VW Caminhões e Ônibus lança o Constellation 30.280

Da Redação

ViewImage.aspx2A Volkswagen Caminhões e Ônibus está lançando o Constellation 30.280, caminhão rígido 8×2 que estreia para ampliar a presença da marca no segmento de semipesados, no qual o Constellation 24.280 já é, segundo a montadora, o campeão de vendas.

O novo modelo traz uma importante vantagem competitiva: é o único 8×2 com sistema EGR de tratamento, o que dispensa o uso de Arla 32. Com isso, não necessita de um tanque extra para o aditivo, trazendo facilidade na instalação do implemento, sem agregar peso extra no conjunto.

O motor é o MAN D08 de 277 cv de potência e 1.050 Nm de torque, que garante performance e alta velocidade média operacional, proporcionando ótima produtividade e menor custo.

Ao atingir o máximo de torque com rotação menor, é ágil em subidas e ultrapassagens e traz economia de combustível, maior vida útil aos componentes e consequente redução dos custos operacionais.

O modelo é equipado com segundo eixo direcional com suspensor pneumático. O powertrain é completado por uma transmissão mecânica ZF de 9 velocidades. O câmbio automatizado V-Tronic é opcional.

ViewImage.aspx3O motorista e os passageiros contam com as principais características da cabine Constellation, reconhecida no mercado pelo espaço interno e ergonomia, proporcionando boas condições de operação.

O modelo está disponível nas opções de cabine Estendida, Leito Teto Baixo e Leito Teto Alto.

O VW Constellation 30.280 8×2 é indicado para aplicações rodoviárias de médias e longas distâncias para: baú carga geral, carga seca, tanque, sider, graneleiro, entre outras.

“O VW Constellation 30.280 8×2 traz todos os grandes atributos do Constellation 24.280, agora com um 4º eixo de fábrica e PBT homologado de 29 toneladas, estendendo essas vantagens ao operador que precisa de mais capacidade de carga. A novidade traz em seu DNA nosso conceito sob medida”, explicou Ricardo Yada, supervisor de marketing do produto da VW Caminhões e Ônibus.

O caminhão estreia também com foco em segurança operacional: traz, de série, os sistemas ABS e EBD, que respectivamente impede o travamento das rodas em pisos em condições de baixa aderência e gerencia automaticamente a quantidade de força aplicada em cada roda a fim de maximizar a potência de frenagem.

Para o Constellation 30.280 8×2 V-Tronic estão disponíveis os sistemas de controle automático de tração (ATC), que também pode ser adquirido como opcional para a versão com transmissão mecânica, e o Easy Start, que auxilia a partida em rampa.

ViewImage.aspxFotos: Malagrine / Volkswagen / Divulgação

Hyundai anuncia aumento da capacidade produtiva da planta de Piracicaba (SP)

Da Redação

Planta HMB (2)A Hyundai Motor Brasil informou que está ampliando a capacidade produtiva de sua fábrica localizada na cidade de Piracicaba, interior de São Paulo, de 180 mil unidades por ano para 210 mil unidades por ano.

O novo volume vai corresponder a 17 mil unidades acima do que foi produzido em 2018, quando foram fabricadas 193 mil unidades, já acima da capacidade instalada graças a ganhos de eficiência pontuais no processo de produção.

Segundo a Hyundai, para 2019, investimentos da ordem de R$125 milhões em melhorias nas operações e aquisição de novos equipamentos de alta tecnologia, incluindo robôs, vão possibilitar o aumento consistente do volume de produção, passando de 36 veículos por hora para 42 veículos por hora, com a fábrica funcionando em três turnos.

“Nossa fábrica passou por melhorias em diversas áreas, principalmente nas estruturas de solda, pintura e montagem, o que torna possível esse aumento na produção e, consequentemente, maior capacidade total anual. O volume adicional de 30 mil veículos vai atender prioritariamente o mercado brasileiro, respondendo às perspectivas de crescimento do setor automotivo, que pode ultrapassar 10% em 2019, segundo a Anfavea. Com isso, a Hyundai poderá manter sua participação de mercado ao longo do ano”, comentou Eduardo Jin, presidente e CEO da Hyundai Motor Brasil.

Planta HMB (1)Fotos: Hyundai / Divulgação

Na época de sua inauguração, em setembro de 2012, a fábrica da Hyundai em Piracicaba apresentava uma capacidade de produção anual de 150 mil unidades, operando em dois turnos e contando com 2,5 mil funcionários.

Um ano depois, o terceiro turno foi adicionado, eliminando horas extras e elevando a capacidade para 180 mil carros ao ano. O número de funcionários foi acrescido de 200 pessoas. Em 2018, com ganhos pontuais no fluxo de processo produtivo, foi possível elevar a capacidade, naquele ano, para mais de 190 mil unidades. Agora, oficialmente, a capacidade da fábrica passa a ser de 210 mil unidades ao ano.

Em volumes totais produzidos efetivamente, a Hyundai Motor Brasil fabricou 27 mil carros em 2012, de setembro a dezembro, unicamente do modelo HB20 hatch. Em 2013, no primeiro ano completo de operação, o volume total foi de 167 mil carros, já contemplando as versões hatch e sedan do HB20.

No ano seguinte, a produção total bateu em 179 mil unidades. Em 2015 e 2016, os volumes anuais foram de 175 mil e 162 mil, respectivamente. O total de 183 mil unidades seria atingido em 2017, primeiro ano em que a produção do SUV compacto Creta somou-se à do HB20. Em 2018, o recorde da fábrica foi estabelecido em 193 mil unidades.

A fábrica em Piracicaba tem operado, desde sua inauguração, com ocupação acima de 90% da capacidade instalada, dedicando mais de 95% de sua produção dos modelos HB20 e Creta para o mercado doméstico.

O volume restante é destinado para  exportação ao Paraguai, Uruguai e, recentemente, à Colômbia.

Hyundai  - PiracicabaFoto: Christiano Diehl Neto / Hyundai / Divulgação

Atividades da planta da Lifan, no Uruguai, permanecem suspensas

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/03/2019)

Foto 3 - Lifan X80Foto: Lifan / Divulgação

A queda nas vendas da Lifan nos mercados do Brasil e Argentina levou a direção da empresa a manter a produção parada em sua fábrica no Uruguai. A unidade teve a produção suspensa em meados de 2018, após o lançamento do SUV X80.

Os cerca de 109 funcionários da planta permanecem em lay off (licença remunerada com auxílio do Governo Uruguaio) desde então, prática já utilizada em dezembro de 2015 nesta unidade fabril.

Sob a direção do novo presidente, Kevin Lau, que também comanda a fábrica do Uruguai, a Lifan pretende retomar a produção no país vizinho assim que as vendas voltarem a crescer.

Nesse momento, a opção para continuar abastecendo os mercados locais é a importação direta da China. “A nossa fábrica no Uruguai só é viável economicamente com volume e estabilidade de produção, o que infelizmente não acontece desde o segundo semestre do ano passado”, explicou Lau.

“Mesmo com a implementação do novo programa Rota 2030, que traz a possibilidade estratégica da importação de veículos diretamente da China, a nossa fábrica no Uruguai ainda é a melhor opção”, enfatizou o novo presidente da Lifan.

No Brasil, a operação da Lifan segue regularmente, com sua rede de concessionárias ativa, com serviços e venda de peças aos clientes da marca, bem como a comercialização de veículos novos e seminovos. Diante desta fase transitória de operação, a Lifan trabalha fortemente para lançar o SUV X70 ainda neste ano.

Fundada em 1992, e presente no Brasil desde 2012, a Lifan é um grupo empresarial privado que fabrica automóveis, motocicletas, motores e máquinas, com investimentos também em fontes de energia alternativas e no setor imobiliário.

Com seus produtos presentes em 117 países em diferentes regiões do mundo, a empresa mantém sua base de operações em Chongqing (China) e sua capacidade de produção de automóveis é de 200 mil veículos por ano.

 

Versão 2019 da KTM 200 Duke passa a contar com freios ABS

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/03/2019)

Modelo, importado pela Dafra Motos, utiliza motor monocilíndrico de 199,5 cm³ arrefecido a líquido

KTM 200 DUKE ABS (3)Foto: Rudi Schedl / KTM / Divulgação

A Dafra Motos, importador da marca KTM no Brasil, apresentou o modelo KTM 200 Duke ABS 2019, que será o substituto da KTM 200 Duke.

Essa é uma moto de entrada no mundo KTM. À qualidade, tecnologia e performance, o modelo soma freios ABS de dois canais, em compromisso com aumento de segurança e alinhando-se à legislação brasileira vigente.

A legislação exige que, a partir de janeiro de 2019, qualquer motocicleta fabricada no País, com até 300 cilindradas, seja equipada com ao menos algum tipo de auxílio na frenagem (freios combinados ou ABS). Para as motocicletas acima das 300 cc, os freios com sistema ABS devem vir de série.

O design da KTM Duke confere esportividade ao segmento de baixa cilindrada. O modelo preserva as configurações da geração anterior, como pinças de freio com montagem radial (disco de freio dianteiro de 300 mm de diâmetro e, na traseira, diâmetro de 230 mm) e suspensão dianteira invertida.

Foto 2 - KTM 200 DUKE ABSO garfo conta com 150 mm de curso e 43 mm de diâmetro. Esse tipo de suspensão, também conhecida como upside down, é mais robusta e rígida que a convencional, mantém o pneu o máximo possível em contato com o chão, com reações mais precisas nas manobras e absorção dos impactos e as irregularidades do piso.

A motocicleta apresenta uma balança traseira monoamortecida cujo curso da suspensão é de 150 mm. Para uma pilotagem mais esportiva, condizente com o seu design, o assento da Duke fica a 800 mm do chão.

A KTM 200 Duke ABS conta com um motor monocilíndrico de 199,5 cm³ arrefecido a líquido. A potência é de 26 cv a 10.000 rpm. Já o torque, é de 1,95 kgfm a 8.000 giros. O câmbio conta com 6 marchas. Seu tanque tem capacidade para 11 litros.

O chassi, de aço, é do tipo treliça, o que garante um bom peso (148 kg) em ordem de marcha. A motocicleta é equipada com painel digital que apresenta, inclusive, indicador da marcha utilizada.

KTM 200 DUKE ABS (8)Na dianteira, a KTM 200 Duke apresenta pneus 110/70-17 e, na traseira, 150/60-17. Ambos são produzidos pela Pirelli, modelo Diablo Rosso.

O preço público sugerido da KTM 200 Duke ABS é de R$ 17,90 mil, à vista e incluído o frete. Ela chega nas concessionárias com a opção das cores preta ou branca, ambas com as rodas na cor laranja, característica da marca.

Foto 1 - KTM 200 DUKE ABSFotos: Studio MAC / KTM / Divulgação

Lexus realiza recall dos pneus de duas unidades do LS 500h no Brasil

Da Redação

2018_lexus_ls_500h_preview_overview-pic-1964175420049055442-1600x1200Foto: Lexus / Divulgação

A Lexus comunicou, hoje (8 de março), a abertura a abertura da campanha de recall do modelo LS 500h (produzido entre novembro de 2017 e julho de 2018).

Esta campanha abrange um total de duas (02) unidades do modelo no País. O tempo de reparo na concessionária é estimado entre 3h e 4h.

Leia na íntegra, abaixo, o comunicado da Lexus:

Defeito apresentado: Os veículos envolvidos na presente campanha são equipados de série com pneus tipo Run Flat. Esses pneus possuem paredes laterais reforçadas que, mesmo sem a presença de ar pressurizado no pneu, permitem tanto suportar o peso do veículo como manter a dirigibilidade por uma determinada distância e velocidade específica.

No entanto, devido a uma falha ocorrida no processo de montagem do pneu à roda, foi identificada a possibilidade de ocorrer uma rachadura na camada do reforço lateral dos pneus que poderá expandir-se com o tempo.

Além do exposto acima, poderá ocorrer, ainda, uma alteração da especificação técnica do pneu (altura) e ocasionar o aumento da sua temperatura interna.

Riscos e implicações: A rachadura na camada do reforço lateral do pneu pode gerar ruído e vibração anormais. Sob certas condições de condução, com baixa pressão interna dos pneus, existe a possibilidade da banda de rodagem do pneu desprender-se e causar a redução na estabilidade do veículo e aumentar o risco de acidente, com prováveis danos materiais ao veículo e danos físicos aos seus ocupantes.

Medidas corretivas: A medida para sanar o defeito de forma definitiva consistirá na substituição dos 4 (quatro) pneus dos veículos envolvidos na presente campanha. Importante destacar que o veículo automotor Lexus modelo LS 500h envolvido na presente campanha é contemplado com um sistema eletrônico de advertência de pressão dos pneus que detecta a baixa pressão de inflagem de cada pneu e alerta o condutor através de uma luz que acende no visor multifunção no painel de instrumentos do veículo.

Caso apareça uma luz de advertência no painel, a Toyota do Brasil recomenda que os proprietários encaminhem os veículos à concessionária Lexus mais próxima para inspeção e, se necessário, substituição temporária da roda e do pneu com baixa pressão, a fim de reduzir o risco que ora se apresenta até a substituição definitiva dos pneus.

Data do início da campanha: A partir de 1º de abril de 2019, a Toyota realizará a substituição dos 4 (quatro) pneus dos veículos envolvidos.

Locais de atendimento e agendamento: Os proprietários deverão entrar em contato com a Rede de Concessionárias Autorizadas Lexus, para agendamento prévio. A relação de concessionárias autorizadas para atendimento está disponível no site www.lexus.com.br/pt/contact-us/find-a-dealer.html.

 

Modelo

 

Data de fabricação Chassis envolvidos
Lexus LS 500h  

18/11/2017 a 12/07/2018

 

 

JTHBYLFF0J5000307

 

JTHBYLFFXK5003572

Comércio de automóveis importados se mantém estável em fevereiro

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/03/2019)

As dezesseis marcas filiadas à Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa), com licenciamento de 2.495 unidades, anotaram em fevereiro último alta de 0,8% em relação ao primeiro mês do ano de 2019, quando foram vendidas 2.475 unidades importadas.

Ante fevereiro de 2018, quando foram comercializadas 2.577 unidades, porém, a queda foi de 3,2%.

“Novamente não foi um bom mês para o setor de veículos importados porque amargou resultados negativos acima da média do mercado interno, que apresentou 189.850 unidades emplacadas em fevereiro último, apenas uma queda de 0,5% em relação a janeiro, e alta de 25,2% ante de fevereiro de 2018”, analisou José Luiz Gandini, presidente da Abeifa, para quem a economia brasileira ainda dá sinais de recuperação lenta.

As cinco marcas que mais venderam, em fevereiro, foram a Kia Motors (717 unidades / -19%), Volvo (571 / +17,7%), Jac Motors (206 / +67,5%), Land Rover (189 / -3,1%), e BMW (186 / +38,8%).

Entre as associadas à Abeifa, que também têm produção nacional, BMW, Caoa Chery, Land Rover e Suzuki fecharam fevereiro último com 2.335 unidades emplacadas, total que representou alta de 18,6% em relação a janeiro de 2019, quando totalizaram 1.969 unidades e significaram alta de 87,1% ante fevereiro de 2018, quando anotaram 1.248 unidades.

Por marcas, a Caoa Chery, com 1.312 unidades emplacadas, obteve crescimento de 31,5% ante igual período de janeiro de 2019; a BMW, com 606 unidades, alta de 5,6%; a Land Rover, com 249, alta de 0,8% e a Suzuki, com 168 unidades licenciadas, também alta de 12%.

Em fevereiro último, ao considerar somente os veículos importados por associadas à entidade (total de 2.495 unidades), o setor significou marketshare de 1,3%.  Com 4.850 unidades licenciadas (importados + produção nacional), a participação das associadas à Abeifa foi de 2,54% do mercado total de autos e comerciais leves (189.850 unidades).

Vendas de veículos crescem 20,05% no primeiro bimestre

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 08/03/2019)

De acordo com o levantamento realizado pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), os emplacamentos de veículos, somando todos os segmentos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos) acumularam crescimento de 20,05% no 1º bimestre do ano, ante igual período do ano passado, somando 599.188 unidades emplacadas, contra 499.117 no acumulado do 1º bimestre de 2018.

Em fevereiro, foram emplacados 295.880 veículos, o que representa alta de 28,62% na comparação o mesmo mês do ano passado, quando foram licenciadas 230.042 unidades. Quando comparado com os 303.308 veículos emplacados em janeiro, o resultado é 2,45% menor.

A média diária de vendas em fevereiro, que teve 20 dias úteis, foi 7,31% superior a registrada em janeiro, que acumulou 22 dias úteis de vendas.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o desempenho do bimestre confirmou a expectativa da entidade. “Ao iniciarmos 2019, projetamos a retomada do crescimento das vendas para todos os segmentos de veículos, baseada na recuperação da economia, como um todo. Estamos atravessando mais uma etapa da recuperação do setor, visualizando a continuidade da queda na inadimplência, um crescimento, ainda que modesto, na geração de empregos, o controle da inflação e das taxas de juros, a confiança do consumidor e do empresário em alta e, ainda, o aumento na oferta de crédito. Todos esses aspectos somados resultarão no desempenho das vendas de veículos, conforme a Fenabrave projeta para o ano”, ressaltou o Assumpção Júnior.

Segundo os dados apresentados pela entidade, os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, totalizaram 380.502 unidades emplacadas neste 1º bimestre, resultando em alta de 16,31% sobre o mesmo período do ano passado, quando foram emplacadas 327.149 unidades.

Em fevereiro, os dois segmentos somaram 189.850 unidades licenciadas, o que representa 25,2% de alta sobre igual mês de 2018. Na comparação com janeiro, quando foram emplacados 190.652 automóveis e comerciais leves, fevereiro registrou leve retração de 0,42%.