e confortável, com mudanças rápidas e fluidas. Como as duas embreagens transferem a potência de uma mudança para a mudança seguinte com um mínimo de interrupção de tração à roda traseira, interferências decorrentes de trancos na transmissão que poderiam afetar a estabilidade são mínimas.

Como benefício extra a transmissão DCT oferece maior durabilidade (é impossível danificar o câmbio por erro na troca de marcha) e impossibilidade de levar a rotação do motor a níveis excessivos.

A utilização do câmbio DCT em condução urbana resulta em menor cansaço do condutor, que sem necessidade de comandar as trocas de marcha, pode se concentrar em outros aspectos da pilotagem.

2021 HONDA NC750X

O Controle Adaptativo da Capacidade da Embreagem é uma funcionalidade da NC750X DCT que realiza a gestão do torque no par de embreagens, o que resulta em grande suavidade durante a ação de abrir ou fechar o acelerador.

Painel – Também o painel de instrumentos LCD colorido é novo e permite gerenciar os modos de condução por meio do botão de seleção no punho esquerdo do guidão.

Os piscas traseiros agora tem uma função de emergência, a ESS (Emergency Stop Signal): em velocidade superior a 53 km/h, uma frenagem intensa que provoque desaceleração de no mínimo 6,0 m/s2 fará piscar as luzes de emergência, alertando os condutores que seguem.

Caso o ABS entre em funcionamento na frenagem em pavimento molhado, o valor de desaceleração mínimo para a entrada do ESS em funcionamento decresce para 2,5 m/s2.

A chave de ignição é dotada de sistema imobilizador da Honda (HISS). Se as identidades do chip embutido na chave e o da ECU (Electronic Control Unit) não corresponderem, o motor não poderá ser ligado.

2021 HONDA NC750X

O quadro tubular em aço tipo Diamond foi alvo de reformulação cuidadosa. Ao utilizar tubos de espessura e peso variáveis, foi possível reduzir o peso do quadro em 1,8 kg em relação ao modelo anterior, assim como reorganizar o posicionamento da bateria e caixa do filtro do ar, trabalho que reduziu 1,2 kg no peso.

Os dados fundamentais da geometria do chassi são 27º para o ângulo de cáster, 110 mm para o trail, e distância entre eixos de 1.525 mm (1.535mm na versão DCT). A distribuição do peso entre a dianteira e a traseira é de 48% — 52%.

O peso em ordem de marcha é de apenas 214 kg (224 kg na versão com DCT), 6 kg mais leve que na NC 750X anterior. A distância do banco ao solo agora é de 802 mm de altura, 30 mm mais baixo.

Suspensão e Freios – A suspensão dianteira de 41 mm de diâmetro e 120 mm de curso usa o sistema SDBV (Showa Dual Bending Valve), garantia de eficiência e reduzida manutenção.

A pequena alteração no curso da suspensão dianteira permitiu reduzir a altura do banco sem prejuízo ao comportamento dinâmico. A suspensão traseira Pro-Link possibilita regulagem da pré-carga da mola e proporciona 120 mm de curso.

2021 HONDA NC750X

Quanto ao sistema de freios, o disco tipo wave de 320 mm com cáliper de dois pistões oferece frenagem potente e modulável, complementada pelo disco traseiro, também tipo wave, com 240 mm e pinça de pistão simples.

O sistema ABS de dois canais tem peso reduzido e proporciona segurança superior em frenagem em superfícies molhadas e escorregadias.

Rodas de alumínio fundido, à frente de 17 x 3,50 polegadas e atrás com 17 x 4,50 polegadas usam pneus de 120/70 ZR17 e 160/60 ZR17, respectivamente. As válvulas de alumínio forjado em forma de “L” facilitam a verificação da pressão.

A Honda NC 750X e NC 750X DCT 2022 têm garantia de três anos, sem limite de quilometragem, além do Honda Assistance (assistência 24 horas) durante o período que durar a garantia.

A Honda NC 750X dotada de câmbio convencional tem previsão de chegada às concessionárias de todo o Brasil a partir desse mês e preço sugerido de R$ 49,70 mil, base Distrito Federal, que não inclui despesas com frete ou seguro.

A Honda NC 750X DCT tem previsão de chegada às concessionárias de todo o Brasil a partir de abril, e o preço sugerido será anunciado em breve.

21YM HONDA NC750X

Fotos: Honda / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Ford anuncia a chegada da Ranger FX4 ao Brasil

Da Redação

ranger1_12102021_57517_1280_960

A Ford anunciou o lançamento da Ranger FX4, nova versão da picape que chega em breve ao mercado para ampliar as opções da linha.

Como o nome sugere, trata-se de um veículo de vocação aventureira, com visual exclusivo e perfil off-road, que se diferencia também pelos equipamentos e pela esportividade e requinte no acabamento.

O interior traz bancos com revestimento em material sintético que imita o couro, costuras vermelhas e o logotipo FX4 estampado nos encostos, de aparência refinada e esportiva.

image008

Como toda a linha Ranger, a FX4 vem com o sistema de conectividade FordPass que permite vários comandos remotos pelo celular, como partida, climatização, travamento e destravamento de portas e localização, além de alertas de alarme e de funcionamento do veículo.

A picape é equipada com o motor Duratorq 3.2 de 200 cv e 470 Nm. Ela vem com santantônio funcional, faróis full-LED com máscara negra integrados à grade dianteira exclusiva, alargadores de paralamas e detalhes nas laterais que destacam a sua personalidade.

A Ford comunicou que mais informações sobre o modelo serão divulgadas brevemente.

ranger_fx4_traseira-1160x653Fotos: Ford / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br