BMW do Brasil informa clientes sobre recall de modelos das Séries 3, 5, 6, 7, Z4, X3 e X5

Da Redação

A BMW do Brasil comunicou, hoje, o recall de diversos de seus modelos vendidos no País. Leia, abaixo, o comunicado na íntegra:

A BMW do Brasil convoca os proprietários dos veículos BMW:

Série 3 da geração E46, modelos 320i, 323i, 323Ci Coupé, 328i e 330i;

Série 5 das gerações E34, E39 e E60, modelos 530i (E34 e E60), 530i Touring (E34), 540i (E34 e E39), 540i Touring (E34), 545i (E60) e 550i (E60);

Série 6 da geração E63, modelo 645Ci Coupé;

Série 7 das gerações E38 e E65, modelos 750i (E38 e E65) 750Li (E38);

Z4 da geração E85, modelo 3.0i Roadster;

fabricados entre 1994 e 2006, a entrarem em contato com um concessionário autorizado para agendar a verificação e, caso necessário, o reparo gratuito dos componentes que poderão apresentar inconformidades técnicas (veja tabelas abaixo), não se descartando risco de acidentes e danos físicos e/ou materiais aos ocupantes dos veículos e a terceiros.

BMW Série 3
Modelo Chassis afetados Período de fabricação Reparo Risco
320i (E46) CG51027 2001 Substituição dos suportes de apoio dos amortecedores dianteiros Perda do controle da direção do veículo devido ao desprendimento do rolamento dos suportes de apoio dos amortecedores dianteiros
323i (E46) De FM82805a FM83097 1999 Verificação e, se necessário, substituição do interruptor da luz de freio Mau funcionamento das luzes de freio
323Ci Coupé (E46) JH67072 e JH67275 1999 Verificação e, se necessário, substituição do interruptor da luz de freio Mau funcionamento das luzes de freio
328i (E46) De EH74749 a EH75134 1999 Verificação e, se necessário, substituição do interruptor da luz de freio Mau funcionamento das luzes de freio
330i (E46) De JT46374 a PE00349 Entre 2000 e 2001 Verificação e, se necessário, substituição das rodas Perda do controle da direção do veículo devido à perda de ar repentina do pneu
Substituição dos suportes de apoio dos amortecedores dianteiros Perda do controle da direção do veículo devido ao desprendimento do rolamento dos suportes de apoio dos amortecedores dianteiros
BMW Série 5
Modelo Chassis afetados Período de fabricação Reparo Risco
530i (E34) GE63124 1994 Substituição do módulo geral por uma versão atualizada Travamento involuntário das portas, com os passageiros dentro do veículo
530i Touring (E34) De GF66646 a GF66653 1994 Substituição do módulo geral por uma versão atualizada Travamento involuntário das portas, com os passageiros dentro do veículo
540i (E34) De GF06511 a GF07073 1994 Substituição do módulo geral por uma versão atualizada Travamento involuntário das portas, com os passageiros dentro do veículo
540i Touring (E34) GK00788 1994 Substituição do módulo geral por uma versão atualizada Travamento involuntário das portas, com os passageiros dentro do veículo
530i (E60) CM04409 e CM05094 2006 Verificação e, se necessário, substituição dos amortecedores traseiros Perda do controle da direção do veículo devido ao desprendimento dos amortecedores traseiros
540i (E39) GG87451 e GG87738 1999 Verificação e, se necessário, substituição do interruptor da luz de freio Mau funcionamento das luzes de freio
545i (E60) De B077776 a B079527 Entre 2003 e 2004 Instalação de um anel de retenção no acoplamento rápido da linha de combustível Vazamento de combustível em caso de colisão frontal severa
550i (E60) CN20942 2006 Verificação e, se necessário, substituição dos amortecedores traseiros Perda do controle da direção do veículo devido ao desprendimento dos amortecedores traseiros
BMW Série 6
Modelo Chassi afetado Período de fabricação Reparo Risco
 

645Ci Coupé (E63)

B200676 2004 Instalação de um anel de retenção no acoplamento rápido da linha de combustível Vazamento de combustível em caso de colisão frontal severa
BMW Série 7
Modelo Chassis afetados Período de fabricação Reparo Risco
750i (E38) De DG21519 a DG21760 1995 Verificação e, se necessário, substituição do eixo de roda traseiro Perda do controle da direção do veículo por quebra no cubo de roda traseiro direito
750Li (E38) De DH36768 a DH36904 1995 Verificação e, se necessário, substituição do eixo de roda traseiro Perda do controle da direção do veículo por quebra no cubo de roda traseiro direito
 

750i (E65)

DH77822 2006 Verificação e, se necessário, substituição dos amortecedores traseiros Perda do controle da direção do veículo devido ao desprendimento dos amortecedores traseiros
BMW Z4
Modelos Chassis afetados Período de fabricação Reparo Risco
Z4 3.0i Roadster (E85) De LS61138 a LS62769 2003 Verificação e, se necessário, instalação de uma resistência na bomba de combustível O motor parar de funcionar durante o uso, sendo possível religá-lo apenas após 20 minutos, aproximadamen-te

A BMW do Brasil também convoca os proprietários dos veículos BMW:

X3 da geração E83, modelo X3 2.0d;

X5 das gerações E53 e E70, modelos X5 3.0i (E53), X5 4.4i (E53), X5 4.8is (E53) e X5 xDrive 48i (E70);

fabricados entre 1999 e 2008 a entrarem em contato com um concessionário autorizado para agendar a verificação e, se necessário, o reparo gratuito dos componentes que poderão apresentar inconformidades técnicas (veja tabelas abaixo), não se descartando risco de acidentes e danos físicos e/ou materiais aos ocupantes dos veículos e a terceiros.

BMW X3
Modelo Chassis afetados Período de fabricação Reparo Risco
X3 2.0d (E83) WJ55333 2008 Substituição do dispositivo de aquecimento do filtro de combustível Descarga precoce da bateria e possível incêndio por curto circuito
BMW X5
Modelos Chassis afetados Período de fabricação Reparo Risco
X5 3.0i (E53) De LM21026 a LM25098 De 2000 a 2001 Verificação da folga do pedal do freio e, se necessário, substituição do suporte do pedal Impossibilidade de acionamento do freio pelo respectivo pedal
X5 4.4i (E53) De

LG92213 a LU53241

De 1999 a 2004 Substituição da DME (Unidade Eletrônica Digital do Motor) e programação das unidades de comando O motor pode para de funcionar durante o uso
Verificação do torque aplicado nos parafusos de fixação do diferencial dianteiro, suporte de rolamento do semieixo direito e suporte do motor Ruídos indesejáveis e perda de tração durante o uso
Verificação e, se necessário, substituição do interruptor de posição da transmissão Impossibilidade do aumento de marchas (possível apenas redução)
Verificação da distância entre a tubulação de freio e da coluna de direção e, se necessário, correção Falha no funcionamento do sistema de freios devido à vazamento
Montagem de um espaçador de borracha entre as tubulações do filtro de óleo e de freio Falha no funcionamento do sistema de freios devido à vazamento
Verificação da folga do pedal do freio e, se necessário, substituição do suporte do pedal Impossibilidade de acionamento do freio pelo respectivo pedal
Verificação da data de fabricação dos cintos de segurança dianteiros, e se necessário, substituí-los Atuação restritiva ineficiente dos cintos de segurança dianteiros
 

X5 4.8is (E53)

De LD79267 e LD79268 De 2005 Substituição da placa guia do bloqueio de estacionamento da transmissão O veículo pode mover-se mesmo com a alavanca da transmissão em P
X5 xDrive48i (E70) De LY64447 a LY87899 De 2006 a 2007 Instalação de cabos de massa (fio terra) entre a tubulação de combustível e a bobina de ignição O motor pode parar de funcionar durante o uso
Verificação e, se necessário, substituição da tampa do reservatório de expansão do fluído de freio Falha na detecção de perda de fluido de freio, podendo ocasionar falha no funcionamento do sistema de freios

Esta convocação envolve um total de 158 veículos, sendo 116 modelos das Séries 3, 5, 6 e 7, e Z; e mais 42 SUVs da Linha BMW X.

A BMW do Brasil ressalta que, até o presente momento, não teve conhecimento de acidentes relacionados a estas campanhas de recall.

As verificações e/ou correções das inconformidades técnicas apresentadas nestas campanhas de recall podem ser agendadas imediatamente. O tempo total estimado para o conserto pode ser de até 2 horas.

Para verificar se sua unidade está dentro do sequenciamento de chassis ou para mais informações, por favor, acesse www.bmw.com.br/recall ou entre em contato com o

Serviço de Atendimento ao Cliente BMW, exclusivo para Recall, 0800 019 7097, de 2ª a 6ª feira, das 8 às 19 horas.

BMW Motorrad anuncia mega recall envolvendo diversos modelos de sua linha

Da Redação

A BMW Motorrad comunicou, hoje, o recall de diversos modelos de sua linha de motocicletas. Leia, abaixo, o comunicado na íntegra:

A BMW Motorrad Brasil realiza um recall envolvendo modelos das linhas F, G, K e R comercializados no País.

Os proprietários das motocicletas envolvidas devem entrar em contato com um concessionário autorizado da marca para agendar gratuitamente a verificação e, se necessário, o reparo dos componentes que podem apresentar inconformidades técnicas, não se descartando risco de acidentes e danos físicos e/ou materiais aos ocupantes das motos e a terceiros.

Linha F

Os modelos F 650 GS e F 650 CS, fabricados entre 2000 e 2002, estão sendo convocados devido a riscos de perda de eficiência de frenagem na roda traseira, desligamento repentino do motor e vazamento de combustível na região da bomba de combustível. Os reparos incluem a instalação de clipe de reforço na balança traseira, substituição do diodo do relé principal e reparo do flange da bomba de combustível.

Os modelos F 650 GS e F 650 GS DAKAR, fabricados em 2006, estão sendo convocados para substituição da parte inferior do quadro. O risco envolvido é de queda repentina do veículo enquanto o veículo permanece estacionado ou no momento em que o piloto e garupa montarem no veículo.

Já os modelos F 800 S, F 800 GS e F 650 GS, fabricados entre 2006 e 2008, estão sendo chamados devido a riscos de bloqueio da roda traseira, possível perda repentina da força motriz e instabilidade direcional. Os reparos incluem correção na rota do tubo de respiro do tanque de combustível; substituição dos elementos de fixação da coroa traseira; verificação e, se necessário, substituição do eixo da roda dianteira.

Linha G

As motocicletas G 650 Xchallenge, G 650 Xmoto e G 650 Xcountry, fabricadas entre 2006 e 2008, são convocadas para substituição da mangueira de saída da bomba de combustível; substituição do espaçador da corrente de transmissão final e da pala do amortecedor traseiro (apenas modelo Xchallenge); verificação e, se necessário, reparo do cubo da roda traseira. Os riscos envolvem o bloqueio da roda traseira, vazamento de combustível e travamento do amortecedor traseiro.

Linha K

As motocicletas K 1200 RS, K 1200 S e K 1200 R, fabricadas entre 1997 e 2006, são convocadas em razão de riscos associados à perda de controle do veículo e redução na eficiência de frenagem dianteira. Os reparos necessários incluem a verificação e, se necessário, substituição da bomba de óleo; verificação e eventual correção do torque dos parafusos de ajuste dos manetes de freio e embreagem; substituição do parafuso banjo e dos discos de freio dianteiros.

Linha R

Os modelos R 1100 R e R 1100 S, fabricados entre 1996 e 1998, devem ser encaminhados a uma concessionária autorizada para verificação e, se necessário, substituição ou correção dos seguintes componentes e sistemas:  chicote do canhão de ignição e chicote elétrico; amortecedor dianteiro; junta esférica no pedal do freio traseiro; conjunto do distribuidor de combustível. Os riscos estão associados com o desligamento repentino do motor, perda de controle do veículo, falha no acionamento do sistema de freio traseiro e vazamento de combustível, respectivamente.

Já os modelos R 1200 C, fabricados entre 1997 e 2000, devem ser avaliados para substituir as chapas de apoio e fixação do banco do passageiro; refazer a rosca e substituir os elementos de fixação da mesa superior; verificar e, se necessário, corrigir o torque dos parafusos de ajuste dos manetes de freio e embreagem. O risco decorrente da falta desses reparos é a perda de controle do veículo.

Os modelos R 1150 GS, R 1150 GS Adventure, R 1150 RT e R 1150 Rockster, fabricados entre 1999 e 2003, participam do recall para instalação do coxim e, se necessário, substituição da tubulação do fluído de freio dianteiro; instalação de disco distanciador e, se necessário, substituição da roda fônica e sensor do ABS; substituição do flexível de freio da roda traseira; correção da rota dos cabos do sistema de ignição. Os riscos estão associados com a redução na eficiência de frenagem dianteira ou traseira e desligamento repentino do motor.

Os modelos R 1200 GS e RT, fabricados entre 2004 e 2005, devem comparecer à rede de concessionárias para os seguintes reparos: verificar e, se necessário, substituir a junta da bomba de combustível; instalar as coberturas das polias do cabo do acelerador; verificar e, se necessário, substituir o parafuso banjo no flexível de freio dianteiro; corrigir a rota do chicote do sensor do ABS dianteiro. Os riscos estão associados com o desligamento repentino do motor, perda do controle do veículo e redução na eficiência de frenagem dianteira.

Os modelos HP2 Enduro, fabricados entre 2005 e 2006, são chamados para substituir os anéis de vedação e espaçamento do sensor do ABS da roda traseira e substituir o parafuso dianteiro de fixação do paralever. Os riscos estão associados com a possível derrapagem da roda traseira.

Os modelos R 1200 GS e R 1200 GS Adventure, fabricados em 2008, são convocados para substituição do módulo do ABS. Os riscos estão associados com a redução na eficiência de frenagem.

Agendamento

Os reparos das inconformidades técnicas apresentadas nesta campanha de recall podem ser agendados imediatamente. O tempo total de reparo é de até 2 horas (linhas F e G), e de 3 a 4 horas (linhas K e R).

Para verificar se sua unidade está dentro do sequenciamento de chassis ou, para mais informações, por favor, acesse www.bmw-motorrad.com.br, clicando na opção Serviços e Acessórios, Recall e Consulta de Recall, ou entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente BMW, exclusivo para Recall, 0800 019 7097, de 2ª a 6ª feira, das 8 às 19 horas.

Veja abaixo a lista de modelos afetados com os respectivos anos de fabricação, códigos de chassis não-sequenciais e os eventuais riscos e reparos necessários:

MODELO  

CHASSIS

 

PRODUÇÃO

 

TOTAL

 

RISCO

 

REPARO

 

F 650 GS

ZE34412 a ZE40106  

04/2000 a 01/2002

 

5

 

Perda de eficiência de frenagem na roda traseira Instalação do Clipe de Reforço na Balança Traseira
 

F 650 GS

 

ZE34412 a ZE40106 04/2000 a 01/2002  

2

 

Desligamento repentino do motor Substituição do Diodo do Relé Principal
 

 

F 650 CS

 

 

ZH02483 a ZH04383

 

04/2000 a 01/2002

 

3

Vazamento de combustível na região da bomba de combustível  

Verificação e Reparo do Flange da Bomba de Combustível

 

 

F 650 GS /

F 650 GS Dakar

 

 

ZR99855 / ZP96084

 

 

06/2006

 

 

 

2

Queda repentina da moto quando ela estiver parada ou no momento em que piloto e garupa montam  

 

Substituição da Parte Inferior do Quadro

 

F 800 S

 

ZP19668 a ZP20182  

09/2006 a 09/2008

 

5

Bloqueio na roda traseira Alteração na Rota do Tubo de Respiro do Tanque de Combustível
 

F 650 GS / F 800 GS

 

ZT31680 / ZT68436 a ZT71827  

09/2006 a 09/2008

 

2

 

Bloqueio da roda traseira ou perda repentina de força motriz  

Substituir os elementos de fixação da coroa traseira.

 

F 800 GS

ZT68436 a ZT71827  

09/2006 a 09/2008

 

4

 

Instabilidade direcional Verificar e, se necessário, substituir o eixo da roda dianteira
G 650 Xchallenge

/

G 650 Xmoto

XA80327 a XA82524 / XB00970 a XB02246  

11/2006 a 10/2008

 

 

 

4

Vazamento de combustível.  

Substituir a mangueira de saída da bomba de combustível

G 650 Xchallenge

 

 

XA81530

 

11/2006 a 10/2008

 

 

1

Bloqueio da roda traseira Verificar e se Necessário Reparar o Cubo da Roda Traseira
G 650 Xcountry

/

G 650 Xchallenge

/

G 650 Xmoto

 

XC00017 a XC02001   / XA80327 a XA82524 / XB00970 a XB02246  

 

11/2006 a 10/2008

 

 

 

 

60

Vazamento de combustível / travamento do amortecedor traseiro (apenas modelo Xchallenge) Substituir o espaçador da corrente de transmissão final / substituir a pala do amortecedor traseiro (apenas modelo Xchallenge)
 

R 1100 R

 

0368708 a ZC08200  

04/1996 a 08/1998

 

 

11

 

Desligamento repentino do motor Verificar e, se necessário, substituir o canhão de ignição e o chicote elétrico
 

R 1100 R

 

 

ZC08200

 

06/07/1998

 

 

1

Perda de controle do veículo Verificar e, se necessário, substituir o amortecedor dianteiro
 

R 1200 C

 

ZB00450 a ZB16889 05/1997 a 11/2000

 

 

12

 

Perda do controle do veículo Substituir as chapas de apoio e fixação do banco do passageiro
 

R 1100 S

 

ZA80502 a ZA82203  

04/1996 a 08/1998

 

 

35

 

Falha no acionamento do freio traseiro Garantir a Fixação da Junta esférica no pedal do freio traseiro
 

R 1100 S

 

ZA80502 a ZA82203 04/1996 a 08/1998  

10

 

Vazamento de combustível Substituir o Conjunto do Distribuidor de Combustível
 

R 1150 GS

 

 

ZE01263 a ZL60887

 

07/1999 a 09/2003

 

 

33

 

Redução na eficiência de frenagem dianteira Instalar o coxim e, se necessário, substituir a tubulação do freio dianteiro
 

R 1200 C

 

ZB00450 a ZB16889  

05/1997 a 11/2000

 

 

64

 

Perda do controle do veículo Refazer a rosca e substituir os elementos de fixação da mesa superior
 

R 1150 GS Adventure

 

 

 

ZH54323

 

05/09/2002

 

 

 

1

Redução na eficiência da frenagem traseira Instalar o disco separador e, se necessário, substituir a roda fônica e sensor do ABS
R 1150 GS Adventure

 

 

ZH50142

 

10/01/2002

 

 

1

Redução na eficiência de frenagem traseira  

Substituir o flexível de freio da roda traseira

 

R 1150 GS / R 1150 GS Adventure / R 1150 RT / R 1150 Rockster

 

ZE01263 a ZL60887 / ZH50142 a ZH59521 / ZK58571 / ZJ48924 a ZJ48932  

 

07/1999 a 09/2003

 

 

 

 

11

 

 

Desligamento repentino do motor

 

 

Corrigir a rota dos cabos do sistema de ignição

 

R 1200 C

 

ZB00450 a ZB16889  

05/1997 a 11/2000

 

 

40

Perda do controle do veículo Verificar os parafusos de ajuste dos manetes de freio e embreagem
 

R 1200 GS

 

ZL25450 a ZR35161 01/2004 a 09/2005

 

 

10

 

Desligamento repentino do motor Verificar e, se necessário, substituir a junta da bomba de combustível
R 1200 GS

 

 

ZL28450

 

25/03/2004

 

 

1

Perda do controle do veículo Instalar as coberturas das polias do cabo do acelerador
 

R 1200 GS / R 1200 RT

 

ZL25450 a ZR35161 / ZM01305 a ZM13606  

01/2004 a 09/2005

 

 

27

 

Redução na eficiência de frenagem dianteira Verificar e, se necessário, substituir o parafuso banjo
 

R 1200 GS / R 1200 RT

 

ZL25450 a ZR35161 / ZM01305 a ZM13606  

01/2004 a 09/2005

 

 

28

 

Redução na eficiência de frenagem dianteira  

Corrigir a rota do chicote do sensor do ABS dianteiro

 

R 1200 GS / R 1200 GS Adventure

 

ZU10115 a ZU13324 / ZU50714 a ZU51522  

01/2008 a 02/2008

 

 

16

 

Redução na eficiência de frenagem

 

Substituir o módulo do ABS

 

HP2 Enduro

 

ZL00219 a ZL01713  

08/2005 a 01/2006

 

 

2

 

Derrapagem da roda traseira

Substituir os anéis de vedação e espaçamento do sensor do ABS da roda traseira
 

HP2 Enduro

 

ZL00219 a ZL01713 08/2005 a 01/2006

 

 

5

Derrapagem da roda traseira Substituir o parafuso dianteiro de fixação do paralever
 

K 1200 RS

 

ZA20166 a ZA31420  

01/1997 a 01/2006

 

41

 

Perda de controle do veículo Verificar e, se necessário, substituir a bomba de óleo
 

K 1200 RS

 

ZA20166 a ZA31420  

01/1997 a 01/2006

 

41

 

Perda de controle do veículo Verificar os parafusos de ajuste dos manetes de freio e embreagem
 

K 1200 S / K 1200 R

 

ZR81720 a ZR81815 / ZN11661 a ZN16362  

01/1997 a 01/2006

 

 

4

Redução na eficiência da frenagem dianteira Verificar e, se necessário, trocar o parafuso banjo e os discos de freio dianteiros

Ford apresenta o novo Explorer 2020 em Detroit

Da Redação

All-New Ford Explorer HybridA Ford exibe no Salão de Detroit (EUA) o Explorer 2020, linha totalmente renovada do SUV, com mudanças no design, nos motores, nas tecnologias e duas novas versões: ST e Hybrid – veja o vídeo.

Ele chega ao mercado norte-americano no meio do ano com uma arquitetura flexível de tração traseira que amplia o espaço nas suas três fileiras de assentos.

O modelo é produzido desde 1990. Potente e espaçoso, conquistou muitos fãs no Brasil, onde foi importado de 1993 até meados dos anos 2000 e serviu de inspiração para a criação do EcoSport.

“O novo Explorer traz tudo que os consumidores pediram: mais capacidade, potência, espaço e tecnologia para toda a família, com um exterior extremamente esportivo e muito mais”, disse Hau Thai-Tang, chefe de desenvolvimento do produto e compras da Ford.

All-new Explorer STA capacidade off-road do novo Explorer também aumentou, segundo a Ford, com a opção de tração inteligente nas quatro rodas e sistema de gerenciamento de terreno com sete modos de direção.

A oferta de motores inclui o 3.0 V6 EcoBoost de 370 cv ou 405 cv (no modelo ST), o 2.3 EcoBoost de 304 cv e o 3.3 híbrido com potência combinada de 322 cv.

Ele vem de série com uma nova transmissão de 10 velocidades, central multimídia SYNC 3 com tela de 8 polegadas e conexão Wi-Fi para até 10 dispositivos com o serviço de assinatura FordPass Connect, que permite travar, destravar, localizar, dar partida e checar dados do veículo remotamente pelo smartphone.

A linha dispõe das versões Standard, XLT, Limited, Limited Hybrid, ST e Platinum

front-interior-of-a-2020-ford-explorer_o

All-new Explorer ST interiorExplorer ST – Projetado pela Ford Performance, o novo Explorer ST é o modelo mais potente da linha, com motor 3.0 V6 EcoBoost especialmente tunado de 405 cv e tração nas quatro rodas.

De acordo com a montadora, ele atinge velocidade máxima de 230 km/h e tem uma direção envolvente, incluindo o modo Sport que torna as respostas da direção, do acelerador e do câmbio mais esportivas.

Visualmente, a versão ST se destaca pela grade dianteira, rack de teto, molduras das rodas, apliques laterais, protetores dianteiro e traseiro e o nome Explorer aplicado em letras pretas no capô.

Rodas de alumínio de 21 polegadas e freios de alta performance são opcionais. No interior, tem bancos esportivos de couro microperfurado e volante aquecido.

2020-ford-explorer-st

maxresdefaultHíbrido – O Explorer Hybrid pertence à nova geração de híbridos da Ford. Diferentemente de outros híbridos, sua bateria de íons de lítio refrigerada por líquido é montada no chassi, sob os bancos da segunda fila, para preservar o espaço de passageiros e bagagem.

Com motor de 3.3 litros, ele tem uma potência combinada de 322 cv e autonomia de mais de 800 km na versão com tração traseira. Sua transmissão híbrida modular de 10 velocidades garante a capacidade que se espera de um utilitário.

Produzido em edição limitada, o novo híbrido vem com cancelamento ativo de ruído, bancos de couro microperfurados com costura constrastante, bancos da segunda fila aquecidos e sistema de som premium B&O com 14 alto-falantes.

All-new Explorer ST

Fotos: Ford / Divulgação

Volkswagen e Ford anunciam aliança global

Da Redação

Jim Hackett and Herbert Diess

Foto: Divulgação

A Volkswagen AG e a Ford Motor Company anunciaram, ontem, o primeiro acordo formal de uma ampla aliança que permitirá às empresas aumentar sua competitividade e atender melhor os consumidores em uma era de rápidas mudanças na indústria.

O CEO da Volkswagen, Dr. Herbert Diess, e o CEO da Ford, Jim Hackett, confirmaram que as empresas pretendem desenvolver vans comerciais e picapes médias para os mercados globais já a partir de 2022.

A aliança vai gerar ganhos significativos de escala e eficiência e permitirá a ambas as empresas compartilhar investimentos em arquiteturas de veículos que abrangem diferentes capacidades e tecnologias.

As empresas estimam que a cooperação em vans comerciais e picapes renderá um melhor resultado operacional anual antes dos impostos a partir de 2023.

Além disso, a Volkswagen e a Ford assinaram um memorando de intenções para estudar a colaboração em veículos autônomos, serviços de mobilidade e veículos elétricos e iniciaram o aproveitamento de oportunidades.

As empresas também afirmaram estar abertas a considerar outros programas conjuntos de veículos no futuro. Os seus times continuarão a trabalhar nos detalhes da parceria nos próximos meses.

“Ao longo do tempo, essa aliança vai ajudar ambas as empresas a criar valor e atender as necessidades de nossos clientes e da sociedade”, disse Hackett. “Ela vai não só trazer eficiências importantes e ajudar ambas as empresas a melhorar seu desempenho, mas também nos dará a oportunidade de ajudar a formar a próxima era da mobilidade.”

Diess acrescentou: “A Volkswagen e a Ford vão combinar seus recursos, capacidade de inovação e posições de mercado complementares para melhor atender milhões de consumidores ao redor do mundo. Ao mesmo tempo, a aliança servirá como pilar para a nossa meta de aumento da competitividade.”

A aliança, que não envolve a troca de ações entre as duas empresas, será dirigida por um comitê conjunto. Esse comitê será liderado por Hackett e Diess e incluirá executivos senior das duas empresas.

Colaboração em vans comerciais e picapes

Tanto a Ford como a Volkswagen possuem negócios robustos em vans comerciais e picapes ao redor do mundo, com linhas populares como a família Ford Transit e a Ranger, assim como as linhas Transporter, Caddy e Amarok da Volkswagen.

O volume total de veículos comerciais leves das empresas em 2018 somou cerca de 1,2 milhão de unidades globalmente, que poderia representar o maior volume combinado da indústria com o ganho de escala de produção.

A demanda tanto de picapes médias como de vans comerciais tem projeção de crescimento global nos próximos cinco anos. A aliança permitirá às empresas compartilhar custos de desenvolvimento, aproveitar as respectivas capacidades de manufatura, aumentar a capacidade e a competitividade dos seus veículos e ter custos eficientes, mantendo as características distintas de cada marca.

Por meio da aliança, a Ford vai projetar e construir picapes médias para as duas marcas, que devem chegar ao mercado já em 2022.

Ainda para a aliança, a Ford pretende projetar e construir vans comerciais maiores para os consumidores europeus, enquanto a Volkswagen vai desenvolver e construir uma van urbana.

Yamaha divulga preço da nova Lander ABS

José Oswaldo Costa

image034

No dia 3 de dezembro último, publicamos matéria informando sobre o lançamento da nova Lander ABS.

Agora, a Yamanha informou o preço da motocicleta. A Lander ABS terá três opções de cores: azul (Competition Blue), branco (Sports White) e preto (Black Eclipse).

Ela estará disponível para compra nas concessionárias da marca na 2ª quinzena de janeiro 2019 com o preço público sugerido de R$16,99 mil + frete.

image007(1)

Foto: Yamaha / Divulgação

Toyota do Brasil avança em plano de ações para alcançar eficiência ambiental

Chico Lelis*

meu logoCada vez mais, a indústria automobilística tem investido em novas tecnologias para desenvolver a oferta de modelos elétricos. Especialistas se arriscam para cravar a aposentadoria dos motores à combustão.

E os carros híbridos já são uma realidade. Apesar dessa tendência para poupar o meio ambiente, a Toyota Motor Corporation, pioneira em tecnologia híbrida, quer aprimorar ainda mais a sua contribuição.

A empresa entende que reduzir a emissão de CO2 na atmosfera é de extrema importância para o planeta. Mas, sozinha, essa ação não é capaz de reverter os danos provocados pelo avanço da sociedade.

Diante disso, no ano fiscal 2015/2016, a matriz da Toyota Motor Corporation lançou o Desafio Ambiental 2050: um conjunto de ações que estabelece que até a metade deste século seja possível zerar a emissão de gás carbônico em todas as operações da marca e gerar, assim, um impacto positivo real no meio ambiente e nas comunidades próximas.

A empresa também estabeleceu metas para o curto prazo. Até o ano de 2020, o objetivo é zerar a emissão de CO2 nas operações de suas fábricas. Dentro deste prazo, a Toyota do Brasil terá adequado todas as unidades que mantém no País, entre montadoras, fábricas de peças e distribuidoras, de acordo com a planta que mantém em sua sede, em São Bernardo do Campo, São Paulo.

Medidas como a conscientização dos colaboradores e funcionários, a troca das lâmpadas fluorescentes pelo sistema LED, a otimização do uso do maquinário em horários improdutivos e o uso de energia 100% renovável garantiram à unidade o certificado com selo ISO 14000. Além disso, foi possível aumentar em 56% a quantidade de energia economizada.

De olho nesse compromisso, fornecedores e rede de concessionárias também foram estimulados a operar em harmonia com a natureza. Do ano fiscal 2016/2017, quando as primeiras ações passaram a ser executadas até o momento, a Toyota do Brasil conseguiu reduzir 2% de suas emissões de CO2 por veículo produzido.

Mais esforços também têm sido concentrados no transporte de produtos. Os processos de distribuição de modelos e peças entre fornecedores e a rede autorizada priorizam a redução das emissões que, hoje, representam três quartos de todo o CO2 despejado durante a logística.

No ano de 2015, a inauguração do Centro de Distribuição de Suape, em Pernambuco, foi de suma importância. Estrategicamente localizada, a unidade está no eixo entre as fábricas de São Paulo e Argentina.

Isso possibilitou com que os modelos importados e os produzidos aqui passassem a ser transportados pelo mar. Essa solução reduziu 6,8 mil toneladas de emissões se comparado ao transporte rodoviário. A linha férrea entre os municípios de Santos e Suzano também otimiza a distribuição de peças que chegam pelo porto e precisam ser entregues nas fábricas no interior de São Paulo. Sem contar todos os outros pequenos gestos do dia a dia, tomados por cada um dos nossos mais de trezentos mil (**nível global) colaboradores.

Um dos pilares da filosofia da Toyota Motor Corporation se traduz pelo termo Kaizen, que, traduzido do japonês, representa a melhoria contínua. A Toyota compreende que ainda falta muito para que todos os setores da sociedade consigam estar alinhados em eficiência ambiental.

Mas entende, também, que não podemos esperar para que tudo esteja à nosso favor para começarmos a agir quando há um objetivo pela frente.

foto - chico lelis

*chicolelis – chicolelis@gmail.com – Jornalista com passagens pelos jornais A Tribuna  (Santos), O Globo e Diário do Comércio. Foi assessor de Imprensa na Ford, Goodyear e, durante 18 anos, gerenciou o Departamento de Imprensa da General Motors do Brasil. Assina a coluna “Além do Carro”, na revista Carro, onde mostra ações do setor automotivo nos campos social e ambiental.

Apoio

new_banner_ec_tcm-3032-617990

Ford anuncia o lançamento de carros com a tecnologia C-V2X em 2022

Da Redação

infoc-v2xA Ford anunciou na CES, a maior feira de tecnologia do mundo, em Las Vegas, nos EUA, que vai oferecer a tecnologia de comunicação do veículo-com-tudo pelo celular – a chamada C-V2X – em todos os seus veículos novos nos Estados Unidos a partir de 2022. O anúncio ocorre exatamente um ano depois de a marca firmar um acordo com a Qualcomm para esse desenvolvimento.

A C-V2X é uma tecnologia de comunicação sem fio altamente avançada que permite aos veículos “ouvir” e “conversar” uns com os outros, com os pedestres e com a infraestrutura de trânsito para transmitir informações de segurança e ajudar a criar um sistema de transporte inteligente e conectado.

A C-V2X foi planejada para operar com a rede de celular 5G, que está avançando rapidamente no mundo. Ela permite a comunicação direta entre os dispositivos conectados – ou seja, o sinal não precisa viajar primeiro para uma torre de celular –, por isso é muito rápida.

Ela também complementa outros sistemas de assistência ao motorista, como sensores de radar e câmera, que usam processos computacionais similares. As comunicações C-V2X indiretas (do veículo para a rede e todo o resto) são o próximo passo na evolução da tecnologia 5G e estarão disponíveis em um futuro muito próximo.

“Atravessar cruzamentos, por exemplo, será muito mais fácil com a C-V2X, pois os veículos poderão se comunicar entre si para negociar qual tem a preferência. Da mesma forma, um carro envolvido em um acidente pode informar a ocorrência para os demais e um pedestre na pista com telefone celular pode ser localizado pelos veículos, mesmo se estiver fora do campo de visão”, disse Don Butler, diretor executivo de Veículos Conectados da Ford.

Sinais inteligentes

A comunicação C-V2X com a infraestrutura urbana – como semáforos e sinais de trânsito – permitirá que o motorista receba informações para rodar com mais liberdade e segurança. Um semáforo, por exemplo, pode alertar quando vai ficar verde ou vermelho e se o motorista corre o risco de passar no sinal fechado.

“Essa tecnologia faz parte da nossa visão de fornecer veículos mais inteligentes em um mundo mais inteligente – um mundo em que tecnologias conectadas também podem ajudar empresas a fornecer serviços sob demanda ao longo de sua rota e ajudar as cidades a migrar para novos ecossistemas, como ruas sem sinais de trânsito”, continuou Butler.

As tecnologias atuais de assistência ao motorista, assim como os futuros veículos autônomos, usam sensores que basicamente “veem” o que está ao redor. A C-V2X aprimora essa capacidade, permitindo que os veículos também “escutem” e “conversem” com os demais, com os pedestres e com a infraestrutura viária.

Isso pode ser comparado, grosso modo, a como as pessoas combinam a visão e a audição para se locomover em ambientes complexos.

Usando um chip avançado de computador, o veículo compartilha seus dados em tempo real e recebe informações que permitem “ver” nas curvas e identificar objetos que estão fora do alcance dos seus sensores LIDAR e câmeras.

O sistema permite também enviar alertas atualizados de obras, engarrafamentos e acidentes, dando ao motorista a opção de escolher outro caminho.

Regulamentação

Os veículos autônomos são totalmente capazes de operar sem a C-V2X, mas essa tecnologia pode complementar o sistema formado por sensores LiDAR, radar e câmera. Veículos de emergência equipados com transmissores C-V2X, por exemplo, poderão avisar os carros autônomos à frente para abrir caminho, estacionando ou mudando de rota.

“É preciso um ambiente normativo propício para a implementação da C-V2X, por isso trabalhamos tanto com a indústria como com órgãos governamentais para criar um ambiente de tecnologia neutro. Essa tecnologia só atingirá todo o seu potencial se muitos veículos e a infraestrutura viária a utilizarem. É por isso que estamos convidando outras montadoras, operadores de infraestrutura e rodovias, bem como agências governamentais, a trabalhar conosco para acelerar o avanço da C-V2X”, destacou Don Butler.

Novo ecossistema

Para expandir o ecossistema de mobilidade, a Ford está investindo também na oferta de serviços inovadores como o GoRide, que transporta pessoas a consultas médicas, e alternativas como as scooters elétricas Spin – empresa adquirida em 2018 pela divisão Ford Smart Mobility.

“Considerando o grande número de serviços oferecidos atualmente – desde caronas compartilhadas e transporte público até programas de compartilhamento de bicicletas e scooters –, construir tal ecossistema não é tarefa para só uma companhia”, disse Marcy Klevorn, presidente da Ford Mobility.

“É preciso estar aberto a novas ideias, experimentos e colaborações. Por isso estamos comprometidos em trabalhar com diferentes parceiros para realmente melhorar a maneira como as pessoas rodam nas nossas cidades.”

Para criar uma rede de transporte abrangente capaz de conectar as diferentes opções de mobilidade, a Autonomic criou a plataforma chamada Nuvem de Mobilidade do Transporte (Transportation Mobility Cloud).

Ela gerencia o fluxo de informações e as transações básicas do ecossistema formado por provedores de serviço, veículos pessoais, bicicletas, pedestres, sistemas de transporte de massa e infraestrutura das cidades, incluindo semáforos e vagas de estacionamento.

A Autonomic trabalha com várias empresas, como a rideOS, criadora de tecnologias de transporte e mapeamento que fornecem estimativas de viagem altamente precisas. Com essa integração, as solicitações de carona podem ser facilmente combinadas tanto com veículos dirigidos por motoristas como com os futuros veículos autônomos para sugerir a melhor forma de chegar a um destino.

A integração com a rede de satélites de baixo custo da Swarm Tecnologies permitirá às pessoas acessar os serviços remotos direto da nuvem em qualquer lugar do mundo, mesmo em lugares com cobertura precária de telefonia, e reduzir os custos de transporte.

A Autonomic também está trabalhando com a TribalScale para implementar a Dashero, uma plataforma de inteligência artificial que permite a compra de produtos e serviços por comandos de voz diretamente do veículo. Usando dados na nuvem, o serviço poderá prever com exatidão o tempo de chegada do consumidor ao destino para fazer a entrega.

No final do ano, a Autonomic também vai disponibilizar o kit de desenvolvimento da Nuvem de Mobilidade do Transporte para desenvolvedores que quiserem criar novos aplicativos e serviços com essa plataforma.

Ao mesmo tempo, o time City Solutions da Ford trabalha com governos e comunidades para definir como as novas soluções de mobilidade podem ser implementadas.

“Como diz o velho ditado, Roma não se fez em um dia – não podemos simplesmente adotar as novas tecnologias da mesma forma que fazíamos antigamente e esperar ter os melhores resultados. Para criar o futuro que desejamos, com cidades melhores e mais sustentáveis onde as pessoas circulem com mais facilidade, devemos nos unir e colocar as peças no lugar agora”, completou Marcy Klevorn.

infoc-v2x-2

Imagens: Ford / Divulgação