BMW X4 M40i Individual Edition chega ao Brasil com pintura exclusiva

Da Redação

8112ca1454eb6beeac0a7ad9a26ec78a

Rápido, tecnológico e mais exclusivo. Este é o BMW X4 M40i Individual Edition. Além do motor de 387cv e da farta lista de equipamentos de série, a versão especial chega ao Brasil com tiragem limitada de 24 unidades com pintura exclusiva Individual.

A marca criou, na década de 1990, a linha BMW Individual, um padrão exclusivo capaz de refletir o auge em termos de qualidade técnica.

A linha BMW Individual surgiu com o desenvolvimento de veículos sob medida para personalidades, como o estilista alemão Karl Lagerfeld e o tenor lírico espanhol Jose Carreras, além de uma série de equipamentos que se tornaram sinônimo de qualidade inigualável, atendendo às mais rigorosas exigências e desenvolvimento focado no cliente.

A gama BMW Individual abrange acabamentos de pintura exclusivos, revestimento de couro de alta qualidade e guarnições internas.

Produzidas na planta do BMW Group localizada em Spartanburg, nos Estados Unidos, as 24 unidades do X4 M40i com pintura especial chegam com o mesmo motor da versão produzida em solo nacional.

Trata-se de um motor seis cilindros em linha, 2.998 cm³, TwinPower Turbo, que rende 387 cv de potência (entre 5.800 e 6.500rpm) e 500 Nm de torque máximo (entre 1.900 e 5.000 rpm).

9c65eeb8440632290c95d429a7a678a5

Além de serem os mais potentes, os novos modelos são, também, os mais carros rápidos produzidos no Brasil. Aceleram de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos, e a velocidade máxima é limitada eletronicamente a 250 km/h.

A transmissão é automática de oito (8) marchas, com aletas atrás do volante para trocas manuais. A tração é integral por demanda.

Visualmente, o modelo se destaca pelo design marcante em elementos como os faróis duplos a laser, a grade com o duplo rim integrado visualmente, o para-choque dianteiro com grandes entradas de ar e as rodas de 21 polegadas.

No quesito tecnologia, o X4 M40i Individual Edition vem equipado com o BMW Live Cockpit Professional. Duas telas, de 12,3 polegadas de alta resolução, exibem as informações do veículo e do sistema de entretenimento, sendo esta última sensível ao toque e compatível com Apple CarPlay e Android Auto.

O ar-condicionado tem controle de temperatura automático com três zonas e o teto-solar é do tipo panorâmico. Além do porta-copos, o console central acomoda a alavanca seletora de marchas, botões para o sistema start/stop e partida do motor, freio de estacionamento elétrico, controle da multimídia, entre outros comandos do veículo.

Topo de linha do X4, a versão M40i vem recheada de assistentes para o motorista. É o caso dos sistemas Driving Assistant, Parking Assistant Plus e Surround View, com câmera de ré e sensores de estacionamento dianteiro e traseiro.

e1f5ad3276288d19af78328d0afd5472Fotos: BMW Group / Divulgação

O Driving Assistant oferece uma condução inteligente em situações de trânsito lento ou em longos deslocamentos, informando o motorista, por meio de alertas visuais e sonoros, de condições de tráfego cruzado, riscos de colisão traseira, mudanças involuntárias de faixa de rolamento e controle e prevenção de aproximação frontal, entre outras funções.

Com o My BMW App, é possível ativar funções remotas, como localizar o veículo, trancar e destrancar o carro, acender os faróis, ligar as buzinas e acionar a ventilação do carro.

Além disso, com o My BMW App é possível verificar o status do carro, caso tenha alguma porta ou janela aberta, ter informações sobre a quilometragem, o nível do tanque de combustível ou a autonomia, manutenções e serviços necessários, localizar e fazer contato com concessionários, mensagem de check control como fluído de freio ou óleo do motor, e ainda, receber notificações a cada atualização remota de software (Remote Software Upgrade).

O BMW X4 M40i Individual Edition também vem equipado com o Drive Recorder, uma funcionalidade capaz de capturar vídeos em 360° ao redor do veículo, através das 4 câmeras. As gravações podem ter até 40 segundos de duração, incluindo os 20 segundos imediatamente antes da ativação e os 20 segundos posteriores.

A função pode ser ativada a qualquer momento através do menu iDrive ou automaticamente quando algum acidente for detectado. Os vídeos podem ser gravados para entretenimento e diversão como em viagens, em deslocamentos com paisagens encantadoras, mas também pode ser configurado para ativação automática em caso de acidente.

A versão também conta com o Intelligent Personal Assistant (IPA) e o Caring Car. Enquanto um permite interação, por voz, com o próprio carro de forma natural e permite ativar diversas funções do veículo, como por exemplo, o controle de temperatura, as luzes, a mídia, modos de experiência e abertura de janelas, o outro transforma o ambiente do interior de acordo com o humor do proprietário, tudo por voz.

O BMW X4 M40i Individual Edition chega ao Brasil com o preço de R$ 616,95 mil.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Nissan Leaf já está sendo comercializado em BH

Modelo foi o veículo 100% elétrico mais vendido do Brasil em 2021

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 25/03/2022)

de Ouro Preto (MG)

Test Drive Leaf Etapa MG-282

A Nissan pesquisa, desenvolve protótipos e produz veículos elétricos para projetos especiais desde 1947. Em 2010, ela lançou um modelo em larga escala, o Leaf, o carro 100% elétrico mais vendido no mundo.

Produzido em três fábricas, em três continentes diferentes, o Leaf está disponível em mais de 50 países e já superou a marca de 500 mil unidades comercializadas. Em 2019, a Nissan iniciou a importação do modelo para o Brasil, disponibilizado apenas em 7 cidades.

Agora, em 2022, o Leaf estará disponível em 34 cidades, abrangendo 15 Estados e o Distrito Federal, todas as regiões do País.

Mesmo com a rede restrita, em 2021 o Leaf foi o carro elétrico mais vendido em nosso mercado, registrando 439 emplacamentos, segundo dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave).

Em Belo Horizonte, o Leaf já está disponível na Nissan Carbel Japão, unidade localizada na Avenida Barão Homem de Melo, 3.400, Estoril. Na concessionária, é possível agendar um test drive prolongado de 24 horas.

Test Drive Leaf Etapa MG-265

Ações promocionais estão levando o Leaf aos condomínios de Belo Horizonte (MG) e Nova lima (MG) para seus moradores conhecerem o modelo.

Na Carbel Japão, vendedores foram treinados, atualizados em relação às novas tecnologias. Eletropostos instalados em vagas reservadas atendem à oficina e aos clientes. Alguns equipamentos especiais são dedicados às manutenções periódicas do Leaf.

Um box exclusivo foi construído para a execução de serviços que requerem maior controle operacional e segurança no manuseio dos sistemas elétricos do hatch médio.

Além da expansão das concessionárias credenciadas para a venda do Leaf, o projeto conta com três outros pilares: contribuir com a rede de infraestrutura de recarga, desmistificar dúvidas sobre a utilização e funcionamento dos carros elétricos e formar novas parcerias para permitir que o Brasil desenvolva conhecimento e tecnologia ligados à eletrificação.

Test Drive Leaf Etapa MG-276

Motor – Nesta segunda geração, o Nissan Leaf conta com um motor elétrico que rende 110 kW, o equivalente a 149 cv de potência e 32,6 kgfm de torque. Estes números são, respectivamente, 37% e 26% maiores do que no Leaf de primeira geração.

O torque máximo é imediato, atingido em 0,1 segundo. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 7,9 segundos, excelente para um carro com menos de 150 cv e pouco mais de 1.500 kg.

Suas novas baterias de íon-lítio, que são agrupadas em 24 módulos, totalizam 40 kWh. Este conjunto oferece autonomia de 270 km no ciclo americano, o mais rigoroso, satisfazendo as necessidades de circulação urbana da maioria dos consumidores.

Com o Wall Box da Nissan, vendido separadamente, as baterias do Leaf são 100% recarregadas em 8 horas. Ele funciona em rede elétrica padrão 220/240 volts e 32 ampères.

Test Drive Leaf Etapa MG-11

Os clientes também recebem um cabo de recarga de emergência que pode ser usado em uma rede padrão 120/220 volts aterrada, com tomadas de 12/16 ampères, levando até 40 horas para uma carga completa.

A recarga rápida é feita apenas em postos públicos. São instalações que utilizam corrente contínua e trabalham com 480 volts. Nelas, as baterias do Leaf atingem 80% da sua capacidade em 40 minutos e 100% em uma hora.

Um adaptador para plug do Tipo 2, mais popular, completa este kit, pois o Leaf tem como padrão o Tipo 1.

O destaque dos modelos 100% elétricos é a possibilidade de conduzir usando apenas o pedal do acelerador. No Leaf, este sistema é o e-Pedal.

Acionado por um botão localizado no console central, essa tecnologia gerencia as acelerações e as frenagens por meio do acelerador. Soltando-o, o carro irá parar de forma gradual e suave, sem necessidade de se pressionar o pedal do freio.

Test Drive Leaf Etapa MG-259

Com taxa de desaceleração de até 0,2 G entre 40 km/h e a imobilidade, o e-Pedal elimina a necessidade de os motoristas moverem constantemente o pé do pedal do acelerador para o de freio, simplificando a operação.

Embora o pedal de freio convencional ainda deva ser usado em situações de frenagens mais bruscas, este recurso permite que os motoristas acionem apenas um pedal em 90% das atividades ao volante.

Regeneração de energia – Todas as desacelerações são regenerativas, isto é, quando se tira o pé do acelerador ou se pisa levemente nos freios, o motor elétrico passa a trabalhar como um gerador enviando eletricidade para carregar as baterias ao mesmo tempo em que segura o carro.

Somente quando se pisa mais forte no pedal, o sistema de freios é acionado. Inclusive, existem programações que priorizam uma maior regeneração ou um maior desempenho dinâmico do modelo.

O novo Nissan Leaf é o único carro elétrico com a tecnologia Vehicle-to-Grid (V2G), que permite carregamento bidirecional. Na prática, ela transforma o carro em uma bateria sobre rodas, pois permite que o carro seja carregado e devolva energia à rede ou a uma casa, se necessário.

Test Drive Leaf Etapa MG-27

Sistemas de Segurança – Além do e-Pedal, o Leaf está equipado com um conjunto de tecnologias de segurança e de auxílio à condução: alerta de mudança de faixa, sistema de prevenção de mudança de faixa, assistente de frenagem de emergência, controle de velocidade adaptativo, sistema de advertência de ponto cego, visão 360° com detector de movimento, alerta de atenção do motorista, sistema de monitoramento de pressão dos pneus e alerta de tráfego cruzado traseiro.

Os sistemas identificam se o carro está saindo da faixa sem que se perceba, se há pessoas ou objetos atrás do automóvel durante uma manobra, veículos em pontos cegos do retrovisor, sinais de fadiga do condutor, entre outras ações preventivas.

Já o controlador automático de velocidade adaptativo monitora e mantém a distância do carro à frente (podendo ser programada proporcionalmente à velocidade) ou freia o carro, caso necessário.

Checagem constante da pressão dos pneus e visualização de 360º no entorno do veículo (por meio de imagens geradas por quatro câmeras) são outros recursos destacados pela Nissan.

Seis airbags, controles de estabilidade e tração, freios ABS com distribuição de força, sistema de partida em rampas, controle dinâmico de chassi (também disponível no Kicks e que reúne os controles de freio e curvas e o estabilizador de carroceria), ancoragem Isofix de cadeiras infantis e reforços na carroceria completam os equipamentos de segurança que levaram o Leaf a conquistar 5 estrelas no EuroNcap, a divisão do órgão que aplica os testes mais abrangentes e rigorosos.

Test Drive Leaf Etapa MG-47

Test Drive Leaf Etapa MG-49

A sua central multimídia A-IVI com tela de 8 polegadas sensível ao toque permite o uso de aplicativos como Waze, Spotify, Deezer, Google Maps, WhatsApp, Apple CarPlay, Android Auto, entre outros.

A câmera e sensores de estacionamento são essenciais. Mesmo sendo um hatch, o Leaf tem traseira alta e coluna “C” larga, obrigando ao uso destes auxílios para realizar as manobras com mais segurança.

Vidros elétricos, volante com comandos de som, telefone e computador de bordo, luzes diurnas de led (DLR), rodas de liga leve aro 17, bancos dianteiros com aquecimento, ar-condicionado automático, entre outros, completam a lista de equipamentos de série do Leaf que é vendido em versão única e sem equipamentos opcionais.

Externamente, essa nova geração do Leaf está alinhada com a linguagem visual da Nissan. Seu visual e porte se assemelham ao do Sentra. Ele poderia ser o hatch deste sedan médio, porém, com uma carroceria mais alta, pois em sua base estão as baterias, deixando o piso bem elevado.

Essa característica influencia na ergonomia. A cabine do Leaf acomoda com conforto quatro adultos. Ombros e cabeças têm espaço de sobra. Para as pernas, a área extra não é diferente, mas, por conta desta elevação do piso, os joelhos ficam mais flexionados que o usual.

Test Drive Leaf Etapa MG-46

Test Drive Leaf Etapa MG-52

Na posição central do banco traseiro, só uma criança se acomoda, pois, além do piso, o túnel também é alto. O porta-malas comporta ótimos 459 litros.

No interior, o design do Leaf é moderno, um pouco menos arrojado que a atualização externa. Porém, a qualidade dos acabamentos sobressai. Áreas revertidas e macias ao toque são abundantes.

Os plásticos duros têm ótima aparência e são agradáveis ao toque. Os bancos são envolventes, seguram bem o corpo em curvas, assim como sua espuma rígida confere elevada sustentação ao mesmo.

Hatch médio é empolgante ao volante, além de estável, confortável e silencioso

O DC Auto acompanhou um grupo de jornalistas em breve viagem entre Belo Horizonte (MG) e Ouro Preto (MG).

No acidentado percurso que liga duas das três capitais históricas do Estado, os jornalistas se dividiram em duplas e conduziram economicamente para chegarem ao destino com o menor consumo energético possível.

Test Drive Leaf Etapa MG-295

O melhor desempenho registrou 12,7 kW/100 km. Isto é, foram 7,87 km/ kW, uma ótima média, bem acima da propagada pela Nissan. Neste consumo, seria possível circular 315 km, 45 km a mais em autonomia divulgada pela marca.

Neste percurso de exatos 92 km, foi possível aproveitar as longas decidas para recarregar as baterias. A experiência mostrou que, conduzindo economicamente, usando bem os recursos de regeneração de energia, é possível aproveitar os declives para recuperar boa parte da energia gasta nos trechos planos e em aclives das rodovias.

Em gráfico, na apresentação do modelo, a Nissan mostrou que o custo da energia elétrica consumida no Leaf, em comparação ao custo da gasolina usada em um carro de porte similar, pode ser até cinco vezes menor ao cumprirem um mesmo percurso.

Ao pisarmos forte no acelerador, o Leaf se desloca como um carro duas vezes mais potente do que ele, mas continua sem emitir sons. Ao contrário do que dizem os críticos, a sensação de dirigir um elétrico assim é mais empolgante que a maioria dos carros, prazer superado apenas por modelos realmente esportivos.

No mais, o Leaf é pesado e tem um baixo centro de gravidade, o que favorece a estabilidade. Mesmo assim, o acerto das suspensões garante conforto ao rodar, isolando corretamente a cabine das irregularidades do solo.

Test Drive Leaf Etapa MG-254Fotos: Marco Antônio Teixeira / Nissan / Divulgação

A direção elétrica é bem calibrada, leve em manobras e ganha peso progressivamente em velocidades médias e altas.

O silencioso motor elétrico deixa evidente qualquer outro ruído externo ou emitido pelo carro. Porém, na cabine do Leaf quase não se ouve nada, sinal do ótimo isolamento acústico e da qualidade dos sistemas de suspensão e direção, assim como da boa penetração aerodinâmica da carroceria.

Importados e equipados com as mais novas tecnologias automotivas existentes, os carros elétricos são caros no Brasil. Com o Leaf não é diferente. Seu preço está acima dos modelos de entrada que custam R$ 250 mil, em média, mas são hatches compactos e subcompactos.

Sendo o Leaf um hatch médio e com acabamento superior ao da concorrência, seu preço inicial de R$ 293,70 mil é competitivo e deve torná-lo um sucesso, também, em Minas Gerais.

*Colaborador

**Viagem a convite da Nissan

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Nova Ram 3500 chega para elevar o nível da marca e do segmento

Da Redação

RAM_3500_008

Desde que a primeira Ram 2500 foi importada oficialmente para o Brasil, em 2005, nunca houve uma picape superior a ela no mercado.

Em abril de 2021 a marca Ram começou as entregas do seu segundo produto, a 1500 Rebel, e agora, menos de um ano depois, está chegando a nova Ram 3500, para representar não apenas o novo topo da marca, mas de todo o segmento de picapes.

A novidade já está nas 55 concessionárias da Ram para entregar doses ainda maiores dos quatro pilares da marca: força, capacidade, luxo e tecnologia.

A 3500 é o primeiro modelo da Ram a ser lançado em duas versões bem destacadas, a Laramie (que inclui ainda a opção Night Edition) e a Limited Longhorn, configuração inédita no País que carrega o máximo de sofisticação dentro da marca.

RAM_3500_013

O coração da Ram 3500 é o motor Cummins turbo diesel de 6,7 litros em uma versão ainda mais forte. Com seis cilindros em linha, essa verdadeira usina de força despeja 377 cv a 2.800 rpm, a maior potência entre todas as picapes a diesel no Brasil (são 12 cv a mais do que na Ram 2500).

O torque é de 1.150 Nm a 1.700 rpm, número recorde no segmento (e superior em 65 Nm ao da Ram 2500). Diferentemente da 2500, a Ram 3500 conta com o sistema SCR (Selective Catalytic Reduction), que utiliza o Arla 32 para tratar os gases de exaustão e reduzir a emissão de poluentes.

O bloco é feito de ferro fundido vermicular, material que proporciona maior resistência estrutural, menores níveis de ruído, vibração e aspereza (NVH na sigla inglesa) e ajuda a reduzir o peso geral do conjunto. De última geração, a turbina é de geometria variável (VGT).

Quanto ao sistema de transmissão, o câmbio é automático de seis (6) marchas. Um de seus pontos altos é o solenóide de força variável (VFS) do conversor de torque, que tem a função de suavizar as trocas na passagem de R (ré) ou D (Drive) para a posição P (Park).

Por meio de comandos eletrônicos no painel, o condutor escolhe entre os três modos de tração, 4×2, 4×4 ou 4×4 reduzida, e o diferencial traseiro é antideslizante.

A Ram 3500 tem números inigualáveis quando se fala em carga e reboque. E o responsável não é somente o motor Cummins e toda sua força.

Há outros fatores determinantes, como o chassi extremamente rígido, formado com 98,5% de aços de alta resistência e a suspensão exclusiva, com molas longitudinais, resultando em muita aptidão para o trabalho pesado, honrando a categoria Heavy Duty da qual faz parte, mas sem renunciar ao conforto de rodagem de uma picape premium.

Dessa forma, a 3500 é capaz de transportar uma carga de até 1.752 kg e rebocar até 9.021 kg. Muito à frente de qualquer outra picape vendida no Brasil, até mesmo a Ram 2500, que pode carregar 1.088 kg e rebocar 7.861 kg (respectivamente 664 kg e 1.160 kg a menos).

Toda essa capacidade é assistida com o limitador de marchas, controle eletrônico do freio do reboque, além do Diesel Exhaust Brake e função Tow/Haul.

Quando equipada com pré-disposição de fábrica para reboque na caçamba (propício para trailers do tipo quinta roda ou gooseneck, muito utilizado por clientes da Ram), outra exclusividade da 3500, o compartimento de carga tem capacidade de 1.628 litros.

Nesta configuração, a caçamba ainda conta com tomada interna de 115v e duas tomadas para trailer, de 7 e 12 pinos.

Sem essa preparação, a caçamba conta com as duas práticas gavetas laterais RamBox, que são totalmente vedadas, podem ser trancadas e têm 122 litros de volume cada. Com os compartimentos laterais, a caçamba ainda impressiona: são 1.280 litros de capacidade.

Independente da configuração, a caçamba da Ram 3500 possui revestimento especial, aplicado através de spray, além de iluminação a LED.

Até os espelhos retrovisores externos contribuem para a capacidade da picape. Eles são multifuncionais, com duas lentes com comandos elétricos independentes, antiembaçamento, luzes de posição, giro e de cortesia.

Sem falar que os espelhos podem ser colocados de forma vertical, para aumentar o campo de visão quando se está puxando um trailer.

A Nova Ram 3500 Limited Longhorn exibe o máximo da sofisticação da marca. Basta abrir a porta, subir no estribo elétrico retrátil de série (também na Laramie Night Edition) e entrar na cabine. Imediatamente se está cercado de materiais nobres como couro Natura Plus e madeira legítima por todos os lados.

Numa elegante combinação de marrom Cattle Tan e preto, o couro tem costuras contrastantes e não reveste apenas os bancos como também várias superfícies: parte do volante, a alavanca de câmbio, a cobertura e a porção interior do painel, as alças de acesso ao interior, o apoio dos braços e o painel superior das portas e o apoio dos braços central, que também serve como tampa do enorme porta-objetos.

Por sua vez, a madeira, em diferentes texturas, está presente em partes do volante, faixas nas portas, console central e detalhes do painel. O material empresta ainda mais exclusividade à Ram 3500, pois cada picape tem detalhes diferentes, devido às próprias características da madeira.

Um dos toques mais chamativos é a faixa à frente do passageiro dianteiro, com o nome da versão (Limited Longhorn Edition) impresso a laser.

Também saltam aos olhos os acabamentos dourados com filigranas nos aros do velocímetro e do conta-giros, no painel e console central.

Até os tapetes da 3500 Limited Longhorn são especiais, com o emblema da versão, desenhos em alto relevo com temática country e parte do tipo Berbere, que pode ser destacada para facilitar a limpeza. A inspiração western se vê também nas fivelas dos porta-revistas nas costas dos bancos dianteiros.

Externamente, a Ram 3500 Limited Longhorn se destaca por grade e rodas exclusivas e pela pintura two-tone (bicolor), com a parte superior da carroceria em branco Pérola e com a porção inferior da cabine, arcos de roda, para-choques e detalhes das rodas em Marrom Walnut.

Outra combinação existente apenas na versão de topo da Ram 3500 é vermelho Delmonico (também perolizada) com os acabamentos cromados.

O nível de recursos tecnológicos de série da Ram 3500 Limited Longhorn é mais um ponto alto. A começar pela dianteira, com os faróis Full LED Matrix direcionais, exclusivos no segmento de picapes.

Essa tecnologia aumenta a visibilidade noturna em curvas, com o projetor seguindo a posição do volante, virando em até 15° o farol do lado da curva e em até 5° o do lado oposto.

Há ainda muitos outros itens de destaque (que também fazem parte da versão Laramie Night Edition) como: espelho retrovisor digital, amplo pacote de assistências à condução (ADAS), com controle de cruzeiro adaptativo com parada, alerta de colisão frontal com frenagem autônoma e assistente de permanência em faixa e sistema de som premium da Harman Kardon, com 17 alto-falantes e 1 subwoofer (na Laramie o áudio, também premium, é da Alpine, com 10 alto-falantes e 1 subwoofer).

Todas as versões da Ram 3500 contam com câmera 360°, que facilita as manobras com a picape full size de mais de 6 metros de comprimento, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, além da exclusiva câmera de caçamba, útil para monitorar cargas ou facilitar o acoplamento no trailer.

Outro destaque desde a versão Laramie é a central multimídia Uconnect com tela de 12 polegadas e conexão sem fio para Android Auto e Apple CarPlay para dois smartphones e cancelamento ativo de ruídos externos.

Há aquecimento e ventilação dos assentos dianteiros (os laterais de trás também são aquecidos a partir da Laramie Night Edition) e aquecimento no volante. Os pedais possuem ajustes elétricos, algo incomum no mercado. Os bancos dianteiros possuem ajustes elétricos de 10 posições e duas memórias para o motorista.

Completam a lista de equipamentos as 9 portas USB, sendo 4 do tipo C, espalhadas pelo console central, que também acomoda um notebook de até 15 polegadas, além de duas tomadas de 115V de padrão norte americano.

E quando o assunto é porta objetos, a Ram 3500 conta com dois compartimentos no assoalho da segunda fileira de bancos, que podem ser removidos para facilitar a limpeza, bem como outro abaixo do assento da segunda fileira de bancos e uma plataforma, que pode ser aberta para transportar uma carga no interior da picape ou até mesmo dar lugar a um colchão, afinal a grandalhona possui mais de 2 metros de largura.

Entre os 28 acessórios originais Mopar da nova Ram 3500 há uma inédita câmera de trailer, que é instalada na traseira do trailer e transmite a imagem para a central multimídia do painel.

A Ram 3500 já chega ao Brasil com três opções. Veja abaixo os preços e alguns destaques de suas listas de equipamentos:

Ram 3500 Laramie – R$ 484,99 mil

– Sistema multimídia Uconnect com tela de 12 polegadas

– Câmera 360°

– Câmera de caçamba

– Retrovisor eletrocrômico

– Som premium Alpine de 10 alto-falantes e 1 subwoofer

– Cancelamento ativo de ruído

– Estribos laterais de porta a porta (dão acessos extras à caçamba)

– Controle eletrônico de freio do reboque

– Faróis Full LED

– Comutação automática dos faróis

– Controle de velocidade de cruzeiro

– Monitoramento de pontos cegos

– Bancos em couro e alcântara

– Console central modular com 39 litros de volume

– Sobretapetes de borda elevada

Ram 3500 Laramie Night Edition – R$ 509,99 mil

Todos os itens da Laramie acrescidos de:

– Retrovisor interno digital

– Som premium Harman Kardon de 17 alto-falantes e 1 subwoofer

– Estribos elétricos (se recolhem com as portas fechadas)

– Controle adaptativo de velocidade

– Alerta de colisão frontal com frenagem autônoma

– Sistema de permanência na faixa de rodagem

– Faróis e lanternas com máscara negra

– Para-choques e molduras dianteiras na cor da carroceria

– Grade, rodas e emblemas escuros

– Interior preto

Cab lights (luzes na capota, logo acima do para-brisa)

– Bancos traseiros laterais aquecidos

Ram 3500 Limited Longhorn – R$ 529,99 mil

Todos os itens acima (exceto acabamentos externos e internos escuros ou na cor da carroceria da Laramie Night Edition) acrescidos de:

– Faróis Full LED Matrix (direcionais)

– Grade e rodas com desenho exclusivo

– Ganchos de reboque e molduras das janelas com acabamento cromado

– Revestimento marrom e preto em couro Natura Plus

– Acabamentos internos com madeira legítima

– Tapetes especiais

– Emblema da versão no console central

– Opção de pintura two-tone (branco Pérola com marrom Walnut)

Fotos: Ram / Stellantis / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Nissan anuncia o começo da produção da nova Frontier

Da Redação

NuevaNissanFrontier2

A Nissan anunciou o início da produção da nova Frontier, fabricada em Córdoba (Argentina), para abastecer o mercado local, além da exportação para o Brasil. A previsão é de que a picape seja lançada aqui ainda no 1º semestre deste ano.

“Desde que iniciamos a produção da primeira Nissan Frontier em 2018, temos demonstrado nosso compromisso com o país e a América do Sul, apostando em nosso potencial para nos tornarmos líderes no desenvolvimento fabril, promovendo o crescimento constante da indústria, o desenvolvimento de fornecedores locais e a oportunidade de continuar gerando novos empregos”, afirmou Gonzalo Ibarzabal, presidente da Nissan Argentina.

A nova Nissan Frontier, que esta ano começará a ser exportada para o Chile e a Colômbia, atendendo às normas Euro 6, torna-se um exemplo claro do compromisso da marca japonesa com a região.

Posiciona-se também como um dos principais concorrentes do segmento por suas vendas e pela aceitação pelos clientes, garantindo a sustentabilidade do negócio e criando oportunidades para a Nissan na Argentina e na América do Sul no médio e longo prazo.

“Estamos promovendo a produção local e criando um ecossistema de oportunidades que vai da base de fornecedores, da fábrica onde a Frontier é produzida até o ponto de venda, e também contribuindo para o nosso objetivo de promover as exportações. Em setembro de 2021, atingimos a marca de 25.000 unidades da Nissan Frontier exportadas para o Brasil desde o início da produção na Argentina e nossas expectativas para este novo modelo são animadoras”, acrescentou Ibarzabal.

O reforço da presença da Nissan na Argentina não é novo. Este projeto começou em 2015, com o anúncio de um investimento de 600 milhões de dólares e uma visão clara do futuro da empresa no país.

NuevaNissanFrontier1

Em julho de 2018, o compromisso foi cumprido com o lançamento do seu primeiro marco: o nascimento da Nissan Frontier produzida localmente.

Pouco menos de três anos depois, após um investimento adicional de 130 milhões de dólares, visando principalmente a incorporação de tecnologia de alta qualidade e o desenvolvimento de novos fornecedores locais, a Nissan dá mais um passo à frente, demonstrando com ações seu genuíno interesse em colaborar com o crescimento da indústria local.

Isso é reforçado por um 2021 bem-sucedido para a empresa na Argentina, que aumentou suas vendas gerais em 26% e as da Nissan Frontier em 58%.

Sucesso que a Nissan Frontier também vem trilhando no Brasil. Em 2021, o modelo foi o que registrou o maior aumento de vendas do seu segmento no mercado brasileiro, com uma evolução de 40% em relação ao ano anterior, de acordo com a fabricante.

A nova Nissan Frontier, produzida em Córdoba, tem o respaldo de mais de 80 anos de experiência global na fabricação de veículos comerciais leves. Além disso, é o resultado de anos de pesquisas e longas fases de testes na América Latina para garantir os mais altos padrões de qualidade, informou a Nissan.

Com o anúncio do início da produção em Córdoba da nova Nissan Frontier, a empresa reafirma o objetivo de seus investimentos e o potencial da capacidade produtiva local, além de gerar um impacto positivo no crescimento da pegada fabril de alta qualidade na Argentina e na região.

2022-nissan-frontier-exterior-rear-quarter2

2022-nissan-frontier-exterior-rear-quarter

2021-nissan-navara-facelift-1160x652Fotos: Nissan / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Fluo ABS é o novo scooter da Yamaha

Da Redação

2023_FLUO-3919

O Fluo ABS é o novo scooter da Yamaha que chega para oferecer ao consumidor brasileiro, modernidade de um jeito simples, informou a fabricante.

Ele disputará mercado no segmento de modelos 125cc, dentre as opções de scooters e cub existentes nesta cilindrada.

O destaque fica para o farol em LED que tem maior amplitude e potência de iluminação, tornando a condução noturna mais segura, além de oferecer maior durabilidade e menor consumo energético.

A pilotagem ágil e divertida fica por conta do câmbio 100% automático associado ao baixo peso seco de 98 kg e motor monocilíndrico de quatro tempos com capacidade de 125 cc, sistema de injeção eletrônica, potência máxima de 9,5cv a 8.000 rpm e torque de 1,0 kgf.m a 5.500 rpm.

2023_FLUO-4145

A Yamaha garante que o seu funcionamento é suave, com baixos níveis de vibração em todas as rotações.

Construído em aço tubular, o chassi que equipa o Fluo ABS foi elaborado para oferecer resistência, leveza e baixo centro de gravidade, garantindo agilidade e estabilidade.

Para maior conforto, a balança da suspensão e motor trabalham integrados e são ligados ao chassi através de um link que, além de auxiliar no movimento do motor, também tem a função de minimizar as vibrações.

As suspensões do Fluo ABS possuem funcionamento progressivo capaz de garantir suavidade e estabilidade na pilotagem. Na dianteira, o garfo telescópico tem curso de 90 mm. Já na traseira, o sistema é composto por um amortecedor único, e seu curso é de 88 mm.

2023_FLUO-4209

Um dos destaques do novo scooter é o sistema Stop & Start, que identifica quando ele para e, automaticamente, desliga o motor. Isso reduz o consumo de combustível e emissão de poluentes. Para que o motor volte a funcionar, basta acelerar novamente.

O sistema Stop & Start da Yamaha identifica se o scooter trafega em condições normais ou em situações de tráfego intenso, modulando seu funcionamento.

Em tráfego normal, o sistema desliga o motor após a parada do scooter no tempo de 1,5 segundos e, em tráfego intenso, em que as paradas são mais frequentes, isso ocorre após 5,0 segundos.

O Stop & Start ainda é capaz de proporcionar partidas mais rápidas sem alterar a vida útil da bateria. Isso acontece graças ao sistema Smart Motor Generation System, que minimiza o consumo de energia quando o Start & Stop entra em ação, desligando o motor, e fazendo com que o pistão seja automaticamente posicionado de forma a facilitar a nova partida.

2023_FLUO-4195

2023_FLUO-4203

Através de um botão no punho, o sistema por ser ativado ou desativado de acordo com a vontade do condutor.

Para quem busca diminuir ainda mais os gastos com combustível, a Fluo ABS traz em seu painel a exclusiva função ECO. Ela indica o momento de pilotagem em que o consumo de combustível é menor, auxiliando em uma condução mais econômica.

O scooter também é equipado com Smart Key.  Basta portá-la no bolso ou na mochila, por exemplo, para acionar a partida elétrica e ainda liberar, através do seletor junto à coluna de direção, o acesso ao porta objetos, tanque de combustível e bloqueio do guidão.

Com esse recurso, o condutor ganha não só em comodidade, como em segurança, já que ao se distanciar do Fluo com o Smart key, ele automaticamente garante que todas as funções do sejam bloqueadas, impedindo seu funcionamento.

2023_FLUO-4112

 

Ele é equipado com tomada 12 volts, localizada junto à coluna de direção, e garante a praticidade de recarregar o celular em qualquer momento.

O Fluo conta com a tecnologia do freio ABS na roda dianteira, oferecendo maior controle em emergências, como piso escorregadio e outras condições de baixa aderência.

Seu conjunto de freios é potente e progressivo, capaz de frenagens em curtos espaços. Na dianteira, conta com disco de 200 mm e pinça simples. Na traseira, o sistema é a tambor, com 130 de diâmetro.

O espaço de armazenagem de 25 litros comporta um capacete fechado de tamanho grande e ainda sobra espaço para mais itens do dia a dia.Para acessá-lo é fácil, um simples clique no botão junto a chave seletora localizado na coluna de direção.

O compartimento se tranca automaticamente com o distanciamento da Smart Key, garantindo mais tranquilidade e segurança para o condutor que não precisa se preocupar em esquecê-lo destravado.

O modelo ainda conta com um prático gancho junto à coluna para o transporte de pequenas sacolas e bolsas, perfeito para aquelas compras de última hora.

O assento é amplo (com 845 mm de comprimento) e tem boa ergonomia, promovendo ótima acomodação. Sua altura em relação ao solo é de 780 mm, facilitando o apoio dos pés no chão, tornando o Fluo amigável até mesmo para condutores de menor estatura e menos experientes.

O Fluo ABS conta ainda com base plana para apoio dos pés que transmite mais comodidade e segurança, e o escudo em frente as pernas ainda oferece proteção contra sujeira e água.

2023_FLUO-3916

2023_FLUO-4190

Para proporcionar mais conforto ao garupa, além do amplo espaço no banco, possui apoio para as mãos, em alumínio, e as pedaleiras ajustáveis em 25 mm.

As rodas com diâmetro de 12 polegadas contribuem para agilidade, tornando-o capaz de realizar mudanças bruscas de direção com facilidade e grande rapidez, comuns na condução urbana.

Os pneus têm as medidas de 100/90 R12 na dianteira e 110/90 R 12 na traseira. Eles são mais largos, garantindo maior área de contato com o piso, promovendo maior aderência, e por terem o perfil alto, contribuem para filtrarem irregularidades do pavimento, minimizando os solavancos.

O acesso ao tanque, cuja capacidade é 4,2 litros, é super prático, fica à frente do condutor, assim como o botão que destrava a tampa, junto a coluna de direção. Não é necessário levantar o banco para abastecê-lo.

Ele é equipado com sistema Auto-stop incorporado ao apoio lateral, que o desliga automaticamente quando acionado e ainda impede a saída do scooter com o apoio abaixado. Além do apoio lateral, o Fluo também conta com o Cavalete Central como item de série.

O novo Fluo ABS conta com 4 anos de garantia, e participa do programa de Revisão Preço Fixo Yamaha.

O cliente encontra o mesmo preço e padrão de serviço em todas as concessionárias participantes, podendo parcelar em até 6X no cartão de crédito. As duas primeiras revisões têm mão de obra gratuita, segundo a fabricante.

O Fluo ABS estará disponível no início de abril ao preço público sugerido de R$ 13,39 mil + frete (exceto Estado de São Paulo), e terá três opções de cores: Racing Blue (azul metálico), Midinight Black (preto sólido) e branco Cristal (branco Sólido).

2023_FLUO-3891

2023_FLUO-3848Fotos: Yamaha / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Volvo apresenta o C40 Recharge, novo modelo 100% elétrico

Crossover chega ao Brasil com muita personalidade e sistema multimídia do Google

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 18/03/2022)

0051 - Volvo C40 Recharge - Foto Fabio Aro

Ousado, atual e muito tecnológico. O Volvo C40 Recharge Pure Electric é o primeiro veículo da marca que nasceu para ser unicamente elétrico, e acaba de chegar ao Brasil.

O C40 traz todo o conforto de um SUV com o design de um coupé. “Ele é mais um marco para a Volvo Cars aqui no Brasil, graças a seus atributos inovadores e respeito pelo meio ambiente”, garante João Oliveira, diretor geral de operações e inovação da Volvo Car Brasil.

Com traços únicos e repletos de personalidade, tudo começa nas linhas laterais, com design feito para preservar o traço marcante e o espaço interno. O perfil lateral estreito cruzado traz uma nova silhueta à gama de automóveis Volvo.

Os aerofólios e spoilers traseiros bem evidentes trazem para o desenho do carro as linhas arrojadas e futuristas, que proporcionam maior aerodinâmica e autonomia através da menor resistência ao ar.

0050 - Volvo C40 Recharge - Foto Fabio Aro

O teto preto também é um elemento de design com a assinatura contrastante, que aprimora ainda mais o design dinâmico e arrojado do carro.

Completando o visual, as grandes rodas de liga leve de cinco raios com corte de diamante com superfícies contrastantes de alumínio polido bruto e pintura preta brilhante.

Por dentro, o interior traz o sofisticado acabamento chamado pela Volvo de Topography, com detalhes translúcidos em formas de mapas topográficos, inspirado no Parque Nacional de Abisko, no norte da Suécia.

E está em perfeita harmonia com a exclusiva cor Fjord Blue, que adiciona um design distinto ao interior e teve sua inspiração nas geleiras escandinavas, informou a marca sueca.

0065 - Volvo C40 Recharge - Foto Fabio Aro

Outro destaque do C40 Recharge, que une design com tecnologia é o teto panorâmico, que se estende desde os bancos traseiros até os bancos dianteiros.

Com vidro escuro fixo laminado de alta tecnologia com revestimento IR, otimiza o conforto em todas as condições climáticas, auxiliando na redução de ruídos externos, minimiza a entrada de luz em até 95%, oferece proteção UV de 99,5% e bloqueia cerca de 80% da radiação de calor do sol.

Interior sem couro – A Volvo Cars está na vanguarda para oferecer aos consumidores materiais de interior sustentáveis e de alta qualidade. Os novos acabamentos internos sem couro são desenvolvidos com o mais alto padrão de qualidade e oferecem excelente desempenho.

A Volvo Cars está assumindo uma posição ética a favor do bem-estar animal com a meta de fazer todos os seus futuros carros totalmente elétricos sem couro, usando, em substituição, materiais de alta qualidade feitos de fontes sustentáveis.

0075 - Volvo C40 Recharge - Foto Fabio Aro

62025 - Volvo C40 - Foto Pedro Dantas (21)

Assim como os bancos, o volante, estofamentos e a alavanca de câmbio são 100% livres de couro. As superfícies dos tapetes são feitas de garrafas PET recicladas e a decoração Topography é feita de plásticos reciclados.

O novo revestimento Microtech é um plástico tricotado, um material à base de PVC com um suporte têxtil feito de poliéster 100% reciclado.

Powertrain 100% elétrico – O Volvo C40 Recharge traz o que há de mais moderno em propulsores elétricos. Com dois motores elétricos P8 AWD (All Wheel Drive), a potência é de 408 cv e, o torque, de 660 Nm.

Com a adição do powertrain de tração integral totalmente elétrico, e a tecnologia da bateria de 78 kWh, o carro oferece um alcance de cerca de 440 km (WLTP – Worldwide Harmonised Light Vehicles Test Procedure) com uma única carga.

62005 - Volvo C40 - Foto Pedro Dantas (1)

E com um sistema de carregamento rápido, a bateria carrega até 80% de sua capacidade em 40 minutos, de acordo com a Volvo.

Graças à moderna construção, o C40 Recharge foi pensado para otimizar a aerodinâmica, aumentando a autonomia e permitindo uma aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 4,7 segundos, com limitador de 180 km/h.

Um dos destaques está no One Pedal Drive, um recurso que pode ser acionado dentro do veículo e torna a aceleração e frenagem muito mais práticas através de um único pedal.

Ou seja, para acelerar, basta pressionar o pedal e, para frear, é só ir aliviando o pé que o carro vai parando de acordo com a força que é exercida. Uma vez utilizando essa funcionalidade, a regeneração de energia se torna ainda mais eficiente, e ainda amplia a autonomia.

0079 - Volvo C40 Recharge - Foto Fabio Aro

Sistema Google Automotive ServicesO C40 Recharge é equipado com o moderno sistema multimídia Google Automotive Services, que integra o carro aos mais avançados recursos do Google.

O sistema repensa a natureza do infoentretenimento do carro e tem uma interface fácil de usar com uma conectividade incomparável.

“Buscamos dar aos clientes a mesma experiência que eles estão acostumados em seus telefones, mas adaptados para interação mãos livres enquanto dirigem. Dentre os recursos está o comando de voz, além do acesso a um ecossistema de aplicativos nativos no carro via Google Play”, destacou André Bassetto, diretor de produto e pós-vendas.

O assistente também pode controlar a temperatura, definir um destino, tocar música e podcasts, e enviar mensagens, tudo isso apenas por comando de voz, sem tirar as mãos no volante.

82027 - Volvo C40 - Foto Pedro Dantas (26)

Além disso, possui atualizações over-the-air (OTA), deixando o sistema sempre atualizado com a versão mais recente. Está totalmente integrado com os autos falantes premium da Harman Kardon, com uma qualidade sonora destacada em todo o interior.

Versatilidade e praticidade – Sem o motor à combustão na parte dianteira, foi possível a criação de um bagageiro frontal, além do porta-malas traseiro de 413 litros, que tem ainda a abertura e fechamento elétrico com a função hands-free.

No interior, soluções de armazenamento inteligentes para garrafas de água, smartphones, portáteis, comidas e muito mais, bem como um compartimento frontal com o carregamento por indução para celulares.

Para ligar o veículo, mais uma boa novidade: o C40 não tem botão de partida. O carro é ligado no momento em que o condutor entra com a chave no bolso, afivela os cintos e seleciona o câmbio na posição D. Para desligar, basta colocar em P e sair do veículo.

0085 - Volvo C40 Recharge - Foto Fabio Aro

Tecnologia – O Volvo C40 Recharge oferece avançadas assistências à condução, como a moderna câmera 360 graus que, junto ao Alerta de Tráfego Cruzado (CTA), com frenagem automática, auxilia e evita colisões em saídas e entradas de vagas de estacionamento.

O modelo conta, também, com Sistema de Alerta de Mudança de Faixa (LKA) e Sistema de Alerta de Ponto Cego (BLIS).

Outra tecnologia é o City Safety, que reconhece pedestres, ciclistas e animais de grande porte e pode frear e até esterçar o volante para evitar ou minimizar uma colisão.

O veículo vem equipado com o Pilot Assist e Controle de Cruzeiro Adaptativo (ACC), que conta com sensores e câmeras que monitoram as faixas das vias e um sistema que comanda a aceleração e a frenagem auxiliando no deslocamento do veículo, por exemplo, ao contornar curvas abertas em rodovias, além de controlar a distância do carro adiante.

0060 - Volvo C40 Recharge - Foto Fabio Aro

Com esse pacote de segurança, o C40 Recharge conquistou o cobiçado prêmio Top Safety Pick+ (TSP+) 2022 do Instituto de Segurança Rodoviária (IIHS).

O certificado máximo é dado apenas aos veículos que fornecem o mais alto nível de segurança. A Volvo continua a definir o benchmark para sistemas de segurança, incorporando frenagem automática de emergência, aviso de colisão frontal e detecção de pedestres e ciclistas como padrão em todos os veículos.

Também pensando em segurança, o C40 Recharge possui a Care Key, que permite a regulagem do limite de velocidade através de uma programação com a chave principal. Assim, ao usá-la no carro, a máxima velocidade estabelecida fica demarcada e o veículo opera conforme programado.

Além disso, a marca oferece o Volvo On Call, um serviço de segurança, proteção e conveniência que oferece assistência 24h e auxílio de emergência.

1004 - Volvo C40 - Foto Pedro Dantas - 0005

1041 - Volvo C40 - Foto Pedro Dantas - 0415

Extremamente útil, permite ao condutor, por meio de seu aplicativo no smartphone, verificar o nível da bateria, trancar e abrir as portas, climatizar a cabine à distância, entre outros.

O C40 Recharge conta com um pacote de serviços agregados por três anos, além do pacote de internet disponível na central multimídia. O novo crossover da Volvo chega ao Brasil com o preço sugerido de R$ 419,95 mil.

Ficha Técnica:

Motor – P8 Electric

Tração – AWD

Potência – 408 cv

Torque – 660 Nm

Capacidade da Bateria – 78 kWh

Aceleração 0 – 100 km/h – 4,7 segundos

Velocidade Máxima – 180 km/h (limitada eletronicamente)

Capacidade do Porta-Malas – 413 litros

Altura – 1,59 metro

Comprimento – 4,44 metros

Largura – 2,03 metros (com retrovisores)

Distância Entre-Eixos – 2,70 metros

1001 - Volvo C40 - Foto Pedro Dantas - 0002Fotos: Fábio Aro / Pedro Dhantas / Volvo Cars / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Audi A4 e A5, linha 2022, estarão nas concessionárias em abril

Da Redação

Audi-A4-Sedan-2022

A Audi do Brasil confirmou a chegada dos novos A4 Sedan e A5 Sportback no Brasil nas próximas semanas. Os modelos ganharam atualizações em sua motorização e estarão disponíveis nas concessionárias no início de abril.

“Os modelos A4 e A5 fazem parte da renovação de portfólio realizada nos últimos anos e são dois dos veículos mais desejados das quatro argolas. Os modelos atendem diferentes públicos mantendo a esportividade e o design arrojado característicos da marca. Ambos conseguem aliar elegância e versatilidade, para continuar sua trajetória de sucesso no País”, avaliou Daniel Rojas, CEO e Presidente da Audi do Brasil.

Os novos A4 Sedan e A5 Sportback 2022 chegam ao Brasil com nova motorização. O motor 2.0 TFSI, que equipa os modelos, passa a contar com nova potência em seu conjunto.

Os modelos entregam 204 cv de potência e torque de 320 Nm entre 1.450 e 4.475 rpm. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 7,3 segundos e velocidade máxima é de 210 km/h, limitada eletronicamente.

Audi A4 Sedan

Na versão de entrada, o novo Audi A4 Prestige passa a contar com Audi Virtual Cockpit de 12,3 polegadas, pacote de luzes ambiente posicionados estrategicamente no modelo e novo desenho de rodas, de 18 polegadas, exclusivo.

Na versão S line, pacote de luzes customizáveis com 30 cores, volante base reta e rodas Audi Sport aro 19 polegadas aparecem com destaque entre as mudanças.

Já no novo Audi A5 Sportback, além das rodas de 19 polegadas, kit exterior S line e pacote de luzes customizáveis completam as atualizações do modelos.

Tanto A4 Sedan quanto A5 Sportback possuem também como opcional a versão Black Package com detalhes do exterior em preto brilhante, revestimento do teto em preto e retrovisor externo em preto.

audi-a4-30-copy-1024x683

Novo-Audi-A4-2022-Brasil (2)

No pacote especial, o Audi A4 Sedan também ganha um novo design de rodas.

O novo Audi A4 chega com nova grade Singleframe e novo conjunto ótico. As linhas horizontais enfatizam a largura na frente e traseira do sedan médio.

A vista lateral tem como destaque os contornos sobressalentes acima das rodas e pela linha inferior marcando o entre-eixos.

Os faróis de LED são itens de série no Audi A4 com a tecnologia Matrix LED com farol alto automático como opcional na versão de topo.

A198840_blog

O novo desenho apresentado no conjunto ótico do sedan mantém as características dos modelos de topo, com pequenos pontos de LED formando a assinatura presente tanto nos faróis quanto nas lanternas.

No interior, o centro do painel de instrumentos conta com o Audi MMI Plus, levemente inclinado em direção ao motorista. A tela sensível ao toque apresenta a mesma linguagem vista no mais recente lançamento Audi A3, com o MMI Touch no centro de controle do novo sistema operacional.

A experiência é semelhante ao uso de um smartphone e as informações são projetadas na tela de alta resolução com 10,1 polegadas ao lado.

O Audi A4 chega às concessionárias em duas versões: Prestige e S line.

A versão Prestige traz como itens de série a tecnologia keyless go, entradas USB para os passageiros do banco traseiro, volante em couro multifuncional com shifts paddles, rodas de liga-leve de 18 polegadas, câmera de ré, sistema de monitoramento da pressão de pneus. Como opcional desta versão existe apenas o teto solar elétrico.

Static photo;Color: Glacier White Metallic

Já a versão S line agrega ar-condicionado automático de três zonas, bancos dianteiros esportivos e eletricamente ajustáveis, controle de cruzeiro adaptativo, teto solar elétrico, kit exterior S line, aviso de saída de faixa, faróis Full LED, rádio MMI plus com sistema de navegação e o Virtual Cockpit Plus, com tela de 12,3 polegadas e resolução full HD localizada atrás do volante multifuncional com opção de três visualizações.

A versão ainda conta com spoiler traseiro em carbono, faróis Matrix HD com apresentação de luzes e sistema de som Bang & Olufsen como opcionais disponíveis.

O Audi A4 Sedan está disponível nas concessionárias a partir de R$ 294,99 mil.

Assim como o modelo A4 Sedan, o novo A5 Sportback conta com o eficiente sistema de assistência elétrica, composto por uma bateria de íons de lítio e um alternador de correia (BAS) em um sistema elétrico primário de 12 volts.

AUDI A5 SPORTBACK S-LINE COMPETITION PLUS 2022 07

Com ele, o veículo pode se deslocar em velocidades entre 55 e 160 km/h com o motor desligado e, em seguida, o BAS reinicia o propulsor rápida e confortavelmente. O sistema start-stop começa a funcionar a partir de 22 km/h.

Direção, transmissão e gestão do motor estão igualmente integradas no Audi Drive Select, com possibilidade de cinco modos de direção: automatic, efficiency, comfort, dynamic e individual.

O Audi A5 Sportback conta com alguns elementos introduzidos a partir da nova linguagem de design da Audi, como a grade frontal Singleframe mais larga e saídas de ventilação acima da grade que foram inspiradas no clássico Audi Sport quattro de 1984.

Como nas gerações anteriores, a musculatura no capô o diferencia de outros modelos da marca ao agregar um aspecto de força e esportividade.

Audi-A5-2022-Interior

2022-Audi-A5-Sportback-Interior

Na traseira o modelo apresenta mudanças com ponteiras de escape trapezoidais e uma nova assinatura ótica marcada pelas lanternas traseiras de LED com setas dinâmicas.

Na dianteira, o para-choque possui uma lâmina na borda inferior que liga as entradas de ar, ainda maiores. Mas é o novo conjunto ótico que chama toda a atenção: a nova versão recebe os faróis LED Matrix de série.

Além de mais eficiente e dinâmica, esta tecnologia agrega segurança ao direcionar o facho de luz de modo que não atrapalhe os veículos vindos na direção contrária.

No interior as linhas horizontais são tão marcantes como o novo display sensível ao toque MMI, que funciona como o ponto focal do painel de instrumentos e está ligeiramente inclinado em direção ao motorista.

Static photo;Color: Glacier White Metallic

Fotos: Audi / Divulgação

Nele as informações são projetadas na tela de alta resolução com 10,1 polegadas. Os gráficos são minimalistas e a estrutura do menu é intuitiva e planejada para toda a linha de veículos da marca. Conta com pacote de luzes customizáveis com 30 cores que destaca o espaçoso interior e também é série no modelo.

O modelo ainda conta com o Audi Virtual Cockpit Plus de 12,3 polegadas, com três modos de apresentações diferentes, posicionado logo atrás do volante multifuncional. As rodas são de liga-leve de 19 polegadas.

O novo Audi A5 Sportback traz diversas novidades tecnológicas dentre seus equipamentos. Além dos já citados faróis dianteiros LED Matrix de série, o modelo possui também teto solar elétrico panorâmico, ar-condicionado de três zonas e volante esportivo multifuncional com shift paddles e base aplanada como itens de série.

O A5 Sportback é comercializado a partir de R$ 351,99 mil na versão S line.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Subaru Forester e Subaru XV agora contam com versões híbridas

Da Redação

Subaru ForesterSubaru Forester

O Subaru Forester e o Subaru XV são líderes de vendas da marca no País e são importados com exclusividade pela Caoa para o Brasil.

Agora, os dois modelos passam a contar com sistema e-BOXER, que combina as ações do motor boxer, a tração 4×4 Symmetrical AWD e a assistência de um motor elétrico introduzido em sua transmissão.

Estes dois modelos também contam com o sistema de condução inteligente SI-Drive, que foi customizado para o e-BOXER, para melhor aproveitar os benefícios do motor elétrico.

No Modo S, o motor elétrico é ativado mais cedo durante a aceleração enquanto mantém os RPMs mais altos do motor boxer para uma melhor resposta de aceleração, tornando a direção em estradas sinuosas mais conveniente e agradável.

Subaru XVSubaru XV

Ainda no Modo S, os níveis da relação do motor elétrico são exibidos no visor multifuncional para que o motorista possa visualizar seu funcionamento.

Os modelos são designados como Mild Hybrid Vehicle (MHEV) em que o motor a combustão é a principal fonte de energia, com a bateria e o motor elétrico auxiliando em certas situações de direção, como no momento que o veículo está estático e inicia sua movimentação.

Utilizado nos dois modelos, o motor elétrico resulta em maior desempenho de potência do que os números do motor à combustão isoladamente e melhora também nos índices de eficiência energética.

Especialmente durante a condução com carga leve e partindo de uma parada, o motor elétrico se destaca proporcionando uma aceleração mais forte e agradável.

Subaru Forester

Além disso, o motor elétrico é relativamente pequeno e leve, o que o torna mais econômico em termos de consumo de combustível. Este motor elétrico utilizado no e-BOXER gera uma potência máxima de 12,3 kW e torque de 66 Nm.

Os SUVs Forester e-BOXER e XV e-BOXER herdam o desempenho do centro de gravidade baixo e AWD simétrico especificamente balanceado.

Para manter esta característica, o motor elétrico é colocado próximo ao centro de gravidade do veículo, enquanto a bateria e outros componentes são dispostos acima do eixo traseiro, obtendo um centro de gravidade mais baixo e uma distribuição de peso dianteiro / traseiro mais equilibrada do que o modelo a gasolina.

O motor elétrico acoplado na caixa de transmissão ajudou a implementar a tecnologia e-BOXER, sem ter que mudar o layout estrutural básico do trem de força Symmetrical AWD.

Subaru Forester

Este motor permite dirigir em modo EV em baixas velocidades e fornece assistência motriz em velocidades médias, ajudando a melhorar a eficiência de combustível, permanecendo um veículo divertido de dirigir.

O motor boxer e o motor elétrico geram potência para a condução. A relação de divisão da potência depende da abertura do acelerador e do nível de carga da bateria de alta tensão, e ao dirigir em altas velocidades onde a eficiência do motor é excelente, o motor elétrico é desligado.

Já o motor boxer (combustão) é desativado durante a marcha lenta para economizar combustível. Quando o pedal do freio é liberado, o motor elétrico permite que o veículo se movimente para a frente em baixas velocidades.

O motor boxer será ativado conforme demanda, em resposta a fatores como necessidade de maior velocidade, uso do ar condicionado e o nível de carga da bateria.

Subaru XV

A regeneração da bateria de íons de Lítio acontece quando o veículo desacelera ou quando o pedal do freio é pressionado. Pode também ser recarregada pelo motor elétrico quando este não estiver auxiliando o deslocamento do veículo.

A utilização do sistema e-BOXER garantiu ganhos expressivos para o Subaru XV, segundo a Caoa. Entre os dados informados ao Inmetro, por exemplo, o XV e-BOXER atingiu uma melhora de 19% no consumo urbano, o que irá garantir uma grande mudança em sua classificação, passando de D para A, em sua categoria.

O Forester e-BOXER recebeu mudanças em sua dianteira e passou a contar com faróis redesenhados com um estilo mais agudo. O para-choque dianteiro ganhou uma pequena área em relevo, abaixo do farol, garantindo um ar mais esportivo e jovial ao design frontal, além de salientar o desenho da moldura que contempla os faróis de neblina.

O grande destaque fica para a nova grade com o reposicionamento do tradicional logo das seis estrelas.

Subaru ForesterSubaru Forester

O Forester conta com a motorização boxer 2.0 litros aspirada de 150 CV e 20 kgfm com injeção direta de combustível. Agora, com a introdução do motor elétrico, ele ganhou mais 16% em eficiência energética, informou a Caoa.

Também entre os dados informados ao Inmetro, o Forester e-BOXER atingiu uma melhora de 11% no consumo urbano, garantindo sua classificação na categoria como A.

Outra tecnologia para atingir os melhores níveis de eficiência foi a introdução da Active Grill Shutter. A grade dianteira com controle abre ou fecha automaticamente suas aletas mudando sua configuração, em função da velocidade do veículo e da temperatura do liquido de arrefecimento do motor, além de ser um importante componente aerodinâmico.

Outra importante mudança no Forester é a quarta geração do EyeSight. O sistema utiliza câmeras com um campo de visão significativamente maior, além de um novo software de reconhecimento de imagem. O desempenho da assistência à frenagem também evoluiu, e os dados internos que fornecem suporte para evitar colisões foram ampliados.

Subaru XVSubaru XV

Nesta nova versão as seguintes funções foram aprimoradas, de acordo com a Caoa: frenagem de pré-colisão, controle de cruzeiro adaptativo, centralização na faixa de rodagem, alerta de saída de faixa, além da adição da direção autônoma de emergência, responsáveis por tornar a condução ainda mais segura e agradável.

O Forester e-BOXER conta com o Sistema de Monitoramento do Motorista que verifica o comportamento do condutor para alertar fadiga excessiva e falta de atenção.

Também permite o reconhecimento facial de até 5 condutores, ajustando automaticamente as configurações individuais das posições do banco, dos espelhos externos, do ar-condicionado e do computador de bordo.

O Subaru Forester 2.0 e-BOXER já está sendo comercializado com preço de R$ 223,90 mil, enquanto o Subaru XV 2.0 e-BOXER chega ao Brasil com preços a partir de R$ 193,90 mil.

Subaru Forester

Subaru XVFotos: Caoa / Subaru / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Pulse Abarth chega no último trimestre

Da Redação

Pulse_Abarth_Amb_006

A Fiat anunciou a volta de sua marca esportiva Abarth ao Brasil. Em um movimento inédito em seus 73 anos de história, a marca do escorpião retorna ao País na forma de um SUV.

“Nosso planejamento visa a implementação da marca Abarth, e não apenas o lançamento de um novo produto. A Abarth é esportiva na sua essência, é excitante, provocante. É essa combinação que vai gerar valor tanto para a Abarth quanto para a própria Fiat”, afirmou Herlander Zola, vice-presidente sênior da Fiat para América do Sul (Brand e Comercial).

Desenvolvido no Brasil e com produção nacional, o primeiro produto da marca será o Pulse Abarth, previsto para chegar no último trimestre do ano. Com ele virá uma série de iniciativas para implantar a marca no País.

Pulse_Abarth_Amb_039

O executivo destacou a primeira delas. “Nesta segunda-feira entra no ar a plataforma digital que criamos para nos aproximar deste cliente apaixonado por performance. Ao se cadastrar nela, ele vai começar a receber informações exclusivas sobre a marca e sobre o Pulse Abarth ao longo dos próximos meses, até que o modelo seja lançado oficialmente”.

O interessado pode acessar a plataforma por meio do link abarth.fiat.com.br

Outra medida diz respeito à rede de concessionárias Fiat, que terá lojas especializadas na venda de Abarth, com identidade visual exclusiva e que contará com vendedores especialmente treinados para um atendimento dedicado.

Pulse_Abarth_015

A história da marca intimamente ligada a competições também poderá ser conferida no Brasil, que este ano vai abrigar a Fórmula 4, equipada com motores Abarth.

“É um privilégio participar deste momento da marca Abarth, que certamente vai proporcionar experiências extraordinárias para os nossos clientes e para todos os apaixonados por velocidade e esportividade”, concluiu.

A Abarth já teve dois modelos vendidos no país. Em 2002 foi o Stilo. A versão mais potente do hatch era equipada com um motor cinco cilindros, 2.4 litros, 167 cv de potência e 22,8 kgfm de torque.

Pulse_Abarth_008

Sua velocidade máxima era de 212 km/h e a aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 8,4 segundos.

Já em 2014 foi a vez do 500 Abarth que, ainda mais rápido, fazia de 0 a 100 km/h em 6,9 segundos. O compacto era equipado com o propulsor 1.4 Multiair 16 V Turbo com 167 cv e 23 kgfm.

O design também trazia referência à esportividade da marca, com 16 elementos espalhados pela carroceria e interior do modelo, compondo linhas e contornos exclusivos.

Pulse_Abarth_001

Além disso, contava com duplo escapamento cromado, exclusivos faróis e rodas de liga leve de 16 polegadas, faixas laterais nas cores vermelho, branco e preto e capa dos retrovisores externos acompanhando a mesma cor da faixa.

Agora, a história ganha um novo capítulo com o Fiat Pulse Abarth. A Stellantis ainda não revelou qual a motorização que será utilizada no SUV esportivo.

É esperado o novo motor 1.3 turbo flex, de até 185 cv, já utilizado no Renegade, no Compass e na Toro. Porém, pode ser que a marca esteja preparando alguma surpresa nesse sentido.

unnamed(1)Fotos: Stellantis / Abarth / Divulgação

Foi no Big Brother Brasil, na prova Bate-Volta deste domingo (13), que a Fiat revelou o Pulse Abarth, um de seus lançamentos programados para 2022.

A marca confirmou, também, que o grande vencedor desta edição do programa irá levar o veículo mais apimentado da marca para casa.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Mais confortável e requintado, Honda City 2022 subiu o sarrafo

Sedan chega ao mercado com a difícil missão de conquistar compradores do Civic

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 11/03/2022)

A Honda está passando por uma profunda transformação, a maior desde que começou a produzir no Brasil. De uma só vez, ela tirou de linha três produtos nacionais: o sedan Civic, o monovolume Fit e o crossover WR-V.

O novo Honda City sedan chegou para iniciar o processo de renovação, seguido pelo City hatch, inédito no Brasil, modelo que veio para substituir o Fit.

A nova geração do utilitário esportivo HR-V chegará para completar a gama produzida localmente. Alguns modelos descontinuados poderão receber substitutos importados.

Nestes meses de transição, a Honda continua mantendo a tradicional oitava posição entre os automóveis, porém, seu percentual de participação caiu até dois pontos, de 7 para 5%.

Mas, a novidade já está mostrando resultados: o Honda City, que fechou o ano passado como o 47º modelo mais emplacado do mercado, este ano foi o 28º em janeiro e o 15º em fevereiro, sendo o modelo mais vendido da marca mês passado, registrando 2.326 unidades, segundo dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O DC Auto recebeu o New City Touring 2022 para avaliação, versão de topo de linha do modelo. No site da montadora, seu preço sugerido é R$ 123,10 mil, apenas na cor branca sólida. As cores metálicas acrescem R$ 1,70 mil e, a branca perolizada, R$ 2,00 mil

Os equipamentos diferenciados da versão Touring são: ar-condicionado digital e automático com ventilação para os ocupantes traseiros; multimídia de 8 polegadas com espelhamento sem fio para smartphones; painel de instrumentos parcialmente digital com tela TFT de 7 polegadas de alta resolução; chave presencial com função de destravamento e travamento das portas por sensor de aproximação, abertura do porta-malas, abertura e fechamento dos vidros e partida do motor pelo controle remoto e revestimento dos bancos em material sintético que imita couro na cor preta ou em cinza claro.

Em segurança, a versão Turing é muito bem equipada. Os destaques são: comutação automática do farol alto e baixo; controle de cruzeiro adaptativo; alerta de colisão eminente com frenagem automática de emergência; detecção das faixas de rodagem com centralização automática da direção; 6 airbags (frontais, laterais e de cortina); freios com sistemas ABS e EBD; controles de estabilidade e tração; alerta de pressão dos pneus; assistente de partidas em aclive; lembrete de afivelamento dos cintos dianteiros e traseiros; câmera de ré multivisão com linhas dinâmicas (três vistas) e câmera no retrovisor do lado direito para redução de ponto cego.

Motor e Câmbio – O motor do Honda City continua sendo 1.5, aspirado e com 4 cilindros. Porém, ele é novo e evoluiu em arquitetura e recursos. Ganhou comando de válvulas duplo, injeção direta de combustível e coletor de admissão variável.

Agora, ao adotar tuchos hidráulicos, não é necessária a dispendiosa regulagem periódica das válvulas, tecnologia muito bem vinda ao modelo.

E este motor ficou mais potente 11 cv, desenvolvendo 126 cv às 6.200 rpm, com ambos os combustíveis. Em torque, o ganho foi mínimo, 0,5/0,3 kgmf, atingindo 15,8/15,5 kgmf às 4.600 rpm, com etanol ou gasolina, respectivamente.

O câmbio é automático CVT com conversor de torque. Programado com 7 relações para simular marchas convencionais, ele permite comutação manual das mesmas por meio das aletas atrás do volante. O sistema pode ser bloqueado no modo manual para permitir uma condução mais esportiva.

Segundo a Honda, a plataforma do novo City evoluiu em materiais empregados e em seus processos de montagem. Chapas de resistências elevadas e novas tecnologias de soldas e colagens entre elas garantem melhor absorção de impactos em caso de colisões e, ao mesmo tempo, menor peso de todo o conjunto.

No mais, as dimensões do monobloco quase não se alteraram. A distância entre-eixos, medida mais influente no espaço interno do carro, principalmente no banco traseiro, perdeu um centímetro, de 2,60 metros para 2,59 metros.

A nova carroceria foi responsável por pequenas alterações de tamanho do novo Honda City. Em comprimento, ele está 9 cm maior, com 4,54 metros. Na largura, foram 5 cm de ganho, ficando com 1,74 metro. Já em altura, ele está mais baixo 2 cm, registrando 1,46 metro.

O porta-malas tem bons 519 litros, porém, 17 litros a menos do que na geração anterior, assim como o tanque de combustíveis que, agora, comporta 44 litros, 2 litros a menos.

Design – Externamente, o design do novo City assumiu de vez o perfil clássico de sedan, capô alongado e paralelo ao chão. Os vincos laterais estão altos, passam sobre as maçanetas e correm de fora a fora, igualmente na horizontal.

A frente ganhou a régua cromada mais larga que passa sobre os faróis, estilo bem parecido ao do descontinuado Civic. A traseira é a parte mais acertada. As lanternas horizontais são proporcionais e o desenho das luzes de posicionamento dá continuidade aos vincos laterais, descrevendo uma assinatura marcante que contorna toda a peça e confere dinamismo ao conjunto.

Internamente, as mudanças foram mais profundas. Tanto em design, como na qualidade e aparência dos materiais empregados, o novo City subiu o sarrafo.

Mesmo sem painéis emborrachados, todas as peças em plástico rígido têm texturas que agradam visualmente e ao tato. As áreas revestidas são macias ao toque e, com a padronização clara, o interior ficou bem sofisticado.

Bancos, apoios de braços das portas e centrais, a base do painel principal e as laterais do console central receberam essa cobertura sem economia por parte da Honda, inclusive nas portas traseiras, área negligenciada, até mesmo, em alguns carros de marcas premium.

Além deste cuidado com os materiais, todas as partes internas foram redesenhadas. O painel adotou linhas horizontais e ficou destacado do console central, recurso que deixou o interior mais arejado e atual.

Os apoios de braço das portas ficaram generosos e deixaram os comandos elétricos mais à mão. Os bancos ganharam novo desenho, com volumes mais destacados, aprimorando o apoio do corpo.

A ergonomia continua correta. Na cabine do City, quatro adultos têm amplo espaço para suas cabeças, ombros e pernas. O quinto passageiro tem encosto e assento mais estreito, elevado, não tão confortável quanto nas posições principais do banco traseiro, mas o espaço é razoável e o piso é quase plano, permitindo acomodar bem uma criança em viagens ou um adulto em deslocamentos mais curtos.

Multimídia e Tecnologias – Todos os equipamentos de bordo contam com botões físicos, giratórios para as funções principais e de pressão para as secundárias, arquitetura ideal. O multimídia tem uma tela de 8 polegadas, modesta para os padrões atuais, mas seu funcionamento é muito eficiente em sensibilidade ao toque e na velocidade de processamento.

Espelhando o celular, o sistema foi rápido ao usarmos o Android Auto, pois a conexão sem fio era ativada assim que entrávamos no carro e todos os recursos funcionaram sem falhas.

A qualidade sonora é ótima, mesmo sem contar com preparação por marca especializada em áudio. O som é distribuído por 8 autofalantes de 20W, garantindo equilíbrio de frequências e percepção espacial na emissão.

O ar-condicionado de zona única melhorou em usabilidade em relação ao do antigo City, sistema que era operado 100% por toques na tela. Agora, os botões físicos retornaram ao equipamento permitindo o uso cego, o mais seguro.

As saídas de ar são grandes e fáceis de serem reguladas, mas a intensidade do fluxo não é muito elevada, ampliando o tempo necessário para resfriar a cabine em dias mais quentes, mesmo este sistema contando com saídas traseiras igualmente bem dimensionadas. As graduações da temperatura são reguláveis de meio em meio grau e a sua manutenção é bastante estável.

O painel de instrumentos tem uma solução interessante. O velocímetro é analógico e o conta-giros é digital. O marcador digital copia perfeitamente o analógico. Quando se liga o carro, os dois ponteiros varem a área de marcação em sincronia e, em princípio, parece que todo o conjunto é digital.

Porém, no centro deste conta-giros aparecem as páginas do computador de bordo e, ao mostrá-las, o ponteiro fica apenas sobre os números que indicam as rotações.

Botões no lado esquerdo do volante comutam essas páginas que trazem informações múltiplas e em caracteres organizados e visíveis. Ainda neste lado, som e telefonia são controlados.

Sistema Semiautônomo – O lado direito é todo dedicado aos sistemas de condução semiautônoma. Comandado apenas por uma câmera, sem o tradicional radar existente nos carros concorrentes, ele funciona com igual segurança, mas, de forma um pouco menos sutil.

As faixas são identificadas e as correções de trajetória são feitas rapidamente e com precisão. A adaptação da velocidade e a manutenção da distância em relação aos veículos a frente são eficientes, porém, a retomada de velocidade é feita de forma mais intensa, chegando a assustar nas primeiras vezes, até que se acostume com o equipamento.

O sistema adaptativo não para o carro por completo. Em semáforos, por exemplo, ele é desativado antes de chegar aos veículos imobilizados, obrigando ao motorista assumir essa função, programação que não é a ideal.

Este conjunto conta com o alerta de colisão eminente e a frenagem de emergência. Em nossa opinião, o recurso mais importante entre essas tecnologias de auxílio à condução. O segundo sistema mais relevante é o detector de veículos no ponto cego. E este não está presente no City.

Mas, o sedan traz uma câmera sob o retrovisor externo direito que mostra na tela do multimídia toda essa área lateral quando a seta é acionada para este lado. Também é possível ativar essa câmera em um botão localizado na extremidade da alavanca satélite esquerda, recurso complementar em manobras de estacionamento, por exemplo.

Mesmo útil, nem este, nem os sistemas similares existentes em outras marcas substituem o alerta de ponto cego convencional, pois ele utiliza alarme e luzes, é mais rápido e funciona sem desviar a atenção do condutor, a forma mais intuitiva e segura de ampliar a atenção ao tráfego periférico.

A direção elétrica tem um acerto muito correto em todas as situações. Ela é leve em manobras de estacionamento, sem exagero, e tem peso adequado para ser segura em velocidades variadas, sem cansar na condução em estradas sinuosas.

Além da câmera lateral, a câmera traseira oferece três ângulos de visão, facilitando bastante as manobras em marcha à ré. A imagem em grande angular é a mais útil, pois permite visualizar o tráfego nas laterais da traseira, aumentando muito a segurança em saídas de vagas perpendiculares, principalmente em um sedan, veículo com o porta-malas destacado.

Rodando – Os acertos das suspensões, motor e câmbio, assim como os materiais de isolamento acústico e de vibrações, elevaram o conforto de marcha, o desempenho e a eficiência energética do novo City em relação à geração anterior.

O conjunto de amortecedores e molas apresenta calibração mais rígida e confere estabilidade direcional ao City. Mesmo com essa calibração, conseguem isolar o modelo das imperfeições do solo e entregam conforto satisfatoriamente.

Este equilíbrio é difícil em carros compactos, mais leves e suscetíveis às oscilações horizontais quando as cargas destes dispositivos são mais elevadas.

Os grandes balanços, dianteiro e traseiro, contribuem na diminuição da frequência de trabalho das suspensões, atenuando o incomodo causado por este movimento comum aos carros mais estáveis.

Mas, nem tudo são flores. Estes mesmos prolongamentos além dos eixos prejudicam a transposição de obstáculos. O City é um típico sedan, baixo em relação ao solo.

Ao passar rápido sobre lombadas, a parte inferior do seu para-choque dianteiro toca no piso, assim como em entradas e saídas de rampas mais inclinadas.

Dentro das vantagens desta pouca altura está a ótima aerodinâmica, que sobressai. Em estradas, a carroceria do City não acusa dificuldades para romper a resistência do ar, algo percebido em seu fácil deslocamento e no baixo ruído proveniente desta ação.

O isolamento acústico, também faz a sua parte, pois o barulho do atrito dos pneus pouco é ouvido em seu interior, tornando o modelo muito silencioso em rodovias.

Aparentemente, o conjunto motor e câmbio aproveita todo o potencial que ambos podem entregar. As relações de trabalho deixam o carro solto, aproveitando ao máximo o deslocamento por inércia.

No plano, e em condições ideais, aos 90 km/h é possível deixar o motor aos 1.600 rpm. E aos 110 km/h, ele pode não passar dos 2.000 rpm. São regimes baixíssimos para ambas as velocidades. Além do conforto acústico, o consumo de combustível é bem reduzido.

Motor aspirado, câmbio CVT e acoplamento por conversor de torque não é o trio ideal. Quando aceleramos para ganhar velocidade rapidamente, o câmbio reduz as relações para o motor alcançar a faixa de rotação em que ele atinge o maior torque. No caso, em elevadas 4.600 rpm.

Até chegar a este regime, o conversor desliza um pouco, deixando o giro do motor subir rapidamente, mas, ao preço de muito incômodo sonoro e pouca tração, característica comum aos câmbios CVT que é potencializada por motores aspirados e equipados com 16 válvulas, como este do City.

Usar as aletas para comutar as marchas ameniza este comportamento. Mesmo em “D” (Drive), este recurso faz o câmbio trabalhar com as sete relações pré-programadas, assemelhando-se aos sistemas automáticos convencionais.

Com a alavanca de câmbio em “S” (Sport), as trocas ficam permanentemente em manual, e só são trocadas automaticamente se a rotação do motor atinge o regime máximo de segurança (6.200 rpm) ou são reduzidas para o motor não morrer, caso o condutor não faça as trocas.

Neste caso de aceleração total, o City tem um ótimo desempenho, acima do esperado para um sedan compacto familiar.

Consumo – A grande virtude do City é o baixo consumo de combustível. Nos testes padronizados que fizemos com ele, circulamos sempre com gasolina no tanque.

No circuito rodoviário, realizamos duas voltas no percurso de 38,7 km, uma mantendo 90 km/h e outra, 110 km/h, sempre conduzindo economicamente. Na volta mais lenta, o City registrou 20,5 km/l. Na mais rápida, 19 km/l.

No teste de consumo urbano rodamos por 25,2 km em velocidades entre 40 e 60 km/h, fazemos 20 paradas simuladas em semáforos com tempos cronometrados entre 5 e 50 segundos e vencemos 152 metros de desnível entre o ponto mais baixo e o mais alto do circuito.

Nessas condições, o City atingiu a média de 10,7 km/l. Se ele fosse equipado com o sistema stop/start, o resultado seria ainda melhor.

Todos os automóveis no Brasil tiveram seus preços muito elevados nos últimos três anos. Alguns dobraram de preço. Com o City não foi diferente. Hoje, ele custa o equivalente a um Honda Civic em 2019.

Por ser compacto, o novo City não substitui o Civic, um médio. Mas, ele foi aprimorado em acabamento, estrutura e equipamentos, tornando-se uma boa opção às versões de entrada do Civic que não serão importadas para o Brasil.

Se o sedan médio retornar mesmo, virá em sua versão mais cara, provavelmente, com tecnologia híbrida.

Fotos: Amintas Vidal

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br