Volvo XC40 Pure Electric é lobo em pele de cordeiro

SUV conta com dois motores elétricos que, combinados, geram 408 cv

Amintas Vidal*  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 21/01/2022)

DSCN0055

A Volvo já declarou que a eletrificação não é exceção para a marca e, sim, a regra. Em abril deste ano, eles informaram que só venderiam modelos híbridos ou elétricos no Brasil, a partir daquela data.

No dia 15 de dezembro do ano passado, deram mais um passo nessa direção: eliminaram todas as versões híbridas do seu SUV compacto, deixando apenas a XC40 Recharge Pure Eletric, a única versão 100% elétrica.

Pelo seu elevado valor, R$ 389,95 mil, acreditamos que, futuramente, a Volvo traga uma versão mais simples e com preço menos distante aos das versões híbridas descontinuadas.

No caso, ela deverá ter apenas um motor elétrico e bateria de aproximados 50 kWh, pois a versão atual tem dois motores e baterias com 78 kWh de capacidade.

DSCN0048

Indagada sobre essa possibilidade, a assessoria de imprensa da marca disse que não tem essa informação, por enquanto.

O DC Auto recebeu o XC40 Recharge Pure Eletric para avaliação. A versão é completa de série e não oferece opcionais. Qualquer uma das oito cores disponíveis está inclusa no preço informado anteriormente.

Externamente, ela se difere das versões híbridas por ter a grade dianteira quase toda fechada e a tomada de recarga posicionada no para-lama traseiro e, não, no dianteiro.

A pouca necessidade de ar para refrigerar as baterias, e a ausência de um tanque de combustíveis na parte posterior do carro, possibilitaram essas alterações que trouxeram ganhos aerodinâmicos e práticos.

DSCN0034

Interior – Internamente, o estilo all black predomina. Chamado de “carvão”, ele é composto pelo material Microtech que reveste os bancos, os acabamentos macios e sólidos dos painéis, o carpete do piso e dos bolsões das portas e o forro do teto, tudo seguindo essa monocromia.

Peças em preto brilhante, cromadas ou em alumínio fosco sofisticam o interior. Detalhe côncavo no painel principal se estende para as portas dianteiras.

Ainda no painel, a aplicação metálica tracejada e a suave iluminação por filete de luz em LED cria uma ambientação aconchegante, juntamente com as luzes que iluminam o piso à frente dos bancos dianteiros.

Considerado compacto pela marca, o XC40 tem dimensões externas maiores que às do Jeep Compass, o SUV médio mais vendido no Brasil. São 4,42 metros de comprimento, 1,86 metro de largura, 2,70 metros de distância entre-eixos e 1,64 metro de altura.

DSCN0072

O porta-malas desta versão comporta 414 litros. O bagageiro dianteiro localizado sob o capô acrescenta 31 litros. O SUV pesa 2.118 kg e sua carga útil é de 466 kg.

Na cabine, o espaço é mais generoso que em seus concorrentes compactos mas, menor do que nos médios. Capô mais alongado, e colunas “A” e “C” bem inclinadas, formam um design muito esportivo que não favorece o aproveitamento destas medidas.

A segurança estrutural do habitáculo também entra nessa conta pois, certamente, a largura de todas as “paredes” consome área considerável neste SUV compacto, um dos mais seguros do mundo.

Conforto – Quatro adultos têm espaço de sobra para cabeça, ombro e pernas. O túnel central é bem alto, limitando o conforto do quinto ocupante. O vão das portas traseiras é reduzido, exigindo flexibilidade ao entrar e sair. A ergonomia é acertada e todos os comandos estão à mão.

A boa vida a bordo é propiciada por diversos equipamentos. Os bancos dianteiros têm controles elétricos para quase todas as regulagens e duas memórias para o do motorista. Acertos lombares estão entre os diversos recursos eletrificados e a extensão do assento é o único ajuste feito manualmente.

O sistema multimídia com tela de 9 polegadas posicionada na vertical trabalha sobre uma plataforma Google e conta com internet embarcada da operadora Claro.

Programa operacional semelhante ao Android, ele permite ao usuário entrar com a conta pessoal e usar diversos recursos disponíveis em seu smartphone, sem a necessidade de estar com o aparelho a bordo. Caso prefira, o espelhamento sem fio está disponível, assim como o pareamento. Há carregador de celular por indução eletromagnética.

Destaque na linha Volvo, o equipamento de áudio tem assinatura Harman Kardon. Suas regulagens permitem priorizar a emissão sonora para o motorista ou para os passageiros e intensificar o efeito espacial da mesma.

DSCN0076

O equilíbrio entre as frequências acústicas é de ótima qualidade. A potência de 660W é distribuída por 13 alto-falantes, subwoofer e um sistema que usa os dutos de ventilação. Essa tecnologia eliminou as caixas de som das portas dianteiras abrindo amplo espaço para objetos em seus bolsões.

Além do entretenimento, o multimídia controla todas as funções programáveis do carro, como os recursos de condução semiautônomas, o ar-condicionado e acertos da direção elétrica, por exemplo, que é leve em manobras, ganha peso de forma progressiva e adequada, mas pode ser regulada com carga extra para uma condução mais esportiva.

O gerenciamento Google permite comandar tudo por voz, mas apenas em inglês, pois o sistema ainda não foi habilitado para o português. Este recurso é essencial, uma vez que o ar-condicionado de dupla zona não tem nenhum botão físico e é totalmente controlado nessa mesma tela.

Muito eficiente em tempo de resfriamento e manutenção de temperatura, suas amplas saídas dianteiras e traseiras contribuem para a boa distribuição do ar na cabine. Mesmo com grafismos grandes e claros na página dedicada ao seu controle, botões físicos seriam os ideais, pois permitiriam uso cego, o mais seguro.

DSCN0083

O teto solar panorâmico é amplo e conta com comando elétrico sensível ao toque, sem botões. Em uma canaleta longitudinal, basta deslizar o dedo para trás ou para frente, que o vidro ou a cortina do teto seguem o sentido do movimento. Sua parte anterior comanda o vidro e, a posterior, a cortina.

O painel de instrumentos de 12,3 polegadas é totalmente digital. Contando com apenas dois modos de apresentação, sua virtude é a facilidade de leitura. Basicamente, o lado esquerdo da tela informa dados sobre a velocidade do veículo e a permitida na via.

Ao centro, alternam-se mapas de navegação, informações da condução semiautônoma e dados do computador de bordo. No lado direito, o posicionamento da transmissão e o status de consumo ou recarga elétrica são os destaques. Informações fixas ficam nas extremidades superior e inferior desta tela horizontal.

Rodando – Toda experiência com um carro 100% elétrico é diferenciada. Com o XC40 Pure Eletric ela é superlativa, comparável às vivenciadas em alguns modelos superesportivos, eletrificados ou não. Seus números de desempenho são semelhantes aos do Porsche 718.

Os dois motores de 204 cv, um em um cada eixo, entregam 408 cv e tração integral. O torque não fica atrás. São 33,65 kgfm em cada motor, totalizando 67,3 kgfm.

Estes números já seriam excelentes em qualquer carro com motor a combustão. Em motores elétricos, toda essa força é entregue de forma instantânea, da menor à maior rotação.

O XC40 Pure Eletric acelera de 0 a 100 km/h em apenas 4,9 segundos. Alcançar essa marca em tão pouco tempo é divertido em qualquer situação mas, em modelos elétricos, é melhor. 

O começo da aceleração é brutal. O corpo é pressionado contra o banco, não há força que impeça essa reação à sua inércia. O silêncio é quase total. O contido atrito dos pneus e o baixo zumbido dos motores não tiram a sensação de se estar em uma montanha russa moderna.

As retomadas são tão ou mais impressionantes. Partindo de 50 km/h, ou mesmo, de 80 km/h, por exemplo, a resposta à aceleração total faz parecer que os carros ultrapassados estavam parados, de tão distantes que eles ficam em uma pequena fração de tempo.

Além de muito divertida, a versão elétrica do XC40 cumpre essa ação comum em rodovias com o máximo de segurança possível, argumento que pode justificar um carro familiar ser tão potente, o verdadeiro “lobo em pele de cordeiro”.

Entretanto, este desempenho cobra o seu preço. Para entregar 408 km de autonomia, são utilizados muitos módulos de bateria, totalizando 78 kWh. Além do custo elevado, o peso do conjunto de acumuladores elétricos ultrapassa os 500 kg, contribuindo com o sobrepeso de 250 kg em relação ao XC40 híbrido.

Por segurança, todos os modelos da Volvo são limitados eletronicamente aos 180 km/h. No caso deste elétrico, a restrição da velocidade também ajuda na preservação da carga e da longevidade da bateria.

DSCN0092

Sistema One Pedal auxilia no acúmulo de energia e no aumento da autonomia

Comum em quase todo carro elétrico, o one pedal, recurso para dirigir usando apenas o acelerador, é essencial para se alcançar a autonomia declarada. Com ele, toda vez que se alivia a pressão do pedal, os motores usam a força do deslocamento para funcionarem como geradores de energia e recarregar as baterias. Por conseqüência, também vão parando o carro.

Este sistema reconhece a velocidade do movimento de alívio do pedal e aplica maior ou menor regeneração, causando uma retenção mais suave ou mais abrupta ao veículo. Apenas em frenagens de emergência ou em vias muito acidentadas se faz necessário o uso do pedal de freio, característica que diminui o desgaste das pastilhas e dos discos de freio.

O uso das baterias é registrado no lado direito do painel, em um grafismo em forma de meio arco. Quando há consumo, a parte superior do arco se acende progressivamente. Na regeneração, é a parte inferior que se ilumina para acusar o aproveitamento cinético.

É possível desabilitar o one pedal. O carro fica mais solto e só regenera energia quando se pisa levemente no freio. Além de diminuir a autonomia, este modo é estranho para quem dirige de forma econômica, como fazemos, pois parece que estamos desperdiçando a energia que gastamos para acelerar.

DSCN0093

Em carregadores mais comuns, que variam entre 7 e 20 kWh, as baterias do XC40 Pure Eletric levam entre 5 e 11 horas para atingirem 100% de carga. Nos raros equipamentos rápidos, com até 150 kWh, este tempo cai para menos de uma hora.

A Volvo anunciou que, agora em março, entregará alguns corredores com eletropostos de carga rápida, permitindo viagens entre São Paulo e algumas capitais, como Belo Horizonte, Rio de Janeiro e outras. Cidades do litoral paulista e do triângulo mineiro também serão contempladas neste investimento da marca.

Um veículo tão pesado e com tamanho desempenho exige muito dos pneus e das suspensões para garantir conforto e estabilidade, assim como as tecnologias de segurança garantem a integridade física do carro e de seus ocupantes.

As rodas de 20 polegadas são calçadas em pneus especialmente produzidos para a Volvo. Atrás, eles são mais largos, 255/40 e, na dianteira, mais estreitos, 235/45. Segundo a Volvo, essa opção visa dar a sensação de ser empurrado e, não, de ser puxado pelos motores.

DSCN0098

A rígida plataforma consegue se manter estável e com pouca torção, enquanto as suspensões sofrem para isolar a cabine das irregularidades do piso. Em asfalto liso ou ondulado o conforto é elevado.

Sobre defeitos mais acentuados, as vibrações são sentidas no habitáculo. O conjunto não se dá bem com os buracos. Ele não foi projetado para as nossas crateras.

Segurança – Os equipamentos de segurança e de auxílio à condução semiautônoma são completos e muito eficientes. Os destaques são os pré-tensores dos cintos de seguranças e o piloto automático adaptativo com detecção de saída de faixa e correção ativa.

O primeiro equipamento tem funcionamento elétrico e tira toda a folga dos cintos de segurança quando os sensores do carro detectam uma possibilidade de acidente. Conosco, ele funcionou em uma saída de ponte.

Um desnível entre a travessia e a estrada fez as suspensões se estenderem por completo, o suficiente para sistema acionar os tensores e só aliviar a carga quando o veículo estava estável novamente.

DSCN0024

O piloto automático adaptativo funcionou muito bem, até sob chuva forte. O reconhecimento das faixas, mesmo as mal conservadas, foi muito bom. As correções são antecipadas e deixam o carro mais centralizado que em sistemas mais simples. A detecção de tráfego à frente e a manutenção das distancias em relação a estes veículos foram precisas.

Consumo – Em nossos testes padronizados de consumo, o XC40 elétrico provou que pode cumprir, e até superar, a autonomia divulgada pela marca, principalmente em velocidades mais baixas e circulando em regiões planas, sempre usando o one pedal.

No circuito rodoviário, realizamos duas voltas no percurso de 38,4 km, uma mantendo 90 km/h e outra os 110 km/h, sempre conduzindo economicamente. Na volta mais lenta atingimos 5,9 km/kWh (460 km de autonomia), na mais rápida, 4,9 km/kWh (382 km de autonomia).

Em nosso circuito urbano de 6,3 km realizamos quatro voltas, totalizando 25,2 km. Simulamos 20 paradas em semáforos com tempos entre 5 e 50 segundos. Vencemos 152 metros entre o ponto mais alto e o mais baixo do acidentado percurso. Finalizamos o teste com 5,5 km/kWh (429 km de autonomia).

DSCN0044

Observamos que o consumo energético é muito sensível às variáveis topográficas. Circulando apenas nas partes planas deste circuito urbano, nós atingimos 6,6 km/kWh (514 km de autonomia), consumo viável em cidades muito planas.

Essa versão do XC40, com dois motores elétricos e bateria com grande capacidade, entrega mais desempenho que qualquer outro veículo ofertado no Brasil abaixo dos R$ 400 mil.

Para quem pode investir este valor, o retorno é garantido em segurança, diversão e boa autonomia para um modelo elétrico.

DSCN0038Fotos: Amintas Vidal

*Colaborador

Acesse o  nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s