Emplacamentos de veículos crescem 10,82% em maio

Da Redação

A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgou que os emplacamentos de veículos, no mês de maio/2021, considerando todos os segmentos automotivos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros) tiveram crescimento de 10,82% sobre o mês anterior (319.257 unidades contra 288.081 emplacamentos) e 218%, quando comparado a maio/2020 (100.394 veículos).

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, a alta foi impulsionada por conta das entregas de veículos vendidos em meses anteriores.

“Apesar dos esforços das montadoras, as entregas de veículos ainda não atingiram o equilíbrio, em função da falta de alguns componentes, principalmente eletrônicos, mantendo o represamento de vendas, que já vinha sendo verificado. Nos resultados de maio, notamos que uma parcela dos emplacamentos se referem às vendas realizadas em meses anteriores. Como consequência da menor oferta, os estoques de veículos, para todos os segmentos, se mantêm em um nível muito baixo”, observou Alarico Assumpção Júnior, Presidente da Fenabrave.

Na análise de dias úteis, considerando que maio teve 21 dias úteis (um dia a mais do que abril), o mercado registrou uma alta de 5,57%.

O volume acumulado de emplacamentos, nos cinco primeiros meses de 2021, soma 1.393.358 unidades. Na comparação com o mesmo período de 2020, quando foram emplacadas 1.031.235 unidades, houve um crescimento de 35,12%.

“Vale observar que esse crescimento, embora bastante positivo, se dá sobre uma base comparativa baixa, já que tivemos péssimos resultados nos meses de março e abril do ano passado, em função do início da pandemia e da paralisação súbita da economia”, lembrou o presidente da Fenabrave.

A Fenabrave mantém a previsão inicial de crescimento, de 16%, para o ano de 2021, divulgada em janeiro. A entidade somente deve revisar suas projeções em julho, após o fechamento do 1º semestre deste ano.

“Os índices de confiança da indústria estão altos, estando entre os 5 maiores do País. Há demanda e crédito elevados no mercado automotivo e, com a evolução da vacinação e imunização da população, contra o COVID-19, talvez estejamos diante de um quadro mais favorável do que o estimado, quando iniciamos a 2ª onda da pandemia, neste ano”, declarou Assumpção Júnior, complementando: “Mas, ainda é cedo para alterar nossas projeções. Vamos aguardar o fechamento do semestre para avaliar melhor o cenário como um todo, incluindo a regularização da produção”.

Automóveis e Comerciais Leves:

Os segmentos de Automóveis e Comerciais Leves apresentaram alta de 7,03%, nos emplacamentos de maio/2021 (175.405 unidades emplacadas), se comparados com o mês de abril (163.888 unidades). Em relação a maio de 2020 (56.627 unidades), houve alta de 209,76%.

Já no acumulado dos cinco primeiros meses de 2021, houve um crescimento de 30,07%, totalizando 837.125 automóveis e comerciais leves emplacados, contra os 640.477 registrados no mesmo período do ano passado.

O crédito, para financiamentos, continua com uma boa oferta, e a aprovação se mantém em 6,7 fichas para cada 10 enviadas aos bancos.

Caminhões:

O mercado de Caminhões continua aquecido, mas ainda afetado pela falta de peças e componentes. “Esse aquecimento demonstra a melhora da economia, o que é corroborado pelo Índice de Confiança da Indústria Automotiva que, segundo levantamento (ICEI), está entre os 5 maiores do ranking nacional. No comércio também estamos confiantes e notamos que se a produção de caminhões fosse maior, teríamos mercado para isso”, comentou Assumpção Júnior.

Em maio, foram emplacados 11.358 Caminhões, numa alta de 140,43% sobre maio de 2020, quando foram vendidas 4.724 unidades.

Já na comparação com abril de 2021, quando foram emplacados 9.817 Caminhões, houve alta de 15,70% e, no acumulado dos primeiros cinco meses do ano (46.948 unidades), houve crescimento de 62,82% sobre igual período do ano passado, quando foram comercializados 28.835 Caminhões.

Ônibus:

Em maio, o segmento, que vinha amargando sucessivas quedas, emplacou 1.897 unidades, o que significa crescimento de 130,78% sobre maio/2020, quando foram negociadas 822 unidades, e de 35,50% sobre abril/2021 (1.400 Ônibus emplacados).

No acumulado dos cinco primeiros meses de 2021, quando foram emplacados 7.549 Ônibus, houve alta de 14,80%, na comparação com igual período de 2020 (6.576 unidades).

“Apesar dessa alta expressiva, devemos avaliar que a comparação se dá em uma base baixa, e que as vendas de Ônibus, ainda que tenham melhorado, continuam afetadas pela pandemia da COVID-19, que impactou na circulação e viagens das pessoas”, explicou Assumpção Júnior.

Implementos Rodoviário:

O segmento de Implementos Rodoviários acompanha, de perto, a evolução de Caminhões e, em maio, registrou 7.998 unidades emplacadas, num crescimento de 113,28% sobre o mesmo mês do ano passado, quando foram comercializadas 3.750 unidades, e uma alta de 7% sobre abril deste ano (7.475 unidades).

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, houve crescimento de 83,03% (36.780 unidades) sobre igual período de 2020 (20.095 unidades).

Motocicletas:

O segmento de Motocicletas, que foi o grande destaque do mês passado, continua com bons resultados em maio/2021, quando teve 110.417 unidades emplacadas, numa alta de 277,91% sobre maio de 2020 (29.218 motos comercializadas).

Em relação a abril de 2021, quando 94.693 unidades foram vendidas, houve alta de 16,61%.

Já no acumulado dos cinco primeiros meses de 2021, os emplacamentos de Motocicletas somaram 410.657 unidades, um resultado que, se comparado às 304.393 unidades, comercializadas em igual período de 2020, demonstra alta de 34,91%.

“O mercado de Motocicletas continua aquecido, mas ainda há reflexos dos problemas enfrentados pela indústria, para regularizar sua produção/entrega. Devido a essas dificuldades, alguns modelos estão com entrega programada para daqui a 40 dias, mas, aos poucos, o mercado está se ajustando. Desde abril, com o retorno da produção, as fábricas estão conseguindo entregar parte do volume das vendas que já haviam sido efetivadas. O crédito também está melhor, para quem pretende financiar Motocicletas, com a aprovação de quase metade das propostas enviadas aos bancos”, comentou o presidente da Fenabrave.

Tratores e Máquinas Agrícolas têm quadrimestre positivo

OBS.: Por não serem emplacados, os Tratores e as Máquinas Agrícolas apresentam dados com um mês de defasagem, pois dependem de levantamento junto aos fabricantes.

Em abril de 2021, as vendas de Tratores e Máquinas Agrícolas atingiram 4.492 unidades, numa alta de 7,88%, na comparação com o mês de março, quando foram comercializadas 4.164 unidades.

Na comparação com abril de 2020, quando foram vendidas 2.335 unidades, a alta foi de 92,38%.

No acumulado do 1º quadrimestre de 2021, houve crescimento nas vendas de Tratores e Máquinas Agrícolas. Foram negociadas 15.347 unidades, o que representa crescimento de 36,53% sobre as 11.241 negociadas no mesmo período do ano passado.

unnamed2

Crédito: Fenabrave / Divulgação

Acesse o nosso site: http://www.diariodocomercio.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s