Viajamos 1.300 km com o EcoSport Titanium equipado com tecnologia run flat

Amintas Vidal* (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 24/05/2019)

Versão do utilitário compacto do Ford perde estepe e ganha pneu que pode rodar mesmo furado

_DSC6799A atual febre dos utilitários esportivo (SUV) não apareceu do nada. No Brasil, a temperatura começou subir com a abertura do mercado aos carros importados. “Jipões” luxuosos estacionaram nas garagens de jogadores de futebol e de outros endinheirados, mas também povoaram os sonhos dos consumidores comuns.

Estranhamente, as montadoras não reagiram a essa demanda imediatamente e levaram longos 13 anos para começarem a oferecer um modelo nacional acessível. E foi a Ford quem deu o pontapé inicial. Em 2003, ela lançou o EcoSport, um SUV compacto construído sobre a plataforma do Fiesta.

Louro concedido aos pioneiros, o modelo dominou o mercado praticamente sem concorrentes, já que os importados estavam em uma faixa de preço bem superior. Mas, nem a própria Ford esperava tanta moleza, pois apenas em 2011 surgiu o segundo nacional no segmento, o Renault Duster.

O francês chegou a dar trabalho ao veterano, mas até ser lançada a segunda geração do EcoSport, em 2012. Daí para frente, os dois brigaram pelo bolo que, quase sempre, a Ford comia a maior fatia.

Já em 2015, tudo mudou. A Honda lançou o HR-V e, a Jeep, o Renegade. Ambos dominaram o mercado até 2016, quando o Jeep Compass, um modelo médio, mas com preço muito competitivo, emplacou 2017 e 2018 na liderança, à frente 12 modelos desse segmento que passaram a figurar entre os 50 automóveis mais vendidos no Brasil.

_DSC6787Nessa batalha com 13 concorrentes em campo, o EcoSport ainda se saiu bem para um veterano. Fechou 2018 com 34.497 unidades emplacadas, 6º lugar entre todos os SUVs do mercado.

Em 2019, com mais um modelo na disputa figurando entre os 50 mais vendidos, o Volkswagen T-Cross, até o fechamento do mês de abril o EcoSport se manteve na 6ª posição, com 10.333 unidades vendidas. Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Reestilizada pela primeira vez, essa segunda geração do EcoSport adotou um motor mais moderno, 1.5 de três cilindros que substituiu o 1.6 de quatro cilindros, e, também, um câmbio automático de 6 marchas no lugar do automatizado de dupla embreagem, tecnologia que não se deu bem com as trepidações causadas por nossas vias mal conservadas.

O modelo ganhou novo interior e melhorou ainda mais os seus materiais de acabamento, “calcanhar de Aquiles” da primeira geração. Externamente, o design está mais agressivo e atualizado com a identidade visual da Ford mundo a fora, mas a mudança mais radical ocorreu na traseira e, apenas, na versão topo de linha Titanium.

Estepe – Tiraram o estepe que era fixado na tampa do porta-malas e trocaram os pneus por modelos run flat na medida 205/50 R17, que possuem uma estrutura reforçada, principalmente nas laterais, e podem rodar furados por até 80 km de distância e em velocidade máxima de 80 km/h.

_DSC6806Um kit de bomba elétrica e líquido selante permite o reparo deste pneu para que o mesmo possa circular por mais 200 km até ser definitivamente reparado.

DC Auto recebeu EcoSport Titanium Plus 1.5 automático, 2020, para avaliação. No site da Ford seu preço sugerido é R$ 100,89 mil. Essa versão não oferece pacotes opcionais, apenas as cores metálicas, por R$ 1,45 mil ou a branca, por R$ 700,00.

Seus principais equipamentos de série são: ar-condicionado automático e digital, teto solar, direção com assistência elétrica, volante com ajuste em altura e profundidade revestido em material que imita couro, assim como os bancos que são revestidos na cor bege Light Stone.

Também estão presentes vidros elétricos dianteiros e traseiros com acionamento por um toque, abertura e fechamento global (portas, vidros e teto), partida por chave com sensor de presença e alarme antifurto, sete airbags (frontais, laterais, cortina e de joelhos para o motorista), controle eletrônico de estabilidade (ESC) e tração (TCS), freios ABS com EBD, sistema Isofix (ganchos de ancoragem cadeiras de crianças), assistente de partida em rampas (HLA), sistema anticapotamento, sensor de monitoramento individual de pressão dos pneus, sistema de monitoramento de ponto cego com alerta de tráfego cruzado (BLIS), sensor de estacionamento traseiro e câmera de marcha à ré com guias de esterço, farol de neblina dianteiro e faróis de xênon.

Completam o pacote de itens o acendimento automático dos faróis, espelho retrovisor interno eletrocrômico e sensor de chuva, além de computador de bordo com tela de LCD configurável de 4,2 polegadas, piloto automático e sistema multimídia com tela de LCD multifuncional “flutuante” touchscreen de 8 polegadas com conectividade para Apple Car Play e Android Auto.

_DSC6809

_DSC6811Esse sistema conta com comandos de voz com funções de áudio, telefone e navegador e som Sony Premium com 9 alto falantes e controles de áudio no volante, entre outros.

Com os novos pneus, EcoSport Titanium é mais indicado para o asfalto

A versão Titanium passou a ser oferecida com o novo motor 1.5 de três cilindros no lugar do 2.0, que agora está restrito à versão Storm 4×4. O tricilíndrico é moderno, mas não tem injeção direta de combustível, apenas multiponto.

Já o comando de válvulas no cabeçote é duplo e tracionado por correia dentada com abertura variável das mesmas, tanto para o conjunto de admissão como o de escape. Seu torque é de 16,2/15,6 kgmf às 4.500 rpm e, a potência, é de 137/130 cv às 6.500 rpm, sempre com etanol e gasolina, respectivamente.

O câmbio é automático tradicional com conversor de torque, 6 marchas e programação Sport. Também existem aletas fixadas atrás do volante para trocar as marchas temporariamente, mas não é possível travar o sistema em “manual”.

Na estrada – Rodamos em viagem por 1.300 km. Destes, a maioria por estradas bem pavimentadas, com pequenos trechos mal conservados ou de terra. A primeira característica dos pneus que chama atenção é o ruído.

_DSC6826

_DSC6827Por ter uma estrutura muito rígida, eles não abafam muito o barulho causado pelas irregularidades do solo e se tornam mais ruidosos que o motor ou o vento contra a carroceria. Em compensação, quando passamos sobre inevitáveis buracos, as rodas não atingem o piso, pois o pneu absorve o impacto.

Mas a versão se tornou essencialmente urbana. O acerto das suspensões garante conforto e muita estabilidade, pois os pneus sedem menos em curvas, mas apenas sobre o asfalto. Rodando na terra, este conjunto não absorve as irregularidades e o conforto desaparece, pois a cabine vibra com todas as irregularidades do piso.

A direção elétrica é muito leve em manobras e ganha peso adequado em velocidade. Neste quesito os pneus run flat também ajudam pois, por não deformarem tanto quando as rodas esterçam, o SUV responde mais rapidamente aos comandos do volante.

O câmbio está bem casado com o motor, apresentando trocas suaves e escalonamento correto. O conjunto confere desempenho honesto ao EcoSport, mas nada muito esportivo. Conduzindo de forma mais econômica possível, não passamos dos 14 km/l em rodovias usando apenas gasolina no tanque.

Com o mesmo combustível, mas mantendo sempre a velocidade máxima permitida na via, o consumo subiu para 12 km/l. Para um motor 1.5 de três cilindros, esperávamos resultados até melhores. Se a sexta marcha fosse mais longa, pois aos 110 km/h o motor já está às 2.750 rpm, a versão seria mais econômica.

_DSC6835

_DSC6831O isolamento acústico é eficiente e não se ouve o motor abaixo das 3.000 rpm. Quando mais exigido, ele revela o característico e bom ruído grave dos motores de três cilindros que não nos incomoda.

A ergonomia é correta, mas o espaço interno não é dos mais generosos na categoria. Porém, garante conforto para quatro adultos e uma criança, sem sobras. O porta-malas comporta 356 litros e possui prateleira ajustável em duas posições, algo prático e útil.

O tanque de combustível tem capacidade de 52 litros, garantindo uma autonomia razoável, próxima aos 620 km, usando gasolina.

Atualizado em equipamentos e design em relação aos concorrentes mais novos do mercado, o pioneiro entre os utilitários esportivos nacionais ainda tem lenha pra queimar e é uma boa opção para quem quer um modelo compacto.

Essa versão Titanium é a mais adequada para quem circula apenas sobre o asfalto. Para quem precisa pegar estradas de terra, sugerimos a versão FreeStyle e, aquele que quer pegar uma trilha leve ou média, a Storm 4×4 é a mais indicada.

_DSC6782Fotos: Amintas Vidal

*Colaborador

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

 

Toyota lança novo RAV4 Hybrid no Brasil

Da Redação

Toyota_RAV4_Hybrid_01A Toyota anunciou, hoje, que a nova geração do utilitário RAV4 Hybrid chega ao Brasil em duas versões – S Hybrid e SX Hybrid- dotadas de sistema de propulsão híbrido auto-recarregável exclusivo, além de uma transmissão automática HEV Transaxle (transmissão variável contínua) e tração sob demanda inteligente nas quatro rodas (AWD).

A versão de entrada, S Hybrid, chega com sete airbags, faróis de LED com ajuste automático de altura, bancos com partes revestidas de couro, bancos dianteiros com um sistema de ventilação (SVS),  banco do motorista com memória para duas posições, além da regulagem elétrica de seis posições, sistema de áudio com tela de LCD sensível ao toque de 7 polegadas combinando com o painel de instrumentos de TFT de 7 polegadas,  sistema de acionamento e desligamento do motor por botão, sistema de entrada inteligente (Smart Entry System), rodas de liga leve de 18 polegadas, controle de climatização digital automático dual-zone com saída para os bancos traseiros e sistema S-flow, freio de estacionamento eletrônico (EPB), controle eletrônico de tração (TRC), controle de assistência de subida em rampa (HAC),  sistema de controle eletrônico de estabilidade (VSC) e controle de reboque e oscilação (TSC), dentre outros.

A versão SX Hybrid vem com todos esses equipamentos acrescidos de teto solar, carregador de celular sem fio ou por indução (Wireless Charger), abertura e fechamento elétrico da tampa do porta-malas com acionamento interno ou por sensor de movimento (passando o pé por debaixo do para-choque traseiro), sistema de transmissão com função paddle shift (aletas atrás do volante) e pacote de segurança ativo Toyota Safety Sense (TSS).

Os preços sugeridos, informados pela Toyota, são: RAV4 S Hybrid – R$ 165,99 mil e RAV4 SX Hybrid – R$ 179,99 mil. O modelo estará disponível em toda a rede de concessionárias Toyota no Brasil a partir de 13 de junho.

De acordo com a montadora, a 5ª geração do RAV4 procura diferenciar-se da atual tendência dos SUVs urbanos, redefinindo completamente o seu conceito e posicionando-se como um veículo versátil, com um espírito aventureiro e uma estética sofisticada.

Toyota_RAV4_Hybrid_03É aventureiro porque o seu design mais robusto e resistente permite ao motorista conduzir por onde quiser e, ao mesmo tempo, tem um design moderno e refinado que se adapta perfeitamente à vida urbana.

Os novos faróis dianteiros contam com tecnologia LED, luzes diurnas LED DRL, nivelamento automático de altura e sensor crepuscular e criam uma sensação de maior robustez e uma aparência mais refinada e agressiva ao modelo.

As lanternas LED poligonais, combinadas com o design trapezoidal da parte traseira do veículo, enfatizam uma sensação de amplitude e uma postura firme.

O novo RAV4 Hybrid nas versões S e SX vem com rodas de liga leve de 18 polegadas (225/60R18).

A versão SX Hybrid é equipada com teto solar panorâmico com abertura elétrica.

toyota_rav4_limited_hybrid_15Interior – O interior do novo RAV4 Hybrid foi completamente renovado. A qualidade dos materiais foi aumentada e os detalhes são enfatizados para alcançar um ambiente mais atraente e funcional.

O painel central conta com acabamento interno cromado com anéis de prata distintivos que expressam um estilo refinado e oferecem boa visibilidade.

Todas as versões possuem uma tela colorida de TFT de 7 polegadas, que permite ao motorista escolher entre um aspecto analógico ou digital.

O volante, revestido em couro, possui controles de áudio, telefone e controle de velocidade de cruzeiro na versão S Hybrid, enquanto a versão SX Hybrid, conta com comandos de áudio, telefone, alerta de mudança de faixa e controle de velocidade de cruzeiro adaptativo.

No painel central, o modelo conta com ar-condicionado integrado digital Dual Zone. O modelo ainda possui sistema de travamento e destravamento das portas e porta-malas por sensores de aproximação (Sistema Smart Entry) e sistema de acionamento e desligamento do motor por botão (Push Start Button).

45eec48dfcea8990ccfc4e6447e53290

Toyota-RAV45A versão SX ainda possui abertura e fechamento elétrico da tampa do porta-malas com acionamento interno ou por sensor de movimento (passando o pé por debaixo do para-choque traseiro).

O SUV conta conta com sistema multimídia com tela de LCD sensível ao toque de 7 polegadas com funções de espelhamento Mirror Link e DVD Player, CD-R/RW, MP3, WMA e AAC, rádio AM/FM, bluetooth e seis alto-falantes. Ela também incorpora uma câmera de ré e sensores de estacionamento dianteiros e traseiros que contribuem para maior segurança.

No console central, um sistema de carregamento sem fio para smartphones foi disponibilizado para potencializar a experiência do usuário.

Os bancos possuem partes revestidas em couro e material sintético. O assento do motorista tem seis posições de regulagem elétrica de distância, altura e lombar e memória para duas posições, distância e altura. Para um maior conforto, os bancos dianteiros são ventilados.

Os assentos dos bancos traseiros são ajustáveis e rebatíveis, além de contar com descansa-braços central e porta copos.

Toyota_RAV4_Hybrid_08O porta-malas tem capacidade para 580 litros. As duas versões contam com chave com comandos integrados para trava e destrava das portas e do porta-malas, enquanto a topo de linha ainda possui abertura e fechamento elétrico da tampa do porta-malas com acionamento interno por chave ou por sensor de movimento (passando o pé embaixo do para-choque traseiro).

Motor e Câmbio – O Toyota RAV4 Hybrid chega com um grande atributo: um novo sistema de propulsão híbrida recentemente desenvolvido que combina baixo consumo de combustível e potência. O sistema híbrido é composto por quatro motores (um a gasolina + três elétricos) que funcionam juntos, fornecendo uma potência total de 222 cv.

O propulsor é um 2.5 de 4 cilindros e 16V. Ele incorpora um sistema de sincronização de válvulas variável inteligente chamado VVT-i, que modifica os tempos de abertura das válvulas de admissão.

Ao mesmo tempo, incorpora um novo sistema de injeção de combustível direta e indireta, conhecido como D-4S, que adapta a injeção às condições de condução, obtendo maior potência e economia no consumo de combustível.

O sistema elétrico, composto por três motores, é alimentado por uma bateria de níquel-hidreto metálico II 11% mais leve que o sistema anterior, que recarrega automaticamente quando o veículo desacelera ou freia, sem a necessidade de se conectar a uma fonte de energia externa.

Toyota_RAV4_Hybrid_05Com esse sistema híbrido, o Novo RAV4 Hybrid pode percorrer cerca de 1.000 km com um único tanque de combustível de 55 litros, dependendo do estilo de condução.

Todas as versões do novo RAV4 Hybrid incorporam um novo tipo de transmissão automática HEV Transaxle continuamente variável (conjunto de engrenagens planetárias) controlada eletronicamente, com  um diferencial pré-engatado.

O resultado é uma aceleração mais linear, maior controle na desaceleração de modo sequencial e maior eficiência em alta velocidade, atingindo desempenho, potência e baixo consumo, informou a Toyota.

Todas as versões contam com quatro modos de condução: Normal, ECO, EV (100% elétrico) e Sport. Na versão SX, há a opção de trocas de marcha no volante, proporcionando maior prazer e emoção ao dirigir.

Toyota_RAV4_Hybrid_06Sistema de tração nas quatro rodas (AWD) – O Toyota RAV4 Hybrid está equipado com um novo sistema inteligente de tração AWD nas quatro rodas, desenvolvido para fornecer uma condução característica de um SUV e eficiência de combustível.

Este sistema de tração fornece torque às rodas traseiras dependendo da situação, por meio de um dos motores elétricos, localizado no eixo traseiro (sem cardã). A relação de distribuição de torque com as rodas traseiras melhora em 20/80 em comparação com a geração anterior (40/60).

Além disso, incorpora a função AUTO LSD, usada para sair das condições de deslizamento por meio do bloqueio das rodas. Quando elas giram sem tração ou são suspensas no ar, o sistema envia toda a força para as rodas que estão no chão, que são aquelas que têm tração.

Segurança – Pela primeira vez no Brasil, o Toyota RAV4 Hybrid incorpora o pacote de segurança ativa Toyota Safety Sense para a versão SX Hybrid.

Este sistema conta com um radar de ondas milimétricas combinado com uma câmera monocular para detectar uma variedade de perigos e alertar o motorista.

Toyota_RAV4_Hybrid_09As tecnologias são:

Sistema de pré-colisão frontal (PCS)*

O sistema de pré-colisão frontal do Toyota Safety Sense usa a câmera e o radar de ondas milimétricas para detectar veículos que circulam nas ruas e estradas. Se o sistema detectar a possibilidade de uma colisão, ele alerta o motorista através de avisos sonoros e visuais e ativa a assistência de frenagem para evitar ou reduzir os danos causados por elas.

Sistema de alerta de mudança de pista com condução assistida (LDA)*

Em determinadas circunstâncias, o Sistema de Alerta de Mudança de Faixa (Lane Departure Alert System – LDA) é projetado para detectar desvios de pista quando as linhas divisórias são visíveis. Ao ouvir e ver os alertas, e depois de verificar que é seguro fazê-lo, o veículo deve ser redirecionado para o centro da pista. Este sistema também inclui a funcionalidade de condução assistida. Quando é ativado e se detecta que está se desviando inadvertidamente, o sistema pode aplicar pequenos movimentos de correção no volante para ajudar a manter o veículo na pista.

Faróis altos automáticos (AHB)*

Faróis altos automáticos (AHB) é um sistema de segurança projetado para ajudar o motorista a ver mais claramente à noite sem distrair outros motoristas. O AHB trabalha com uma câmera a bordo para detectar os faróis dos veículos que se aproximam e os faróis traseiros dos veículos na frente, alternando automaticamente entre os faróis altos e baixos em conformidade.

Controle de cruzeiro adaptativo (ACC)*

O controle de cruzeiro adaptativo (ACC) é um sistema semelhante ao cruise control que permite a condução a uma velocidade constante pré-determinada. O ACC usa o radar de ondas milimétricas montado na grade frontal e a câmera projetada a bordo para detectar veículos, calcular sua distância e ajustar a velocidade para ajudar a manter uma distância predeterminada de veículo para veículo.

*Os sistemas de segurança ativa, como o Toyota Safety Sense, são projetados para auxiliar o motorista e, não, substituí-lo. O motorista deve manter o controle de seu veículo em todos os momentos e é responsável por sua condução, pois este sistema não substitui a condução segura.

Toyota_RAV4_Hybrid_04A Toyota informou que a nova geração do RAV4 recebeu cinco estrelas, de cinco possíveis, nas categorias de Proteção de Ocupantes Adultos e Proteção de Ocupantes Infantis do Latin NCAP, braço para a América Latina do renomado programa Global NCAP que promove testes independentes de segurança de automóveis.

De acordo com o Latin NCAP, o RAV4 Hybrid demonstrou boa proteção para os ocupantes nos três testes realizados: frontal, lateral e de poste. O modelo também atingiu níveis satisfatórios no teste de controle eletrônico de estabilidade.

Além disso, pela primeira vez um veículo Toyota recebeu dois reconhecimentos simultaneamente pelo Latin NCAP: o de Frenagem de Emergência Autônoma (AEB), em virtude do pacote Toyota Safety Sense (TSS), e o de Proteção de Pedestres.

O novo RAV4 Hybrid oferece sete airbags (motorista e passageiro, laterais, do tipo cortina e de joelho para o motorista), controle de estabilidade (VSC), controle de tração (TRC) e ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e assistente de frenagem de emergência (BA).

De acordo com a Toyota, o novo RAV4 Hybrid faz uma média de 14,3 km/l na estrada e 12,8 km/l na cidade.

Toyota_RAV4_Hybrid_10Acessórios – A nova geração do RAV4 já possui seis acessórios que podem ser instalados no modelo. São eles: caixa organizadora de porta-malas com três divisórias, compressor de ar 12V digital, kit de segurança para roda de liga leve, refrigerador portátil, suporte para bolsas e suporte para tablets.

Toyota_RAV4_Hybrid_02Fotos: Toyota / Divulgação

IMPORTANTE: as fotos do painel que ilustram essa matéria são de versões vendidas em outros países. No material disponibilizado para a imprensa nacional, a Toyota enviou, do interior, apenas a penúltima foto, que mostra o funcionamento dos airbags. Dessa forma, as versões que serão vendidas no Brasil poderão apresentar algumas diferenças no interior. Solicitamos tais fotos para a assessoria de imprensa da montadora mas, até a postagem dessa matéria, não recebemos resposta.

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Bons ventos sopram sobre Minas

Rogério Machado*

Fiat anuncia investimentos de R$ 8,5 bilhões e novos motores turbo

Apostando em Minas.Foto: Leo Lara / FCA / Divulgação

É inegável que a unidade da Fiat, em Betim (MG), tenha desempenhado, na última década, um papel fundamental nos caminhos da Fiat, suportando sua transição para a gigante FCA (Fiat Chrysler Automobiles).

O volume de produção e vendas de Betim, somado à diversidade de modelos em uma só planta, resultou em números dignos de cases na área de administração automotiva. Tudo isso aconteceu contemporaneamente à gradativa transição entre a fábrica tradicional, extremamente dependente da intervenção humana direta, até a fábrica atual, altamente elaborada e que usa inteligência artificial em seus processos.

O papel da planta de Betim foi reconhecido, ontem, com a confirmação de investimentos da ordem de R$ 8,5 bilhões que deverão se consolidar até 2024.

A unidade da FCA na China também estava entre os potenciais destinos do investimento porém, o governo de Minas, entendendo a importância desta captação para a economia local, mostrou-se mais atrativo para a empresa italiana.

O anúncio foi feito em uma cerimônia ontem, em Betim, da qual participaram o presidente da FCA John Elkann, neto de Giovanni Agnelli, o CEO (Chief Executive Officer) Michael Manley e o COO (Chief Operative Officer) Antonio Filosa, responsável pela operação na América Latina.

Representando Minas Gerais, o governador Romeu Zema observou que, na história da indústria mineira, este investimento se compara somente a própria implantação da Fiat, quarenta anos atrás. Zema aproveitou o evento para anunciar a isenção de IPVA para veículos movidos a Gás Veicular no Estado.

O 3 cilindro turbo.Motor turbo 1.0 de 3 cilindros

Motores mais leves e com novas tecnologias

Parte do investimento, R$ 500 milhões, será aplicada na montagem de uma nova linha no setor de Mecânica destinada a produzir motores turboalimentados de 1.0 litro e três cilindros e 1.3 litros e quatro cilindros, denominados, respectivamente, T3 e T4.

A potência gerada por cada um deles não foi informada no evento. Porém, segundo a FCA norte-americana, o 1.0 rende 120 cv e, o 1.3, 180 cv. É importante lembrar que, com a utilização da nossa gasolina (de qualidade inferior), esses números de desempenho podem ser alterados.

Estes motores são a última geração da linha GSE (Global Small Engine) que recebe o nome comercial de FireFly. São motores preparados para normas de emissões mais severas com um menor consumo e um desempenho que chega a ser 50% superior ao aspirado, tudo com muito gerenciamento eletrônico.

O coletor de descarga faz parte do cabeçote reduzindo o tempo de warm up e as emissões de HC. Paralelamente, um intercooler incorporado ao coletor de admissão diminui as emissões de NOx.

Estes novos cabeçotes recebem quatro válvulas por cilindro operadas por dois comandos com a admissão administrada pelo sistema MultiAir que, além de customizar a abertura de válvula em função da rotação, permite também uma ligeira alteração da taxa de compressão.

A injeção direta utiliza pressão de 200 bar e o arrefecimento do cabeçote e do bloco é feito por circuitos independentes. A bomba de óleo produz um fluxo variável, maior com o motor frio, e se ajusta em função da demanda, também em nome das emissões.

Os motores T4 de 1.3 litros deverão pesar cerca de 110 Kg, reduzindo o peso total dos veículos sobre os quais serão aplicados. Estes motores têm previsão de exportação para diversos mercados e o CEO Michael Manley evidenciou seu caráter revolucionário.

Segundo Filosa, a nova linha de produção devera demandar cerca de 300 postos de trabalho diretos e mais 900 indiretos.

O 4 cilindro turbo. Muita potencia com peso reduzido. (2)Motor turbo 1.3 de 4 cilindros

Engenharia de Betim inovando, etanol turbo

Aproveitando a característica antidetonante do etanol, a engenharia de motores esta trabalhando em um motor próprio para o álcool com injeção direta. Desta forma, com o setup de compressão dedicado a um combustível, será possível obter maior desempenho e menor consumo, aumentando sua competitividade.

Este motor recebe o código de T4 e comprova o expertise da equipe de Betim.

Novas famílias de veículos e participação nas universidades

O restante do aporte da FCA será destinado ao lançamento de 15 novos modelos ainda não anunciados. Sabe-se que os planos incluem o esperado SUV da picape Toro e, provavelmente, uma picape de maior porte. Esta sequência de produtos novos deverá se consolidar até 2024.

O Governo de Minas assinou acordo com a Fiat para a área de educação que inclui a participação da empresa em ações com a PUC (Pontifícia Universidade Católica) e UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) para o desenvolvimento de competências que atendam as novas demandas tecnológicas, incluindo a indústria automotiva e seus fornecedores.

Razões para acreditar

Michael Manley disse que as expectativas com relação ao País são positivas e que, a introdução das reformas previstas na esfera Federal, deverão consolidar um cenário econômico estável, razão pela qual o grupo decidiu fazer estes investimentos.

A turbina de pequeno diametro para respostas mais rapidas.A turbina de pequeno diâmetro para respostas mais rápidas

Fotos: FCA (Fiat Chrysler Automóveis) / Divulgação

*o colaborador esteve no evento a convite da FCA (Fiat Chrysler Automóveis)

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Jeep Renegade Sport ganha pacote Night Eagle

Da Redação

imagem(23)Em dezembro do ano passado o Jeep Renegade assumiu a liderança da categoria, onde vem se mantendo desde então. Segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), apenas de janeiro a abril já foram mais de 21.383 emplacamentos, 3.499 a mais do que o segundo colocado, o Jeep Compass (campeão de vendas em 2017 e 2018) – os dois somados representam 24% do segmento de utilitários esportivos.

imagem(27)Agora, a FCA (Fiat Chrysler Automóveis) lança pacote Night Eagle exclusivo para o Renegade Sport Flex 1.8 (automático). Com ele, o modelo ganha alterações no visual que geram certa exclusividade e estilo diferenciado.

O pacote é composto pela pintura preta nas rodas de liga leve de 17 polegadas (de acabamento brilhante), teto, laterais acima das portas e logotipos. Por dentro, o tema all-black continua dando o tom em todas as molduras (aros do volante multifuncional, saídas de ar, alto-falantes e base da alavanca de câmbio).

imagem(24)Outro destaque do Renegade Sport Night Eagle são os equipamentos, pois o pacote engloba a central multimídia Uconnect de 7 polegadas (tela igual à do Compass Sport) compatível com Android Auto e Apple CarPlay, ar-condicionado de duas zonas e sensores traseiros de estacionamento.

imagem(25)O pacote Night Eagle está disponível por R$ 4,50 mil e pode ser combinado com três cores metálicas para a carroceria: cinza, prata e preto.

imagem(26)Na tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), o preço do Jeep Renegade Sport Flex 1.8 16V 4×2 (automático) é R$ 85,23 mil. Ou seja, equipado com o pacote Night Eagle, seu preço fica em torno dos R$ 90 mil.

imagem(20)

imagem(22)

imagem(21)Fotos: FCA (Fiat Chrysler Automóveis ) / Divulgação

Peugeot apresenta reestilização do SUV 2008 para linha 2020

Da Redação  (Publicado no Diário do Comércio – Edição: 17/05/2019)

Desenho da dianteira passa a ter a identidade visual de outros modelos da marca

ALTA-8302_0A Peugeot apresentou a reestilização do SUV 2008 para a linha 2020. Lançado em 2015, modelo chega com modificações no design, desenvolvidas para o mercado da América Latina.

Com essas alterações, principalmente na dianteira, o utilitário compacto se alinha à identidade visual dos demais modelos da marca, como o 3008. A outra novidade é que, agora, todas as versões contam com câmbio automático de 6 marchas.

 “Este é um momento especial para nós. Depois de muito trabalho, chegamos ao ponto de virada que havíamos planejado. Oferecemos veículos modernos, anunciamos a expansão da rede de concessionárias e passamos a oferecer um compromisso único no mercado: agora, cliente que não estiver satisfeito com o serviço, não paga pelo valor da mão de obra. É a síntese da Nova Peugeot, uma marca que preza pela qualidade e excelência. O novo SUV Peugeot 2008 chega justamente para coroar este ciclo”, disse Ana Theresa Borsari, presidente da Peugeot Brasil.

Design – Na dianteira, a nova grade frontal é emoldurada em acabamento em preto e verticalizada. O capô, mais horizontalizado, torna a frente do veículo mais alta. O novo para-choque frontal aumenta o ângulo de ataque do carro e facilita a superação dos obstáculos nas ruas e estradas de terra.

ALTA-0769_0Os faróis afilados, com DRL em LED e refletores com lente semielíticas, foram projetados para obter o máximo de eficiência técnica e garantir mais segurança e visibilidade em todas as situações, informou a montadora.

A sensação de robustez da carroceria é reforçada pelo uso da linha de cintura elevada, com pneu 205/60 de rodas de 16 polegadas, de aço, com calotas ou de liga-leve. Os protetores pretos, agora como item de série para todas as versões, situados na parte inferior da carroceria, se estendem do para-choque dianteiro ao traseiro.

A parte traseira mantém sua identidade com o para-choque saliente à carroceria, com a parte inferior em preto, que reforça a ideia de proteção. Integradas na peça ficam as luzes de neblina e de ré.  As lanternas traseiras não passaram por mudanças e são iluminadas por LEDs.

Motor e Câmbio – O Peugeot 2008 está disponível em duas configurações de motorização, 1.6, de 118 cv a 5.750 rpm (com etanol) e 1.6 THP (turbo), de 173 cv a 6.000 rpm (com etanol), ambas com câmbio automático de 6 marchas. Os propulsores contam com torque máximo de 16,1 kgfm a 4.750 e 24,5 kgfm a 4.000 rpm, respectivamente.

ALTA-8637A motorização turbinada é exclusiva para a versão topo de linha, que passa a ser vendida somente no último trimestre. O motor turbo tem 16 válvulas, com duplo comando de válvulas no cabeçote e injeção direta sequencial. O turbo compressor é do tipo Twin-scroll; com bomba eletrônica de alta pressão; cabeçote com 2 eixos de comando de válvulas; bomba de óleo com gestão de vazão e cárter duplo.

Já a caixa de câmbio automática sequencial de 6 marchas, que equipa ambas motorizações,  traz 4 modos de condução (Drive, Eco, Sport e Sequencial), adaptando o veículo às mais diferentes necessidades do proprietário, seja para ter respostas mais esportivas do carro, como quando o modo de direção Sport é acionado, ou ainda, ao reduzir o consumo de combustível em situações de trânsito intenso em até 6,5%, no caso da ativação da função Eco.

O novo Peugeot 2008 ainda vem equipado, na versão Griffe THP, com o Grip Control, dispositivo que tem por objetivo auxiliar o motorista na direção ao otimizar a motricidade em diferentes e acidentados terrenos, como neve, areia ou lama. O Grip Control está disponível com 5 ajustes manuais (padrão, areia, neve, lama ou ESP OFF).

A suspensão dianteira do utilitário esportivo mantém o conjunto tipo Pseudo McPherson, independente, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos pressurizados à gás e barra estabilizadora.

Já na traseira, travessa deformável, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos pressurizados à gás e barra estabilizadora.

Ai94MV_INTERIOR_N3_GRIFFE_THP_BRA_ATSem mudanças, interior apresenta o conhecido padrão Peugeot

O interior não passou por mudanças, e nem precisava. Como sempre, se destaca pela qualidade dos materiais utilizados, o ótimo “padrão Peugeot de acabamento”. Privilegiando o prazer da condução, o i-Cockpit (assim chamado pela montadora) se destaca por proporcionar um posto de direção mais elevado e intuitivo.

O motorista fica completamente integrado ao veículo e com acessos simples a todas as funcionalidades presentes no painel ou no volante do carro. Os bancos contam com regulagem de altura, profundidade e inclinação.

À frente, o volante de multifunções com dimensões reduzidas, revestido em couro (na versão Griffe), dispõe de um acabamento cromo fosco com a inscrição Peugeot, e com regulagem de profundidade e de altura, aumenta a precisão da direção, que tem assistência progressiva elétrica.

O painel de instrumentos está posicionado acima do volante, dentro do campo de visão do motorista, o que permite uma completa visualização de toda a condição do veículo sem que seja necessário tirar os olhos da estrada.

CAM05_CLUSTER_N3_THPDe série desde a versão de entrada, no console central encontra-se a central multimídia de 7 polegadas, que para o lançamento, contou com atualização do software, ficando mais rápido, segundo a Peugeot.

A central possui os sistemas Google Android Auto e Apple CarPlay e possibilita o espelhamento do celular. Com essa tecnologia, aplicativos populares de música ou navegação, entre outros, podem ser utilizados com mais facilidade – contanto que já estejam instalados no smartphone do usuário.

Uma vez que os aparelhos estejam conectados, as chamadas telefônicas também podem ser feitas por comando de voz ao apertar um botão do volante.

Segurança – O 2008 já vem equipado, em todas as suas versões, com quatro airbags (dois frontais e dois laterais); com piloto automático (regulador/limitador de velocidade); apoios de cabeça dianteiros e traseiros (disponíveis para todos os ocupantes) e freios a disco nas quatro rodas com ABS.

FUNCIONALIDADE_BANCOS_BO modelo ainda possui cinco cintos de segurança com três pontos de fixação, alerta sonoro e visual de afivelamento do cinto do condutor (na frente, os cintos têm pré-tensionadores e bloqueio de folga e atrás os cintos laterais e central têm bloqueio de folga) e Sistema Isofix para a fixação de cadeirinhas utilizadas para o transporte de crianças.

A suspensão elevada, com 200 mm de vão livre no entre-eixos e ângulo de entrada de 23°, contribui para maior estabilidade e segurança do carro, principalmente em situações como passagem por lombadas, valetas ou mesmo estradas de terra.

O utilitário esportivo compacto 2008 apresenta distância entre-eixos de 2,54 metros. O porta-malas tem capacidade para 402 litros. Com a possibilidade de rebatimento dos bancos traseiros, o volume sobe para 1.172 litros.

Preços:

Peugeot 2008 Allure 1.6 (automático/público PcD) – R$ 69,99 mil

Peugeot 2008 Allure Pack 1.6 (automático) – R$ 79,99 mil

Peugeot 2008 Griffe 1.6 (automático) –  R$ 89,99 mil

Peugeot 2008 Griffe 1.6 THP (automático/turbo) – R$ 99,99 mil

ALTA-0689_0Fotos: Pedro Bicudo / Peugeot / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Renault Kwid ganha nova versão topo de linha

Da Redação

Renault Kwid Outsider. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultA Renault lançou uma nova versão topo de linha para o compacto Kwid, a Outsider. Como novidade, ela traz de série a central multimídia da Renault, que conta com tecnologia Android Auto e Apple Carplay, que permite usar Spotify, Waze, Google Maps (Android Auto) e reproduzir áudios de Whatsapp na tela de 7 polegadas touchscreen.

Renault Kwid Outsider. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultVisualmente, o Kwid Outsider recebe skis (frontal e traseiro), barras de teto, proteção lateral, moldura do farol de neblina e calotas na cor preta. Já o interior, o veículo apresenta novo revestimento dos bancos e detalhes alaranjados nos portas, volante e câmbio.

Renault Kwid Outsider. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultO Kwid Outsider chega ao mercado por R$ 43,99 mil e se une às outras três versões do compacto: Life (R$ 33,17 mil), Zen (R$ 38,58 mil) e Intense (R$ 41,75 mil).

Renault Kwid Outsider. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultA linha Kwid traz o motor 1.0 com três cilindros, 12 válvulas, duplo comando de válvulas (DOHC) e bloco em alumínio. A transmissão é manual de 5 marchas.

Abastecido com etanol, rende 70 cv de potência a 5.500 rpm e torque de 9,8 kgfm a 4.250 rpm. Com gasolina, são 66 cv a 5.500 rpm e 9,4 kgfm a 4.250 rpm.

Renault Kwid Outsider. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultDe acordo com a Renault, na cidade, a versão Outsider faz 14,1 km/l com gasolina e 9,6 km/l com etanol. Na estrada, 14,4 km/l com gasolina e 10 km/l com etanol.

Renault Kwid Outsider. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / RenaultFotos: Rodolfo Buhrer / Renault / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Primeiro veículo 100% elétrico da Jaguar, I-PACE chega ao Brasil

Da Redação

jipace19mylocation01031838Hoje é um dia que ficará marcado na história da Jaguar no Brasil. Seu primeiro modelo 100% elétrico, o SUV (utilitário esportivo) I-PACE, chega ao mercado brasileiro e está disponível para os clientes com o preço a partir R$ 437  mil.

As primeiras unidades a desembarcarem no País contam com um pacote de opcionais que inclui teto panorâmico fixo, rodas de 20 polegadas e smartphone pack, sistema que permite a sincronização de alguns aplicativos do celular com o veículo. Com esse pacote de opcionais, o veículo é vendido a R$ 449,19 mil.

Totalmente desenvolvido no Reino Unido, o I-PACE será produzido na fábrica da Jaguar Land Rover em Graz, na Áustria, em uma parceria com a Magna Steyr.

O modelo já está disponível nas concessionárias Jaguar Land Rover no País, em versão única equipada com dois motores elétricos que desenvolvem 400 cv de potência e bateria de 90kW que oferecem autonomia de até 470 quilômetros com uma única carga, de acordo com o ciclo WLTP.

Jaguar I-PACE Global Drive, Portugal, 2018Extremamente ágil, o modelo elétrico traz torque instantâneo de 69,6 kgfm, força suficiente para levá-lo da imobilidade aos 100 km/h em apenas 4,8 segundos, informou a Jaguar.

Equipado com uma bateria íon de lítio de 90kWh formada por 432 células e ampla capacidade térmica, o modelo conta com dois motores elétricos idênticos que enviam tração para as quatro rodas, cada um com a função de gerar força para um eixo do veículo.

Para receber o I-PACE, e oferecer a melhor estrutura de pós-venda aos clientes do modelo, a rede de concessionárias Jaguar Land Rover de todo o Brasil está sendo devidamente preparada.

Uma série de amplos programas de treinamento voltados a todos os seus funcionários, desde vendedores até os técnicos de oficina, estão sendo realizados pela Jaguar Land Rover.

Jaguar I-PACE Global Drive, Portugal, 2018Além disso, as concessionárias terão toda a estrutura física necessária para receber o modelo, incluindo uma unidade de carregamento de 7kW.

O novo Jaguar I-PACE oferece aos seus clientes um SUV prático, com desempenho de um esportivo, amplo espaço interno, tecnologia avançada e design atraente.

O carregador de 100kW permite aos clientes recarregar até 80% da bateria do I-PACE em até 40 minutos, situação ideal para uma viagem longa.

Já quando carregado em um carregador padrão de 7kW, os 80% de carga são alcançados em 10 horas, ou seja, uma situação perfeita para o carregamento durante uma noite de sono.

Jaguar I-PACE Global Drive, Portugal, 2018“O I-PACE é um verdadeiro Jaguar, ao oferecer uma experiência de condução extremamente esportiva. Seu sistema de tração integral oferece aceleração instantânea em todos os tipos e condições de terrenos”, afirmou Mike Cross, engenheiro-chefe da Jaguar.

Os motores são totalmente ajustados ao sistema de transmissão de velocidade única e ao diferencial do I-PACE, construídos para serem extremamente compactos. Ambos trabalham para gerar uma distribuição de força instantânea para as quatro rodas. Tal característica permite que o SUV adapte continuamente seu balanço dianteiro e traseiro, de acordo com as condições da estrada.

A Jaguar colocou a bateria na posição mais baixa possível entre os eixos, de forma a proporcionar uma distribuição de peso 50:50 e um centro de gravidade 130 milímetros mais baixo que o F-PACE, o que reduz muito a rolagem da carroceria.

Os engenheiros da Jaguar substituíram um freio convencional por um freio elétrico no I-PACE. Isso proporciona ao sistema mais flexibilidade ao combinar a frenagem mecânica regenerativa com a tradicional, o que proporciona uma sensação de pedal consistente e precisa em todas as circunstâncias.

Jaguar I-PACE Global Drive, Portugal, 2018O I-PACE também permite que o condutor selecione entre níveis altos ou baixos de frenagem regenerativa para maximizar a eficiência e otimizar o alcance do veículo.

Quando o modo regenerativo elevado é selecionado, ele efetivamente permite que o condutor experimente a condução intuitiva com um único pedal, pois a velocidade do modelo diminui conforme o pedal do acelerador é levantado, o que reduz a dependência do pedal de freio. Neste caso, uma força de frenagem regenerativa máxima de 0.4G pode ser alcançada.

Design – Os designers da Jaguar, chefiados pelo renomado designer Ian Callum, desenharam o I-PACE como um SUV de proporções imponentes e silhueta marcante, que remete a um cupê. Seu design é inteiramente inspirado no superesportivo C-X75, com linhas bastante agressivas e rodas de aro 20.

Seu capô baixo, teto de alta fluidez aerodinâmica e traseira mais quadrada garantem ao I-PACE um coeficiente de arrasto de apenas 0,29. A grade dianteira passa a assumir um importante papel aerodinâmico no modelo, ao canalizar o fluxo de ar para as linhas do capô e para a parte inferior do para-brisas, o que contribui diretamente para a redução do arrasto.

Jaguar I-PACE Global Drive, Portugal, 2018O fluxo de ar que passa pela grade dianteira e pelas linhas do capô também ajudam no resfriamento da bateria, o que garante ainda mais otimização de sua carga.

Da mesma forma que no F-TYPE e no Range Rover Velar, as maçanetas do I-PACE localizam-se dentro da carroceria e são reveladas no momento em que os ocupantes entram ou saem do veículo.

Essa característica dá ao SUV um visual mais limpo e, ao mesmo tempo, proporciona uma melhoria aerodinâmica ao modelo.

Quando equipado com o sistema de suspensão pneumática opcional, o I-PACE ainda pode ser rebaixado em 10 milímetros em velocidade acima de 105 km/h, o que também contribui para a redução do arrasto.

A assinatura dos faróis full LED do modelo em duplo “J” são marcantes e corroboram seu design agressivo.

07-2019-jaguar-i-pace-oemInterior – Os materiais que revestem o interior do I-PACE foram cuidadosamente escolhidos de forma a proporcionar uma aparência amplamente natural e high-tech. Elementos em laca preta (black piano) e alumínio, combinado ao avançado sistema de entretenimento Touch Pro Duo, dão um ar extremamente moderno ao veículo.

Os ocupantes do banco traseiro têm à sua disposição uma ampla variedade de porta objetos além de um espaço para pernas de 890 milímetros. A ausência de um túnel de transmissão proporcionou um porta-objetos central com capacidade de 10,5 litros, ideal para a armazenagem de telefones, chaves ou outros objetos pequenos.

A Jaguar também disponibilizou um porta-objetos em baixo do banco traseiro, que é um bom local para o armazenamento de laptops ou tablets, por exemplo. Já o porta-malas tem capacidade para até 656 litros. A capacidade pode ser ampliada para até 1.453 litros com os bancos rebaixados.

Como opcional, o modelo traz teto de vidro panorâmico, o que amplia a luminosidade e a sensação de espaço da cabine.

2019-Jaguar-I-Pace-front-interior-seats-6Tecnologia – O I-PACE é o primeiro modelo da Jaguar a ser equipado com o novo sistema de entretenimento Touch Pro Duo, formado por duas telas sensíveis ao toque dispostas no console central, nos mesmos moldes do que existe no Range Rover Velar.

O sistema foi desenhado para minimizar a distração do condutor, ao distribuir de forma lógica as informações disponíveis.

Todas as funções do veículo como controle de temperatura, sistema de som, modo de condução, entre outras são controladas por apenas dois botões giratórios, o que minimiza o volume de informações no painel e cria um ambiente mais limpo e agradável.

O cluster disposto aos olhos do condutor é 100% digital, formado por uma tela de alta resolução em TFT de 12 polegadas, que traz as informações mais importantes do veículo de forma clara e precisa.

intEssas informações também podem ser disponibilizadas no para-brisa, por meio do sistema opcional head-up display.

O I-PACE também conta com a tecnologia Smart Settings, que registra o estilo de condução do motorista e consegue assim adaptar o veículo às necessidades de cada um.

Por meio da conexão bluetooth entre o smartphone do proprietário e o veículo, uma vez conectado, todas as configurações de temperatura, posição dos bancos e modo de condução podem ser previamente configuradas e já estarem prontas antes mesmo de o motorista entrar no I-PACE.

De série, o I-PACE traz o sistema de entretenimento In Control Touch Pro Duo. Compatível com as plataformas Apple Car Play e Android Auto, ele permite aos usuários espelharem alguns aplicativos de música e navegação de seus smart phones na tela localizada no painel do I-PACE.    

Jaguar I-PACE Global Drive, Portugal, 2018Segurança – O I-PACE, de acordo com a Jaguar, alcançou uma classificação de 5 estrelas nos testes de segurança da Euro NCAP, confirmando-o como um dos veículos mais seguros na estrada.

O utilitário marcou 91% para proteção de ocupante adulto, 81% para proteção de ocupante infantil e 81% para assistência de segurança. Para os testes de impacto da barreira lateral e impacto da coluna lateral mais severa, o modelo obteve pontuação máxima, com boa proteção de todas as áreas críticas da carroceria.

O I-PACE também oferece avançadas tecnologias de segurança para proteger os usuários e pedestres, incluindo Capô Destacável e Frenagem Autônoma de Emergência com detecção de pedestres e ciclistas.

A Jaguar também desenvolveu um sistema único de Alerta Audível de Veículos (AVAS) para seu primeiro modelo elétrico que avisa os pedestres quando o veículo está se aproximando.

Jaguar I-PACE Global Drive, Portugal, 2018Fotos: Nick Dimbleby / Jaguar Land Rover / Divulgação

O som pode ser ouvido a velocidades de até 20 km/h e excede o mínimo de 56dB (A) exigido pela legislação de alguns países. O sistema foi testado em conjunto com membros da instituição Guide Dogs for the Blind, principal ONG do Reino Unido para pessoas afetadas por perda de visão.

Além das tecnologias de segurança, o SUV oferece um conjunto de sistemas avançados de assistência ao condutor, como Controle de Velocidade Cruzeiro Adaptativo (Adaptive Cruise Control); Assistente de Ponto Cego (Blind Spot Assist); e Auxílio de Estacionamento 360º (360º Parking Aid).

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br