Volkswagen divulga alguns detalhes do novo SUV T-Cross

Da Redação

T_cross2O novo T-Cross já está esquentando os motores para o lançamento. A estreia mundial oficial acontecerá no 2º semestre deste ano. Enquanto isso, a Volkswagen revelou os primeiros detalhes deste SUV, que está quase pronto para a produção em série.

Com este novo modelo, a montadora expandirá a gama de Sport Utility Vehicles (SUV). T-Cross, Tiguan Allspace e Touareg – estes são, até agora, os formatos de SUV da marca no Brasil. A VW informou que o T-Cross terá, somente, tração dianteira.

O novo SUV, que será produzido na fábrica de São José dos Pinhais (PR), mede 4,19 metros de comprimento e 1,57 metro de altura (10 mm mais alto que o T-Cross europeu). A distância entre-eixos do modelo que será produzido no Brasil é a maior do segmento: 2,65 metros (86 mm a mais do que a distância entre-eixos do T-Cross europeu).

A capacidade do porta-malas é de 390 litros. O encosto dobrável do banco do passageiro dianteiro oferece mais flexibilidade.

Medidas dos seus principais concorrentes:

Jeep Renegade: comprimento – 4,23 metros; altura – 1,67 metro; distância entre-eixos – 2,57 metros; porta-malas – 260 litros.

Honda HR-V: comprimento – 4,29 metros; altura – 1,59 metro; distância entre-eixos – 2,61 metros; porta-malas – 437 litros.

Nissan Kicks: comprimento – 4,30 metros; altura – 1,59 metro; distância entre-eixos – 2,61 metros; porta-malas – 432 litros.

Hyundai Creta: comprimento – 4,27 metros; altura – 1,64 metro; distância entre-eixos – 2,59 metros; porta-malas – 431 litros.

Ford EcoSport: comprimento – 4,27 metros; altura – 1,69 metro; distância entre-eixos – 2,52 metros; porta-malas – 356 litros.

DB2018AU00609_largeEquipada com rodas de até 17 polegadas, a gama T-Cross terá duas opções de motores com turbocompressor e injeção direta de combustível. O 1.0 TSI, que atinge uma potência de até 128 cv (94 kW) com etanol, e o 1.4 TSI, que gera uma potência de até 150 cv (110 kW), também com etanol.

A parte dianteira destaca-se por sua altura e apresenta uma grade ampla e faróis de LED integrados. Também responsável por esta altura acentuada é a tampa do compartimento do motor. A região inferior da parte dianteira distingue-se por detalhes como os faróis de neblina.

Nas versões do T-Cross com faróis halógenos, a luz de condução diurna é integrada no módulo dos faróis de neblina; já no caso de faróis full-LED, a luz de condução diurna encontra-se acima, na carcaça do farol.

Na traseira, um novo elemento de design da Volkswagen: a faixa de refletores estendida transversalmente e emoldurada por um painel preto. São oito cores para o exterior (opcionalmente também bicolor).

T-Cross_Sketch-1160x725 (1)

Imagem: Volkswagen

DB2018AU00610_largeA música do smartphone ou dos serviços de streaming pode ser reproduzida pelo sistema de som Beats, com sete alto-falantes e qualidade de som premium.

O novo SUV incluirá, opcionalmente, um sistema multimídia com tela sensível ao toque (touchscreen) de 8 polegadas e o cockpit digital Active Info Display (painel de instrumentos).

Quatro entradas USB (duas na frente, duas atrás) garantem a conexão e energia suficiente para os smartphones. Outro opcional é o sistema de travamento e partida Keyless Access (sem chave).

Além de sensores dianteiro e traseiro para estacionamento, o T-Cross também estará equipado com o sistema Park Assist, que permite o estacionamento autônomo em vagas paralelas e transversais – e agora com a função de freio de manobra.

VWTCROSS

Fotos: Verwendung für Pressezwecke honorarfrei / Volkswagen / Divulgação

Entre os outros sistemas de assistência estão o sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão (aciona automaticamente os freios do veículo em caso de acidente) e o Detector de Fadiga (detecta a perda de concentração do motorista e o sistema recomenda uma pausa para descanso).

Além disso, o T-Cross poderá ser equipado com o Seletor do Perfil de Condução, para o motorista ajustar a experiência de direção entre os modos normal, ecológico, esportivo ou individual.

 

Há 45 anos, o Ford Maverick era lançado no Brasil

Da Redação

FordMaverickO Ford Maverick, carro que foi o sonho de consumo dos jovens nos anos 1970, completou 45 anos de lançamento no Brasil. O cupê esportivo teve uma vida curta no mercado nacional, sendo produzido durante apenas seis anos, tempo suficiente para conquistar muitos fãs que até hoje admiram o seu carisma e estilo arrojado.

Claramente inspirado no Mustang, o Maverick foi lançado, em 1969, nos Estados Unidos para concorrer com os carros europeus e japoneses. Ele tinha tamanho e preço menor comparado a outros modelos da marca e foi um sucesso imediato, com 579 mil unidades vendidas logo no primeiro ano, segundo a montadora.

Nessa época, a Ford buscava um veículo para completar sua linha no Brasil e ocupar o espaço existente entre o Corcel, de entrada, e o topo de linha Galaxie. O escolhido foi o Maverick.

O esportivo com motor dianteiro e tração traseira foi apresentado ao público brasileiro no Salão do Automóvel, de 1972, e chegou ao mercado no ano seguinte, produzido na fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

MaverickGTO Maverick era oferecido, inicialmente, apenas na configuração coupé (de duas portas), nas versões Super, Super Luxo e GT. Eram duas opções de motor: 3.0 de seis cilindros em linha (112 cv) e V8 5.0 (197 cv). Ambos podiam vir equipados com câmbio manual de quatro marchas, com alavanca no assoalho, ou automático de três marchas com comando na coluna de direção.

A versão GT, com motor V8 e câmbio manual, tinha produção limitada e contribuiu para marcar a esportividade da linha. No mesmo ano, o carro ganhou mais uma opção com o lançamento do sedan de quatro portas.

A imagem do Maverick também foi reforçada pela participação no Raid da Integração Nacional, uma grande aventura que rodou 17.000 km de Chuí até Brasília. Durante 24 dias, o veículo percorreu todas as capitais da época, passando por centenas de cidades do Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil.

Maverick_Raid_Integracao_Nacional_1973

Fotos: Ford / Divulgação

A crise do petróleo mudou radicalmente o perfil do mercado, que passou a priorizar a economia de combustível, deixando em segundo plano a potência dos veículos. Assim, em 1975, o motor de seis cilindros foi substituído por outro mais moderno e econômico: 2.3, de quatro cilindros, com comando de válvulas no cabeçote e 99 cv de potência.

Pouco depois, o modelo GT também passou a oferecer o mesmo motor 2.3 de série, tendo o V8 como opcional.

O Maverick também fez muito sucesso nas pistas, aproveitando seu porte e design aerodinâmico com preparações especiais que ampliavam a potência do poderoso motor V8. Grandes pilotos, como José Carlos Pace, comandaram o modelo em diferentes categorias, como o Campeonato Brasileiro de Turismo e provas de arrancada.

Até sair de linha, em 1979, o Maverick somou, de acordo com a Ford, 108.106 unidades vendidas no Brasil e continua a ser cultuado por fãs-clubes e colecionadores, principalmente na versão V8, que se tornou uma lenda entre os admiradores de carros antigos.

Audi e Huawei firmam acordo para cooperação estratégica

Da Redação

A Audi ganhou um forte parceiro para o desenvolvimento de veículos inteligentes conectados. O fabricante de automóveis assinou, hoje, um memorando de entendimento, para uma cooperação estratégica com a empresa chinesa de informação e telecomunicações Huawei, em Berlim (Alemanha).

O acordo faz parte de uma ampla parceria entre empresas dos dois países, iniciada pelo primeiro-ministro chinês Li Keqiang e pela chanceler alemã, Angela Merkel.

“Estamos intensificando nossa pesquisa conjunta com a Huawei na área de Veículos Inteligentes Conectados”, explicou Saad Metz, vice-presidente executivo da Audi China, acrescentando: “Nosso objetivo é melhorar a segurança e otimizar os fluxos de tráfego para criar cidades inteligentes. Os conceitos serão inicialmente concentrados no mercado chinês”.

Veículos Inteligentes Conectados permitem que informações relevantes sejam trocadas com o ambiente circundante. Para conseguir isso, os carros precisam de uma conexão de dados estável e de alta qualidade.

A expansão dessa comunicação requer pesquisas e desenvolvimento intensivos. A cooperação entre a Audi e a Huawei também se destina a facilitar o avanço contínuo da direção automatizada e a digitalização dos serviços no ambiente de veículos.

Para esse fim, as partes também concordaram em desenvolver, conjuntamente, programas de treinamento para fortalecer as habilidades dos especialistas em tecnologia, em ambas as áreas.

“Estamos entrando em uma nova era de Veículos Inteligentes Conectados, que verá o surgimento de novas sinergias tecnológicas entre tecnologia da informação e comunicação e as indústrias automotivas”, comentou VeniShone, presidente da LTE Solution, Huawei, acrescentando: “Com o aumento da inovação em conectividade móvel, a Huawei está empenhada em transformar a experiência na direção.”

Trabalhando em cooperação com a Huawei e as autoridades chinesas, a Audi se tornou a primeira fabricante estrangeira de automóveis a participar da primeira implementação do LTE-V em estradas públicas na megacidade de Wuxi, no leste da China, em 2017.

LTE-V é um padrão de comunicação móvel, especialmente adaptado para carros conectados. Os motoristas recebiam informações de trânsito em tempo real via conexões com sistemas de semáforos e de monitoramento de vídeo nos cruzamentos.

Em setembro de 2018, o projeto entrará em sua próxima fase no World Internet of ThingsExposition em Wuxi, com uma gama ainda maior de aplicações.

BMW M5 chega ao mercado nacional

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 06/07/2018)

Vendido em duas versões (R$694,95 mil e R$739,95 mil), conta com motor V8 de 600 cv de potência

Vei1 - BMW Group - DivulgaçãoO novo BMW M5 fará sua estreia, este mês, na rede de concessionárias autorizadas da marca no País. Fabricado na unidade produtiva do BMW Group em Dingolfing, na Alemanha, o M5 desembarca no Brasil com preço sugerido de R$ 694,95 mil e R$ 739,95 mil, para a versão equipada com o chamado Performance Pack.

A nova geração do BMW M5 (F90) traz sob o capô a mais recente versão do motor V8, de 4.395 cm³, a gasolina e dotado de tecnologia M TwinPower Turbo. Ele entrega 600 cv de potência, entre 5.600 e 6.700 rpm, com torque máximo de 750 Nm, dos 1.800 aos 5.600 rpm – 40 cv e 70 Nm a mais que o M5 anterior (F10).

Esse V8 impulsiona o modelo com a ajuda da nova transmissão de oito marchas e da tração M xDrive. De acordo com a BMW, o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos e atinge a velocidade máxima de 305 km/h.

Pela primeira vez, o BMW M5 disponibiliza a oportunidade de o motorista escolher entre a tração traseira (2WD) ou integral (4WD), por meio do inédito sistema de tração integral inteligente.

P90273022_highRes_the-new-bmw-m5-08-20O pacote de equipamentos exclusivo (Performance Pack) engloba teto de fibra de carbono, capa do motor M Carbon, pinças de freio douradas com o logotipo M e discos de freio de cerâmica perfurados, com 400 mm x 38 mm (dianteiros) e 380 mm x 28 mm (traseiros).

Esses itens, segundo a montadora, reduziram o peso total do veículo em 21 quilogramas e otimizam a sua performance, além de potencializar seu comportamento dinâmico: os discos de freio de cerâmica, por exemplo, são altamente resistentes a desgaste e corrosão e contribuem para o controle e estabilidade térmica dos freios.

Sistemas assistentes de condução semiautônoma – Entre os principais destaques do novo BMW M5 estão as tecnologias assistentes de direção semiautônoma. Entre elas, os sistemas de assistência à condução e estacionamento, Driving Assistant Plus e Parking Assistant Plus, respectivamente.

O Driving Assistant Plus alerta, por meio de sinais visuais e sonoros, situações de trânsito cruzado, riscos de colisão traseira, mudanças involuntárias de faixa de rolamento e controle e prevenção de aproximação frontal.

Vei4 - BMW Group - DivulgaçãoEle é capaz de realizar intervenções de direção corretivas, com a ajuda de cinco sensores de radar e uma câmera em velocidades de até 210 km/h. O Parking Assistant Plus, por sua vez, permite estacionar com a ajuda de sensores e câmeras que proporcionam visualização do entorno do veículo, facilitando manobras e evitando colisões.

Além disso, a posição do veículo pode ser verificada em tempo real por meio das funções do Surround View: Top View, Panorama View e 3D View. Elas possibilitam explorar a área em volta do veículo, por meio de visualização 3D, em uma tela sensível ao toque.

Outra tecnologia de destaque do BMW Night Vision, recurso capaz de identificar, com antecedência, pedestres e animais na pista e auxiliar o condutor na tomada de decisões em situações de pouca visibilidade.

Em situações de risco, um alerta prévio surge na tela e no head-up display (se ele estiver ligado) e, caso os freios não forem acionados e o objeto não sair da pista, um alerta vermelho irá aparecer no mostrador acompanhado de um aviso sonoro até que motorista pise no freio.

Vei2 - BMW Group - DivulgaçãoO pacote tecnológico inclui, ainda, painel de instrumentos digital multifuncional, que combina velocímetro, conta-giros, hodômetro e marcador de combustível, com informações de rota, chamadas telefônicas e entretenimento.

Também estão disponíveis faróis Full-LED adaptativos, rodas de liga leve de 20 polegadas, direção servoassistida e os controles de tração e estabilidade.

Conectividade, segurança e requinte

O esportivo é dotado de conectividade avançada que agrega, entre outros dispositivos, sistema de navegação equipado com o BMW iDrive touch Controller (seletor sensível ao toque e preparado para reconhecer letras e sinais); tela de 10,25 polegadas também sensível ao toque; HD de 20 Gb para armazenamento de arquivos de áudio via USB ou CD; apresentação de mapas em satélite e gráficos em 3D; opção para gravar lista de destinos e rotas no GPS e comando de voz em português.

Vei5 - BMW Group - DivulgaçãoO sistema traz, também, um conjunto de funcionalidades acessível por meio de um SIM Card – o mesmo utilizado em telefones celulares – conectado à internet. Esta tecnologia permite obter informações sobre condições de trânsito em tempo real, serviço de alerta de manutenção de componentes (teleservices), serviços de concierge, como reservas de hotéis e recomendações sobre restaurantes; além de chamada de emergência inteligente.

O sistema de áudio é da marca Bowers & Wilkins Diamond, com amplificador de 10 canais totalmente ativos e 1.400 W distribuídos em 16 alto-falantes. Ele traz sistema Quantum Logic Surround, com equalizador de sete bandas e três redes de crossover analógicos .

O pacote de infotainment agrega sistema de entretenimento traseiro, dotado de TV digital e telas individuais ajustáveis de alta definição, instaladas nos encostos dos bancos dianteiros, com DVD e entradas RCA, compatíveis com MP3 player.

A lista de itens voltados à comodidade e conveniência dos ocupantes oferece, ainda, ar-condicionado com quatro zonas de climatização, assentos dianteiros com regulagem elétrica, memória e ajuste lombar; Comfort Access, capaz de controlar o travamento das portas sem a necessidade da chave, incluindo a tampa do porta-malas; e o Soft Close, que puxa as portas automaticamente, fechando-as por completo caso fiquem entreabertas.

Vei3 - BMW Group - DivulgaçãoSegurança – Dentre os itens de proteção, destaque para os freios a disco ventilados com ABS, seis airbags (duplos frontais, laterais dianteiros, de cortina dianteiros e traseiros); pneus com tecnologia run-flat e o sistema Active Protection, que aciona os mecanismos de proteção de ocupantes, entre eles os pré-tensionadores dos cintos de segurança e o fechamento automático das janelas, em situações de impacto iminente.

O conjunto óptico agrega faróis em LED adaptativos, assistente de farol alto e luzes de condução diurna.

O BMW M5 mede 4,97 metros de comprimento, 1,90 metro de largura e 1,46 metro de altura. A distância entre-eixos é de 2,98 metros e, o porta-malas, tem capacidade para 530 litros de bagagens.

O Service Inclusive Plus prevê a realização gratuita de diversos serviços de manutenção por 3 anos ou 40.000 quilômetros rodados. Entre as principais manutenções previstas neste pacote estão a inspeção completa do veículo, substituição do óleo do motor, dos filtros de óleo e de ar do motor, do microfiltro do sistema de ar-condicionado, do filtro do combustível, das velas de ignição, e do fluído de freio.

P90273011_highRes_the-new-bmw-m5-08-20

Fotos: BMW Group / Divulgação

Também estão previstos a troca de itens por desgaste, como os componentes dos freios dianteiro e traseiro (pastilhas, discos e sensores), da embreagem e do limpador de para-brisas. Como ação especial de lançamento, este serviço está incluído em todas as versões do M5.

Pequenas alterações na linha VW 2019

José Oswaldo Costa*

A linha 2019 dos modelos Polo, Virtus, up!, Saveiro e SpaceFox já chegou às concessionárias Volkswagen.

Polo_MSIO Polo 1.0 MPI e 1.6 MSI, e o Virtus 1.6 MSI, passam a oferecer, como opcionais, o sensor de estacionamento traseiro e retrovisores externos com ajuste elétrico e função tilt down. Além disso, as versões MSI recebem, de série, volante multifuncional.

O Polo 1.0 MPI tem o preço sugerido, no site da montadora, de R$50,49 mil. O pacote opcional, Connect Pack, traz os itens informados anteriormente acrescidos de computador de bordo (I-System), rodas em liga leve de 15 polegadas, sistema de som com tela touchscren e volante multifuncional. Esse pacote tem o preço de R$3,80 mil. Ou seja, o modelo, com os novos opcionais, tem o preço de R$54,29 mil.

Já a versão 1.6 MSI do hatch tem o preço sugerido de R$56,99 mil. O pacote opcional é quase idêntico, oferecido por igual valor (R$3,80 mil). Importante lembrar que, como passa a ser de série para as versões MSI, o volante multifuncional não está no pacote, apesar do preço mantido. Dessa forma, o Polo 1.6 com os novos itens tem o preço de R$60,79 mil.

Virtus_MSIO Virtus 1.6 MSI é oferecido com o preço sugerido de R$61,39 mil. O pacote para o sedan recebeu o nome de Interatividade e, ao contrário do Polo, não inclui computador de bordo (I-System). Ele oferece: sensor de estacionamento traseiro, espelhos retrovisores elétricos com função tilt down, rodas em liga leve de 15 polegadas e sistema de som com tela touch. Seu preço é R$3,36 mil. Ou seja, o Virtus 1.6 equipado com os novos opcionais tem o preço de R$64,75 mil.

A novidade na linha 2019 do up! fica por conta do DRL (luz de condução diurna) de série para todas as versões. O cross up! e o up! Pepper, além do DRL, trazem como item de série o “piloto automático” (controlador automático de velocidade).

Os preços da linha up! são os seguintes:

move up! – de R$50,27 mil (motor 1.0 MPI, manual); R$52,71 mil (motor 1.0 MPI, automatizado) e R$55,70 mil (motor 1.0 TSI, manual)

cross up! – R$58,73 mil (motor 1.0 TSI, manual)

up! pepper – R$59,24 mil (motor 1.0 TSI, manual)

move_up__TSI__1_As versões TSI do up! 2019 recebem o emblema 170 TSI na tampa do porta malas, seguindo a nova estratégia da Volkswagen de nomenclatura de seus modelos TSI em relação ao torque em Newton metro (Nm).

Isso já ocorria com o Polo, por exemplo, com a nomenclatura 200 TSI para o motor 1.0 turbo.

A Saveiro Robust e a Saveiro Trendline trazem calotas com novo design (as fotos dessas versões não foram disponibilizadas pela VW). Já a Saveiro Cross, agora pode ser equipada com revestimento dos bancos na cor marrom.

Saveiro_Cross_CD_Completo_34_Frente_FBPreços dessas versões da Saveiro:

Robust (CS) – R$48,39 mil

Robust (CD) – R$60,45 mil

Trendline (CS) – R$59,89 mil

Cross (CE) – R$77,39 mil

Cross (CD) – R$80,69 mil

Já a SpaceFox, recebe o novo pacote Connect, que agrega ao modelo rodas de liga leve de 15 polegadas, sistema multimídia com tela de 6,5 polegadas e APP-Connect, volante multifuncional com comandos do sistema de som, grade dianteira em preto brilhante, faróis e lanterna de neblina, frisos laterais na cor do veículo, entre outros.

SpaceFox_10

Fotos: Volkswagen / Divulgação

A SpaceFox é oferecida, no site da montadora, na versão única Trendline. O motor é o 1.6 MSI. A diferença fica quanto ao o câmbio, que pode ser manual ou automatizado.

Os preços são: Trendline (manual) – R$60,29 mil e Trendline (automatizado) – R$63,69 mil.

*com informações da Volkswagen

Mercado de caminhões cresce 50,71% e, o de motocicletas, 6,93%

Da Redação

Porém, previsão de crescimento, para todos os segmentos do mercado de veículos em 2018, é reduzida de 13% para 9,8%

O mercado de caminhões registrou alta de 50,71% no primeiro semestre de 2018 sobre mesmo período de 2017, somando 32.338 unidades licenciadas.

Em junho, os 5.731 caminhões emplacados representaram crescimento de 37,14% sobre idêntico mês de 2017, e aumento de 0,24% em relação a maio de 2018.

Segundo Sérgio Zonta, Vice-Presidente da Fenabrave para os segmentos de caminhões e implementos rodoviários, houve um expressivo aumento nos níveis de financiamento, principalmente pela oferta dos bancos privados e ligados às montadoras, o que tem contribuído, significativamente, para esta retomada.

“Além disso, verificamos uma queda acentuada na inadimplência e, mesmo com as recentes revisões do PIB, as perspectivas para o segmento continuam positivas, até, porque, a base de comparação com anos anteriores ainda é muito baixa”, comentou.

O segmento de Implementos Rodoviários registrou alta de 79,80% no acumulado do semestre frente a igual período do ano passado, totalizando 20.019 unidades, contra 11.134 unidades de 2017. Em junho, os emplacamentos somaram 3.776 unidades, marcando alta de 71,64% em relação ao mesmo mês do ano passado e 4,66% acima do volume de maio de 2018.

Na avaliação de Zonta, este desempenho está relacionado à necessidade de renovação dos equipamentos.

A greve de caminhoneiros provocou vários problemas ao segmento de motocicletas. “Não houve transporte de motos de Manaus, o que desabasteceu as concessionárias”, avaliou Carlos Porto, vice-presidente da Fenabrave para o segmento de duas rodas.

Apesar dos impactos negativos da greve, realizada em maio, os dados mostram que o mercado cresceu 6,93% no primeiro semestre de 2018, ante o mesmo período de 2017, somando 456.889 unidades.

Já em junho, como reflexo da greve, foram licenciadas 74.089 motos, registrando queda de 8,83% sobre o volume de maio deste ano, mas 3,22% acima das vendas registradas em junho de 2017.

Para o segmento de Tratores e Colheitadeiras, os dados da Fenabrave mostram que foram vendidos, no atacado, de janeiro a maio, 14.249 unidades, retração de 12,34% ante igual intervalo do ano passado.

Na mesma comparação, as vendas no varejo caíram apenas 0,6%. Contudo, segundo Marcelo Nogueira, vice-presidente da Fenabrave para estes segmentos, as perspectivas são positivas para o segundo semestre.

“A inadimplência é a menor do setor, em torno de 1,5%, e os estoques caíram 18,23% nas concessionárias nesse período. Temos de lembrar, ainda, que a greve dos caminhoneiros também prejudicou a entrega de máquinas aos produtores rurais”, explicou Nogueira.

Ele reforçou os pontos positivos do Plano Safra 2018/2019 que, também, devem contribuir para o crescimento das vendas de tratores e colheitadeiras nos próximos meses, como a queda na taxa de juros e a ampliação do volume disponível para os produtores rurais.

Revisão das Projeções para 2018

Diante do novo cenário econômico brasileiro, afetado pela greve dos caminhoneiros e pelo início da Copa do Mundo de Futebol, a Fenabrave revisou, pela segunda vez, as projeções para o Setor da Distribuição de Veículos em 2018.

Considerando os emplacamentos de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e implementos, motocicletas, tratores e colheitadeiras), a entidade projeta, para este ano, alta de 9,8% sobre 2017, totalizando 3.420.259 unidades. Anteriormente, a entidade estimava aumento de 13%.

A nova projeção da entidade para os segmentos de Automóveis e Comerciais Leves aponta para crescimento de 9,7% em 2018, chegando a 2.383.184 unidades. Em março, a entidade estimava que os segmentos cresceriam 15,2% no ano.

Com a revisão das projeções, o segmento de Caminhões deve registrar alta de 24,8% nos emplacamentos em 2018, atingindo 65.000 unidades. No início do ano, as projeções divulgadas indicavam crescimento de 17%.

A Fenabrave projeta, para o segmento de Ônibus, retração de 4,1%, em função do ano eleitoral, o que reduz o total a ser comercializado para 14.480 unidades. Em março, a projeção era de 3,3% de crescimento.

Para Implementos Rodoviários, o novo índice de crescimento projetado é de 58,6%, com 40.615 unidades, contra 41% de alta, anteriormente prevista.

A entidade também está revendo a projeção para o mercado de Motocicletas que, com a retomada dos níveis de renda pelas classes C e D, que formam a maior parte dos consumidores de motos de baixa cilindrada, deve passar para 7,7% de crescimento, ante os 6,5% estimados anteriormente. Com a nova previsão, o total de motocicletas emplacadas deve chegar a 916.980 unidades.

Os segmentos de Tratores e Colheitadeiras, que não têm emplacamentos, devem manter estabilidade com relação ao ano passado. Por isso, a entidade manteve sua estimativa de crescimento no patamar de 0,24%, devendo totalizar 41.600 unidades.

Emplacamentos de automóveis e comerciais leves cresce 13,71% no semestre

José Oswaldo Costa*

A Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, divulgou, ontem, o desempenho dos emplacamentos no mês de junho e do acumulado do primeiro semestre de 2018.

De acordo com a entidade, foram vendidos 1.691.556 veículos no primeiro semestre do ano, entre automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, o que representa crescimento de 12,37% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apenas em junho, as 287.721 unidades vendidas representaram alta de 3,85% ante igual mês de 2017, mas o resultado, se comparado ao mês de maio de 2018, teve queda de 2,45%.

Para o Presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr., os resultados não foram melhores em função da greve dos caminhoneiros, que impactou, negativamente, nas vendas do mês de junho e nos índices de confiança dos investidores e consumidores. “Os impactos ainda devem se refletir nos resultados dos próximos meses”, alertou.

Os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, encerraram o primeiro semestre com 1.127.217 unidades licenciadas, o que representa crescimento de 13,71% no comparativo com o mesmo acumulado de 2017.

Considerando apenas o resultado de junho, as 195.066 unidades emplacadas representam 3,18% de crescimento em relação a junho do ano passado, e aumento de 0,08% sobre maio deste ano.

“As vendas diárias, em junho, tiveram média de 9.289 unidades, contra 9.281 unidades em maio”, comentou Assumpção Júnior. Vale ressaltar que maio e junho tiveram 21 dias úteis.

Assumpção Jr., comentou que o “resultado mais negativo da greve foi o aumento do sentimento de insegurança do consumidor em adquirir bens duráveis, como um veículo”.

Dentre os automóveis, o ranking dos dez modelos mais vendidos no Brasil, no 1º semestre/2018, ficou da seguinte forma:

1º) Chevrolet Onix – 89.620 unidades

2º) Hyundai HB20 – 50.419 unidades

3º) Ford Ka – 48.262 unidades

4º) Volkswagen Polo – 34.138 unidades

5º) Volkswagen Gol – 32.512 unidades

6º) Chevrolet Prisma – 32.015 unidades

7º) Renault Kwid – 29.678 unidades

8º) Toyota Corolla – 28.554 unidades

9º) Jeep Compass – 28.194 unidades

10º) Fiat Argo – 27.983 unidades

Já entre os utilitários esportivos (SUV), o ranking dos cinco modelos mais vendidos, no 1º semestre/2018, é o seguinte:

1º) Jeep Compass – 28.194 unidades (9º geral)

2º) Honda HR-V – 23.149 unidades (13º geral)

3º) Nissan Kicks – 21.837 unidades (14º geral)

4º) Jeep Renegade – 21.430 unidades (15º geral)

5º) Hyundai Creta – 20.152 unidades (16º geral)

Por fim, no segmento de comerciais leves, o ranking nacional, dos cinco modelos mais vendidos, ficou da seguinte forma:

1º) Fiat Strada – 32.512 unidades

2º) Fiat Toro – 26.062 unidades

3º) Volkswagen Saveiro – 22.196 unidades

4º) Toyota Hilux – 17.442 unidades

5º) Chevrolet S10 – 15.486 unidades

*com informações da Fenabrave