Mini Cooper elétrico ganha nova versão para o Brasil

Da Redação

O lançamento mais recente da Mini no Brasil, o Mini Cooper SE elétrico (matéria do dia 2 de fevereiro), está disponível agora na versão Mini Cooper SE Top Collection, 3 portas, informou a marca.

O preço sugerido na pré-venda é a partir de R$ 269,99 mil e, ao contrário de outras versões, o valor já considera custos da pintura e do teto do veículo.

“Expandir as opções no portfólio faz parte da nossa estratégia para ser uma marca 100% elétrica até 2030. Estreamos na categoria com a chegada do Mini Cooper SE este ano e esperamos apresentar, em breve, mais novidades ao mercado brasileiro”, afirmou Rodrigo Novello, diretor de vendas e marketing da Mini no Brasil.

Produzido na fábrica de Oxford, no Reino Unido, também conhecida como a casa da Mini, o modelo possui transmissão automática e motor capaz de entregar 184cv de potência, atingindo até 7.000 rpm, e 270 Nm de torque instantâneo entre 100 rpm e 1.000 rpm.

Além disso, a bateria de íon-lítio de 32,6 kWh permite uma autonomia de até 234 km e pode ser alimentada em uma tomada doméstica com o carregador portátil, em sistemas rápidos como o Mini Wallbox e em estações de rodovias de corrente contínua.

Na cidade de São Paulo (SP), uma recarga completa realizada na residência do próprio cliente tem custo estimado inferior a R$ 30,00, que pode variar de acordo com a tarifa ou bandeira vigente.

Os clientes Mini ainda têm uma rede de recarga gratuita desenvolvida pelo BMW Group, com mais de 250 pontos em todo o Brasil.

Entre os principais diferenciais da novidade, estão as rodas exclusivas aro 17 polegadas Mini Electric Collection Spoke com pneus run-flat de série.

Fotos: BMW Group / MINI / Divulgação

Esse tipo de pneu oferece capacidade de manter o controle do veículo no caso de estouro em alta velocidade – ainda que esta ocorrência seja rara em pneus modernos. A grande vantagem está em manter o pneu no aro de roda mesmo com perda súbita de pressão, assegurando a estabilidade direcional do veículo.

Os reforços estruturais nos flancos, ombros e talões do pneu run-flat fazem com que ele seja robusto e resistente, sem interferir na performance e no conforto.

Em conectividade, a versão Top Collection, assim como as demais, sai conectada de fábrica com um SIM card virtual sem custo ao cliente por um período mínimo de três anos.

Com isso, é possível acessar o Mini Connected, sistema que fornece uma série de serviços ao motorista e ao passageiro, e usufruir de funcionalidades exclusivas, como: concierge, chamada de emergência inteligente, Mini Teleservices, notícias em tempo real, previsão do tempo, serviços remotos, preparação para Apple CarPlay, informações de trânsito em tempo real e assistente de autonomia, que avisa a necessidade de incluir paradas para recarregar as baterias no trajeto e localizar os pontos de recarga disponíveis. O modelo possibilita, ainda, a conectividade com Amazon Alexa.

Com relação ao design, o teto da versão Top Collection está disponível nas cores preto e multitone – uma pintura especial feita em três cores, considerada um dos principais diferenciais de estilo da linha Mini Cooper SE, e as superfícies do interior em alumínio que marcam o carro.

O revestimento do banco combina material sintético que imita o couro e tecido na cor cinza claro. O modelo pode ser adquirido nas cores azul Island ou cinza Rooftop.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Aos 80 anos, Jeep lança séries especiais

Marca também apresentou no Brasil plataforma de serviços conectados Adventure Intelligence

Da Redação (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 09/04/2021)

Em 2021, a Jeep marca seus 80 anos com uma série especial para cada um dos quatro modelos comercializados no Brasil: os nacionais Renegade e Compass e os importados Grand Cherokee e Wrangler.

Além disso, está lançando a Adventure Intelligence by Jeep Connect, plataforma de serviços de conectividade que estreia no Renegade, primeiro carro conectado da marca e da Stellantis (união da FCA com a PSA Peugeot-Citroën) no Brasil. 

O clima de comemoração de aniversário das oito décadas da marca também chegou na linha de produtos com uma série especial 80 Anos, que traz conteúdos exclusivos.

A edição estará disponível até o final de 2021 para os modelos comercializados no Brasil (Renegade, Compass, Grand Cherokee e Wrangler), que também marcam a história da Jeep.

Nos veículos nacionais, a série já vem com a nova central multimídia conectada, que traz a plataforma Adventure Intelligence. Todos os quatro modelos chegam com um visual renovado escurecido, com tags 80th anniversary em alusão ao aniversário da marca nos bancos e tapetes, além de badges comemorativos nas partes internas e externas dos veículos. 

Jeep Grand Cherokee 80 Anos – A série especial do Grand Cherokee é baseada na versão Limited Diesel. Externamente, tem rodas de 20 polegadas, grade frontal e acabamento do espelho retrovisor na cor grafite.

Já o interior tem assentos em couro com costuras exclusivas, acabamentos em metal anodizado e black piano.

Ele vem com motor 3.0 turbo Diesel com 241 cv de potência e 550 Nm de torque, tração 4×4 Quadratrac II com bloqueio eletrônico de diferencial, 4×4 full time e 4×4 low e Jeep Selec Trac, sistema de som premium Alpine de 506w com 9 alto-falantes e subwoofer, teto solar elétrico panorâmico, bancos dianteiros ventilados e aquecimento em todos os assentos.

O novo Grand Cherokee Série Especial 80 anos tem preço sugerido de R$ 496,99 mil.

Jeep Wrangler 80 Anos – Baseada na versão Sahara Unlimited 4 Portas, a série especial de 80 Anos do modelo traz, externamente, novas rodas de alumínio de 18 polegadas em grafite, além de outros detalhes no mesmo tom, como contornos da grade frontal e molduras para farol de neblina, e badges 80th anniversary.

No seu interior, o Wrangler 80 Anos vem com badge interno 80th anniversary nos porta-copos dianteiros, tag 80th anniversary nos assentos do motorista e do passageiro dianteiro e novos tapetes, com costura exclusiva e o tag comemorativo.

Além disso, o Wrangler traz equipamentos que reforçam sua capacidade offroad e sua característica única de proporcionar contato total com a natureza, como teto e portas removíveis e para-brisas rebatíveis.

Ele vem equipado com motor 2.0 turbo com 271 cv de potência e 400 Nm de torque, sistema Selec Trac com 4 tipos de tração para diferentes terrenos, Offroad pages com informações para trilhas, como grau de inclinação vertical e lateral, sistema de tração selecionado e status do bloqueio de diferencial.

O modelo conta com sistema de escoamento de água para lavagem interna, afinal, o Wrangler foi projetado para suportar até 76 cm de submersão. O novo Wrangler Série Especial 80 anos tem preço sugerido de R$ 385,99 mil.

Novo Jeep Compass 80 Anos – O Compass surgiu na história da Jeep no mundo em 2007 e começou a ser fabricado no Brasil, no Polo Automotivo Jeep, em 2016. A série especial do 80º aniversário da Jeep do modelo é a primeira a chegar da nova geração do Compass, que será lançada em breve.

O novo Jeep Compass trará, entre outros destaques, mais performance com o novo motor 1.3 turbo Flex T270 com potência de 185 cv e torque de 270 Nm; novo design com mudanças por fora e por dentro, como o novo volante; mais sofisticação com itens como os novos faróis full LED; e mais tecnologia com a nova central multimídia de 10’1 polegdas com a plataforma Adventure Intelligence e novo carregador sem fio, por exemplo. 

A Série Especial 80 Anos da nova geração do Compass conta com acabamento externo escurecido em tom grafite, interior em Black Piano, revestimento interno do teto na cor preta e costuras exclusivas, além de badges e tags 80th na parte externa e interna do carro.

A versão estará disponível nas seguintes cores: prata Billet, preto Carbon, azul Jazz, branco Polar, verde Recon e cinza Granite (nova para o modelo).

O novo Compass Série Especial 80 anos tem preço sugerido de R$ 162,99 mil.

Jeep Renegade 80 Anos – Baseada na versão Longitude, a série especial 80 Anos do Renegade está disponível tanto na versão Flex quanto na Diesel.

O modelo, em sua versão comemorativa, traz barras de teto, grades, retrovisores, logos e rodas de 18 polegadas escurecidos em tom grafite.

Já a parte interna conta com revestimento do teto em preto e acabamentos em Gloss Black, além de bancos com costuras exclusivas. A série especial está disponível nas cores preto Carbon, cinza Antique, prata Billet, verde Recon, azul Jazz e branco Polar.

O Jeep Renegade 80 Anos vem, de série, com a nova central multimídia de 8,4 polegadas com novo visual e wireless, dispensando a necessidade de cabo para espelhamento via Apple CarPlay e Android Auto, trazendo mais praticidade e agilidade no processo.

Além disso, vem com a nova plataforma de serviços conectados Adventure Intelligence. O sistema também está disponível como opcional para as versões Longitude, Limited, Moab e Trailhawk. 

Nova plataforma oferece assistência, conveniência e entretenimento

Conveniência, assistência e entretenimento, tudo isso em um único lugar: o carro. Assim a Jeep define sua nova plataforma.

Com funções inéditas no mercado, e outras existentes somente no segmento de luxo, o Adventure Intelligence permite que o usuário se conecte ao seu veículo mesmo estando longe dele pelo app My Uconnect (disponível na Apple Store e Play Store) e pelo site https://myuconnect.jeep.com/br/pt

No portal, é possível que o cliente faça a gestão da sua conta e contrate serviços após o período de degustação, por exemplo. Já no App, smartwatch e pela Alexa (Amazon) o usuário poderá controlar todas as funções da plataforma. 

Ele poderá se conectar com o mundo dentro do carro sem precisar usar o celular. E tudo isso com muita segurança, uma vez que não será necessário mexer no telefone enquanto dirige.

Futuramente, outros modelos poderão receber a tecnologia também. Depois do Renegade, a nova geração do Compass já virá com a plataforma Adventure Intelligence. Os veículos sairão de fábrica com o eSIM 4G da TIM, chip virtual para acesso a Wi-Fi nativo a bordo, com a qualidade e garantia de continuidade de serviço. 

“A TIM foi escolhida pela Stellantis, no final de outubro de 2020, para oferecer uma experiência completa aos consumidores, levando aos modelos Jeep todo conteúdo, entretenimento e serviço presentes já no smartphone por meio de ofertas exclusivas que facilitem e melhorem a vida das pessoas”, explicou Alberto Griselli, Chief Revenue Officer da TIM Brasil.

O cadastro para os serviços conectados começa ainda na concessionária. Lá o cliente realiza um registo prévio com dados simples. Então, recebe um e-mail para finalizar o cadastro do veículo adquirido e, a partir daí, pode passar a utilizar o aplicativo do Adventure Intelligence no celular e portal. 

“Hoje, o consumidor espera que o carro seja uma extensão do seu celular. Ele quer estar conectado em tempo real ao seu Jeep mesmo sem estar perto dele. Estar conectado ao mundo sem precisar estar com o celular na mão. Pode até parecer uma cena de um filme futurístico, mas já é uma realidade para nós. E, para isso, escolhemos um Jeep que carrega o DNA da marca em todos os detalhes, que é o Renegade. Com os serviços conectados, a Jeep está pronta para uma nova era e uma nova forma de interagir com o cliente”, comentou Aquino. 

Estes são os destaques nas funções da nova plataforma de serviços conectados da Jeep:

Conveniência:

Informações do Veículo: a qualquer momento, o cliente tem a possibilidade de acessar dados sobre seu carro em tempo real, como nível de combustível, quilometragem total e autonomia, além de necessidade de recall. Esta ferramenta possui grande utilidade principalmente na preparação de uma viagem, por exemplo, na hora de fazer uma checagem prévia de tudo antes de pegar estrada.

Mapa Inteligente (on board): através do sistema de navegação, desenvolvido em parceria com a TomTom, o cliente pode obter informações de tráfego do trajeto escolhido e também de radares das vias em tempo real. Tudo isso feito com visualização completa e intuitiva em 2D ou 3D, além de acesso rápido para alteração nas configurações e rotas, entre outras vantagens. 

Baseado na autonomia atual do veículo, o sistema ainda calcula a necessidade de abastecer ao longo do trajeto, já mapeando os postos de combustível no caminho, função só presente em veículos de segmentos superiores. Além disso, é possível customizar o caminho para novos pontos de interesse ou para os já favoritos buscando uma via sem pedágio, o trajeto mais curto ou o mais rápido. Para completar, uma vantagem do novo mapa da plataforma Adventure Intelligence em relação aos navegadores comuns de smartphones é que não há interrupção de serviço quando se perde sinal em um túnel, por exemplo, ou em locais mais remotos.

Assistentes Digitais: este serviço é exclusivo do Adventure Intelligence. Aqueles que possuem um dispositivo com assistente de voz, como a Alexa, poderão do conforto de suas casas, por exemplo, adquirir informações sobre o seu Jeep (status do combustível, quilometragem do veículo etc), efetuar algumas operações remotas (acionamento de luzes e buzina) e procurar por pontos de interesse apenas com comandos de voz, sem mesmo mexer no celular. 

Atualização Automática de Software e Mapas (over the air): é possível instalar automaticamente qualquer novidade no software da central multimídia do veículo e de aplicativos relacionados sem a necessidade de ir à concessionária.

Localização do Veículo: além da interação com o veículo, o usuário também pode verificar sua localização exata na palma da mão. A função é uma comodidade, por exemplo, para ajudar o usuário a encontrar onde está seu veículo quando estacionou na praia ou no shopping e não se lembra o local exato. Também pode ser útil para saber se alguém da família está em um local seguro, chegando ao destino ou até mesmo retornando para casa.

Operações Remotas: também há a possibilidade de interagir com veículo estando a quilômetros de distância, seja pelo aplicativo no smartphone ou pelo smartwatch. É possível efetuar operações como travar e destravar as portas ou, simultaneamente, acender os faróis e acionar a buzina, facilitando a busca do veículo em um estacionamento, por exemplo. Para efetuar os comandos, é necessário inserir um PIN definido previamente, mantendo a segurança do veículo. 

Assistência:

Chamada de Emergência: em caso de emergência, o usuário poderá entrar em contato com o call center do Adventure Intelligence por meio da central multimídia ou do app, caso esteja fora do veículo. Os dados do cliente e do carro, incluindo sua localização exata, serão compartilhados com o/a atendente, para que, assim, possa tomar as providências, agilizando o atendimento em um momento de emergência. Este serviço é voltado principalmente para a ocorrência de algum acidente leve ou problema de saúde.

Chamada Automática de Emergência: já nos casos de acidentes graves, em que alguns itens de segurança do veículo, como os air bags, sejam acionados, o sistema fará uma ligação automática para o call center, que agirá conforme necessário para ajudar na situação, passando as últimas coordenadas do GPS e as informações básicas do veículo para o serviço de emergência responsável pela área do acidente. No entanto, se não houver resposta por parte do motorista em relação à ligação, o/a atendente entrará em contato direto com o SAMU, Corpo de Bombeiros ou o serviço de concessionária de rodovia, solicitando socorro. 

Assistência Mecânica: em caso de problema mecânico, o jeepeiro poderá entrar em contato com o call center e solicitar assistência. O operador receberá informações do veículo e pode até já identificar o problema (a depender do que for). Assim, o reparo mais adequado pode ser solicitado. Por exemplo, se a bateria estiver sem carga, não há a necessidade de enviar um guincho e, sim, apenas um motoqueiro para trocar o dispositivo, agilizando o atendimento e a solução para os clientes.  

Assistência de Recuperação para Roubo e Furto: se o veículo for roubado ou furtado, o proprietário pode entrar em contato com o call center e informar o ocorrido. A partir deste ponto, o operador inicia o rastreio do veículo. Na sequência, o cliente deve fazer o boletim de ocorrência. Assim, juntamente com uma empresa parceira, será feita uma análise prévia da situação no local em que o carro estará e a polícia será acionada. Em função deste serviço, algumas das principais seguradoras do mercado oferecerão condições especiais para quem possuir um veículo Jeep com a plataforma Adventure Intelligence.

Alerta Preventivo de Furto: funciona como um aviso de que o veículo do cliente pode ter sido levado. Se, por exemplo, o alarme disparar, o usuário receberá uma notificação no app informando a possibilidade do furto. Caso ele não confirme que está com o carro, a central é acionada e o veículo começa a ser rastreado. O alarme é apenas um exemplo de sensores disponíveis no carro que atuam de maneira preventiva em relação a possíveis furtos. É a inteligência de dados do veículo cuidando dele enquanto os clientes estão distantes.

Alertas do Motorista: o usuário pode estabelecer alguns parâmetros quando o carro estiver com outra pessoa, recebendo alertas sobre a condução do veículo, por exemplo, quando ultrapassar um limite estabelecido de velocidade ou até mesmo um perímetro ou horário definido. Existe também o valet mode, que bloqueia algumas funções do carro que não são necessárias para que o manobrista possa apenas estacionar o veículo no lugar adequado.

Entretenimento:

4G Wi-fi Hotspot: os Jeep Renegade já saem de fábrica com o eSIM, chip virtual da TIM. Assim, após realizar o cadastro com a operadora, já será possível utilizar o Wi-fi dentro do carro por até oito aparelhos ao mesmo tempo. O usuário também terá acesso a apps de streaming podcasts e audio books, conforme produto escolhido.

Em parceria com a TIM, a Jeep oferece um período de trial gratuito do Wi-fi Hotspot por um mês para todos os clientes. O usuário pode escolher no momento do cadastro o plano que mais se adequa à sua necessidade e, ao final do período de teste, poderá manter o plano mediante pagamento feito via cartão de crédito. A TIM oferece três planos para os clientes Jeep: Basic de 5GB com audio book por R$ 30,00, Standard de 10GB, Audiobook e Olá (podcast light) por R$ 50,00 e Premium de 40GB com os mesmos apps do anterior e Cartoon Network por R$ 100,00. 

Período de teste para Serviços Conectados: o usuário poderá usufruir do pacote completo, com todos os serviços oferecidos pelo Adventure Intelligence, pelo período de um ano. Após esse prazo, o cliente terá a possibilidade de assinar os serviços, com um pagamento mensal ou anual, de acordo com o pacote escolhido. Os preços dos pacotes serão comunicados posteriormente.

Fotos: Stellantis / Jeep / Divulgação

Preços do Jeep Renegade Série Especial 80 Anos Flex e Diesel com Adventure Intelligence e o pacote para as demais versões:

Jeep Renegade Longitude 1.8 Flex AT6 Série 80 Anos – R$ 123,49 mil

Jeep Renegade Longitude 2.0 Diesel AT9 4X4 Série 80 Anos – R$ 164,59 mil

Pack Adventure Intelligence para Jeep Renegade Longitude 1.8 Flex AT6 e Jeep Renegade Limited 1.8 Flex AT6 – R$ 1,50 mil

Pack Adventure Intelligence para Jeep Renegade Moab 2.0 Diesel AT9 4×4 – R$ 2,50 mil

Pack Adventure Intelligence para Jeep Renegade Longitude 2.0 Diesel AT9 4X4 e Jeep Renegade Trailhawk 2.0 Diesel AT9 4X4 – R$ 2 mil

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Mitsubishi Eclipse Cross ganha série especial para a linha 2022

Da Redação

A Mitsubishi Motors anunciou que traz, mais uma vez ao mercado brasileiro, a série especial Sport de seu SUV Eclipse Cross.

A série especial Eclipse Cross Sport 2022 chega este mês na rede de concessionárias Mitsubishi Motors de todo o Brasil com preço de R$ 205,99 mil. Fabricado sobre a versão topo de linha do SUV da Mitsubishi, o modelo oferece design exclusivo, totalmente focado na esportividade, informou a marca.

“A série especial Eclipse Cross Sport valoriza ainda mais as aptidões esportivas do Eclipse Cross. O design é o ponto alto e realça a virilidade e sofisticação no modelo, que também traz todo o DNA 4×4 da Mitsubishi, já reconhecido no mercado brasileiro”, resumiu Julio Fiorin, diretor comercial da Mitsubishi Motors no Brasil.

Disponível em quatro opções de cores de carroceria – cinza Concrete, preto Onix, vermelho Lucid e branco Fuji – seu design recebeu elementos estéticos diferenciados.

A dianteira do Eclipse Cross Sport troca o acabamento cromado do restante da gama por peças pintadas em preto brilhante. Já a grade frontal e detalhes do para-choques trazem acabamento imitando carbono, enquanto a parte inferior da peça exibe um spoiler com a moldura central em prata. Para arrematar o estilo, o capô traz dois extratores.

A temática esportiva segue pelas laterais, com as rodas de liga leve de 18 polegadas em preto brilhante e calçadas com pneus 225/55 R18. O conjunto deixa à mostra as pinças de freio, que no Eclipse Cross Sport são pintadas de vermelho. O tempero esportivo é complementado pelas molduras das caixas de roda pintadas na mesma cor da carroceria.

Atrás, destacam-se o aerofólio e o skid plate pintados em preto brilhante. Outro detalhe são as lanternas com bordas escuras tipo fumê que percorrem toda a tampa, dividindo o vidro traseiro.

A barra central traz acabamento imitando carbono e o toque final fica com as peças em prata fosco, que simulam ponteiras nas extremidades do para-choque.

Interior – O interior do traz peças na cor Silver Metallic, além de painéis macios ao toque. As partes com acabamento em Black Piano deixam o ambiente mais requintado.

Os bancos dianteiros contam com design esportivo e espuma de dupla densidade com retenções laterais.

Os bancos traseiros são reclináveis e deslizantes, com oito níveis de inclinação do encosto (16º a 32º) e deslizamento de até 200 mm, ampliando o espaço interno e o conforto de quem viaja ali.

Este recurso prático e funcional pode ser usado também para ganhar espaço extra no porta-malas, que oferece 561 litros de capacidade volumétrica, podendo chegar a 1.285 litros de volume.

Para a comodidade dos ocupantes, a série especial Sport oferece tecnologias como o sistema Keyless para abertura das portas pelos botões nas maçanetas, botão Start/Stop para acionamento do motor, espelho retrovisor interno eletrocrômico, câmera de ré e o Head-Up Display, tecnologia que projeta informações importantes sobre o funcionamento do veículo bem aos olhos do motorista, evitando distrações.

O ar-condicionado é digital, automático e de duas zonas, permitindo a seleção de temperatura para cada lado do veículo.

O volante reúne os comandos de voz, áudio e telefone, além dos botões do Speed Limiter e do Piloto Automático Adaptativo. A direção, por sua vez, conta com assistência elétrica e ajustes de altura e profundidade na coluna, e o quadro de instrumentos traz uma tela de LCD de alto contraste ao centro.

Motor – Assim como os demais veículos da linha Eclipse Cross, a série especial Sport é equipada com o motor MIVEC Turbo 1.5 de dupla injeção, com 165 cv de potência e 25,5 kgf.m de torque.

O powertrain é combinado à transmissão CVT de oito velocidades, com sistema INVECS III, que se adapta ao modo de dirigir de cada motorista. Há Paddle-Shifters na coluna de direção que permitem trocas manuais de marcha.

A série limitada Sport oferece, também, a tração integral nas quatro rodas (4×4).

Os bancos são forrados em couro e trazem aquecimento nos assentos dianteiros e regulagem elétrica para o motorista. A lista continua com chave presencial, freio de estacionamento eletrônico com função Auto Hold, retrovisores externos retráteis, entre outros.

Fotos: Leo Sposito / Mitsubishi Motors / Divulgação

No quesito segurança, o modelo conta com: TPMS (sensor de pressão dos pneus), sensores de chuva e de luz, sistemas de freios ABS, BAS, BOS, HSA (assistente de partida em rampa), controles de tração e estabilidade (ASC + ATC), câmera de ré, sistema Full Airbags, DRL em LED nos faróis e luzes de neblina, entre outros.

Ainda dentro da segurança, o SUV é equipado com diversos sistemas inteligentes de segurança ativa e passiva. São eles:

BSW (Blind Spot Warning) – Aviso sonoro e de luz nos espelhos retrovisores indicando região de ponto cego;

UMS (Ultrasonic Misacceleration Mitigation System) – Sistema de prevenção de aceleração involuntária, que reduz as chances e o perigo de atingir obstáculos a até quatro metros, na frente ou atrás do veículo, caso o motorista pressione fortemente o acelerador por engano com o carro parado ou até 10km/h;

RCTA (Rear Cross Traffic Alert– Sistema de aviso de tráfego traseiro, que ajuda a evitar colisões ao sair de uma vaga em marcha a ré;

Speed Limiter – Limita uma velocidade pré-estabelecida pelo motorista.

ASC (Active Stability Control) – Controle ativo de estabilidade, evitando escorregamento em curvas;

ATC (Active Traction Control– Controle Ativo de Tração que atua em pisos de baixa aderência ou em situações de aceleração brusca;

ACC (Adaptative Cruise Control– Piloto automático adaptativo de nova geração, que diminui e acompanha automaticamente a velocidade do veículo à frente;

FCM (Foward Collision Mitigation– Sistema de frenagem autônoma, que ajuda a prevenir colisões frontais identificando veículos ou pedestres por meio de câmeras e radar;

LDW (Lane Departure Warning) – Aviso de saída de faixa de rolamento;

AHB (Auto High Beam) – Acionamento automático do farol alto que liga e desliga automaticamente as luzes altas para não ofuscar a visão de condutores na direção oposta ou à frente.

A série Eclipse Cross Sport tem três anos de garantia sem limite de quilometragem.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Emplacamentos de veículos mostram recuperação em março

Da Redação

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgou, ontem, que os emplacamentos de veículos, considerando todos os segmentos automotivos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros), fecharam o mês de março/2021 com alta de 8,26% sobre março/2020, chegando a 269.944 unidades vendidas, contra 249.357 unidades, emplacadas em março do ano passado.

Sobre fevereiro (242.066 unidades), o desempenho de março/2021 foi ainda melhor, com alta de 11,52% nos emplacamentos.

“Muitas dessas vendas já tinham sido realizadas, nos meses anteriores, e os clientes estavam aguardando a entrega dos veículos, pelos fabricantes, o que ocorreu em março. Isso justifica o bom desempenho do mês, mesmo com o fechamento do comércio em estados importantes, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, por exemplo”, observou o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

Mesmo com os resultados positivos de março, o saldo do primeiro trimestre foi de queda, de 6,55%, no acumulado de janeiro a março/2021, quando foram emplacadas 786.083 unidades, contra 841.173 veículos, comercializados no primeiro trimestre de 2020.

Em função das incertezas do momento, a Fenabrave decidiu não rever as projeções para o ano de 2021 ao final deste 1º. trimestre. “Aguardaremos a evolução da pandemia e seu impacto no cenário econômico para podermos avaliar melhor as projeções e indicadores do setor, o que deve ocorrer até o final do 1º. semestre”, ponderou Alarico Assumpção Júnior.

Falta de produtos e lockdown – O setor da distribuição de veículos continua enfrentando desafios com a falta de produtos e o aumento das restrições de circulação, por conta da pandemia.

“Os concessionários de veículos estão passando por um período muito difícil. Em 2020, quando ocorreu a primeira onda da pandemia da COVID-19, tínhamos estoques e a indústria trabalhava sem problemas de abastecimento. Hoje, os estoques, praticamente, não existem, tanto nas concessionárias como nos pátios das montadoras. A falta generalizada, de peças e componentes, vem provocando a paralisação das linhas de montagem de várias montadoras, prejudicando a oferta de veículos”, analisou Assumpção Júnior.

O presidente da entidade mencionou, também, a piora da pandemia no Brasil como um dos fatores para a queda na comercialização de veículos novos no País.

“Apesar de as concessionárias não gerarem aglomeração e obedecerem, rigidamente, aos protocolos sanitários, preconizados pelo Ministério da Saúde, elas têm sofrido com o fechamento das áreas de vendas, na maior parte dos Estados que decretaram lockdown. Onde os protocolos estão mais rígidos, apenas as áreas das oficinas estão funcionando, por serem consideradas serviços essenciais”, disse o presidente.

Automóveis e Comerciais Leves

Os segmentos de Automóveis e Comerciais Leves apresentaram alta de 13,69% em março de 2021 (177.109 unidades emplacadas), se comparados com o mesmo mês do ano passado (155.784 unidades).

Com relação a fevereiro de 2021, quando foram licenciadas 158.226 unidades, houve alta de 11,93%.

Já no acumulado do 1º trimestre do ano, houve retração de 6,5%, totalizando 497.885 Automóveis e Comerciais Leves emplacados, contra os 532.506 registrados no mesmo período de 2020.

Caminhões

Apesar de ainda faltar produtos, para atender a alta demanda, as vendas de Caminhões permanecem aquecidas e as entregas melhoraram um pouco. Em março, foram emplacados 10.796 Caminhões, numa alta de 65,79% sobre março de 2020, quando foram vendidas 6.512 unidades do veículo.

“Apesar do alto percentual de elevação, vale ressaltar que a comparação se dá por uma base muito baixa, registrada em 2020”, revelou o presidente da Fenabrave.

Já na comparação com fevereiro de 2021, quando foram emplacados 7.718 Caminhões, o aumento foi de 39,88% e, no acumulado deste primeiro trimestre do ano (25.776 unidades), houve acréscimo de 27,55% sobre igual período do ano passado, quando foram comercializados 20.209 Caminhões.

Ônibus

Em março, o mercado de Ônibus emplacou 1.500 unidades, o que significa alta de 15,83% sobre março de 2020, quando foram negociadas 1.295 unidades.

Sobre fevereiro/2021, que teve 1.428 Ônibus emplacados, o crescimento de março representou alta de 5,04%.

No acumulado do 1º. Trimestre de 2021, no entanto, foram emplacados 4.252 Ônibus, o que significa queda de 19,68%, na comparação com 2020 (5.294 unidades).

“As vendas de Ônibus se mantêm em um nível baixo, por conta da retração da demanda, como consequência do avanço da segunda onda da COVID-19. As restrições de circulação e cancelamento de viagens continuam afetando as empresas do setor”, explicou Assumpção Júnior.

Implementos Rodoviários

O mercado de Implementos Rodoviários, que acompanha a evolução de Caminhões, registrou, em março de 2021, 7.983 unidades emplacadas, num crescimento de 93,76% sobre o mesmo mês do ano passado, quando foram comercializadas 4.120 unidades, e de 21,01% sobre fevereiro deste ano (6.597 unidades).

No acumulado do ano, houve crescimento de 61,79% (21.306 unidades) sobre igual período de 2020 (13.169 unidades).

Motocicletas

Em março, o segmento de Motocicletas registrou 62.290 unidades emplacadas, o que significa uma baixa de 17,38% sobre março de 2020, quando foram comercializadas 75.392 motos.

Em relação ao mês de fevereiro de 2021, quando 57.426 motos foram vendidas, houve alta de 8,47%.

No acumulado do 1º. trimestre de 2021, os emplacamentos de Motocicletas somaram 205.553 unidades, um resultado que, se comparado às 246.920 unidades, comercializadas em igual período de 2020, demonstra uma baixa de 16,75%.

“O mercado de Motocicletas continua aquecido, mas ainda há impactos específicos na produção, que têm afetado o abastecimento para as concessionárias. Devido a essas dificuldades pontuais, muitas vendas estão com programação de entrega para até 60 dias, mas a indústria vem, aos poucos, se recuperando. Desde o início da pandemia, em 2020, as Motocicletas vêm se consolidando como uma alternativa de transporte individual e de trabalho. O crédito está favorável a quem pretende adquirir Motocicletas, com a aprovação de 4,7 propostas para cada 10 enviadas aos bancos”, avaliou Alarico Assumpção Júnior.

Tratores e Máquinas Agrícolas têm bimestre positivo

OBS.: Por não serem emplacados, os Tratores e as Máquinas Agrícolas apresentam dados com um mês de defasagem, pois dependem de levantamento junto aos fabricantes.

Em fevereiro de 2021, as vendas de Tratores e Máquinas Agrícolas atingiram 3.606 unidades, numa alta de 16,89%, na comparação com o mês de janeiro, quando foram comercializados 3.085 veículos.

Na comparação com fevereiro de 2020, quando foram vendidas 2.606 unidades, a alta foi de 38,37%.

Também no acumulado do 1º. Bimestre de 2021 houve crescimento nas vendas de Tratores e Máquinas Agrícolas. Foram negociadas 6.691 unidades, o que representa crescimento de 33,23% sobre as 5.022 unidades vendidas no mesmo período do ano passado.

“Com o cenário positivo para o agronegócio, considerando o bom desempenho das commodities e as boas perspectivas para o setor, a demanda de Tratores e Máquinas Agrícolas se mantém aquecida”, explicou Assumpção Júnior.

Fenabrave / Divulgação

Acesse o  nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Mercedes-AMG GLE 63 S 4Matic+ combina design esportivo, exclusividade e alta performance

Modelo é equipado com motor 4.0 V8 biturbo capaz de gerar 612 cv de potência

 Da Redação (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 02/04/2021)

A Mercedes-Benz anunciou, nessa semana, que o Mercedes-AMG GLE 63 S 4Matic+ Coupé está chegando ao País para completar o portfólio de modelos SUV (utilitários esportivo) da marca.

“Com o novo Mercedes-AMG GLE 63 S 4Matic+ Coupé entregaremos tudo aquilo que nossos clientes mais procuram atualmente: luxo esportivo, alto nível de tecnologia, conectividade e muita exclusividade. E tudo isso aliado à muito desempenho e esportividade”, afirmou Jefferson Ferrarez, CEO da Mercedes-Benz Cars & Vans do Brasil.

O novo GLE 63 S Coupé é facilmente identificado como um modelo Mercedes-AMG graças à grade do radiador específica AMG cromada de alto brilho. O para-choques dianteiro tem um design de Jet-Wing e é pintado na cor do veículo com as entradas de ar na cor preta.

Os domos no capô, as rodas de 22 polegadas, o novo spoiler traseiro com um difusor em preto e o sistema de escape especial AMG, com dois elementos de acabamento do tubo de escape duplo retangulares, completam o design exterior.

Como parte do equipamento de série, o pacote AMG Night inclui vidros escuros com isolamento térmico, acabamento do spoiler dianteiro e traseiro, inserções nas saias laterais, capas dos espelhos e moldura das janelas em preto.

Os assentos AMG são estofados em couro napa e proporcionam bom suporte lateral. Eles contam com um padrão específico para AMG e com um emblema “AMG” nos encostos dianteiros, além dos cintos de segurança cinza e costuras contrastantes nos bancos em cinza prata.

A iluminação ambiente ajustável individualmente também faz parte dos equipamentos de série. O volante é de três raios AMG Performance e possui “borboletas” de alumínio.OEle também é forrado em couro napa.

O console central inclui uma unidade de controle específica do AMG com interruptores adicionais que são usados para regular o ESP de 3 estágios, o modo de transmissão manual, o Adaptive Damping System, o sistema de escapamento AMG Performance e a altura do veículo.

Juntamente com os pedais esportivos AMG em aço inoxidável escovado e detalhes em borracha, os painéis das soleiras das portas e os tapetes pretos com a inscrição “AMG” e os acabamentos AMG em fibra de carbono acentuam o visual esportivo do interior.

Motor – O motor 4.0 biturbo V8 de 612 cv está equipado com um alternador de arranque EQ Boost integrado e um sistema elétrico de 48 volts, tudo para entregar uma resposta imediata na partida e estar alinhado com todo o processo de sustentabilidade e eletrificação da marca, informou a MB.

O propulsor combina o motor de partida e um alternador em um único e potente motor elétrico integrado de forma compacta entre o motor e a transmissão. Os 250 Nm de torque adicionais permitem características de aceleração e retomadas de velocidade mais rápidas e seguras.

Este componente que alimenta o sistema elétrico de bordo de 48 volts é utilizado como gerador de energia e também desempenha funções híbridas. Isso inclui impulsionar, recuperar, mudança do ponto de carga e a reinicialização praticamente imperceptível do motor com a função start / stop.

Para maior eficiência, a Mercedes-AMG equipou esse motor V8 com o sistema de desativação de cilindro. Quando em uma faixa de aceleração constante, os cilindros dois, três, cinco e oito são desativados, o que reduz o consumo de combustível.

Quando o motorista seleciona o programa de direção Comfort, o sistema de desativação do cilindro está disponível na faixa de rotação do motor de 1000 a 3250 rpm. Um display especial no painel de instrumentos indica se o sistema de desativação do cilindro está em uso e se o motor está operando atualmente no modo de quatro ou oito cilindros.

A transição entre esses dois estados operacionais é imediata, rápida e com torque neutro, informou a Mercedes.

De acordo com a fabricante, o modelo leva 3,8 segundos para sair da imobilidade e alcançar os 100 km/h. A velocidade máxima é de 280 km/h.

Câmbio – A transmissão AMG Speedshift TCT 9G é especialmente ajustada para os requisitos do motor de oito cilindros do GLE 63 S Coupé. O desenvolvimento sistemático de hardware e software tornou possível otimizar ainda mais os tempos de trocas, de acordo com a Mercedes.

O software permite tempos de mudança extremamente curtos e várias reduções rápidas de marcha, oferecendo uma experiência especialmente emocionante graças à função de desacoplamento duplo.

As mudanças de marcha são realizadas sem interrupção na força de tração. A aceleração dinâmica e tempos de trocas muito curtos estão disponíveis como um estilo de condução com baixo consumo de combustível, dependendo do modo selecionado.

O sistema de tração integral garante a melhor relação possível de dinamismo, tração e eficiência. Uma embreagem controlada eletromecanicamente conecta o eixo traseiro acionado permanentemente de forma variável ao eixo dianteiro.

A melhor distribuição de torque é continuamente calculada de acordo com as condições de condução e as informações do motorista.

A tração nas quatro rodas é controlada de acordo com o estágio selecionado do Programa Eletrônico de Estabilidade (ESP) de 3 estágios, desde esportivo com foco na segurança até altamente dinâmico.

O sistema de controle de manuseio dinâmico 4ETS aumenta a segurança e agilidade no manuseio, em particular em superfícies escorregadias ou com diferentes coeficientes de atrito.

Ele usa intervenções de freio para evitar que as rodas acionadas individualmente patinem durante a partida ou aceleração. Ao mesmo tempo, o efeito de travamento do diferencial permite que o torque de acionamento seja deslocado para as rodas que não estão girando.

O SUV apresenta um diferencial de travamento controlado eletronicamente no eixo traseiro como padrão. O deslizamento é assim suprimido na roda interna durante as curvas, garantindo melhor aderência e máxima segurança no manuseio.

O condutor pode, portanto, acelerar nas curvas mais cedo e com mais potência, graças à tração aprimorada. O veículo permanece mais estável ao frear em alta velocidade, enquanto o diferencial de travamento também melhora a tração ao acelerar a partir de uma paralisação.

O novo GLE 63 S Coupé é equipado com um sistema de freio com pinças fixas (na cor vermelha) de seis pistões e discos de freio de 400 x 38 mm na frente e pinças de freio flutuantes com pistão e discos de 370 x 32 mm na parte traseira

Tecnologias embarcadas garantem desempenho, segurança e conforto

O sistema de estabilização ativa de rolagem (AMG Active Ride Control) compensa os movimentos da carroceria, aumentando a segurança de condução em situações perto do limite.

Ele usa dois atuadores eletromecânicos de operação independente nos eixos dianteiro e traseiro, cada um com uma engrenagem planetária integrada. Isso significa que o sistema de estabilização não apenas reduz a oscilação da carroceria nas curvas, mas também permite um ajuste mais preciso em cada curva e na distribuição de peso.

Além disso, aumenta o conforto de condução ao dirigir em linha reta porque as irregularidades de um lado da estrada, por exemplo, são compensadas automaticamente.

O ajuste de amortecimento adaptativo ADS (Adaptive Damping System) permite que as características de amortecimento possam ser pré-selecionadas em três estágios: Comfort, Sport e Sport +.

Graças ao auto nivelamento pneumático, o novo GLE 63 S 4Matic+ Coupé mantém uma altura do solo constante, independentemente da carga do veículo. Isso pode ser ajustado dependendo do modo de condução ou manualmente no console central.

Os sete programas Dynamic Select (Comfort, Sport, Sport +, Individual, Race, Trail e Sand) permitem uma experiência de condução muito variada com uma ampla distribuição entre o máximo conforto e a agilidade. Os modos modificam os principais parâmetros, como a resposta do motor, transmissão, suspensão e direção.

Os parâmetros relevantes para a condução, como a resposta do motor e da suspensão ou os limites de controle do ESP, são adaptados de forma inteligente de acordo com o programa de direção. O espectro varia de extremamente orientado para a segurança a altamente dinâmico.

Independentemente do programa de direção, o motorista pode usar as teclas no console central ou o volante multifuncional para selecionar diretamente o modo de transmissão manual, o nível de suspensão preferido e também o sistema de escapamento, por exemplo.

Tecnologia – O novo GLE 63 S Coupé oferece a última geração do sistema de entretenimento MBUX (Mercedes-Benz User Experience).

Os menus especiais AMG, como o modo Supersport com um conta-giros central e escalas de aparência 3D, conferem profundidade visual ao quadro de instrumentos e acentuam a exclusividade do modelo.

A visualização Supersport fornece informações adicionais extensas específicas para AMG, como um aviso para mudar de marcha no modo de transmissão manual, um recurso conhecido como Shiftlight.

Através do menu AMG, o condutor pode acessar vários menus especiais: Visor de marcha com o símbolo amarelo “M” no modo manual; Menu de aquecimento do motor e temperatura do óleo da transmissão; Configurações do menu AMG Dynamic Select; G-meter (forças de aceleração longitudinal e lateral); Racetimer (cronômetro, tempos de volta e setor) e dados do motor (saída e torque, óleo do motor e temperatura do óleo da transmissão).

O novo Mercedes-AMG GLE 63 S 4Matic+ Coupé está disponível para encomendas em toda a rede de concessionários com preço público sugerido de R$ 1,18 milhão.

Fotos: Mercedes-Benz AG / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Renault convoca proprietários do Duster e de outros modelos

Da Redação

A Renault do Brasil informou, agora à tarde, sobre uma campanha de chamamento (recall) para alguns modelos de sua linha.

Leia abaixo, na íntegra, o comunicado da fabricante francesa:

A Renault do Brasil, visando assegurar a segurança dos seus clientes e a reafirmando o respeito aos consumidores, convoca preventivamente os proprietários dos veículos Duster, com câmbio manual, a comparecerem à Rede de Concessionárias Renault para reparação do tubo do ar-condicionado.

Devido a não conformidade no tubo do ar-condicionado pode ocorrer um contato com o tubo de combustível causando vazamento do mesmo. A reparação do componente será realizada em até uma hora.

MODELOS

CHASSIS ENVOLVIDOS (não sequenciais)

DATA DE FABRICAÇÃO

DUSTER

J106478 até J536311

10/02/2020 até 20/07/2020

A Renault convoca, também, os proprietários dos veículos Sandero, Logan, Duster e Duster Oroch a comparecerem à rede de Concessionárias Renault para reparação do cilindro de ignição.

A não conformidade no cilindro de ignição pode causar perda da dirigibilidade devido a uma aceleração ou desaceleração inesperada do veículo.

MODELOS

CHASSIS ENVOLVIDOS    (Não sequenciais)

DATA DE FABRICAÇÃO

SANDERO

L433060 até L446233 J390092 até J625571

14/02/2020 até 31/08/2020

LOGAN

L437965 até L446762 J427779 até J550575

14/02/2020 até 31/08/2020

DUSTER

J108199 até J536197

14/02/2020 até 31/08/2020

DUSTER OROCH

J382925 até J549677

14/02/2020 até 31/08/2020

Em ambos os casos, em cenários extremos, existem risco de acidentes com lesões graves e/ou fatais aos ocupantes.

O reparo é gratuito e deve ser agendado uma concessionária.  

Mais informações podem ser obtidas com o atendente virtual NAVI, através do link /www.renault.com.br/servicos/recall“>www.renault.com.br/servicos/recall ou no SAC no telefone: 0800-055 5615.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Novo Porsche 911 GT3 tem preço definido para o Brasil

Da Redação

O novo Porsche 911 GT3 chega ao mercado brasileiro no 2º semestre deste ano. Anunciado em fevereiro, o modelo de alto desempenho está disponível para encomendas em toda a rede autorizada Porsche no Brasil a partir de hoje (31 de março). O preço público sugerido será a partir de R$ 1,09 milhão.

Com tecnologia construtiva desenvolvida nas pistas de competição, o novo Porsche 911 GT3 será equipado com motor boxer 4.0 de seis cilindros, de 510 cv, praticamente inalterado em relação ao do 911 GT3 Cup, e transmissão baseada no 911 GT3 R, comprovadamente testada em provas de resistência.

O conjunto oferece uma condução precisa, com altíssimo desempenho, informou a Porsche. No circuito Nürburgring Nordschleife, ele estabeleceu uma marca invejável ao se tornar o primeiro modelo de produção em série da Porsche com motor naturalmente aspirado a baixar o tempo de sete minutos na pista de 20,6 quilômetros: o piloto Lars Kern cravou 6’59’’927.

Com velocidade máxima de 320 km/h (318 km/h com PDK), o novo Porsche 911 GT3 é ainda mais rápido do que o anterior 911 GT3 RS. Ele acelera de zero a 100 km/h em 3,4 segundos.

A Porsche também oferece o novo modelo com transmissão manual de 6 velocidades, em busca de uma experiência de condução particularmente purista.

Apesar de uma carroceria mais larga, rodas maiores e características técnicas adicionais, o peso do novo GT3 está no mesmo nível do seu antecessor. Com câmbio manual, pesa 1.418 kg (1.435 kg quando equipado com câmbio PDK).

Fotos: Holger Maske Juli / Porsche / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Ranger Black é o 1º lançamento da Ford após saída do Brasil

 Da Redação

A Ford iniciou, nessa última semana de março, a venda da Ranger Black, nova versão da picape para, segundo a fabricante, o uso urbano. É o primeiro modelo lançado pela marca após a oficialização de sua saída, como fabricante, do Brasil.

De acordo com a Ford, assim como a Ranger Storm, versão off-road lançada no ano passado, ela amplia a linha com uma opção inédita dentro do segmento, desta vez para atender o cliente que roda predominantemente na cidade.

O visual monocromático preto tanto no exterior como na cabine, com detalhes foscos e brilhantes e bancos em couro, realça a sofisticação e esportividade da Ranger Black.

O conjunto mecânico conta com um motor 2.2 turbodiesel de 160 cv e 39,3 kgfm de torque, transmissão automática de 6 marchas, tração 4×2 e suspensão com ajuste especial.

“A Ranger Black foi criada para atender um consumidor que não tinha opção similar no segmento”, disse Antônio Freitas, gerente de marketing de picapes da Ford. “É uma picape de uso urbano com design robusto e sofisticado, motor diesel e tração 4×2, que oferece excelente dirigibilidade e tecnologia com propósito para ampliar o sucesso da Ranger.”

Santantônio, rack de teto, estribo lateral, faróis com máscara escura, grade dianteira e rodas de liga leve de 18 polegadas fazem parte dos itens diferenciados da picape. O interior também é exclusivo, com visual Black.

A lista de equipamentos inclui sete airbags, ar-condicionado de dupla zona, piloto automático, controle de tração e estabilidade, controle adaptativo de carga, sistema anticapotamento, sistema de controle de reboque e assistente de partida em rampa.

Seu sistema multimídia é o SYNC 3 com tela touch de 8 polegadas, comandos de voz e acesso a Apple CarPlay e Android Auto.

O sistema de conectividade FordPass Connect, com modem embarcado, permite controlar pelo celular funções como travamento e destravamento, partida remota com climatização da cabine, agendamento de partida, odômetro, autonomia e localização do veículo, além de receber alertas de alarme e de funcionamento.

A Ranger Black chega com preço de R$ 179,90 mil.

De acordo com a Ford, a capacidade de imersão de 800 mm (que seria a maior da categoria) é outro diferencial da picape que pode ser extremamente útil numa condição de alagamento na cidade.

Como oferta especial de lançamento, a Ford disponibilizou para os cem primeiros clientes da Ranger Black um kit de acessórios composto por protetor de caçamba, capota rígida elétrica e rede porta-objetos.

Fotos: Ford / Divulgação

Esses itens, que somam R$ 10 mil segundo a Ford, também poderão ser adquiridos separadamente nas revendas.

Porém, hoje a fabricante divulgou um comunicado informando que estas 100 unidades foram comercializadas em 24h.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Nivus Comfortline não é nada “básico”

Contando com vários recursos, versão de entrada do crossover coupé da Volkswagen tem muitos equipamentos de série

Amintas Vidal* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 26/03/2021)

Os veículos utilitários esportivos (SUV) já foram modelos de nicho. Nos anos de 1990, após a abertura do nosso mercado para os importados, eles estacionaram nas garagens dos poucos endinheirados e povoaram os sonhos da grande maioria.

De marcas, até então, desconhecidas, eram luxuosos, tecnológicos e diferentes de tudo que havia no Brasil naquela época. Jeep Grand Cherokee, Nissan Pathfinder, Mitsubishi Pajero Full e diversos outros modelos consolidaram no imaginário popular que comprar um SUV é o máximo da aquisição automotiva.

Nada racional, este desejo é um dos principais pilares da atual “suverização” dos carros. Com tamanha demanda, as montadoras estão se virando para criar novos modelos deste segmento, ou transformar os já existentes em SUVs ou crossovers.

O Volkswagen Nivus é, até agora, a mais bem sucedida empreitada de transformação. Crossover coupé nascido do hatch Polo, ele ficou posicionado acima deste e abaixo de outro SUV da marca, o T-Cross. Com seu design extremamente bem acertado, o Nivus supera os irmãos em alguns aspectos estéticos e funcionais.

Há quatro meses, avaliamos o Nivus Highline 200 TSI, a versão mais sofisticada. Agora, o DC Auto recebeu o Nivus Comfortline 200 TSI, a outra versão existente, de entrada.

No site da montadora, o preço sugerido é R$ 94,29 mil na cor sólida preta. A cor branca, também sólida, custa R$ 490,00 e, as metálicas, R$ 1,57 mil. O vermelho metálico da unidade avaliada é uma cor especial de lançamento, porém, mais barata, custando R$ 990,00.

Equipamentos – Os principais equipamentos, de série, da versão Comfortline são: ar-condicionado analógico; direção elétrica; sistema de som com tela touchscreen de 6,5 polegadas e espelhamento de celulares; faróis, faróis de neblina, luzes de condução diurna, luzes de direção e lanternas traseiras, todos estes itens em LED; tomada USB e saídas do ar condicionado na parte traseira da cabine; espelhos retrovisores externos eletricamente ajustáveis com função tilt down no lado direito; vidros elétricos dianteiros e traseiros com função one touch  nos dianteiros e rodas de liga leve 16 polegadas com pneus 205/60.

A versão é bem completa em sistemas de segurança: freios com sistema ABS, controle eletrônico de estabilidade (ESC) e de tração (ASR); 6 airbags (2 frontais, 2 laterais e 2 de cortina); assistente para partida em aclives (Hill Hold Control); alerta de frenagem de emergência (ESS); sensores e câmera de auxílio ao estacionamento em marcha à ré e ancoragem Isofix para fixação de assentos infantis, entre outros.

Além da cor especial, o carro avaliado estava configurado com o único pacote opcional disponível, o VW Play & Tech.

Custando R$ 3,89 mil, ele traz quatro equipamentos que vêm de série na versão Highline: controle de cruzeiro adaptativo (ACC); sistema autônomo de frenagem de emergência (AEB); volante multifuncional com paddle shifts e multimídia VW Play com tela colorida de 10 polegadas e aplicativos nativos diversos. O preço final deste Nivus é R$ 99,17mil.

Motor e Câmbio – O motor das duas versões do Nivus é o 200 TSI. Trata-se de um propulsor 1.0 de três cilindros, turbo alimentado e bicombustível. Tem injeção direta, duplo comando tracionado por correia dentada com variação de abertura das válvulas, tanto na admissão, como na exaustão.

Ele é capaz de render 128/116 cv às 5.500 rpm com etanol e gasolina, respectivamente, e seu torque atinge 200 NM (número que lhe confere a alcunha) às 2.000 rpm com os dois combustíveis.

O câmbio é automático convencional de seis (6) marchas com conversor de torque. Ele tem duas programação extras, sport e manual, e permite trocas por meio da sua alavanca ou das aletas posicionadas atrás do volante.

Na comparação como o Polo, do qual se origina, as laterais do Nivus foram redesenhadas, alongando a traseira em estilo coupé. Os dois para-choques, grades, capô, faróis, lanternas, tampa do porta-malas e bagagito também são novos. Todas as outras peças externas e internas são idênticas.

O Nivus adotou a suspensão traseira do T-Cross e, também, ganhou 2,7 cm em altura em relação ao Polo. Foram 1,0 cm nas molas e 1,7 cm na somatória de rodas e pneus maiores. No mais, tudo é igual ao hatch.

Vale lembrar, o Nivus é um crossover coupé e, não, um SUV. Sua altura em relação ao solo não permite ao modelo atingir os requesitos mínimos necessários para ser homologado como veículo utilitário esportivo pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Design – Ser um crossover coupé lhe confere algumas vantagens. Esteticamente, ele é bem mais esportivo que o Polo e o T-Cross. A frente é agressiva e tem mais personalidade que os outros modelos da marca.

As laterais são marcadas por vincos ascendentes que prolongam as linhas dos conjuntos óticos dianteiros e traseiros conferindo dinamismo à carroceria, assim como o perfil em arco contínuo, desenho que define os modelos coupé.

A traseira alongada e alta ostenta belas lanternas horizontais interligadas por um aplique em preto brilhante, estilo que remete aos SUVs da Porsche, empresa do grupo Volkswagen.

No nosso entendimento, o design do Nivus é o mais elaborado entre todos os modelos. Se não é o carro mais bonito vendido pela marca no Brasil, certamente, é o mais original.

Dinamicamente, ele tem vantagens e desvantagens em relação ao Polo e ao T-Cross. Sua altura é intermediária, contudo, ele é menos estável que o hatch e mais “na mão” do que o SUV.

Ele encara melhor lombadas e buracos do que o Polo e pior do que o T-Cross. A posição ao volante do Nivus é quase tão esportiva quanto no hatch, e menos elevada do que no SUV.

Interior – No espaço interno para os ocupantes, Nivus e Polo são quase idênticos. Os bancos dianteiros garantem conforto ao motorista e ao passageiro. A ergonomia é acertada e todos os comandos estão à mão. Só os botões dos vidros elétricos estão mais recuados do que o ideal.

No banco traseiro, eles são típicos compactos. As pernas de ocupantes mais altos ficam apertadas e, na posição central do banco, somente uma criança vai com conforto. Neste quesito, o T-Cross é o melhor da trinca. Seus 85 mm a mais no entre-eixos garantem maior espaço.

Porém, ao incorporar a carroceria coupé, o Nivus ganhou muita área após o banco de trás. Essa mudança estrutural possibilitou um porta-malas de 415 litros. Em capacidade para bagagens, o crossover supera os outros dois modelos. São 115 litros a mais em relação ao Polo e 42 litros em relação ao T-Cross.

Em comprimento total, outra vitória. São 4,27 metros contra 4,20 metros do T-Cross e 4,06 metros do Polo. A outra diferença na arquitetura é a distância entre-eixos. No Nivus e no Polo elas se diferem por apenas 1 mm. São 2,57 metros e 2,56 metros, respectivamente. Essa distância no T-Cross é a maior, igual à do sedan Virtus, com 2,65 metros.

As alturas variam com os acertos de suspensão e os tamanhos de rodas e pneus, como mencionado anteriormente. São 1,47 metro no Polo, 1,49 metro no Nivus e 1,57 metro no T-Cross. Detalhes de design das peças diferem, minimamente, suas larguras: 1,75 metro no Polo, 1,76 metro no Nivus e no T-Cross.

Como todos têm o mesmo conjunto mecânico, o peso é um fator decisivo no desempenho. Nesse comparativo, o Polo leva a melhor duas vezes, pois é o mais leve e o mais baixo, além de ser o mais aerodinâmico. Ele pesa 1.178 kg com o tanque cheio.

O Nivus, pesa 1.199 kg na mesma condição e, o T-Cross, 1.305 kg, também abastecido. Seus tanques de combustíveis são iguais, comportando bons 52 litros.

Acabamento – Os modelos nacionais da Volkswagen construídos sobre a plataforma MQB têm acabamento simplificado em relação aos mesmos carros feitos em outros países. O Nivus foi projetado no Brasil e será produzido na Europa.

Provavelmente, terá acabamento melhorado no primeiro mundo. Aqui, todas as peças internas são feitas em plástico rígido e apenas os apoios de braços das portas dianteiras trazem uma pequena área revestida em tecido acolchoado.

Na versão Comfortline, o aplique que se estende por todo o painel e alcança as maçanetas dianteiras recebe pintura na cor cinza acetinada. Detalhes que imitam alumínio fosco quebram a abundância de plásticos cinza por todos os lados e conferem alguma qualidade aos acabamentos internos.

Dois tons de cinza e costuras azuis compõem o revestimento dos bancos. Teto e colunas são cobertos por materiais brancos, diferente da versão Highline que adota o preto em seu interior, padrão mais esportivo.

Ágil, modelo se destaca pelo prazer ao dirigir

O VW Play, multimídia opcional, tem uma tela de 10,1 polegadas, a maior neste segmento. Sua qualidade de imagem, sensibilidade ao toque e velocidade de processamento também são as melhores entre seus pares.

Muitos recursos, informações sobre o veículo e alguns aplicativos pré-instalados tornam o modelo o mais completo do mercado em conteúdo. Não ter botões físicos de comando, navegador nativo e internet embarcada são os seus pontos fracos.

O painel de instrumentos analógico é simples em relação ao digital da versão Highline, mas, tem ótimo tamanho e grafismo correto. As velocidades decimais têm numerais, maiores para algarismos pares e menores para algarismos ímpares, algo que facilita a leitura com visão periférica.

No tacômetro, os algarismos que representam os milhares das rotações do motor estão bem afastados, possibilitando acompanhar sua aceleração de forma bem progressiva, a ideal.

O computador de bordo tem todas as informações básicas necessárias. Sua tela centralizada no painel não é grande, porém, apresenta um dado de cada vez e em tamanho muito legível.

Os botões no volante que controlam este sistema são de fácil operação e amenizam a falta de informações múltiplas na tela.

Os recursos de condução semi-autôma configurados opcionalmente na unidade avaliada são precisos. Eles funcionam como controlador de velocidade adaptativo e alertam o motorista para aproximações perigosas, freando o carro caso ele não reaja.

Faltam leitores de faixas para avisar e corrigir desvios involuntários em estradas e, também, o recurso de parada e partida em trânsito, ideal para congestionamentos e semáforos rápidos.

O ar-condicionado analógico é comandado por botões físicos e de fácil operação. Ele é eficiente no tempo de resfriamento e na manutenção da temperatura. Porém, o sistema digital deveria vir de série para justificar o preço desta versão de entrada ou, pelo menos, integrar o pacote opcional, mesmo precisando ser adquirido à parte.

Rodando – O prazer em dirigir o Nivus supera suas outras qualidades. O motor foi recalibrado para compensar o peso extra em relação ao Polo. Acelerando pouco, ou muito, ele responde como esperado.

Sempre esperto, satisfaz quando rodamos devagar ou rápido. O torque abundante em rotações baixas propicia uma experiência que os motores aspirados mais modernos não entregam, nem de longe.

Nas acelerações progressivas é possível sentir níveis de ação do turbo, algo parecido com reduções, mas que acontecem em uma mesma marcha. Quando pisamos com força, o turbo reage quase instantaneamente, despejando torque e potência acima do esperado em um carro 1.0, mesmo para um sobrealimentado.

Usando a programação sport, as marchas são esticadas e o desempenho melhora. O que empolga e dá prazer é bloquear o sistema em manual e comutar as marchas nos paddle shifts.

As trocas são precisas e rápidas, deixando a condução mais esportiva. Quando aceleramos fundo, e sem passar as marchas, a programação deixa a rotação ir ao limite, 6.500 rpm, antes de fazer a troca automática, situação em que o Nivus atinge os 100 km/h em 10 segundos, saindo da imobilidade.

Consumo – O consumo de combustível na versão Comfortline foi ligeiramente pior do que na Highline. Provavelmente, uma característica técnica é o motivo da diferença. Ambas usam pneus com 205 mm de largura, aros 16 polegadas e 17 polegadas, respectivamente.

O pneu com lateral mais alta usa menos pressão e entrega maior conforto. Porém, gera maior atrito devido à calibragem mais baixa. Em nossos testes padronizados de consumo aferimos diferenças decimais no rendimento das duas versões do Nivus.

No circuito rodoviário, realizamos duas voltas no percurso de 38,4 km, uma mantendo 90 km/h e, a outra, os 110 km/h, sempre conduzindo economicamente. Na volta mais lenta atingimos 13,5 km/l e 13,7 km/l. Na mais rápida, 12,1 km/l e 12,4 km/l, registrados nas versões Comfortline e Highline, respectivamente, sempre com etanol no tanque.

Em nosso circuito urbano de 6,3 km realizamos quatro voltas, totalizando 25,2 km. Simulamos 20 paradas em semáforos com tempos entre 5 e 50 segundos. Vencemos 152 metros entre o ponto mais alto e o mais baixo do acidentado percurso. A versão Comfortline finalizou o teste com 7,0 km/l contra 7,2 km/l da Highline, também com etanol.

Em nossa opinião, a versão Comfortline do Nivus deve ser adquirida com o pacote opcional. Seu preço representa pouco mais de 4% do valor do carro e agrega dois equipamentos segurança raros no segmento, o melhor multimídia e os paddle shifts, recurso que muda a usabilidade do carro.

Quase R$ 10 mil mais cara, a versão Highline ainda entrega o melhor custo-benefício. Seus nove equipamentos a mais promovem mudanças visuais, práticas e em segurança que justificam o investimento.

Fotos: Amintas Vidal

*Colaborador

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Linha 2022 do Hyundai HB20 incorpora 4 airbags e controles de estabilidade e tração para todas as versões

Da Redação

HB20 Sense 1.0 MTHyundai / Divulgação

Para tentar seduzir alguns potenciais compradores do líder Chevrolet Onix, a Hyundai anunciou que a linha 2022 do HB20, que acaba de ser lançada, chega ao mercado com 4 airbags para todas as versões (adoção dos airbags laterais) e, também, com controles de tração e estabilidade.

Até então, estes itens eram comercializados em pacotes adicionais e passam a ser de série. A câmera de ré passa a ser item de série a partir da versão Evolution 1.0.

Já para as configurações Evolution 1.0 Turbo, e acima, os sistemas de alerta e frenagem autônoma e de alerta de mudança de faixa tornam-se especificação padrão.

Versões e Preços – Hyundai HB20 – Linha 2022:

HB20 1.0 Sense (manual) – R$ 56,89 mil

HB20 1.0 Vision (manual) – R$ 59,79 mil

HB20 1.0 Evolution (manual) – R$ 63,79 mil

HB20 1.6 Vision (manual) – R$ 69,69 mil

HB20 1.6 Vision (automático) – R$ 74,79 mil

HB20 1.0 Turbo T-GDI Evolution (automático) – R$ 78,89 mil

HB20S 1.0 Vision (manual) – R$ 65,49 mil

HB20S 1.0 Evolution (manual) – R$ 68,59 mil

HB20S 1.6 Vision (manual) – R$ 74,39 mil

HB20S 1.6 Vision (automático) – R$ 79,49 mil

HB20S 1.0 Turbo T-GDI Evolution (automático) – R$ 83,59 mil

HB20X 1.6 Vision (manual) – R$ 72,59 mil

HB20X 1.6 Vision (automático) – R$ 77,69 mil

HB20X 1.6 Evolution (automático) – R$ 82,29 mil

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br