Chevrolet Camaro, de sexta geração, chega ao País no 1º trimestre de 2019

Da Redação

conv-7O Chevrolet Camaro 2019 chegará ao mercado brasileiro com algumas mudanças no design, transmissão automática sequencial de 10 marchas, além dos inéditos sistemas de controle de largada e de aquecimento de pneus traseiros.

Outras importantes inovações que estreiam com o modelo são a terceira geração do sistema multimídia MyLink e o retrovisor interno por câmera.

“O Camaro continua evoluindo sem perder sua essência de performance, design, tecnologia e valor que permeia todo portfolio Chevrolet”, destacou Carlos Zarlenga, presidente da GM Mercosul.

O novo Camaro SS chega às concessionárias no 1º trimestre do próximo ano com o motor 6.2 V8 de 461 cv e 62,9 kgfm de torque. São duas as opções de carroceria: coupè (com teto solar) e conversível.

cupe-4Já o leque diferenciado de cores inclui o azul, o laranja e o amarelo, além do branco, preto e vermelho.

Desde sua chegada ao País, o Camaro teve mais de 6 mil unidades vendidas, informou a montadora. O modelo é produzido nos Estados Unidos e está em sua 6ª geração.

Design – O Camaro 2019 caracteriza-se pelo design mais imponente e esportivo. Na dianteira, essa percepção dá-se pelos novos faróis em Full LED, além do capô, grade e para-choque remodelados.

Na parte traseira, as lanternas, mostram a evolução do conceito dual-element da Chevrolet e harmonizam com o para-choque de linhas mais musculosas.

Na lateral, o diferencial fica por conta das rodas de 20 polegadas. Enquanto no coupè elas trazem pintura acetinada, no conversível elas são pretas de alto brilho.

O design das rodas também é diferente, o que contribui para diferenciar a identidade de cada versão.

cupe-5Câmbio de 10 marchas – Outro avanço está na nova transmissão automática sequencial de 10 marchas, que substitui a anterior, de oito.

Mais tecnológica e eficiente, ela otimiza os escalonamentos que tornam a condução do veículo ainda mais prazerosa. A relação entre as trocas são mais curtas e permitem que o motor trabalhe em giro otimizado, possibilitando a sensação de retomadas mais vigorosas.

Outra vantagem são as trocas mais suaves e o ganho de eficiência energética em velocidades de cruzeiro, quando o motor V8 é capaz de desligar quatro cilindros para economizar combustível.

Com a nova transmissão, o Camaro 2019 ganhou a função de controle de largada, conhecido também como launch control, própria para autódromos.

O mecanismo permite máxima aceleração para quem busca uma arrancada extremamente eficiente, permitindo que até mesmo motoristas menos experientes consigam desempenhar a manobra como pilotos profissionais, segundo a GM.

Para uma experiência diferenciada, o controle de largada pode ser customizado através da alteração da faixa de rotação do motor e da porcentagem de escorregamento das rodas.

conv-3“Com a função devidamente selecionada no painel, é preciso usar os dois pés para iniciar o controle de largada. Enquanto o pé esquerdo no freio segura o carro, o pé direito no acelerador eleva o giro do motor. No momento em que um gráfico no quadro de instrumentos aponta o momento exato, basta liberar o freio para o carro partir como uma flecha”, descreveu Fabíola Rogano, vice-presidente de engenharia da GM.

O Camaro vem equipado com sistemas de alta performance, como a plataforma modular Alpha com 11 módulos independentes que otimizam a estrutura e a rigidez; distribuição igualitária de peso entre os eixos; carroceria com elevado índice de materiais de alta resistência e freios de competição, com quatro pistões, da marca Brembo.

Outro destaque é o avançado sistema de vetorização do torque (Torque Vectoring), que usa recursos do controle eletrônico de estabilidade para a máxima performance do carro em curvas, possibilitando que as rodas recebam quantidade distinta de torque, na medida exata para a otimização da tração.

Já os pneus são mais largos atrás, onde concentra-se a tração. As medidas são 245/40 ZR20 (dinteiros) e 275/35 ZR20 (traseiros). Por serem do tipo run flat, podem rodar emergencialmente mesmo estando furados.

Motor – O motor V8 de 461 cv do Camaro traz sistema de injeção direta de combustível e comando de válvulas continuamente variável, que aumenta a oferta de torque e potência dentro da faixa de rotação do motor.

O Camaro, de acordo com a montadora, é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos, enquanto a velocidade máxima é limitada eletronicamente em 290 km/h para o coupè.

detalhe-9Além do modo específico para circuito, que altera o comportamento também da rigidez da direção, atuação dos controles de estabilidade e de tração, mapeamento da transmissão e do motor, o condutor tem outras três opções, incluindo uma mais branda, ideal para um passeio com o muscle car.

Já a função de aquecimento de pneus permite que as rodas traseiras tracionem com o veículo parado. Para ser habilitada, uma sequência de comandos precisam ser acionados por segurança, como o volante centralizado.

Multimídia – Estreia com o novo Camaro a terceira geração do sistema multimídia da Chevrolet, chamado de MyLink, que oferece uma experiência mais centrada nas necessidades do usuário.

O equipamento adiciona, entre outros, tela de maior definição e resolução, microfone extra para melhor reconhecimento do sistema de comando de voz, integração com os comandos do ar-condicionado e possibilidade de atualização via Wi-Fi.

Pelo multimídia é possível escolher a cor dos LEDs que decoram a cabine. São 24 combinações, incluindo, agora, 8 opções degradês.

Vale ressaltar, ainda, a adoção do retrovisor central com câmera de ré para melhor visibilidade em manobras. Item muito útil em veículos esportivos com linha de cintura alta e teto baixo.

detalhe-8O Camaro traz, ainda, painel customizável, Heads-up Display, alto-falantes da marca Bose, volante com aquecimento, bancos dianteiros com climatização e ajustes elétricos com memória para o do condutor, ar-condicionado de duas zonas, além de partida remota da ignição.

No modelo conversível, a chave também pode comandar a abertura da capota, que é aberta completamente em 25 segundos. A operação também pode ser feita com o carro em movimento numa velocidade de até 50 km/h.

O Camaro ainda traz um sistema de ressonadores que intensifica o ronco do som do motor dentro da cabine em giros mais altos – uma experiência única para os admiradores de carros esportivos.

conv-2

Fotos: General Motors do Brasil / Divulgação

Colaboradores da FPT Industrial, em Betim (MG), compartilham o carro

Da Redação

Carona Solidária (1)Encarar o trânsito diário dos grandes centros urbanos é uma tarefa desgastante para a maioria dos motoristas brasileiros. No Technical Center da FPT Industrial em Betim, região metropolitana de BH, uma atitude inovadora tem invertido essa lógica.

Diariamente, colaboradores da marca compartilham o uso do carro na ida e volta ao trabalho, reduzindo tempo de deslocamento, gastos com combustível e manutenção do carro, além de promover a integração entre colegas de diferentes áreas.

O Carona Solidária, como é conhecido o grupo criado em um aplicativo de conversas por telefone, é um sucesso e dia após dia conquista novos adeptos em prol de um mundo mais prático e sustentável.

Fundador do projeto, o gerente de programas Antônio Navarro conta que a ideia surgiu depois que percebeu que colegas que moram em locais próximos sempre se encontravam no trajeto de 50 quilômetros entre BH e Betim ou chegavam para trabalhar em horários aproximados.

“Pensei, então: por que não compartilhar o carro? O grupo teve início em setembro de 2017 com sete pessoas e, hoje, já são 12”, conta. O principal resultado, afirma, é a economia financeira, que chega a cerca de R$ 1,60 mil por mês nos carros, com a redução de gastos com combustível e itens de manutenção, como óleo, suspensão e pneus.

O cálculo mensal dos gastos de cada caroneiro fica a cargo de uma planilha administrada por Amanda Madeira, da área de peças. O valor, explica ela, é rateado de acordo com o número de usuários por carro, o valor do combustível e a média da distância percorrida.

Carona Solidária (2)

Fotos: Leandro M. Perez / FPT Industrial / Divulgação

“Calculamos o valor por dia e, no final do mês, é feita a contabilidade, considerando quantas vezes a pessoa pegou carona ou a forneceu”, afirma.

Para Gabriela Brito, da administração de vendas, o Carona Solidária é definido em duas palavras-chaves: economia e sustentabilidade. Gabriela utiliza aplicativos de carona com frequência e busca transportar o maior número de pessoas.

“Além de tudo, a carona fornece a chance de conversar mais e se aproximar dos colegas de trabalho. É importante para uma melhor integração”. A opinião de Gabriela é compartilhada pelo gestor de projetos, Diego David. “O primeiro resultado que tivemos foi a redução de custos e a agilidade no transporte. Também aproveitamos para fazer um networking conhecendo colegas de outras áreas”.

O engenheiro Bruno Ferreira aprova a flexibilidade de horário, já que as saídas são programadas de acordo com os pedidos no grupo de conversa. “Sempre temos alguém para conversar se o trânsito estiver parado. O tempo passa rápido e é bem menos desgastante do que dirigir sozinho”, aponta.

Significado especial – Para o gerente de projetos, Alessandro de Andrade, a atitude inovadora teve um significado ainda mais especial. Andrade rompeu o ligamento de um dos joelhos e teve de fazer uma cirurgia em agosto deste ano, ficando impossibilitado de dirigir durante três semanas.

Com o projeto Carona Solidária, conseguiu ser acolhido pelos colegas de trabalho em um meio de transporte diário.“Mesmo agora já podendo dirigir, continuo no grupo, pois achei muito legal e diferente de outras caronas que já participei, com horário fixo. Você pode manter a sua rotina e conhecer mais as pessoas que estão perto”, comemora.

O especialista em homologações de motores na América Latina da FPT Industrial, Gustavo Teixeira, reforça que o uso racional dos carros colabora para a fluidez do trânsito e o meio ambiente, reduzindo as emissões de CO2 e poluentes atmosféricos como óxidos de nitrogênio, monóxido de carbono e hidrocarbonetos não queimados. “Cada carro emite uma média de 100g de CO2 por quilômetro rodado”, afirma o especialista.

Menos carros nas ruas, menos níveis de emissões e a possibilidade de encontrar colegas fora do ambiente de trabalho geram qualidade de vida.

Voltados para o público PcD, VW Polo e Virtus Sense chegam em 2019

Da Redação

Novo_Polo__1__4A Volkswagen anunciou a chegada da versão Sense, disponível exclusivamente para os modelos Polo e o Virtus e destinada para um público específico: Pessoas com Deficiência (PcD).

Ela chega ao mercado no início de 2019 para complementar a oferta de modelos Volkswagen neste segmento. Completos de série, ambos modelos terão preço sugerido de R$ 69,99 mil. As novidades serão oferecidas nas cores sólidas preta, branca e vermelha e não terão opcionais.

A chegada dessas novas opções reforça a aposta da VW no segmento PcD. Como resultado dessa estratégia, a marca bateu recorde de vendas para esse público e já registra crescimento de 318% nas vendas de janeiro a novembro deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado.

O Polo Sense 200 TSI foi desenvolvido com base na versão MSI mais completa possível, com a diferença que o modelo destinado ao público PcD traz o motor 1.0 TSI turbo, de até 128 cv (a MSI utiliza motorização 1.6 aspirada).

O Virtus Sense MSI traz os mesmos itens de série que o hatch e é equipado com o motor 1.6 MSI de até 120 cv. Desenvolvidos exclusivamente para esse importante segmento, os dois modelos são equipados com transmissão automática de 6 marchas.

Volkswagen_Polo_MSI_com_transmissao_automatica__1_Produzidos em São Bernardo do Campo (SP), os modelos saem de fábrica equipados, de série, com direção com assistência elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas com função “um-toque” para fechamento e abertura, travas elétricas, faróis de dupla parábola e chave tipo “canivete” com controle remoto.

Também estão incluídos computador de bordo, para-sóis iluminados para motorista e passageiro, tomada de 12V no console central, suporte para celular no painel com entrada USB para carregamento, regulagem de altura para o banco do motorista, entre outros.

Outros importantes itens de série são: sistema multimídia, Park Pilot (sensores de estacionamento traseiros), rodas de aço de 15 polegadas com pneus 195/65 R15 e retrovisores externos com ajuste elétrico e função tilt down.

Com tela colorida sensível ao toque de 6,5 polegadas, o sistema de infotainment Composition Touch (multimídia) traz entradas USB, para SD-card e conexão bluetooth.

Ele permite conectividade por meio do App-Connect (Android Auto, Apple CarPlay e Mirrorlink), comando por voz e acesso ao Car Menu, com ajustes do veículo por meio da tela.

Os modelos trazem, também de série, controle eletrônico de estabilidade (ESC) e todos os recursos atrelados a ele, como controle de tração (ASR), bloqueio eletrônico do diferencial (EDS) e assistente de partida em subida/descida (HHC).

Composition_Touch__2__2Programa Mobilidade:

O Programa Mobilidade Volkswagen permite que pessoas com deficiência, condutores de veículos ou não, sejam beneficiadas pelo Governo Federal e Estadual com isenções de impostos (IPI, ICMS, IPVA e IOF), além de um desconto especial oferecido pela Volkswagen, de acordo com o perfil do cliente.

O Polo, o Fox e o Virtus foram os modelos Volkswagen mais vendidos para o segmento PcD de janeiro a setembro de 2018. Recém-chegados, Gol e Voyage, automáticos, em breve devem ocupar também posições de destaque nesse ranking.

Isenções:

As pessoas com deficiência capazes de conduzir (mesmo com adaptações especiais) e os não condutores (não habilitados que necessitam de um condutor) têm direito às seguintes isenções:

  • IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados;
  • ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias;
  • IPVA – Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor (apenas para PcD condutor);
  • Liberação do Rodízio na cidade de São Paulo – Solicitar no DSV – Departamento de Operações do Sistema viário de São Paulo.

Quem pode ter direito às isenções:

Pessoas com amputações, artrite reumatoide, artrodese, artrose, AVC, AVE (acidente vascular encefálico), autismo, alguns tipos de câncer, doenças degenerativas, deficiência visual, deficiência mental (severa ou profunda), doenças neurológicas, encurtamento de membros e más formações, esclerose múltipla, escoliose acentuada, LER (lesão por esforço repetitivo), linfomas, lesões com sequelas físicas, manguito rotador, mastectomia (retirada de mama), nanismo (baixa estatura), neuropatias diabéticas, paralisia, paraplegia, Parkinson, poliomielite, próteses internas e externas; exemplo: joelho, quadril, coluna, etc, problemas na coluna, quadrantomia (relacionada a câncer de mama) síndrome do túnel do carpo, talidomida, tendinite crônica, tetraparesia, tetraplegia, etc.

Virtus_MSI__1_

Fotos: Volkswagen / Divulgação

Como obter isenções de IPI e ICMS (veículos até R$ 70 mil)

Condutores:

  • Obter a CNH especial no DETRAN e passar por perícia médica;
  • Requisitar a isenção de IPI junto à Receita Federal;
  • Escolher o modelo do veículo no valor de até R$ 70,00 mil (preço público sugerido para poder usufruir da isenção de ICMS);
  • Solicitar isenção de ICMS no posto da Fazenda Estadual de seu local de domicilio, se o preço público do veículo escolhido for de até R$ 70,00 mil;
  • Após o faturamento, solicitar a isenção de IPVA junto ao DETRAN.

Não condutores:

  • Passar por perícia médica no SUS;
  • IPI – ICMS – Liberação do rodízio – seguir os mesmos procedimentos dos habilitados a conduzir;
  • O veículo será dirigido por representante legal ou diretos – até três indicações;
  • O faturamento do veículo será sempre em nome da pessoa com deficiência.

Como obter apenas a isenção de IPI (veículos acima de R$ 70 mil)

Condutores:

  • Obter a CNH especial no DETRAN e passar por perícia médica;
  • Requisitar a isenção de IPI junto à Receita Federal;
  • Escolher o modelo do veículo no valor superior a R$ 70,00 mil (preço público sugerido para obter apenas a isenção de IPI);

Não condutores:

  • Passar por perícia médica no SUS;
  • Para o IPI, seguir os mesmos procedimentos acima, dos habilitados a conduzir;
  • O veículo será dirigido por representante legal ou diretos – até três indicações;
  • O faturamento do veículo será sempre em nome da pessoa com deficiência.

Chevrolet Spin ganha versão para o público PcD

Da Redação

03_gm_FGD_0939_04-12-2018A fim de ampliar a oferta de produtos elegíveis à isenção de impostos para PcD (Pessoas com Deficiência), a Chevrolet está lançando uma nova configuração de entrada da Spin com transmissão automática de 6 marchas e outros itens valorizados por esse perfil de consumidor.

Derivada da versão LT, a nova configuração conta com atributos como banco traseiro corrediço, direção com assistência elétrica, sistema multimídia MyLink com Apple CarPlay e Android Auto além do motor 1.8 bicombustível.

Foi exibida uma prévia do produto durante o Salão do Automóvel de São Paulo, onde ainda foi demonstrado uma estrutura espefícia fornecida pela Cavenaghi para acesso e acomodação de cadeirante na parte traseira do veículo.

Por fora, a nova configuração da Spin, derivada da versão LT, é caracterizada pela grade pintada de cinza, rodas de alumínio aro 15 e pelo rack de teto.

01_gm_FGD_0975_04-12-2018No interior, há disponibilidade de ar-condicionado, computador de bordo e controle de cruzeiro. Completa a lista os ajustes elétricos para os retrovisores externos e para os vidros e travas, que podem ser comandados também de forma remota, por meio da chave.

A Chevrolet oferece uma lista de acessórios originais para a Spin. Destacam-se o sensor de estacionamento traseiro e dianteiro, a câmera de ré, os frisos laterais, tapetes de carpete personalizados, faróis de neblina, bancos com revestimento premium e alerta de ponto cego.

A nova configuração com isenção para PcD tem o preço sugerido de R$ 54,30 mil, com descontos como IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

A Spin é ofertada, também, nas versões LS (manual), LT (manual ou automática), LTZ (manual ou automática) e Activ (automática), essa última com opções de 5 e 7 lugares. Lembrando que os dois tipos de câmbio são de 6 marchas.

02_gm_FGD_0949_04-12-2018

Fotos: General Motors do Brasil / Divulgação

Yamaha lança a nova geração da Lander ABS

Da Redação

image033A nova geração da Lander ABS chega ao mercado com novo design, mais segurança e mais conforto. E sem abrir mão de seu DNA: agilidade, economia e durabilidade. A sua garantia, agora, passa a ser de 4 anos.

O design é inspirado no conceito de movimento dinâmico, que traz agilidade e leveza. É robusto e agressivo, com dianteira marcante e tanque imponente, remetendo à XT660R.

Essa inspiração na icônica big trail fica evidente em detalhes como o conjunto formado pelo para-lama dianteiro, carenagem que envolve o farol e os protetores dos amortecedores, e também as abas do tanque.

O modelo passou também a incorporar qualidades de sua irmã Ténéré 250. Conta, agora, com um confortável assento, em dois níveis, mais largo e ergonômico, promovendo um melhor encaixe do condutor à motocicleta e mais eficiência na acomodação do garupa, que também passa a contar com alças de apoio em alumínio.

Outra qualidade dá-se pela maior autonomia do tanque de combustível, que aumenta sua capacidade de 11 para 13,6 litros e passa a contar com tampa estilo aviação.

A Lander ABS é equipada com luz de posição e tanto a lanterna quanto o farol, passam a ser em Full LED, enquanto o painel digital está mais completo, agora com indicadores de consumo médio e instantâneo.

Para quem gosta de encarar as estradas, a Yamaha criou o Kit Touring para nova Lander ABS. Vendido na rede de concessionários, ele contará com acessórios como bagageiro, bauletos com duas opções de tamanho – 33 e 35 litros –, e ainda protetor lateral do motor e para-brisa.

image034

A Yamaha Lander ABS terá três opções de cores. azul, branco e preto. Ela estará disponível nas concessionárias da marca na segunda quinzena de janeiro de 2019. A Yamanha informou que seu preço só será divulgado neste período.

Chassis – Parte do mérito do comportamento dinâmico da Lander se deve ao seu chassi, que na nova geração recebeu mudanças para acomodar o novo tanque de combustível e o assento em dois níveis.

Todo fabricado em aço, o chassi da nova trail de 250cc da Yamaha combina a dupla trave superior com o berço semi-duplo, por isso é resistente e capaz de resistir a torções que incidem diretamente no comportamento da motocicleta.

Na prática, essa característica pode ser notada em sua agilidade e facilidade de condução, que lhe permite mudar de trajetória com notável rapidez e, o mais importante, de forma firme e estável – qualidades imprescindíveis para uma motocicleta segura.

image007(1)

 

Todas essas características fazem da nova Lander uma das melhores opções para os proprietários de motos de 125 / 150cc que buscam um up grade para uma motocicleta mais potente e robusta, ou até mesmo para quem está iniciando no motociclismo.

Suspensões – Outros componentes responsáveis pela agilidade, estabilidade e também pelo conforto da nova Yamaha, são as suspensões. Elas são robustas e garantem suavidade no funcionamento, filtrando com eficiência as irregularidades do piso.

Na dianteira, os tubos internos têm 41mm de diâmetro e o longo curso de 220 mm. Já na traseira, o sistema Monocross com link, amortecedor único a gás e ajustável na compressão da mola, tem curso de 204 mm.

Rodas e pneus – As rodas da nova Lander tem diâmetro de 21 polegadas na dianteira e 18 na traseira. Elas são calçadas pelos pneus Metzeler Tourance nas medidas 80/90-21 na dianteira, e 120/80-18 na traseira, capazes de garantir um surpreendente desempenho no asfalto e uma boa aderência na terra.

Freios – O sistema de freios, que equipa a nova Yamaha, é composto por um disco de 245 mm e uma pinça de duplo pistão na frente, e um disco de 203 mm e pinça simples na traseira. Eles garantem frenagens seguras e em curtos espaços.

image017Nesse quesito, a grande novidade é a adoção do sistema ABS – Anti-lock Bracking System – como item de série. Presente na roda dianteira, ele impede o seu travamento em condições de baixa aderência de piso, como em dias de chuva ou mesmo frente a frenagens bruscas de emergência, garantindo, portanto, ainda mais segurança na condução.

Farol e lanterna – A utilização de farol móvel que acompanha o movimento do guidão e lanterna traseira inteiramente em LED também são pontos a favor da segurança. Além de conferirem mais modernidade e menor consumo de energia à nova Lander ABS, eles também proporcionam maior eficiência na iluminação.

Painel – Totalmente digital e com iluminação em LED, o painel da nova Lander oferece boa leitura em qualquer situação. Nele, o destaque fica por conta dos novos indicadores de consumo instantâneo e média de consumo – bastante úteis emc viagens e também no uso diário.

Outras funções disponíveis são o velocímetro, o hodômetro total e dois parciais (TRIP-1 e TRIP-2) e Fuel Trip (que indica a quilometragem rodada na reserva), relógio, tacômetro de fácil leitura e também as luzes indicadoras de piscas, farol alto, neutro e alerta de motor e do sistema Blueflex.

image021Motor – O principal responsável por dar a Lander ABS – e também na Fazer 250 – a sua fama de resistente e econômica é inegavelmente o seu motor. O monocilíndrico, de arrefecimento misto – já que conta com o auxílio de um radiador de óleo – tem a capacidade de 249,5 cm³ e é do tipo SOHC (Single Over Head Camshaft), utilizando duas válvulas acionadas por comando simples no cabeçote.

O motivo de tanta robustez se dá não só ao seu projeto consolidado deste motor. Merece destaque toda tecnologia empregada em sua construção, que utiliza componentes nobres como pistão em alumínio forjado e cilindro revestido de níquel fósforo, material este similar ao de motos de competição, que diminui o atrito e dispersa o calor com mais eficiência.

Nele, o acionamento do câmbio de 5 marchas é suave e seus engates precisos. Sua transmissão secundária é feita por corrente, com coroa e pinhão de 13 e 40 dentes respectivamente. A embreagem, do tipo multidisco em banho de óleo, também prima pela maciez no funcionamento.

A Lander ABS é dotada do sistema Blueflex, que permite abastecimento com gasolina ou etanol. Quando abastecida com gasolina, a potência máxima gerada é de 20,7 cv e de 20,9 cv em caso de o motor ser alimentado com etanol, ambos atingidos a 8.000 rpm.

O torque, por sua vez é de 2,1 kgfm, tanto abastecido com etanol quanto por gasolina, ambos alcançados a 6.500 giros.

image023

Seu fôlego pode ser notado sobretudo em subidas e também quando se trafega acompanhado de um garupa. Embora não tenha sofrido alteração nos números de potência e torque, o sistema de alimentação da Lander está mais eficiente.

Nele, a nova injeção eletrônica de combustível agora segue o padrão de modelos de alta cilindrada, com injetor de 10 furos. Este refinamento técnico permite que a atomização da mistura ar e combustível injetado no interior da câmara de combustão seja mais eficiente, gerando não só uma queima mais completa – resultando em melhores respostas – mas também em um funcionamento menos poluente e com maior economia de combustível.

image019

 

Fotos: Yamaha / Divulgação

Avaliamos o Sandero RS Racing Spirit

Amintas Vidal*      (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 30/11/2018)

Série especial do hatch da Renault incrementa ainda mais a versão esportiva, capaz de render 150 cv

_DSC3741Entre os hatches compactos fabricados no Brasil, o Sandero seria o menos provável a ganhar uma versão esportiva de verdade. Largo e alto por fora, espaçoso por dentro, suas medidas combinam muito mais com a variante aventureira do modelo, a Stepway.

Como sua plataforma também serve de base para o sedan Logan, a picape Oroch e os utilitários Duster e Captur, a versão esportiva do Sandero, a RS, pôde receber o motor 2.0 16V bicombustível que equipa algumas opções da picape e dos dois SUVs.

Coube à RS, Renault Sport, divisão de competição da marca francesa, preparar esse “esportivo nacional” ao trabalhar o motor 2.0 para chegar aos 150cv de potência e acertar o modelo para as pistas. Foi a primeira vez que essa equipe desenvolveu um carro de pegada esportiva para um país fora da Europa.

No Brasil existe a tradição das montadoras lançarem versões esportivas dos seus modelos, principalmente dos hatches, mas, ultimamente, elas não passam de esportivos de adesivo, isto é, edições com algumas modificações estéticas, mas nenhum ganho mecânico que altere o comportamento em relação às demais versões.

Antes existiam modelos que ganhavam motores de capacidade volumétrica maior, alterando o desempenho em relação às versões “normais”. Ao adotar o motor maior e modificá-lo para um melhor desempenho, retrabalhar o conjunto de suspensões, freios e escapamento, e ainda redesenhar peças e trocar revestimentos, a Renault não só resgatou os bons tempos dessa tradição como elevou a prática a um novo patamar.

_DSC3420Design – O Sandero RS tem um novo para-choque dianteiro, totalmente redesenhado. Ele ganhou DRL (Daytime Running Light ou luzes de rodagem diurnas), spoiler destacado, abertura inferior ampliada e com recortes mais angulados.

Essa área recebeu tela de proteção em forma de colmeia e uma moldura saliente que contorna e atravessa o para-choque de ponta a ponta. Na série Racing Spirit ela é pintada em vermelho, tornando-se o elemento mais marcante desta edição especial.

Já o para-choque traseiro teve apenas o extrator redesenhado para receber a ponteira dupla do escapamento e ele também foi pintado nessa cor característica da série. Capas dos retrovisores, adesivos alusivos à série e as pinças das pastilhas de freio completam o conjunto de peças destacado com a mesma cor vermelha.

Ela está tão associada à Racing Spirit que a Renault só disponibiliza as cores branca, prata e preto para a carroceria, pois a cor vermelha disponível para o RS “normal” inviabilizaria a aplicação destes detalhes em vermelho sobre a mesma.

Interior – Internamente, o Sandero RS Racing Spirit se difere pelas cores das faixas que decoram os bancos, pequenos detalhes em vermelho no painel e colunas, teto e puxadores das portas em preto.

_DSC3918No mais, manopla do câmbio e volante revestidos em material que imita couro com costura em linha vermelha e pedais com acabamento em alumínio e travas em borracha são comuns a todas as versões RS do Sandero.

Além destes elementos estéticos que destacam a série, a Racing Spirit já sai de fábrica com o conjunto de rodas de 17 polegadas Grand Prix com os pneus PS4 da Michelin. Este item pode ser comprado, como opcional, para a versão RS pelo valor de R$ 1 mil, mas os outros diferenciais mencionados acima são exclusivos da série especial.

Preço e equipamentos – O preço sugerido da Racing Spirit é R$ 69,69 mil e do RS é R$ 66,79 mil. Tirando as rodas, único opcional disponível, ambos saem de fábrica com os mesmos equipamentos. Os principais são: alarme, duplo airbag, freios ABS, freio a disco nas 4 rodas, ESP/HSA (controle eletrônico de estabilidade/assistente de arrancada em subida), Isofix e alerta do cinto de segurança do motorista.

Também estão presentes bancos dianteiros esportivos, ar-condicionado automático, direção eletro-hidráulica, comando de satélite no volante, sistema multimídia com tela touchscreen de 7 polegadas e navegação GPS, computador de bordo, sensor e câmera de marcha à ré, retrovisores elétricos com repetidores, entre outros.

_DSC3922_1Desempenho posto à prova no Mega Space

O motor 2.0 16V preparado pela RS sofreu pequenas alterações: novos dutos de admissão e sistema de escape mais largos que resultaram em um ganhos de 2 cv em relação ao modelo original usado nos outros modelos da marca.

Sua potência subiu para 145/150cv às 5.750 rpm e o torque manteve-se em 20,2/20,9 kgfm às 4.000 rpm, sempre com gasolina e etanol respectivamente. Entretanto, o Sandero pesa 1.161kg, o mais leve dos modelos sobre essa plataforma e a relação peso potência dessa versão ficou em bons 7,74 kg/cv.

Com 100% de etanol no tanque, ele atinge os 100 km/h em 8 segundos e chega aos 202 km/h de velocidade máxima engrenado na sexta marcha.

Sim, ao contrário de diversos carros que atingem a velocidade máxima na penúltima marcha, pois a última é propositalmente longa para uso em estradas com baixa rotação do motor, as relações das marchas e do diferencial do Sandero RS visam apenas o desempenho, sem nenhuma preocupação com o consumo.

Elas são curtas e muito próximas umas das outras. Aos 110km/h e em sexta marcha, o motor já está trabalhando às 3.250 rpm e o seu ruído invade a cabine. Nesta mesma marcha, o freio motor já começa a prender o carro aos 70km/h, outro momento em que se percebe o quanto as relações de marchas são curtas.

Além do desconforto acústico em estradas, o consumo também não é animador. Ele ficou entre 10 e 11 km/l com etanol, mesmo andando de forma econômica. Em cidades, fica relativamente melhor, algo entre 5e 6 km/l.

_DSC3446Mega Space – O trabalho de acerto da Renault Sport não visou o consumo, mas, sim, o desempenho. Contudo, foi na pista do Mega Space, em Santa Luzia (MG), que o Sandero RS mostrou a que veio.

Seus 26 mm a menos na altura da carroceria, o que resulta em um centro de gravidade mais baixo e uma cambagem mais esportiva das rodas, molas mais rígidas, barras estabilizadoras mais grossas e buchas em poliuretano, material que deforma menos, o modelo devorou as curvas do travado miolo do circuito.

Tamanho o acerto, foi difícil levar o carro ao limite da aderência, aquele momento em que o controle de estabilidade começa a intervir. As acelerações também foram surpreendentes.

As marchas curtas e próximas fazem a rotação do motor atingir o limite rapidamente e o carro acelera de forma bruta, uma diversão para quem gosta de velocidade. Os freios a disco, ventilados de 280 mm de diâmetro na dianteira e a discos sólidos de 240 mm de diâmetro na traseira, desaceleram o carro de forma segura.

Acertos no sistema de assistência a vácuo reduziram o curso do pedal de freio e também contribuíram para a eficiência das frenagens e o desempenho do “piloto”.

Em resumo, o Sandero RS é um carro para quem gosta de acelerar, trocar as marchas mais constantemente, fazer curvas rapidamente e não está preocupado com o consumo e nem mesmo com o conforto de marcha.

Para quem tem acesso a pistas, ele já está pronto para começar a correr em track days, pois a Renault Sport fez um ótimo trabalho. Trata-se de um carro realmente esportivo e oferecido em uma faixa de preço sem concorrentes.

_DSC3570

Fotos: Amintas Vidal

 

*Colaborador

Conheça o novo Porche 911

Da Redação

P18_0830_a3_rgbO Porsche 911 entra em sua 8ª geração. O novo 911 celebrou sua estreia mundial na véspera do Salão do Automóvel de Los Angeles, nos Estado Unidos, e continua a estabelecer os parâmetros para uma esportividade exclusiva.

A próxima geração do motor turbo alimentado, horizontal, de 6 cilindros foi desenvolvida ainda mais e está mais potente do que nunca, com 450 cv nos modelos S. A eficiência foi aumentada por um processo de injeção aperfeiçoado e uma nova disposição do sistema de turbo compressores e resfriamento do ar de admissão.

A força é disponibilizada através de uma nova transmissão de dupla embreagem com 8 marchas. Outros destaques são os novos sistemas de assistência, que incluem o modo Porsche Wet, que torna ainda mais segura a condução em pistas molhadas, e o Night Vision Assist (assistente de visão noturna) com câmera de imagem térmica, assim como a abrangente conectividade, que agora também inclui a inteligência coletiva.

O conteúdo do 911 é completado por três ofertas digitais exclusivas: o aplicativo Porsche Road Trip, para viagens, o assistente pessoal Porsche 360+ e o calculador de emissões baseado na rede Porsche Impact, para neutralizar sua pegada de carbono individual.

P18_0833_a3_rgbMotor – O motor horizontal de seis cilindros do 911 Carrera S* e do 911 Carrera 4S agora gera 450 cv. Isto corresponde a um acréscimo 30 cv em relação ao modelo anterior. Os dois modelos 911 superam a marca de 4 segundos para a aceleração de 0 a 100 km/h: com tração traseira, o Coupé precisa de 3,7 segundos, enquanto o 911 Carrera 4S, com tração nas quatro rodas, de apenas 3,6 segundos, informou a montadora.

Isto torna ambos os carros 0,4 segundos mais rápidos que os modelos anteriores correspondentes. Essa vantagem é aumentada por mais 0,2 segundos com o pacote opcional Sport Chrono.

As velocidades máximas agora são 308 km/h (911 Carrera S) e 306 km/h para a versão com tração nas quatro rodas. O consumo de combustível (NEDC) do 911 Carrera S é de 8,9 l/100 km, enquanto o do Carrera 4 S é 9,0 l/100 km.

Design – O design exterior é completamente novo e enfatiza o salto na performance do 911 da geração 992. Caixas de rodas significativamente mais largas recobrem as rodas dianteiras de 20 polegadas e as traseiras com 21 polegadas de diâmetro.

P18_0847_a3_rgbA traseira, agora, tem a mesma largura em todos os modelos, ressaltando a seção central mais esguia. Na frente, a carroceria é 45 milímetros mais larga. A integração fluida das maçanetas elétricas embutidas nas portas reforça o contorno lateral suave e gradual.

Entre os novos faróis de LED, um capô com um rebaixo pronunciado evoca o design das primeiras gerações do 911. Em todos os modelos, a traseira é dominada pelo defletor traseiro com posicionamento variável consideravelmente mais largo e pela elegante faixa luminosa contínua.

Fora as seções dianteira e traseira, toda a cobertura exterior da carroceria é feita de alumínio.

P18_0874_a3_rgbO interior completamente novo se caracteriza pelas linhas definidas e retas do painel, com os instrumentos embutidos. A inspiração para esse aspecto vem dos modelos 911 dos anos 1970. Dos lados do conta-giros central – uma característica típica da Porsche – dois estreitos displays fornecem informações para o condutor.

A tela central do PCM agora tem 10,9 polegadas e pode ser operada rapidamente e sem provocar distração, graças à nova arquitetura. Localizada abaixo dela há uma unidade compacta de interruptores com cinco botões que dão acesso a importantes funções do veículo.

Em termos de digitalização, o 911 avança para o futuro com conectividade permanente, assim como novas funções e serviços. Os itens do PCM incluem navegação online* baseada em inteligência coletiva, assim como o Porsche Connect Plus.

P18_0880_a3_rgbSistemas de Assistência – A Porsche desenvolveu um modo Wet (molhado), incluído de série no 911. Essa função detecta água na estrada, pré-condiciona os sistemas de controle para essa condição e alerta o motorista, que pode, então, regular o veículo para dar uma atenção especial à segurança simplesmente apertando um botão ou utilizando o seletor de modos localizado no volante (no pacote Sport Chrono).

O sistema de alerta e assistência na frenagem, também instalado de série, detecta o risco de colisões com objetos móveis e inicia uma frenagem de emergência se for necessário.

O Night Vision Assist (assistente de visão noturna), com câmera de imagens térmica, é oferecido pela primeira vez como opção para o 911. O controle de velocidade de cruzeiro (piloto automático) adaptativo inclui controle automático de distância, função stop-and-go, proteção reversível dos ocupantes e uma inovadora função autônoma de assistência de emergência.

P18_0842_a3_rgbO 911 Carrera S custa a partir de 120,13 mil euros na Alemanha e o 911 Carrera 4S, a partir de 127,98 mil euros, incluindo VAT (imposto por valor adicionado) e equipamento específico para o país. Os novos modelos já podem ser encomendados. No Brasil o novo modelo estará disponível em 2019 a partir de 2º semestre.

P18_0843_a3_rgb

P18_0841_a3_rgb

Fotos: CB / Porche / Divulgação

*não disponíveis no mercado Brasileiro