Ford adota ações para garantir os serviços pós-venda aos clientes

Da Redação

A Ford informou, hoje (30 de março), que adotou ações emergenciais na área de serviços pós-venda para garantir o atendimento essencial aos clientes durante o período de restrições e isolamento social devido ao coronavírus.

As medidas abrangem desde a adequação do funcionamento das oficinas da rede e dos prazos de revisão e garantia até os serviços de assistência e carro reserva para dar o apoio que os clientes precisam neste momento de grande necessidade.

Os serviços de manutenção e fornecimento de peças continuam a funcionar nas concessionárias da marca, respeitando as proibições e determinações legais de cada localidade, para garantir a operação dos veículos, principalmente os que são utilizados na prestação de serviços essenciais à população.

Ao mesmo tempo, estão sendo tomadas todas as medidas de prevenção para proteger a saúde e a segurança dos profissionais envolvidos nesse trabalho, disse a Ford.

Os clientes da marca que estão no período de revisão do veículo não precisam se preocupar com a perda do prazo de garantia. A contagem de tempo só será retomada depois que a situação for normalizada.

O serviço de assistência 24 horas Ford Assistance também continua em operação. Em caso de solicitação de guincho, o veículo será levado para a concessionária em operação mais próxima ou para a residência do cliente, ao seu critério.

Na solicitação de veículo reserva, também foram adotadas novas regras, dando total prioridade ao atendimento dos profissionais da área médica e segurança pública. Além disso, o cliente pode devolver o carro em outra cidade sem a cobrança de taxa de retorno, em todo o território nacional.

“Todos os nossos times estão fazendo um grande esforço para garantir a continuidade dos serviços pós-vendas para os nossos clientes, neste momento em que os veículos são extremamente necessários para a população e para o trabalho dos órgãos públicos”, disse Joaquim Pereira, diretor de Serviço ao Cliente da Ford América do Sul.

“Estamos buscando soluções alternativas para contornar essas limitações e vamos continuar trabalhando em novas ações para poder prestar a devida assistência aos nossos clientes”, concluiu Pereira.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Jeep Compass Trailhawk encara qualquer terreno

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 27/03/2020)

Versão tem diferenciais para enfrentar o fora de estrada

DSCN8028O Jeep Compass é o utilitário esportivo mais surpreendente do nosso mercado. Lançado em setembro de 2016, ele foi o SUV mais vendido em 2017 e 2018, mesmo sendo um modelo médio concorrendo com treze compactos, um grande e outro do seu tamanho. Em 2019, bateu seu recorde anual com 60.361 unidades comercializadas.

Porém, desceu para a vice-liderança. Só não superou o Jeep Renegade, seu irmão compacto que fechou o ano no topo da lista, pela primeira vez, ao registrar 68.726 emplacamentos, segundo dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

DC Auto recebeu o Jeep Compass Trailhawk para avaliação. No site da montadora, o preço básico da versão é R$ 181,99 mil. A pintura metálica custa R$ 1,80 mil e o opcional Pack High Tech, também presente na unidade avaliada, mais R$ 8,00 mil, totalizando R$ 191,79 mil.

Este pacote opcional traz controle de cruzeiro adaptativo (ACC), aviso de mudança de faixas (LDW), aviso de colisão frontal com frenagem de emergência, comutação automática dos faróis, abertura automática do porta-malas e sistema de som premium Beats de 506 W (8 alto-falantes  e um subwoofer).

Os itens de série mais relevantes, do Compass Trailhawk são: sistema multimídia com tela de 8,4 polegadas com Apple CarPlay e Android Auto, ar-condicionado de duas zonas, chave presencial para abertura das portas e partida remota ou por botão, sistema de estacionamento semiautônomo, banco do motorista com ajustes elétricos (8 posições) e faróis em xênon.

DSCN7997Seis airbags, sistema ABS para os freios, além dos controles de estabilidade, de tração, anti-capotamento, de partida em rampas e autônomo de decida são os principais itens de série voltados para a segurança.

Os sensores de chuva e crepuscular, o espelho retrovisor interno eletrocrômico, o monitoramento de ponto cego, o gancho universal para fixação de cadeira infantil, as luzes diurnas em LED e o sistema de monitoramento de pressão dos pneus completam essa lista.

Off-Road – Alguns equipamentos para o fora de estrada são exclusivos desta versão: configurador da tração para 4 tipos de terreno, incluindo a opção Rock, modo inexistente nas outras versões turbodiesel, ganchos de reboque (dois dianteiros e um traseiro), rodas em liga leve aro 17 polegadas com pneus 225/60 R17 de uso misto e suspensão com altura mais elevada do solo. A certificação Trail Rated, da Jeep, atesta a capacidade off-road do Compass Trailhawk.

O conjunto propulsor é multinacional. Italiano, o motor Multijet 2.0 turbodiesel, de 4 cilindros, tem injeção direta e duplo comando acionado por correia dentada. Ele desenvolve 170 cv de potencia às 3.750 rpm e torque de 35,69 Kgfm às 1.750 rpm.

Produzido nos Estados Unidos, o câmbio é automático convencional com conversor de torque e tem nove marchas com possibilidade de trocas manuais na alavanca ou por meio das aletas atrás do volante.

DSCN7982De origem sueca, a tração pode ser bloqueada em 4×4, funcionar em modo reduzido e conta com programação automática ou selecionável para neve, areia, lama ou pedra. No modo automático, e em condições ideais de aderência, o sistema pode desacoplar a tração traseira deixando o Jeep em 4×2 para economizar combustível.

Interior – Acabamentos na cor preta predominam no interior da versão e detalhes em vermelho quebram um pouco a monotonia. A alta qualidade dos materiais se destaca no Compass.

Superfícies macias ao toque são encontradas nos painéis, portas e por toda a cabine, e não somente na parte da frente. As peças rígidas são feitas em plásticos de boa qualidade, sem rebarbas, bem injetados e encaixados.

Volante, câmbio e bancos são revestidos em material sintético que imita o couro costurado com linha vermelha. O nome Trailhawk bordado nos encostos dos bancos frontais e grossos tapetes feitos em borracha finalizam os diferenciais internos da versão.

A central multimídia funcionou com perfeição, tanto espelhando celulares como pareada ao bluetooth. Ela tem botões físicos rotativos para as principais funções, arquitetura ideal, e apresenta páginas dedicadas para operar seus recursos e uma para o ar-condicionado.

DSCN8126

O tamanho da tela e a sensibilidade ao toque são muito bons. A definição da imagem e a velocidade de processamento podem melhorar. O som da marca Beats garante áudio com potência e qualidade, mas o subwoofer ocupa espaço no porta-malas.

O sistema de refrigeração de duas zonas funciona com grande eficiência. Tem botão físico giratório para a velocidade de ventilação e botões de pressão para regular as temperaturas e acionar as outras funções.

Este conjunto não é tão fácil de operar, pois ele fica na parte mais baixa do console e exige desvio do olhar para identificar os controles. A página dedicada ao ar-condicionado, existente no multimídia, traz seus comandos para uma posição mais ergonômica e, consequentemente, de uso mais seguro.

A ergonomia geral do Compass é muito boa. A alavanca de marchas, as maçanetas e os demais botões estão à mão. O banco do motorista está alinhado com o volante e os pedais e todos os assentos e encostos apoiam bem os ocupantes.

Quatro adultos e uma criança têm muito espaço para suas pernas, ombros e cabeças. A direção elétrica tem peso ideal em manobras de estacionamento e em velocidades diversas.

O tamanho do modelo não facilita as manobras, mas os sensores de aproximação e a câmera de marcha à ré com guias esterçáveis amenizam a baixa visibilidade traseira cruzada.

O assistente de estacionamento semiautônomo reconhece vagas paralelas dos dois lados do carro, e também estaciona em posição perpendicular à via, recursos que compensam, ainda mais, suas dimensões avantajadas.

Os sistemas de auxilio à condução também ajudam. O controle de cruzeiro adaptativo reconhece os veículos e altera as velocidades a tempo para uma circulação segura. O aviso de permanência em vias é conservador e contra-esterça antes mesmo dos pneus atingirem as faixas, mas ele não mantém a trajetória, serve apenas de alerta. O monitor de ponto cego é muito sensível e notifica qualquer objeto nessa região periférica.

Alguns destes recursos são ativados por botões que estão no console central e no volante. O procedimento não é muito amigável, exigindo algum tempo para adaptação do condutor. Operar áudio, telefonia e computador de bordo por meio de outros comandos, também localizados no volante, é bem mais fácil e intuitivo.

O Compass tem 4,42 metros de comprimento, 2,64 metros de entre-eixos, 1,82 metro de largura e, esta versão Trailhawk, mais elevada, 1,66 metro de altura. Dessa forma, suas medidas para o fora de estrada também são maiores: vão livre de 288 mm; 29,1° de ângulo de entrada; 33,1° de ângulo de saída; 23,7° de ângulo central e capacidade de submersão de 480 mm.

DSCN8167O porta-malas do Trailhawk é menor que o das outras versões, pois, roda e pneu reserva são idênticos aos de rodagem. São 390 litros de capacidade, 20 litros a menos. Seu sistema automático de abertura e fechamento é muito prático para colocar ou tirar cargas volumosas ou pesadas. O tanque de combustível comporta 60 litros.

Rodando – Todas as outras versões do Compass com motor flexível, ou turbo diesel, têm um acerto mais voltado para rodovias. Ótimo equilíbrio entre conforto e estabilidade, um comportamento dinâmico que lembra os sedans de luxo.

A versão Trailhawk é diferente. As suspensões mais elevadas, e os pneus com laterais altas mudam, o seu rodar. Ele assume uma dinâmica mais “jeep”, mais isolado do piso, e o acerto mais firme das suspensões garante robustez ao transpor obstáculos.

Circulamos em estradas de terra com variadas condições, das mais conservadas às mais esburacadas. O Compass Trailhawk se mostrou em casa, passando por tudo sem aparentar estar sofrendo com o castigo.

Encaramos um trecho com muita lama, bloqueados em 4×4, na seleção Mud e na reduzida. Na verdade, este último recurso trava o câmbio em primeira marcha, pois ele sempre usa a segunda para tirar o carro da inércia.

DSCN8046Passamos com o fundo do Compass tocando o barro diversas vezes, mas ele não perdeu a tração e cumpriu a travessia com eficiência, retomando rapidamente a trajetória ao nosso comando na direção.

Toda essa vocação para o off-road cobra seu preço no asfalto. Os pneus são barulhentos e a aerodinâmica piora com a maior altura em relação ao solo. Mas ele ainda é muito confortável em rodovias e o motor dá conta dos seus 1.751 kg, sem sobras, o suficiente para um desempenho convincente, considerando seu tamanho e a proposta familiar do modelo.

Consumo – Motor e câmbio respondem rapidamente, quando muito exigidos, e suavemente em uma condução econômica. Pudemos comprovar sua eficiência energética em nosso teste padrão de consumo rodoviário. Realizamos duas voltas de 38,4 km, uma mantendo 90 km/h e, outra, os 110 km/h, sempre conduzindo economicamente.

Somente o motorista, vidros fechados, ar-condicionado regulado na refrigeração intermediária e faróis acesos completam a padronização. Na volta mais lenta atingimos 19,1 km/l e, na mais rápida, 17 km/l. Excelente consumo para um SUV médio turbodiesel.

No teste de consumo urbano rodamos por 25,2 km em velocidades entre 40 e 60 km/h, fazemos 20 paradas simuladas em semáforos com tempos cronometrados entre 5 e 50 segundos, e vencemos 152 metros de desnível entre o ponto mais baixo e o mais alto do circuito. Seguindo os padrões complementares descritos, o Compass Trailhawk atingiu uma boa média urbana de 9,1 km/l.

DSCN7975Fotos: Amintas Vidal

O Jeep Compass Trailhawk é um SUV médio ideal para quem trafega por rodovias, estradas de terra e, eventualmente, encara trechos de barro, areia ou pedra que exigem uma versão preparada para estes terrenos. Para quem não circula no fora de estrada, existem outras três versões turbodiesel que entregam mais conforto e economia sobre o asfalto.

*Colaborador

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

 

Virtus e Polo GTS, com preparação da Oettinger, chegam aos 200 cv

Da Redação

IMG-3928A Strasse, filial no País da alemã Oettinger (preparadora especializada em conversões em carros do grupo Audi/Volkswagen), anunciou a disponibilidade dos novos VW Polo GTS OETTINGER e Virtus GTS OETTINGER para o mercado nacional.

Os dois modelos contam com setups completamente novos que incluem mudanças no gerenciamento dos parâmetros do motor, passando a aplicar maior pressão nas turbinas, além de alterações no gerenciamento da refrigeração e das trocas de marcha de seus câmbios.

As conversões vêm acompanhadas de certificação oficial, além de emblemas Oettinger interno no painel e outro na tampa traseira dos veículos. O upgrade Oettinger para o Polo e Virtus custará a partir de R$ 13,90 mil.

As novas configurações promovidas pelos especialistas são as mesmas disponíveis na Alemanha e com centenas de milhares de quilômetros rodados em testes no velho continente, informou a Strasse.

Para o Polo, a marca reduziu o 0 a 100 (que agora fica 0,2 segundo mais rápido, na casa dos 8,2 segundos) e aumentou a potência dos originais 150 cv e 250 Nm de torque para 200 cv e 370 Nm, respectivamente.

IMG-3942Fotos: Strasse / Divulgação

Ainda segundo a empresa, a velocidade máxima é de 215 km/h. A potência é de 142,8 cv por litro.  Já o torque, é 48% superior ao do motor original.

O Virtus GTS OETTINGER obteve os mesmos números do Polo (200 cv / 370 Nm / 215 km/h/ 148,2 cv por litro), de acordo com a Strasse.

A empresa também disponibiliza, para clientes de fora de São Paulo (acima de 500 km de distância), upgrade sem a necessidade de envio do carro ao centro técnico da empresa.  (válido apenas para  Polo GTS e Virtus GTS , T-Cross 1.4  e, em breve, para Jetta 1.4 e Tiguan 1.4).

O cliente também pode adquirir os carros prontos já Oettinger, com alterações no valor conforme os opcionais do carro base e da Oettinger a serem adicionados. As cores são as mesmas dos modelos originais oferecidos no País.

 A garantia para os modelos Oettinger está disponível e pode ser de até 2 anos. O valor da conversão pode ser pago em até 10x sem juros no cartão de crédito.

O pacote já pode ser encomendado com a Strasse através do telefone (11) 2592-3009 ou info@strasse.com.br. Também é possível solicitar blindagem, com valor sob consulta.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Peugeot estabelece novas diretrizes e prazos de garantia devido à Covid-19

Da Redação

A Peugeot do Brasil informou, hoje, que, em função das alterações de rotina promovidas pelas orientações de combate à pandemia de COVID-19 no Brasil, aumentou os prazos do plano de revisões e manutenção de todos os veículos em garantia.

Os clientes terão mais três meses e/ou 3.000 km rodados, contando a partir de 17 de março de 2020, para concluírem os serviços obrigatórios mantendo a garantia de seus automóveis em dia.

Já os consumidores cujos veículos estão próximos do fim da garantia, estarão cobertos em até um mês após a data limite, de acordo com a fabricante.

No caso de automóveis dentro da garantia com pane sem viabilidade de reparo no local, a Assistência 24 horas será responsável por organizar o regresso do cliente até sua residência e efetuar o translado do veículo até a concessionária ou garagem do consumidor, se disponível.

Para aqueles que possuam um carro da marca fora da garantia, a empresa lembra que o Peugeot Total Care disponibiliza serviço de reboque gratuito, durante oito anos, a partir da data da compra do veículo, independentemente de as revisões estarem em dia ou de o cliente ser o primeiro proprietário.

Este serviço está disponível em todo Brasil e pode remover o veículo até o concessionário mais próximo, num raio de até 100 km.

Em seu comunicado, a Peugeot informou, ainda, que a rede de concessionárias está preparada para realizar todos os procedimentos de higienização de automóveis e cuidados necessários para prevenir o contágio de COVID-19.

A fabricante francesa solicita que os clientes acessem o www.peugeot.com.br, ou entrem em contato com  a central de atendimento ao cliente (0800 703 2424), para consultar o horário de funcionamento da concessionária mais próxima, que pode ter sido alterado devido aos decretos e orientações locais.

Por fim, diz a nota: “A Peugeot continuará monitorando a situação. Os novos prazos e alterações nas diretrizes estão sujeitos a revisão de acordo com a evolução do cenário. Quaisquer mudanças a serem efetuadas, de acordo com os desdobramentos dos fatos, serão comunicadas aos clientes e à imprensa”.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Serpro disponibiliza aviso de recall pelo celular

Da Redação

O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) informou que os proprietários de veículos passarão a receber os avisos sobre recall diretamente no celular, através de uma ferramenta desenvolvida pela empresa.

Com a nova funcionalidade, os proprietários de veículos são avisados diretamente pelo celular de forma muito mais rápida, prática e efetiva, contribuindo, assim, para garantir maior segurança ao motorista e melhor gestão de serviços de recall pelas montadoras.

Os avisos de recall já estão sendo enviados eletronicamente pela Carteira Digital de Trânsito (CDT), aplicativo que reúne a CNH e o CRLV digitais, e pelo Sistema de Notificação Eletrônica (SNE), app que envia e permite o desconto de multas de até 40% pelo celular.

De acordo com o Serpro, mais de 30 montadoras de veículos de todo o país já disponibilizam o serviço para o cidadão.

As notificações de recall informam sobre o defeito, as características do veículo e a situação do atendimento, além de indicar a data do registro e de comunicação da campanha de chamamento.

Dessa forma, o proprietário do veículo pode comparecer à concessionária mais próxima para a realização do serviço, que é gratuito e garantido pelo Código de Defesa do Consumidor.

De acordo com o Denatran, existem cerca de 10 milhões de recalls registrados no Brasil e, em média, apenas 43% desses chamados são atendidos pelos proprietários dos veículos. A expectativa é de que, com o aviso enviado pelos aplicativos, esse percentual diminua significativamente.

“Recebi o aviso do recall no meu próprio celular de forma muito prática e ágil. É uma tranquilidade muito grande saber que serei acionado via celular quando meu carro precisar fazer algum reparo. Isso garante maior segurança pra mim e para outros motoristas, já que deixar de atender a um recall pode ocasionar um acidente”, ressaltou Sérgio Santana de Melo, proprietário de um veículo da marca Toyota.

Para os proprietários de veículos que ainda não possuem os aplicativos CDT e SNE, serão enviados avisos de recall por e-mail e correspondência.

“Como nem todos possuem a CDT e o SNE em seus dispositivos móveis, o Serpro vai enviar aviso de recall por e-mail e carta. Mas receber pelos aplicativos é muito mais prático para o cidadão”, destacou o gestor da solução no Serpro, Isidro Monteiro.

Os motoristas não são os únicos a se beneficiar com a novidade do serviço de aviso. As montadoras de veículos também ganham com a possibilidade de poder melhor gerenciar seus estoques de acordo com a necessidade de realização dos recalls.

“Utilizando a base de dados do Denatran, o sistema de recall identifica a localização do proprietário do veículo e possibilita que sejam realizados chamamentos, priorizando diferentes regiões do País. Há problemas com airbag, por exemplo, que ocorrem com mais frequência em lugares úmidos, como no litoral ou a Região Norte do Brasil. Com essa informação, a montadora pode aumentar seu estoque de determinada peça para essas localidades”, explicou o gerente do Departamento de Negócios Soluções de Gestão de Trânsito do Serpro, Diego Migliavacca.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Motor turbo é o destaque do Honda HR-V Touring

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 20/03/2020)

Versão de topo de linha é sofisticada, potente e eficiente energeticamente

DSCN7900O Honda HR-V já foi o SUV compacto mais vendido do Brasil. Lançado em 2005, mesma época do Jeep Renegade, eles batalham por este título até hoje. O modelo japonês levou a melhor naquele ano e em 2016.

Em 2017, ele venceu o Renegade pelo terceiro ano consecutivo, mas ambos foram superados em número de emplacamentos pelo Jeep Compass, um SUV médio que desbancou os compactos.

No fechamento de 2018, o Compass venceu novamente e dois novos competidores compactos figuraram entre os primeiros.  O Hyundai Creta ficou em segundo, deixando o HR-V em terceiro e o Nissan Kicks fechou em quarto, empurrando o Renegade para quinto.

Em 2019, o melhor ano dos SUVs em nosso mercado, o Renegade, reestilizado em 2018, foi, pela primeira vez, o líder nacional. Deixou o irmão maior em segundo, o Creta em terceiro, o Kicks em quarto e o HR-V na quinta posição, segundo dados fornecidos pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Em outubro do ano passado, o DC Auto recebeu o Honda HR-V EXL para avaliação. Agora, avaliamos a versão acima da EXL, a topo de linha Touring, equipada com motor 1.5 turbo (R$ 136,05 mil).

DSCN7920Pontuaremos suas características comuns, destacaremos os equipamentos que deveriam justificar os cerca de R$ 26 mil de diferença no preço entre as duas versões e mostraremos os motivos que estão deixando um dos melhores utilitários do mercado para trás nas vendas.

As versões do HR-V são vendidas em configuração única, com todos os equipamentos de série, e sem opcionais. Os principais itens que a Touring traz, a mais que a ELX, são: teto solar panorâmico, revestimento em material sintético que imita o couro em padrão claro e com perfurações nas partes centrais do banco, conjunto ótico frontal 100% em LED, chave presencial para abertura, fechamento das portas e partida do motor por botão, câmera posicionada no retrovisor externo direito para eliminar pontos cegos e antena tipo “barbatana de tubarão”.

Esteticamente, apenas a saída dupla do sistema de escapamento, o visual diferenciado dos faróis em LED e toda iluminação dos compartimentos da cabine, que também são brancas. A exceção é a luz do porta-malas, amarela, como nas outras versões.

Entre os equipamentos existentes, em ambas as versões, os destaques são: ar-condicionado digital, direção com assistência elétrica, volante com comandos do áudio e do piloto automático, travas e vidros elétricos com função um toque e multimídia com tela de 7 polegadas e espalhamento por Android Auto e Apple CarPlay.

Quanto à segurança, estão presentes: seis airbags, controles de tração e estabilidade, ABS com EBD, assistente de partidas em rampas, sensor crepuscular, sensor de chuva, luz de rodagem diurna (DRL), fixação Isofix para cadeirinha infantil e alerta de frenagem emergencial.

DSCN7898Freio de estacionamento eletrônico com bloqueio em paradas, alarme, computador de bordo, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros com câmera de marcha à ré multivisão e rebatimento elétrico dos retrovisores com função de regulagem automática para execução de baliza completam os equipamentos comuns às duas versões.

Motor e Câmbio – O motor 1.5 Turbo 16V DOHC é realmente o grande diferencial da versão Touring. Construído em alumínio, seu cabeçote tem duplo comando de válvulas com variação de abertura na admissão e na exaustão e é tracionado por corrente.

O sistema é alimentado apenas com gasolina por meio de injeção direta na câmara de combustão e sua taxa de compressão é de 10,6:1. Ele atinge potência máxima de 173 cv às 5500 rpm e seu torque de 22.4 kgfm está disponível em uma ampla faixa de rotação, entre 1.700 e 5.500 rpm.

O câmbio é automático do tipo CVT com simulação de sete velocidades. Ele apresenta acoplamento por conversor de torque e permite comutação das marchas por meio das aletas posicionadas atrás do volante. O uso manual das marchas se faz posicionando a alavanca em “S”, de Sport.

DSCN7950Um dos motivos que devem ter influenciado a perda de mercado do HR-V foi sua discreta reestilização ocorrida em junho do ano passado, insuficiente para as pessoas diferenciá-lo nas ruas, imediatamente.

O para-choque dianteiro, a grade atualizada com o DNA da marca e os faróis foram as principais alterações no design. Novas rodas e lanternas escurecidas, iluminadas por LEDs, completam as poucas mudanças externas.

Por dentro, as novidades do HR-V também foram comedidas. Nova iluminação do painel de instrumentos, modificações na estrutura dos bancos dianteiros e alguns detalhes nos materiais de acabamento.

O maior diferencial estético da versão Touring é o revestimento interno claro. Conjugado às outras partes escuras, em um interessante contraste, este material imita o couro, apresenta costuras reais e reveste os bancos e algumas áreas das portas, painel e console central.

No centro dos bancos ele é perfurado, facilitando a transpiração dos ocupantes. O único inconveniente é a sua manutenção, pois é mais difícil manter limpas todas essas partes claras.

DSCN7932O teto solar panorâmico também é exclusivo da versão. De acionamento elétrico, e com função antiesmagamento, ele cobre uma grande área da cabine e tem abertura parcial. Quando aberto, eleva ainda mais a sensação de espaço interno, já ampliado pelo uso dos revestimentos claros.

Detalhes cromados e em preto brilhante conferem requinte ao carro. Mesmo os plásticos rígidos têm um toque que lembra emborrachado, aparentando qualidade superior. Vale destacar que estes acabamentos são aplicados em todo o interior do modelo e, não somente, na parte da frente, como muitas montadoras têm feito.

Espaço – Referência no segmento, seu espaço interno é ótimo para cabeça, ombros e, principalmente, pernas de quatro adultos. A ambientação assemelha-se mais a um carro que a um utilitário, pois os bancos não ficam tão altos, o console central é muito elevado e as janelas são estreitas.

O quinto passageiro fica incomodando com os ressaltos do encosto e assento no centro do banco traseiro, mas o túnel central é dos mais baixos e pouco atrapalha a acomodação dos seus pés.

Um recurso, exclusivo da Honda, amplia o aproveitamento interno por meio do rebatimento do banco traseiro. Ele pode ter parte do encosto, ou sua totalidade, deitado para frente, formando uma plataforma em toda a porção traseira do modelo.

DSCN7943

Já os assentos, podem ser dobrados para cima, também integralmente ou parcialmente, abrindo um vão de porta a porta, do piso ao teto, ideal para cargas altas.

O design da carroceria do HR-V é muito dinâmico, disfarçando suas amplas dimensões. Ele tem 4,33 metros de comprimento, 2, 61 metros de distância entre-eixos, 1,77 metro de largura e 1,60 metro de altura. Seu tanque de combustível comporta 50 litros e, o porta-malas, 393 litros.

Essa capacidade do compartimento de bagagem é menor que das outras versões do HR-V. Para alojar o abafador com as saídas duplas do escapamento, a Honda precisou usar um espaço abaixo do porta-malas que reduziu 44 litros em seu volume útil.

A ergonomia é acertada, estando volante e pedais alinhados. Todos os comandos estão ao alcance das mãos, sem exigir movimento do tronco para acioná-los. Apenas a central multimídia fica um pouco recuada e inclinada para trás. Dependendo da posição do sol, a tela recebe muita luz externa, o que dificulta sua visualização.

Modelo é um dos melhores SUVs do mercado, mas preço deixa a desejar

Tanto espelhando celulares, como por meio da conexão bluetooth, o sistema de entretenimento funcionou de forma estável em todos os seus recursos. Ele não apresenta botões físicos rotativos para os comandos principais e carece evoluir em definição de imagem para aproveitar melhor o sistema de eliminação de ponto cego.

DSCN7940Este equipamento, também exclusivo nesta versão Touring, é composto por uma câmera localizada na extremidade do retrovisor externo e fornece imagem ampla do tráfego à direita, eliminando os pontos cegos deste lado do carro.

A imagem aparece na tela do multimídia sempre que se ativa a luz de direção direita. O recurso também pode ser ligado por botão localizado na extremidade da haste satélite esquerda. Faixas em amarelo e vermelho indicam uma menor ou maior proximidade dos veículos que aparecem na tela, sinalizando se é seguro, ou não, fazer uma conversão.

O ar-condicionado digital funciona com eficiência, mesmo não tendo múltiplas zonas. Ele tem todos os comandos por toque em um painel bem organizado visualmente e muito tecnológico.

Contudo, ainda exige desvio da atenção do motorista para ser comandado. Botões físicos giratórios também seriam mais eficientes, pelo menos para as funções de temperatura e intensidade do fluxo de ar.

A direção elétrica é leve, mas poderia ter maior assistência em manobras de estacionamento. Em estradas, ela se trona firme e segura, na medida certa.  A câmera de marcha à ré permite três ângulos de visão que ajudam em situações específicas, mas suas guias não esterçam com o movimento do volante, algo mais importante na precisão das manobras.

DSCN7927Entre as mudanças ocorridas ano passado, um novo acerto nas suspensões corrigiu críticas pontuadas pelos clientes do modelo. Além de elevar o conforto de marcha, o isolamento acústico e o desempenho dinâmico do HR-V foram alterados.

As suspensões, dianteira e traseira, foram recalibradas para filtrarem melhor as imperfeições dos pisos. O uso do stop hidráulico também tornou este sistema mais silencioso, característica aprimorada pela aplicação de materiais isolantes em diversas partes internas da carroceria do modelo.

No caso específico da versão Touring, esses ganhos em conforto foram menores, pois as mudanças nas suspensões visaram maior estabilidade para atender ao ganho de potência do motor.

Molas e amortecedores mais rígidos deixaram a versão com maior aderência em curvas e uma barra estabilizadora com maior diâmetro reduziu a inclinação da carroceria nesta mesma situação. Outro recurso, proveniente dos controles de tração e estabilidade, é a frenagem automática das rodas internas em situações de sobreesterço em curvas. Essa tecnologia auxilia na manutenção da trajetória do carro, inibindo suas saídas de frente ou de traseira.

O conjunto é muito apropriado para vias pavimentadas em todas as versões do modelo. O HR-V é um SUV urbano, supera facilmente lombadas e entradas de garagens com seus 177 mm de vão livre, mas não é adequado para o fora de estrada, assim como o Volkswagen T-Cross, por exemplo.

DSCN7942CVT – Outra grande mudança foi promovida no câmbio CVT. Sua programação foi alterada para o sistema funcionar de forma mais progressiva. Quando selecionado em Drive (D), as trocas das marchas pré-programadas são imperceptíveis, pois a elevação da rotação do motor ocorre suavemente.

Este motor sobra para os 1.380 kg do HR-V Touring. Travando o câmbio na posição “S”, o utilitário se torna bem mais esportivo. Sobe o giro até às 6.000 rpm e acelera como poucos, um dos melhores desempenhos na categoria de utilitários compactos. Ele vai de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos, segundo a Honda.

Consumo – Essas mudanças no câmbio, um motor projetado para apenas um combustível (gasolina) e seu generoso torque em um largo espectro de rotação favoreceram muito o consumo rodoviário da versão.

Em nosso teste padrão, realizamos duas voltas no percurso de 38,4 km, uma mantendo 90 km/h e outra os 110 km/h, sempre conduzindo economicamente. Somente o motorista, vidros fechados, ar-condicionado regulado na refrigeração intermediária e faróis acesos completam a padronização. Na volta mais lenta atingimos 18,7 km/l e, na mais rápida, 16,5 km/l.

O nosso novo teste de consumo urbano é realizado em um circuito de 6,3 km no qual completamos 4 voltas, totalizando 25,2 km. Circulamos por 5,2 km em vias secundárias, na velocidade máxima de 40 km/h, e por 20 km em vias primárias, na velocidade máxima de 60 km/h.

DSCN7921No total, realizamos 20 paradas simuladas em semáforos com tempos entre 5 e 50 segundos. Entre o ponto mais baixo do circuito (671metros) e o mais alto (823 metros) existe uma variação de 152 metros em relação ao nível do mar, algo que simula bem a topografia acidentada de uma cidade como Belo Horizonte (MG).

O HR-V Touring atingiu uma média urbana de 9,8 km/l. Se fosse equipado com o sistema stop/start, ele conseguiria resultado ainda melhor, pois o tempo parado em nossas simulações corresponde a 10% do total do teste, algo relevante em matéria de consumo.

O Honda HR-V sempre foi um sucesso em nosso mercado, mas, atualmente, faltam equipamentos em suas versões se compararmos aos concorrentes nas mesmas faixas de preço.

Ele fica devendo painel digital, multimídia mais moderna e sistemas de auxilio à condução como frenagem de emergência, piloto automático adaptativo, aviso de manutenção em faixas rodoviárias e assistente de estacionamento em vagas, por exemplo.

A versão Touring do HR-V o coloca entre os três melhores SUVs compactos nacionais, mas o seu preço já atinge os modelos médios. Para quem quer desempenho, muita economia de combustível e não precisa de um SUV maior, ele pode ser uma ótima opção. Se o desempenho não é primordial, a versão EXL ganha em custo-benefício.

DSCN7910Fotos: Amintas Vidal

*Colaborador

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Chegou a nova BMW S 1000 RR

Da Redação

P90327339_highRes_the-new-bmw-s-1000-rA BMW Motorrad lançou, ontem, a nova S 1000 RR nas concessionárias autorizadas da marca no País, ao preço sugerido de R$ 91,95 mil. A terceira geração da superesportiva é produzida na fábrica do BMW Group, em Manaus (AM), que contou com investimentos adicionais de R$ 4,7 milhões para a produção do modelo.

Originalmente lançada em 2009, a BMW S 1000 RR chega à nova geração completamente renovada, mais leve, potente e tecnológica, com componentes internos individualmente reprojetados e aprimoramentos aplicados ao quadro, ao conjunto da suspensão e aos sistemas eletrônicos de assistência à pilotagem, informou a fabricante.

Segundo a BMW, a superesportiva está 11 kg mais leve (197 kg) que o modelo anterior, oferece 207 cv de potência (8 cv mais potente que o antecessor) e uma condução mais dócil e precisa.

Nesta nova geração, o desenho foi retrabalhado. Com o lema Nose down, tail up (“Nariz para baixo e traseira para cima”, em tradução livre), além de proporções refinadas, a nova RR ostenta como destaques visuais as luzes de LED presentes nos faróis, com linhas mais dinâmicas e agressivas, e na lanterna traseira. Além disso, as luzes de mudança de direção (pisca) e de freio estão integradas em uma única unidade de LED.

Já o tanque de combustível mais estreito resultou na área que acomoda os joelhos mais delgada, privilegiando o fechamento ergonomicamente perfeito das pernas, além de uma posição ideal do assento.

A angulação mais ampla do guidão, por sua vez, proporciona uma condução mais confortável, reduzindo o cansaço. Já a traseira, foi completamente revisada e passa a exibir uma aparência mais leve e dinâmica.

P90327354_highRes_bmw-s-1000-rr-with-mQuatro quilos mais leve, o novíssimo propulsor de quatro cilindros em linha e alto desempenho desenvolve 207 cv a 13.500 rpm, e 113 Nm de torque máximo, com oferta superior a 100Nm, disponíveis entre 5.500 e 14.500 rpm.

O segredo para esta performance é a versatilidade da nova tecnologia BMW ShiftCam, que permite extrair máxima potência e torque, não apenas em faixas altas de rotação, mas sobretudo em faixas baixas/médias de giro.

Deste modo, a entrega de potência e torque é mais uniforme e linear, tornando a motocicleta mais fácil de controlar e ideal tanto para quem a usa no dia a dia, quanto para aqueles que desejam obter desempenho extremo nas pistas.

P90327388_highRes_bmw-s-1000-rr-frame-O novo chassi da BMW S 1000 RR contribuiu em quase 50% na redução total do peso da motocicleta. Isso tudo com rigidez aprimorada do quadro. Os avanços também foram possíveis por meio da adoção de um novo braço oscilante, mais leve e capaz de aplicar a força de forma otimizada.

Outra tecnologia de destaque da nova S 1000 RR é o novo layout do quadro (Flex-Frame), visivelmente mais leve e que também oferece mais liberdade de movimento devido ao melhor fechamento dos joelhos.

E a combinação do amortecedor da suspensão traseira Full Floater Pro e do braço oscilante resulta em uma estrutura mais leve, precisa e fácil de controlar.

P90327361_highRes_bmw-s-1000-rr-new-flCidade, estrada ou pista? Esta é uma questão primordial em se tratando dos novos recursos à disposição nos modos de pilotagem da nova S 1000 RR. Os modos de pilotagem no “mundo da estrada” são RAIN, ROAD, DYNAMIC e RACE.

Para aqueles que desejam explorar as possibilidades da superesportiva nas pistas, a opção Modo Pro oferece três modos adicionais de pilotagem (Race Pro 1-3) que são programáveis.

Isso permite um ajuste individual das mais diversas funções de gerenciamento dos sistemas, como controle dinâmico de tração DTC, ABS e deslizamento das rodas, bem como a curva do acelerador (ajuste de torque) e o freio do motor para se adequar ao nível de habilidade e estilo de pilotagem do cliente.

P90327377_highRes_bmw-s-1000-rr-led-liOutros recursos do Modo Pro são o Launch Control (Controle de Tração) para arrancadas perfeitas e o Limitador de Pit Lane configurável para aderência ideal às velocidades no pit lane.

As mudanças ultra-rápidas de marcha, sem a necessidade de acionamento da embreagem é ativada pelo HP Shift Assistant Pro, que vem como item de série.

Graças ao novo sensor de inclinação de seis eixos é possível configurar tanto a regulagem do ABS quanto as funções DTC. A regulagem do DTC é tão rápida e precisa, que permite transmitir exatamente a força necessária para empinar a roda dianteira em linha reta, sem que ela fuja ao controle.

O painel de instrumentos do modelo também foi completamente atualizado para proporcionar, de forma ainda mais consistente, o seu uso em competições. Além de uma ampla gama de informações, os engenheiros e desenvolvedores da BMW Motorrad dedicaram atenção especial para possibilitar que a tela TFT de 6,5 polegadas ofereça excelente visualização – mesmo em condições de pouca luminosidade.

O objetivo é oferecer ao motociclista telas personalizadas para diferentes utilizações e necessidades. A tela Pure Ride mostra todas as informações necessárias para o uso regular na estrada, enquanto as três telas Core são projetadas para uso nas pistas de corrida, com o conta-rotações exibido em forma analógica (Core 1 e 2) ou então como um gráfico de barras (Core 3), por exemplo.

A nova BMW S 1000 RR é oferecida em duas opções de cores: vermelha, já disponível nas concessionárias autorizadas da marca, e cinza, disponível a partir de abril.

P90337302_highRes_bmw-s-1000-rr-virtuaFotos: BMW Motorrad / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br